custos empresariais

Download Custos Empresariais

Post on 05-Jul-2015

122 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

CAPTULO 1 A Contabilidade de Custos A Contabilidade Gerencial, a Financeira e a de Custos Origem da Contabilidade de CustosAt a Revoluo Industrial1, iniciada na segunda metade do sculo XVIII, a Contabilidade atendia basicamente s empresas comerciais. A Contabilidade Geral, ramo da Contabilidade desenvolvido na Era Mercantilista, atendia com certa eficincia aos questionamentos da gesto comercial da poca: Qual o resultado das vendas em um determinado perodo? Para fornecer a resposta desta indagao aos comerciantes da poca, era fundamental levantar o custo das mercadorias vendidas em determinado perodo. Esta tarefa era bastante simples, tendo-se que aplicar a frmula do CMV, com base no inventrio peridico. CMV = EI + Compras - EF Com a criao e desenvolvimento da Industrializao, torna-se mais complexo responder quela pergunta: Qual o resultado das vendas em um determinado perodo? Neste momento, a tarefa do contabilista no se baseia nos controles de aquisio e de venda destas mercadorias, mas na produo dos bens destinados venda. Agora, o contabilista no se depara com a simples aquisio de uma mercadoria pronta, mas com as vrias aquisies dos insumos utilizados na fabricao destes bens comercializados. Diante destes novos questionamentos, a Contabilidade teve que se adaptar aos novos rumos daquela economia baseada na produo de escala. Nasce a Contabilidade de Custos, que deveria ter a preocupao de determinar os custos de fabricao dos bens destinados a comercializao.

Empresa IndustrialIndustria a empresa que tem como atividade a venda de bens produzidos por ela, a partir da transformao de diversos insumos, e do beneficiamento, montagem e restaurao de outros bens. Exemplos de indstrias: Transformao: A Suzano, fabricante do papel Report, transforma a celulose em folhas de papel; A SCJohnson, fabricante do Raid, utiliza diversos produtos qumicos para a fabricao de inseticidas. A GlaxoSmithKline, fabricante do sal de fruta Eno, utiliza diversos produtos qumicos para a fabricao de medicamentos.

Montagem: A Fiat, fabricante de automveis. A Philips, fabricantes de aparelhos eletrnicos como televisores. A Dell, fabricante de computadores. Montam as diversas peas e partes adquiridas das indstrias de transformao;

Beneficiamento: A Parmalat, fabricante de leite, pasteuriza o leite adquirido de cooperativas de produtores. A Unilever, fabricante da Maisena, mi o amido de milho que compra de produtores.

A Contabilidade Financeira, a de Custos e a GerencialH diferenas importantes entre a Contabilidade Financeira e a Gerencial, sobre tudo quanto s suas aplicaes. A Contabilidade Financeira est mais preocupada com a demonstrao dos resultados econmico-financeiros aos usurios externos, e na observncia dos princpios contbeis geralmente aceitos PCGA.2 No entanto, a Contabilidade Gerencial est voltada, internamente, para a obteno de informaes contbeis capazes de facilitar a tomada de deciso gerencial, no estando presa aos PCGA. Estas informaes no so necessariamente somente financeiras, como ocorre com aquela, mas podem ser tambm de ordem quantitativa e qualitativa. Alm do mais, a Contabilidade Gerencial est mais preocupada com o futuro (previso e planejamento) do que com o passado (registro dos fatos ocorridos). No devemos aqui desmerecer a Contabilidade Financeira, pois sem ela a Contabilidade Gerencial, no ter os parmetros da realidade para o planejamento e controle. A Contabilidade de Custos tambm possui relevncia no mbito gerencial, pois fornece elementos importantes e necessrios para a deciso gerencial, sobre tudo quanto produo de estoques, formao dos preos de venda, e o estabelecimento de padres oramentrios de custos. Com o desenvolvimento da Globalizao, a competio nos mercados cresce cada vez mais, tornando a Contabilidade de Custos a principal ferramenta do administrador, pois sabemos da atual importncia dos custos na lucratividade dos negcios. No caso brasileiro, a necessidade de se ter um sistema de custeio eficiente tornou-se evidente aps o advento do Plano Real, quando as empresas deixando de lucrar no mercado financeiro, tiveram logo que se voltar para os custos internos do negcio, a fim de buscar lucratividade operacional com a venda de sua produo.

CAPTULO 2 Terminologias de Custos Terminologia Bsica GastoGasto toda aquisio, compra, ou contratao de bens e servios mediante romessa de pagamento, desembolso financeiro ou troca por outros bens e direitos. Os gastos realizados pela empresa possuem dois objetivos bsicos: para investimento ou para consumo imediato. Gastos para investimento so aqueles cujos bens e servios adquiridos no so imediatamente consumidos, mas o so ao longo de um perodo futuro. Definimos consumo imediato como aquele cujos bens e servios so consumidos no ato da aquisio. Os bens e servios, como veremos mais adiante, so consumidos com duas finalidades: o de fabricao de produtos e o de gesto dos negcios. Exemplos: Aquisio de mercadorias para revenda pela C&A Modas; A matria-prima empregada na produo de medicamentos da Basf; Mquinas e equipamentos comprados pela Petrobras; Consumo de energia eltrica na produo de refrigeradores da Eletrolux; Aluguel das lojas das Casas Bahia.

InvestimentoSo aquisies de bens e servios realizados pela empresa como investimentos em ativos cujos consumos se daro ao longo de perodos futuros. Estes bens ativados podero ser consumidos na produo ou na gesto do negcio, como custo ou despesa. Exemplos: Farinha de trigo adquirida para formao de estoque de matria-prima da Piraqu; Compra de mveis e utenslios para uso do departamento jurdico do Bradesco; Aquisio de escavadeira para uso em minerao pela Vale do Rio Doce.

Custo de Produo o consumo de bens e servio na produo de novos bens destinados comercializao; Este consumo pode se dar a partir de novas aquisies ou pelo simples uso de bens ora investidos no ativo, como o caso de materiais estocados para posterior utilizao pela produo.

Exemplos: Peas requisitadas do estoque para consumo na produo de foges Continental. Energia eltrica consumida pelo maquinrio da Gerdau quando este acionado; Salrio do encarregado de produo da Sony Music; Manuteno das mquinas fabris da Plus Vita; Depreciao da planta industrial da Vulcan Materiais Plsticos;

Despesa ou Custo de GestoSo bens e servios consumidos na gesto dos negcios da companhia. As despesas podem ser agrupadas em administrativas, de vendas e financeiras. Este consumo necessrio para a obteno de receita, e pode se dar, tambm, pela utilizao de bens antes ativados, como ocorre com os custos. Exemplos: Salrios e encargos sociais com pessoal de vendas da Pimaco; Salrios e encargos sociais com pessoal administrativo da White Martins; Conta de telefone, energia e gua de pontos de vendas das lojas Renner; Depreciao de mveis e utenslios utilizados em escritrios da IBM.

Desembolso o efetivo pagamento de gastos mediante entrega de numerrios. O desembolso pode ocorrer antes, durante ou aps a realizao dos gastos. Antecipado - quando a empresa, por exemplo, d um sinal; vista - quando o gasto concomitante com o pagamento; Postecipado - quando a aquisio a prazo.

PerdaOcorre quando se verifica o consumo anormal e involuntrio de bens e servios durante o processo de produo ou na gesto dos negcios. A perda no deve ser considerada como custo ou despesa, pois no agrega valor ao produto e no gera receita. A sua contabilizao feita diretamente no resultado do exerccio em que ocorreu o fato. Exemplos: Materiais deteriorados nos estoques; Produtos fabricados com defeitos; Sinistro de uma mquina fabril;

Refugos e sobras de insumos utilizados na fabricao de bens, no so considerados perdas, pois so consumidos de forma previsvel, fazendo parte do processo de produo. Exemplos: Aparas de filmes plsticos produzidos pela Vulcan, fabricante do Con-Tact; As cascas dos legumes utilizados na produo de conservas da Arisco.

Exerccios Propostos Questo 1: Assinale com um X a classificao correta de cada evento como: gasto, custo, despesa, investimento, desembolso ou perda:

CAPTULO 3 Classificao dos Custos de Produo e Despesas Separao entre Custos de Produo e Despesas Separao entre custos de produo e despesasA separao entre custos e despesas bastante simples, bastando se compreender o processo de fabricao, identificando o seu incio e trmino.

Fronteira entre os custos de produo e as despesasSero considerados como custos de produo todo consumo de bens e servios durante a fabricao de certo produto, at que este esteja completamente acabado e pronto para ser vendido. Quando o produto torna-se acabado, este armazenado no estoque de produtos acabados, onde dever aguardar a venda. Todos os gastos consumidos na venda, logstica e administrao devero ser tratados como despesas.

Classificao dos Custos de Produo Quanto a forma de alocao dos custos nos Produtos Custos DiretosO custo considerado direto quando sua alocao nos produtos for direta e precisa. A alocao direta quando ocorre medio precisa das quantidades consumidas dos bens e servios em determinado processo de fabricao. Quando a medio do consumo dos bens e servios no for feita, os custos no sero considerados diretos, pois estes dependero de artifcios matemticos, estatsticos e mesmo subjetivos, para serem alocados nos produtos.

Exemplos 1: Matrias-primas em geral: para garantir o padro de qualidade dos produtos, as empresas realizam o controle de consumo; Embalagens: geralmente so unitrias; Energia eltrica quando o consumo controlado por medidores; Mo-de-obra dos operrios das mquinas durante o perodo de fabricao quando h o controle das horas consumidas;

Exemplos 2: Uma empresa para fabricar 1000 unidades do produto A, precisa consumir 100g de farinha de trigo por unidade de produto. Sabendo que 1Kg custa $2,00, quanto de farinha de trigo a empresa consumiu neste processo? Quantidade total consumida = 1000 unidades