debate sobre bibliotecas universitárias na conferência "advocacy for libraries"

Download Debate sobre Bibliotecas Universitárias na Conferência

Post on 19-Nov-2014

287 views

Category:

Government & Nonprofit

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Debate moderado por Pedro Príncipe, enquanto coordenador do Grupo de Trabalho das Bibliotecas de Ensino Superior da BAD, sobre bibliotecas universitárias na Conferência Advocacy for Libraries organizada pelo Goethe Institut e BAD.

TRANSCRIPT

  • 1. Bibliotecas de Ensino Superior11H00 12H30SESSO PARALELA 1 DEBATE (MODERAO DE PEDRO PRNCIPE)GRUPO DE TRABALHO DAS BIBLIOTECAS DE ENSINO SUPERIOR

2. Para este debate vamos recuperaralgumas ideias das sesses anterioresO QUE DESTACAM E MAIS VALORIZARAMO MAIS DESAFIANTE E OPORTUNO 3. Recuperandoalgumasideias do2 Encontrodas BESTendncias, boasprticas, ideiasinovadoras, grupos dediscusso 4. Recuperando algumas ideias do 2 Encontro BESDas tendncias nas Bibliotecas deEnsino Superior, destacaram-se:Fortes desafios ligados tecnologia, especificamentea tecnologia mvel, a adequao de contedos e aesaos Massive Open Online Courses (MOOCs);Os novos papis de intermediao: o suporte publicao;Aposta nas competncias e valorizao dosprofissionais;As redes de profissionais e instituies, quepotenciem a partilha e a racionalizao de recursos.10 tendncias (ACRL):Comunicar valor;Dados cientficos;Preservao digital;Ensino superior;Tecnologias da informao;Mobile;E-books;Comunicao cientfica;Pessoal;Expetativas dos utilizadores. 5. Recuperando algumas ideias do 2 Encontro BESJuntmo-nos e discutimosGerir com engenho e criatividade: como podem asbibliotecas fazer mais com menos.Literacia da informao no contexto acadmico:contedos e metodologias relevantes para a formaoNovos espaos para novas necessidades nasbibliotecas acadmicasConsrcios, Redes e Infraestruturas: caminhos futurosem PortugalMtricas vigentes e mtricas alternativas: papel dasbibliotecas 6. INFObiblioPOINT ESART: reinventando a itinernciaMaria Eduarda Pereira Rodrigues, ESACB/ESARTInstituto Politcnico de Castelo BrancoProdutos de comunicao ao servio da comunidade de utilizadores das Bibliotecas do IPLLiliana Gonalves, Servios de Documentao do Instituto Politcnico de LeiriaNova plataforma para a criao de guias e tutoriais de literacia da informao na UminhoDaniela Castro, Maria Cristina Gonalves, Servios de Documentao da Universidade do MinhoCdigos QR: uma biblioteca aos quadradinhosAna Isabel Roxo, Salima Rehemtula, Silvia Reis, Diviso de Documentao e Biblioteca da FCT da UNLA Biblioteca Informa: contedos relevantes mais perto dos utilizadoresAna Bela Martins, Ceclia Reis, Diana Silva, Univ. Aveiro 3 sessesPECHA KUCHA 7. Sistema de identificao de cor para daltnicos tornar a biblioteca da FCT/UNLmais inclusivaSalima Rehemtula, Ana Alves Pereira, Faculdade de Cincia e Tecnologia da Univ. Nova de LisboaEnriquecimento do catlogo: mais informao, mais interao!Daniela Vieira Castro, Nuno Fernandes, Servios de Documentao Univ. MinhoA biblioteca nas tuas mosDiana Silva, Ceclia Reis, Bella Nolasco, Bibliotecas da Universidade de AveiroUC DigitalisAna Miguis, Servio Integrado das Bibliotecas da Univ. Coimbra 3 sessesPECHA KUCHA 8. Servio de Emprstimo Intercampus nas Bibliotecas do IPLDulce Correia, Servios de Documentao do Instituto Politcnico de LeiriaTrs filmes das bibliotecas da UA: o cenrio, o guio, as personagens, os resultadosAna Bela Martins, Susana Dias, Bibliotecas da Univ. de AveiroA dinmica cultural em bibliotecas do ensino superior: o caso da biblioteca da FCT/UNLAna Alves Pereira, Maria do Rosrio Duarte, Slvia Reis, Isabel Carvalho, Diviso de Documentao eBiblioteca da Faculdade de Cincia e Tecnologia da Univ. Nova de LisboaBibliotecrio de Referncia Online: intermedirio entre a informao e o utilizadorAna Cristina Sousa Gonalves, Alice de Jesus Rodrigues, Biblioteca ICBAS/FFUP do Instituto de CinciasBiomdicas Abel Salazar da Univ. do PortoDALI Divulgao, Apoio e Literacia de InformaoDiana Silva, Ceclia Reis, Rita Gonalves, Bibliotecas da Universidade de Aveiro 3 sessesPECHA KUCHA 9. Desafios lanados para o debate:O QUE QUEESTAMOS A FAZER?O QUE QUE PODEMOSOU DEVERAMOS FAZER? 10. Destacando algumas ideias de ontemDa comunicao de Eloy Rodrigues:Gerar e disponibilizar servios de valor acrescentado aos utilizadores. Mas no suficiente... temos que provar e demonstrar!Importncia da necessidade de evidncias com estudos e relatrios que destaquem esse valor. Resultados no ensino, no impacto da investigao, na reputao institucional.Conseguir aliados os amigos da biblioteca por canais informais e formais. Advocay definindo claramente objetivos e questes concretas.Por exemplo, novas agendas da biblioteca: Open Access, Gesto de dados cientficos.Importncia de planos de comunicao (lobby).Partilha de experincias com outros colegas, parcerias, trabalho em rede.Assumir novos papis. 11. Recordando as frases da sesso da manhA minhoca tem que agradar ao peixe e no ao pescadorAquele que luta pode perder, mas aquele que no luta perde sempreNada tem mais sucesso que o sucessoDeve-se malhar o ferro enquanto est quenteGro a gro enche a galinha o papoComo fizeste farei 12. Desafios para o debate:O QUE QUEESTAMOS A FAZER?O QUE QUE PODEMOSOU DEVERAMOS FAZER? 13. Alguns comentrios do debate (1/2):O QUE QUE ESTAMOS A FAZER? O QUE QUE PODEMOS OU DEVERAMOS FAZER?Lutas que se travam junto dos responsveis institucionais Necessidade de consubstanciar e evidenciar a importnciada agenda da biblioteca, e tambm utilizar diferentesestratgias, como por exemplo a comparao com outrasinstituies (competio entre instituies).Ter parceiros privilegiados para valorizar as colees dabiblioteca e conseguir com o resultado desta colaborao.Por exemplo na Biblioteca de Arte da FCG trabalham com osresponsveis dos departamentos de arte das Univ. emLisboa para identificar trabalhos a serem desenvolvidos,colees a destacar.A biblioteca enquanto espao, valorizar com formas criativasde design os espaos (salas de leitura, etc.) da biblioteca.Temos hoje diferentes pblicos, por isso oferecer novosservios, preocupao principalmente com 2 e 3 ciclos.O que os alunos e docentes no dispensam em que quesomos nicos demonstrar com formas de ao.Antecipar os desafios da dimenso internacional.Valorizao das nossas colees aquilo em que somosnicos.A Biblioteca ser participante ativo tambm na dinmicaacadmica (por exemplo, com sugesto de trabalhos), algoque est a ser feito com sucesso no Centro de Documentao25 de Abril. 14. Alguns comentrios do debate (2/2):O QUE QUE ESTAMOS A FAZER? O QUE QUE PODEMOS OU DEVERAMOS FAZER?Um bom exemplo e boa prtica partilhada o conselhoconsultivo da Biblioteca da FCSH da UNova que participa deforma direta na vida, opes e iniciativas da Biblioteca.Aproveitar oportunidades por exemplo da escola doutoralda UNova. Demorou, mas conseguiu-se com base num grupode bibliotecrios, presena sensvel do Reitor e convite a umapessoa de fora que veio reforar a mensagem.Valorizar fundos, nomeadamente os doados quandoassumem muito valor (Unova).Necessidade do estabelecimento de uma Rede Nacionalde BES - seria essencial para Advocacy a nvel depolticas nacionais.Como fazer emergir esta rede? Arranjar apoios? Nodepender de tutelas.Olhar com ateno o exemplo francs de consrcio quepartiu de relatrio que era muito critico visibilidadedas bibliotecas e seus profissionais.Quem dirige a biblioteca? Em muitas instituies aindaperduram os professores bibliotecrios, que nalgunscasos no favorecem o trabalho dos profissionaisbibliotecrios.

Recommended

View more >