De Malas Prontas! - ?· como “ orelha de limão” e “ O cabelo de Lelê”. Com a ajuda da família,…

Download De Malas Prontas! - ?· como “ orelha de limão” e “ O cabelo de Lelê”. Com a ajuda da família,…

Post on 17-Dec-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

<p>Colgio Sagrado Corao de Maria - Rio </p> <p>Rua Tonelero, 56 Copacabana RJ site:www.redesagradorj.com.br / e-mail:cscm@redesagradorj.com.br </p> <p>De Malas Prontas! </p> <p>Turma: Maternal II B Professora Carla </p> <p>Data: 1 trimestre/2011 </p> <p> Por meio de conversas e trocas em rodinha, nossa turma demonstrou que gosta </p> <p>muito de passear e sempre que voltvamos do fim de semana ou de um feriado, </p> <p>ouvamos histrias de viagens ou passeios cheias de emoes e aventuras. </p> <p>Aproveitamos esse gancho para propor um projeto sobre viagens e descobertas. A turma </p> <p>mostrou grande interesse, e quando perguntamos o que fazia lembrar a palavra viagem, </p> <p>logo falaram sobre as malas; da o nome do projeto: De malas prontas! Norteadas pelo </p> <p>assunto, cada criana falou um pouco sobre alguma viagem e o meio de transporte que </p> <p>utilizou para faz-la. Com essas informaes, montamos um grfico e percebemos a </p> <p>relao do tempo e da distncia de viagem (longa ou curta) e o meio de transporte </p> <p>utilizado. Foram interessantes algumas perguntas que surgiram, tais como: D pra ir a </p> <p>Disney de metr. Ouvimos ento a histria A viagem de Bi e fizemos uma atividade </p> <p>em que cada criana desenhava a sua mala e escrevia (espontaneamente) o que tinha </p> <p>dentro dela. </p> <p> Entendendo que as viagens so feitas por passageiros, iniciamos o projeto com a </p> <p>apresentao dos passageiros da nossa turma. A partir dessa atividade, cada criana se </p> <p>percebeu como um ser nico e reconheceu o outro tambm como um ser nico em </p> <p>interao com ela; tudo isso por meio de histrias, msicas, vdeos e brincadeiras. </p> <p>Primeiro conversamos sobre a nossa identidade, o nome, a partir da msica do </p> <p>Toquinho, Gente tem sobrenome. Com a coleo do autor Ziraldo (O joelho Juvenal, </p> <p>um sorriso chamado Luiz, Os Dez amigos, Pelegrino e Petrnio e Rolim) trabalhamos </p> <p>com o esquema corporal reconhecendo o nosso corpo e importncia da manuteno do </p> <p>corpo como manuteno da sade e da prpria vida. Fomos ao laboratrio e l </p> <p>conhecemos e manipulamos as representaes dos nossos rgos. As crianas ficaram </p> <p>muito entusiasmadas e ver de perto o olho, orelha, crebro e corao. Depois, </p> <p>conversamos sobre os rgo dos sentidos e para vivenciarmos melhor , fomos cozinha </p> <p>preparar pipoca e nesta atividade experimentamos nossa audio, viso, olfato, tato e </p> <p>paladar. Alm de vivenciar tambm noes de quantidade, medida e peso na cozinha e </p> <p>dos gneros textuais lista e receita, j que trabalhamos com os ingredientes da pipoca </p> <p>(doce e salgada) e como modo de fazer. </p> <p> Ao realizar atividades sobre o corpo, as crianas mostraram-se curiosas quanto s </p> <p>diferenas relacionadas s meninas e meninos, tipo de cabelo, caractersticas dos olhos e </p> <p>da pele e outros. Esto, fomos ao multimdia e assistimos ao vdeo voc vai gostar de </p> <p>mim da Xuxa; e assim conversamos sobre as diferenas. Montamos uma tabela sobre a </p> <p>quantidade de menino e meninas em nossa turma e ainda um boneco e um boneca onde </p> <p>as crianas completaram nomeando as partes do corpo. Utilizamos tambm histrias </p> <p>como orelha de limo e O cabelo de Lel. Com a ajuda da famlia, enviando </p> <p>fotos, montamos uma linha do tempo, onde percebemos as mudanas ocorridas no </p> <p>corpo e nos hbitos de quando eram bebs e agora. </p> <p> Nas aulas de artes, confeccionamos um bolo de argila, utilizando o recurso das </p> <p>velas que simbolizavam as idades atuais das crianas da turma. Confeccionamos </p> <p>tambm um suporte para lpis com o contorno das mo, onde contamos os dedos. </p> <p> Mas de onde vieram esses passageiros? Essa foi a pergunta motivadora da outra </p> <p>etapa de nosso projeto. Descobrimos ento que a famlia o ponto de partida. Primeiro, </p> <p>conhecemos a famlia de Jesus atravs de uma visita capela de nossa escola. </p> <p>Montamos um mural mvel de sacola, onde cada criana apresentou ao outro a sua </p> <p>famlia. Confeccionamos tambm, com caixa de sapatos, uma mala, chamada memrias </p> <p>de viagem, onde cada famlia colocou fotos acompanhadas de um relato e objetos sobre </p> <p>uma viagem inesquecvel. Com essas recordaes montamos um livro coletivo. </p> <p> Ouvimos a histria livro da famlia e percebemos tambm, que cada famlia </p> <p>tambm de um jeito, alguns tm muitas pessoas na famlia e outros, tm poucas. </p> <p>Montamos ento, o livro da famlia de cada criana. </p> <p> Esta primeira etapa de nosso projeto encerrou com uma viagem cultura brasileira, </p> <p>onde conhecemos a histria de So Joo e sua influncia para os festejos juninos. </p> <p>Fizemos uma lista do que sabamos sobre a festa junina e aproveitamos que estvamos </p> <p>ensaiando para danar na festa do colgio e conhecemos outras cantigas de Festa junina. </p> <p>Ilustramos essas cantigas e danamos muito. Nas aulas de artes, conhecemos o pintor </p> <p>Volpi, que gostava de pintar a cultura brasileira e pintou quadro com bandeirinhas em </p> <p>destaque. Mas quando o assunto foi o balo...a opinio foi unnime: balo s legal de </p> <p>enfeite e sem fogo. Pois conhecemos os perigos das queimadas. </p> <p> Em nosso Portas abertas, apresentamos algumas das produes realizadas no </p> <p>decorrer do Projeto. Esta foi a primeira etapa, ainda prosseguiremos nesta aventura, de </p> <p>malas prontas para novas descobertas. Aguardem! </p> <p>...PARA NS, COMPLETAR 100 ANOS EM 2011 SAGRADO. *1911/2011 </p>