Curso Análise Fundamentalista - Módulo 1 - Introdução.pdf

Download Curso Análise Fundamentalista - Módulo 1 - Introdução.pdf

Post on 20-Oct-2015

60 views

Category:

Documents

0 download

TRANSCRIPT

<ul><li><p> Introduo ao Curso</p><p>Bem vindo ao curso online de Anlise Fundamentalista do Onde Investir by Lopes Filho. Aqui voc ser apresentado a esta tcnica de se analisar e avaliar aes de empresas de capital aberto, e obter fundamentos para poder fazer suas prprias anlises. Em cada mdulo voc vai encontrar explicaes que facilitaro o entendimento, dinamizando o processo de aprendizado. Nesta introduo sero apresentados os conceitos essenciais da anlise fundamentalista, de forma simples e fcil de compreender. </p><p> O que a Anlise Fundamentalista?</p><p>O objetivo da anlise fundamentalista avaliar alternativas de investimento. Isto feito ao se avaliar as conjunturas macro e microeconmicas e o panorama setorial da empresa, alm das demonstraes financeiras e balanos. Cabe anlise fundamentalista estabelecer o valor justo para uma ao, respaldando decises de compra ou venda. A premissa bsica da anlise fundamentalista de que o valor justo para uma empresa se d pela definio da sua capacidade de gerar lucros no futuro. Pode-se dizer que a anlise fundamentalista utiliza-se de certas "ferramentas", como por exemplo as anlises de demonstrativos financeiros, elaborao de cenrios econmicos, projees de resultados das empresas, anlise de indicadores financeiros e econmicos, entre outras. A anlise fundamentalista pode ser percebida como um mtodo de anlise econmica para empresas e a viabilidade de projetos. Normalmente, focam-se em aspectos mais "tangveis", como as fontes de recursos existentes, o capital humano da organizao, conhecimentos tecnolgicos etc, e tambm em aspectos subjetivos, ou seja, alternativas de investimento, valores ticos, projees de desempenho e outros. </p><p> Objetivos Principais</p><p>A anlise fundamentalista pode ser utilizada em situaes nas quais se deseja avaliar empresas e projetos, que podem inclusive j ser operacionais. Serve tambm para precificar aes, ou seja, determinar o chamado 'preo justo' das mesmas; para determinar os valores de negociao de compra e venda em operaes de fuses e aquisies; para projetos cuja viabilidade econmica deva ser determinada; entre outros. </p><p> Valorizao da Ao</p><p>Quando o investidor aplica seu dinheiro em aes, ele espera obter um retorno positivo, dentro de suas expectativas. Mas de que maneira o investidor pode dizer que, de fato, obteve algo de positivo a partir de um investimento realizado em aes de uma empresa? Os principais retornos obtidos a partir de um investimento em aes so os ganhos por meio de dividendos e pela valorizao da ao. O ganho por meio da valorizao da ao se d quando a cotao dela aumenta aps o investidor t-la adquirido. Se um investidor tiver comprado uma ao por $50 num dia e no dia seguinte esse mesmo papel valer $52,50, ento o investidor ter tido um retorno (positivo) de 5% (relativo aos $2,50, que correspondem a 5% de $50). Entretanto, esse no o nico meio de se obter um retorno a partir do investimento realizado. Alm do ganho que se pode obter quando da valorizao da ao, h ainda a possibilidade de receber dividendos </p><p>Page 1 of 3</p><p>17/8/2007http://www.ondeinvestirbylopesfilho.com.br/cli/scp02/cur/index.asp?modulo=38</p></li><li><p>da empresa. </p><p> Dividendos</p><p>Os dividendos so recursos que a empresa distribui aos acionistas como participao nos lucros que porventura ocorram naquele perodo, de acordo com a participao que o acionista tenha na empresa. Uma forma simples de se compreender essa situao a seguinte: uma ao pode ser entendida como uma pequena parte da empresa, logo se uma pessoa possui aes da empresa X, isso significa que ela dona de um "pedacinho" da empresa X. Assim, justo que se a empresa X tiver lucro num determinado exerccio, que uma parte proporcional desse lucro seja distribudo entre esses "scios", chamados de acionistas. Vamos entender essa explicao por meio de um exemplo: Vamos supor que Fulano comprou 1000 aes da empresa XPTO, ao preo de $ 1,00 cada ao. Ento Fulano, nesse primeiro momento, gastou $ 1000,00 para adquirir as 1000 aes. Vamos agora supor que algum tempo depois, as aes aumentaram seu valor (isto , valorizaram), subindo para $1,20 cada uma. Agora, Fulano tem 1000 aes cotadas a $1,20 cada, ento o valor das aes de Fulano passou a ser $ 1200,00 (ou seja, $1,20 x 1000). Percebemos que houve um ganho por meio da valorizao da ao. No caso, a ao se valorizou 20% (indo de $1,00 para $1,20), e, em termos financeiros, Fulano ganhou $200, correspondentes a 20% de $1000,00. Contudo, deve-se considerar um outro aspecto. Se a XPTO teve lucro naquele exerccio, ento Fulano deve receber uma parte daquele lucro, correspondente ao nmero de aes da empresa que ele detm. Supondo que exista 1.000.000 de aes da empresa, ento Fulano tem 0,1% (isto , 1.000 / 1.000.000) da empresa. Assim, de se esperar que ele receba 0,1% do lucro que a empresa distribuir a seus acionistas. Se, nesse caso, a XPTO informar que seu lucro ser distribudo razo de, por exemplo, $ 0,05 por ao, ento Fulano ter a receber a quantia de $ 50 (ou seja, $0,50 x 1000 aes) a ttulo de dividendos. No fim das contas, Fulano ter um total de $250, sendo $200 devidos valorizao da ao e $50 graas aos dividendos distribudos. Ele possui agora um patrimnio de $1250, pois os $1000 iniciais no foram perdidos, mas sim valorizados nesse exemplo. Algumas observaes a respeito dos dividendos: 1. Os acionistas tm o direito de receber, em cada exerccio, uma parte dos lucros estabelecida em Estatuto (o chamado dividendo obrigatrio), ou, se o estatuto for omisso, metade do lucro lquido do exerccio diminudo ou acrescido de certos valores, a saber: - quota destinada constituio da reserva legal; - importncia destinada formao de reservas para contingncias e reverso das mesmas reservas formadas em exerccios anteriores; - lucros a realizar transferidos para a respectiva reserva e lucros anteriormente registrados nessa reserva que tenham sido realizados no exerccio. distribudo aos acionistas, em dinheiro, na proporo da quantidade de aes possudas. 2. A empresa, por meio de seu estatuto, pode estabelecer o pagamento de dividendo de duas formas distintas: - Primeira forma: Dividendo Fixo: corresponde a um percentual sobre o capital social ou sobre o lucro da empresa; - Segunda forma: Dividendo Mnimo: as aes preferenciais participam do lucro distribudo nas mesmas condies das ordinrias, depois de a estas ltimas ter sido pago o mnimo. 3. Uma observao a ser realada o fato de a empresa poder atribuir ao acionista possuidor de aes preferenciais a prioridade no recebimento de dividendo, ou seja, este acionista receber seus dividendos antes do acionista que possui aes ordinrias, que so aquelas com direito a voto nas assemblias da companhia. Esta hiptese pode ocorrer quando no houver lucro suficiente a ser distribudo a todos os acionistas da companhia. Note-se ainda que no incide imposto de renda (IR) sobre os dividendos recebidos. </p><p>Page 2 of 3</p><p>17/8/2007http://www.ondeinvestirbylopesfilho.com.br/cli/scp02/cur/index.asp?modulo=38</p></li><li><p>4. No tm direito a receber dividendos as aes adquiridas para cancelamento ou permanncia em tesouraria, enquanto mantidas nestas situaes. </p><p> Pay-out e Yield</p><p>Pay-out a taxa de distribuio do lucro da empresa para os acionistas na forma de dividendos ou juros sobre o capital prprio. De acordo com a legislao em vigor, exige-se que seja distribudo, no mnimo, 25% do lucro lquido, aps algumas dedues legais. Por meio do Pay-out possvel ter uma idia de quo bem os lucros da companhia suportam os pagamentos de dividendos. Empresas mais maduras tendem a ter um Pay-out maior, enquanto que empresas em crescimento provavelmente iro reter mais lucros para investir na prpria instituio, pagando assim dividendos menores ou nenhum dividendo. O clculo do Pay-out pode ser ilustrado com o seguinte exemplo: se uma empresa pagou $1 por ao em dividendos anuais e teve $5 de lucro por ao, ento o Pay-out nesse caso foi de 20% (que igual a $1 / $5). A questo passa a ser se 20% uma taxa considerada boa ou ruim para a empresa em anlise. Conforme foi citado anteriormente, empresas em crescimento tendem a pagar menores dividendos, enquanto que os maiores dividendos costumam ser pagos por empresas de indstrias maduras, nas quais h pouco espao para crescimento, da a percepo de que um bom uso para o lucro obtido passa a ser a distribuio aos acionistas. Lembremos que o Pay-out, por si s, diz pouco ao investidor, pois ele deve sempre ser analisado luz de um contexto. Em resumo, Pay-out = Dividendo pago por Ao(%) Lucro por Ao Dividend Yield a relao entre o dividendo pago por ao de uma empresa e o preo dessa mesma ao. Quanto maior for o Dividend Yield, melhor ser o resultado da empresa ou mais vantajosa ser sua poltica de distribuio de lucros aos acionistas. Um aspecto a ser ressaltado o seguinte: o Dividend Yield o resultado de uma frao (dividendo pago / preo da ao), ento o investidor deve ser cauteloso na hora de avali-lo. Em resumo, Dividend Yield = Dividendo pago por Ao (%) Preo da Ao Exemplo: Suponhamos que a empresa ABC, cuja ao est sendo negociada a $50, efetua uma distribuio de dividendos no valor de $1 por ao. O lucro por ao da companhia $3. Nesse caso, temos o seguinte, para a empresa ABC: Pay-out = Dividendo pago por Ao = $ 1 = 0,33 = 33% Lucro por Ao $ 3 Dividend Yield = Dividendo pago por Ao = $ 1 = 0,02 = 2% Preo da Ao $ 50 </p><p>Page 3 of 3</p><p>17/8/2007http://www.ondeinvestirbylopesfilho.com.br/cli/scp02/cur/index.asp?modulo=38</p></li></ul>

Recommended

View more >