de uma câmara escura à digital. ano ? inventor ?

Download De uma câmara escura à digital. Ano ? Inventor ?

If you can't read please download the document

Post on 18-Apr-2015

109 views

Category:

Documents

3 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Slide 1
  • de uma cmara escura digital
  • Slide 2
  • Ano ? Inventor ?
  • Slide 3
  • Observa-se um eclipse parcial do Sol projetado em uma superfcie plana, atravs de orifcios em uma chapa. Quarto do tesouro preso
  • Slide 4
  • Abu-Ali Al Hasan (Astrnomo e ptico) A imagem do sol durante um eclipse, antes de ser total, demonstra que, quando a luz da mesma passa atravs de um pequeno orifcio circular e encontra uma superfcie plana no lado oposto, a imagem aparece invertida. A imagem do sol mostra esta particulariedade somente quando o orifcio muito pequeno. Quando a abertura aumenta, a imagem muda Primeira ilustrao publicada da Cmara Escura, 1545
  • Slide 5
  • Eu afirmo que se fizermos um pequeno orifcio redondo na fachada situada sombra, todos os objetos iluminados pelo sol transmitiro a sua imagem atravs deste orifcio e sero visveis, de forma invertida, na parede interna que dever ser branca.
  • Slide 6
  • Cmara Escura em forma de mesa, 1769 Cmara Escura tipo caixo e reflex, usada por cerca de 150 anos Cmara Escura de mesa, 1820 Cmara Escura em forma de livro, sc XVIII Cmara Escura porttil reflex, 1685 Cmara Escura em Forma de liteira, 1711 Cmara Escura em Forma de tenda, 1620 Joham Keppler
  • Slide 7
  • 1521 - Monge Papnutio da Cesare Cesariano-"Commetaires de Virtruve" 1521 - Francesco Maurolico da Messina - "Photismi de lumine et umbra ad perspectivam et radiorum incidentiam facientes" - editado em 1611 (fazendo referncia a um primeiro estudo de 1521) 1544 - Gemma Frisius (Renerius) - relata o uso de uma cmera escura na observao de um eclipse em Louvain na Blgica. 1553 - Giovanni Battista Della Porta - "Magia Naturalis" Considerado em muitos compndios de cinema e fotografia como o inventor da Cmara Escura. Entretanto, h vrias ressalvas sobre isso, entre elas as referncias mais antigas, e entre outras, algumas indicaes dadas por Della Porta que no so verdadeiras.
  • Slide 8
  • 1568 - Daniello Barbaro - Nos d uma verso melhor da cmara escura de grandes propores, descrevendo o uso num quarto escuro apenas colocando uma folha de papel prxima ao orifcio com a lente, projetando assim uma imagem. (Neste caso, o uso do quarto escuro possvel). 1646 - Athanasius Kirscher (Athanasio) - "estranha e mirabolante figura, misto de cientista e mistificador, realizou uma gigantesca obra abrangendo o Egito Antigo, a China, a Astronomia, e vrios outros assuntos" (segundo Mario Guidi, pp. 21-22), publicando um estudo sobre a Cmara escura num tratado chamado 'Ars Magna Lucis et Umbrae', em que tambm h referncias precisas sobre cmaras escuras, grandes e pequenas, bem como lanternas mgicas.
  • Slide 9
  • ... muito escura Quanto maior o orifcio Mais clara a imagem, porm, pouca nitidez A imagem produzida atravs de uma lente bastante ntida devido refrao. Os raios de luz divergentes refletidos por um ponto do sujeito so refratados pela lente E passam a convergir a um nico ponto.
  • Slide 10
  • Diversos tipos de diafragma: Watherhouse, com placas isoladas, circular e o de ris, o mais usado atualmente. A imagem s toma-se ntida no pondo chamado FOCO. Fora desse ponto a imagem formada por discos, chamados crculos de CONFUSO.
  • Slide 11
  • Os haletos de Prata e a fotossensibilidade 1604 ngelo Sala composto de prata | alquimista Fabrcio cloreto de prata 1727 Heirich Shulze cido ntrico, prata e gesso No tenho qualquer dvida que esta experincia poder revelar ainda outras utilidades de aplicaes aos naturalistas (profecia do pai da fotoqumica). 1790 Charles (fsico) realiza impresses de silhuetas em folhas impregnadas de cloreto de prata 1800 Papeis embebidos em sais de prata so utilizados na Cmara escura Wedgwood
  • Slide 12
  • HELIOGRAFIAS ou ESCRITA DO SOL Nicphore Nipce betume da Judia, 1826/27 0,0012 ISSO | Exposio 12h
  • Slide 13
  • Daguerretipo: Cristais de prata + mercrio
  • Slide 14
  • Slide 15
  • Caltipo impresses diretas em papel - 1841 Salmoura - chapa de metal Herschel - Evoluo Tcnica Cloreto, nitrato, carbonato e acetato Fixao: hipossulfito de sdio tiossulfato o papel exposto luz, pela metade, embebido com hipossulfito de sdio e em seguida lavado com gua, aps secagem, exposto luz. A metade escura permanece escura, a metade clara permanece clara (SALLES). sensibilizar as folhas de papel inicialmente com nitrato de prata, e posteriormente com iodeto de potssio, formando o iodeto de prata. O iodeto era altamente sensvel luz, o que reduzia drasticamente o tempo de exposio, de horas para poucos minutos, e revelados numa soluo de cido glico e nitrato de prata. Depois, fixados com o tiossulfato de sdio e eram obtidas imagens negativas em pouco tempo (SALLES).
  • Slide 16
  • William Talbot Frederick Herschel
  • Slide 17
  • Slide 18
  • Dificuldade de reprodues mltiplas Vidro Albumina da clara do Ovo - Claude, neto de Nipce 1848 Fotografia Negativa-positiva 1840 Objetiva f/3.6 Joseph Max Petzval Chapa mida Frederick Scott Archer, 1850 Abumina > Coldio (cido sulfrico e ntrico piroxilina) Chapa Seca Richard Maddox, 1871 Coldio > gelatina de secagem rpida (origem animal) Fotografia Instantnea
  • Slide 19
  • Emulso com brometo de prata + gelatina + nitrocelulose = Primeiro filme de rolo Cmara Kodak, 1888 Fofo a partir de 2.5m 1 boto 100 poses
  • Slide 20
  • No fim dos anos 20, imagem de arquivo mostra o fundador da Eastman Kodak, George Eastman, esquerda, ao lado de Thomas Edison, ambos com suas invenes.
  • Slide 21
  • Slide 22
  • Slide 23
  • Slide 24
  • Slide 25
  • Slide 26
  • Slide 27
  • Slide 28
  • Erro de paralaxe diferena entre o que se v pelo visor e o que a lente capta
  • Slide 29
  • Slide 30
  • Slide 31
  • Slide 32
  • Slide 33