de olho no orÇamento crianÇa 1 ?· de fato, o orçamento público no brasil não permite a...

Download DE OLHO NO ORÇAMENTO CRIANÇA 1 ?· De fato, o orçamento público no Brasil não permite a identificação…

Post on 15-Dec-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

DE OLHO NO ORAMENTO CRIANA 1

Iniciativa

CONSELHO DE ADMINISTRAO

Presidente Carlos Antonio Tilkian

Vice-PresidenteSynsio Batista da Costa

CONSELHEIROSCarlos Antonio Tilkian, David Baruch Diesendruck, Desembargador Antonio Carlos Malheiros, Eduardo Jos Bernini, Fernando Vieira de Melo, Hector Nuez, Humberto Barbato, Jos Eduardo Planas Paella, Luiz Fernando Brino Guerra, Morvan Figueiredo de Paula e Silva, Otvio Lage de Siqueira Filho, Rubens Naves, Synsio Batista da Costa e Vitor Gonalo Seravalli

CONSELHO FISCAL Bento Jos Gonalves Alcoforado, Mauro Antonio R e Srgio Hamilton Angelucci

SECRETARIA EXECUTIVA Administradora Executiva Heloisa Helena Silva de Oliveira

Gerente de Desenvolvimento de Programas e Projetos Denise Maria Cesario

Gerente de Desenvolvimento Institucional Victor Alcntara da Graa

EQUIPE DO PROGRAMA PREFEITO AMIGO DA CRIANAJeniffer Caroline Luiz, Carlos de Medeiros Delcidio, Cesar Dalney de Souza Vale, Dayane Santos Silva, Julianne Nestlehner Pinto, Lidiane Oliveira Santos, Luane Natalle e Priscila Pereira Alves Scharth Gomes

FICHA TCNICA

Texto: Ronaldo Nogueira e Wieland Silberschneider

Colaborao: Jeniffer Caroline Luiz, Cesar Dalney de Souza Vale, Dayane Santos Silva, Gislaine Cristina de Carvalho Pita, Raquel Farias Meira e Victor Alcntara da Graa

Edio: Carlos de Medeiros Delcidio

Leitura Crtica: Denise Cesario

Reviso ortogrfica e gramatical: Mnica de Aguiar Rocha

Projeto Grfico, diagramao e arte-final: Daniela Jardim & Rene Bueno

Impresso: Hawaii Grfica & Editora

Tiragem: 5000

ISBN: 978-85-88060-92-0

2 Ediojulho, 2017

2 Edio

Fundao Abrinq pelos Direitos da Criana e do Adolescente

So Paulo

2017

SUMRIOCARTA DO PRESIDENTE .............................................................................................................5

1. REVISO DO ORAMENTO CRIANA ..............................................................................61.1. Programa Prefeito Amigo da Criana - PPAC ...................................................................................................... 81.2. Objetivos de Desenvolvimento Sustentvel - ODS ......................................................................................... 101.3. Plano Nacional pela Primeira Infncia - PNPI ...................................................................................................131.4. Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianas e Adolescentes .......................................................131.5 Oramento Criana e Adolescente - OCA .............................................................................................................14

1.5.1. Importncia do OCA ................................................................................................................................................................................................ 14

1.5.2. Composio do OCA ............................................................................................................................................................................................... 15

1.5.3. Natureza de Aes e Despesas do OCA ....................................................................................................................................................... 17

2. APURANDO O ORAMENTO CRIANA ......................................................................... 192.1. Base Oramento Anual .................................................................................................................................................. 222.2. Base Execuo Oramentria .................................................................................................................................... 232.3. Leitura do Oramento ....................................................................................................................................................242.4. Apurao do OCA .............................................................................................................................................................282.5. Identificando O OCA Exclusivo e No Exclusivo ..............................................................................................302.6. Clculo da Proporcionalidade do OCA No Exclusivo .................................................................................362.7. Consolidao do OCA ..................................................................................................................................................... 37

3. MONITORAMENTO E AVALIAO DO OCA .................................................................443.1. Avaliao Bsica .................................................................................................................................................................453.2. Avaliaes Complementares .....................................................................................................................................46

4. TRANSPARNCIA DO OCA .................................................................................................. 50

REFERNCIAS ..................................................................................................................................54

ANEXOS ..............................................................................................................................................56Anexo I - Funes e Subfunes de Governo ............................................................................................................57Anexo II - Glossrio ...................................................................................................................................................................60

DE OLHO NO ORAMENTO CRIANA 5

CARTA DO PRESIDENTEA Fundao Abrinq pelos Direitos da Criana e do Adolescente acredita que o lugar da criana e do adolescente no oramento pblico. S se conseguir de fato garantir e efetivar direitos quando a prioridade absoluta sair dos discursos polticos e se transformar em rubricas oramentrias. Por essa razo, o Programa Prefeito Amigo da Criana, em sua 6 edio, (Gesto 2017-2020), atualizou a metodologia de apurao do Oramento Criana contemplando o Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianas e Adolescentes, do Conselho Nacional dos Direitos da Criana e do Adolescente (Conanda), o Plano Nacional pela Primeira Infncia e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentvel (ODS) das Organizaes das Naes Unidas (ONU).

A metodologia se prope a ser uma ferramenta de gesto que evidencie os gastos pblicos com crianas e adolescentes e as sobreposies existentes nas diversas Secretarias. Ela visa aferir se prioridades, assumidas em campanha pelos governantes, refletem-se nas peas oramentrias. E permite sociedade civil e, especialmente, aos Conselhos Municipais dos Direitos da Criana e do Adolescente controlar o uso dos recursos pblicos nas polticas direcionadas a esse segmento, podendo relacionar-se com a evoluo ou no dos indicadores sociais atrelados a esses investimentos pblicos.

Esperamos que este material constitua importante ferramenta de trabalho!

Carlos TilkianPresidente

6

REVISO DO ORAMENTO CRIANA

1

1. REVISO DO ORAMENTO CRIANA DE OLHO NO ORAMENTO CRIANA 7

Este caderno constitui mais uma iniciativa de apoio a prefeitos e Prefeituras para aprimorar a im-plementao de polticas pblicas em defesa e promoo dos direi-tos da infncia e da adolescncia. Desde 2005, a Fundao Abrinq pelos Direitos da Criana e do Ado-lescente vem atuando para desen-volver e divulgar a Metodologia do Oramento Criana e Adolescente (Metodologia do OCA).

Inicialmente em parceria com o Fundo das Naes Unidas para a Infncia (Unicef) e o Instituto de Estudos Socioeconmicos (Inesc), concebeu as orientaes bsicas para a seleo, agrupamento e apurao das aes e despesas oramentrias proteo e de-senvolvimento da criana, pu-blicando De Olho no Oramento Criana. A partir de 2006, a apu-rao do OCA tornou-se exign-cia para a conquista do Prmio Prefeito Amigo da Criana (PPAC). Nessa perspectiva, a Fundao editou a publicao 12 Passos para Apurao do OCA e realizou, nos anos seguintes, diversas ca-pacitaes de tcnicos de Prefei-turas para apurao do OCA, alm de estudos com os levantamentos efetuados pelas Prefeituras.

De fato, o oramento pblico no Brasil no permite a identificao direta dos compromissos de polti-cas pblicas assumidos pelos pre-feitos, tampouco o acompanha-mento claro do seu desempenho, em razo das inmeras exigncias tcnico-legais e da superficialidade

de sua prestao de contas. A Metodologia do OCA surgiu jus-tamente para propiciar a verifica-o, apurao e anlise, a partir do oramento pblico, do montante previsto e/ou gasto de recursos com aes gerais de proteo e desenvolvimento da criana e do adolescente pelo poder pblico em determinado perodo. Ela se apresenta como poderosa ferra-menta para a promoo e a defesa dos direitos desse pblico na me-dida em que oferece diagnstico real dos gastos pblicos com crian-as, adolescentes e suas famlias e, desse modo, proporciona argu-mentos consistentes para a avalia-o e enfrentamento dos proble-mas sociais em cada municpio.

Com este novo caderno, a Funda-o busca elevar o potencial de vigilncia e mobilizao do Ora-mento Criana, alinhando a Me-todologia com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentvel. Iniciados com os Objetivos de De-senvolvimento do Milnio (ODM), os ODS do continuidade ini-ciativa internacional do estabele-cimento de objetivos comuns de polticas pblicas para o enfrenta-mento da pobreza e da desigualdade. Eles se constituem precisamen-te de 17 objetivos e 169 metas, alm de centenas de indic