cultura, inovação e qualidade de vida

Download Cultura, inovação e qualidade de vida

Post on 16-Jul-2015

52 views

Category:

Education

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

CULTURA, INOVAO E QUALIDADE DE VIDA

CULTURA ORGANIZACIONAL, INOVAO E QUALIDADE DE VIDAEdson MartiRaquel A SantosSamuel Queiroz

Cultura, Sistema de Informao de Desenvolvimento RegionalProfa. Dra. Barbara Fadel

Sumrio1- Introduo2- Manual de Oslo3- Conceitos4- O valor da Inovao na qualidade de vida5- O impacto da inovao na qualidade de vida. Inovao social para alavancar a qualidade de vida. Aspectos positivos e negativos.6- O conhecimento entre inveno e tradies.7- Inovao social e condiesIntroduoInovao passa a ser considerada, a partir da ltima dcada, um tema estratgico na administrao para a obteno de vantagem competitiva.No Brasil, a inovao ainda restrita como fator de estudo e divulgao de sua reproduo. Este fato se d, principalmente, pelas caractersticas do meio organizacional, que visualiza a inovao como uma vantagem competitiva da organizao no devendo, desta forma, ser reproduzida; no caso, um segredo da prpria organizao. O pressuposto levantado no trabalho pode ser confirmado, isto , organizaes que possuem inovao em seu resultado final, possuem realmente elementos de cultura que podem estar propiciando e incentivando o desenvolvimento de inovaes.Manual de Oslo

Em 1990 foi editada pelaOrganizao para a Cooperao e Desenvolvimento Econmico (OCDE)a primeira edio doManual de Oslo - Proposta de Diretrizes para Coleta e Interpretao de Dados sobre Inovao Tecnolgica, que tem o objetivo de orientar e padronizar conceitos,metodologiase construo de estatsticas eindicadores de pesquisa de P&D de pasesindustrializados.NoBrasil, a primeira traduo para o portugus foi produzida e divulgada pelaFINEP (Financiadora de Estudos e Projetos)em meio eletrnico, em 2004.Segundo o manual tudo o que lanado no mercado uma inovao.

Atualmente o desenvolvimento e a difuso de novas tecnologias so essenciais para o crescimento da produo e aumento da produtividade. Nosso entendimento do processo de inovao e seu impacto econmico ainda deficiente. Por exemplo, estamos claramente vivendo uma importante revoluo tecnolgica, com a economia mundial sendo reconfigurada pelas novas tecnologias da informao e por mudanas fundamentais em campos como a biotecnologia e a cincia dos materiais. Apesar disso, essas radicais alteraes tecnolgicas no estose refletindo em melhorias na produtividade do fator total e nas taxasde crescimento da produo.

As tentativas de entender esses intrigantes fatos passaram a concentrar-se:forma como afetam as taxas de difuso. inovao que no a P&D (Pesquisa e Desenvolvimento) ausncia de dados confiveis e sistemticos.

O sucesso no refinamento das anlises sobre inovao e no tratamento dadoaos problemas de poltica resultantes, depender, em parte, da capacidadede melhorarmos as informaes disponveis.

______________________________________________________________________Manual de Oslo (2008)

ConceitosInovao, em seu sentido mais genrico, pode ser definida como algo novo para a organizao. A palavra inovar, do latim, significa tornar novo, renovar, enquanto inovao traduz-se pelo ato de inovar. O termo inovao tambm se refere ao processo atravs do qual uma nova ideia, um objeto ou uma prtica so criados, desenvolvidos ou reinventados.

Cultura OrganizacionalA Cultura o conjunto de prticas de comportamentos de um grupo de pessoas - como a maneira certa de pensar, agir e sentir - que foram dando certo ao longo da histria do grupo e que por isso vo sendo transmitidas s geraes futuras. Principalmente em seu surgimento, a Cultura fortemente influenciada pelo que chamamos de lder fundador, aquele que, por causa de seu poder de deciso, orienta as aes que vo sendo estabelecidasComo a forma certa de agir medida que vo dando certo naquele contexto.

_______________________________SKINNER, B.F (1953/2000); SCHEIN, E. H. (1992); HORTA, R. G. (2006).

O valor da inovao Os pases desenvolvidos tm colocado a produo de conhecimento e a inovao tecnolgica no centro de sua poltica para o desenvolvimento.

Fazem isto movidos pela viso de que:

O conhecimento o elemento central da nova estrutura econmica que est surgindo; eA inovao o principal veculo da transformao do conhecimento em valor.

O Valor da Inovao para aqualidade de vidaCULTURA E INOVAO

A cultura para inovao no est no nvel do que visvel (os artefatos) e sim nos nveis mais profundos: valores e pressupostos. Artefatos: o que mais aparece. Pressupostos e Valores: o que realmente importa. Em Innovators Solution, Christensen (2003) afirma como bons projetos de inovao de valor podem fracassar por no serem conduzidos como prioridade pelo fato dos valores da organizao no permitirem que sejam reconhecidos como tal. No livro, ele diz que " fcil sustentar o sucesso quando o foco da capacidade de inovar migra de recursos para processos e valores." Isso acontece porque so sim os valores e os pressupostos (conscientes ou no para o grupo) que determinam quais decises so importantes no dia-a-dia, quais clientes devem ser priorizados, quais produtos, quando investir ou no em novos produtos, competncias ou mercados. GOOGLE X APPLEQual inova?

A importncia de ver alm.Para quem ainda no est convencido, tomemos o case Google. Realmente, tudo aquilo que imaginamos de como deve ser uma cultura para inovao est l: tempo para projetos, ambienteaberto e estimulante, diverso.

Mas qual foi a empresa mais inovadora do mundo no ano de 2008?

Segundo a pesquisa do Boston Consulting Group3 foi a Apple, e vejano quadro abaixo como ela lida com as 5 regras do vale do silcio,que transmitem muito do que se espera de uma cultura inovadora.

Comparao da Google e da Apple frente s 5 regras do Vale do SilcioGOOGLEAPPLECOOPERAOGoogle Android(cdigo aberto)Aplicativos para Iphone(cdigo fechado)COMUNICAOGoogle Labs(Projetos em andamento)Expectativa(segredos at o lanamento)SEJA BONZINHOGoogle apps(Sute de aplicativos grtis)Mac, iTunes, Ipod(restries de compatibilidade)AME SEUS CLIENTESMantm um bom relacionamentoNo d ouvidosPAPARIQUE SEUS FUNCIONRIOSMassagens e cafsAdministrao RgidaAS MAIS INOVADORAS2. LUGAR1. LUGARFonte BCG (2008)RANKING 10 PRIMEIRAS:APPLE mesma posio 2006GOOGLEmesma posio 2006SAMSUNG+ 8MICROSOFTmesma posio 2006FACEBOOK+ 48IBM- 2SONY+ 3HAIER+ 20AMAZON- 3HIUNDAY+ 12

Fonte: BCG 20013Inovao para qualidade de vidaExiste a esperana de que as novas tecnologias iro conduzir para vidas mais saudveis, maiores liberdades sociais,conhecimento e meios de vida mais dignos. Essa crena, aoanalisar os dados objetivos, verdadeira, pois os avanos sociais do sculo XX apontam para a melhoria do desenvolvimento humano tendo ntima relao com os avanos tecnolgicos (Relatrio do Desenvolvimento Humano, 2001, p.2).

Podemos citar: a reduo da subnutrio na sia do Sul em 30anos de 40% para 23%; o acesso ao conhecimento livre pelaInternet; a produo e distribuio de novos medicamentose o maior rendimento agrcola.

Inovao para a qualidade de vida Todo este progresso, em tese,propiciaria um desenvolvimento da qualidade de vida de maneira ampla; no entanto, muitos desses conhecimentos estoa servio do mercado, porque ele se mostrou uma mquinapoderosa para os avanos cientifcos.

Ianni (2002) aponta que a lgica do mercado produzir anova tecnologia para o lucro, no tem como m o desenvolvimento humano ou a qualidade de vida, mas sim a preservao e reproduo do poder.

Habermas (1987) explica que omercado age estrategicamente, com um m lgico estabelecido que busca por mais dinheiro. Contudo, os indivduos no mundo da vida local livre de interferncia do Mercado oudo Estado podem se apropriar do conhecimento produzido Estratgias e Polticas em Qualidade de Vida e ampliar sua esfera de ao para a busca do conhecimentocompartilhado. (GUTIERREZ e ALMEIDA, 2006).

Onde estamosO Brasil um dos 30 exportadores mundiaisde alta tecnologia, considerado um seguidor dinmico detecnologia, isto , o Brasil no tem potencial de inovao,apenas de reproduo das tecnologias j constitudas. A anlise parte do ndice de Realizao de Tecnologia (RDH, 2001),que coloca o Brasil 43, atrs de Uruguai, Chile, Mxico, Argentina e Costa Rica.

O Brasil est nessa colocao porque investe pouco naqualicao humana, cerca de 0,8% do PIB. !!!ConclusoO grande desao para a humanidade transformar a tecnologia num instrumento para o desenvolvimento humano,isso requer, muitas vezes, um esforo deliberado e investimento pblico para criar e difundir amplamente as inovaes.No basta investir na criao, adaptao e comercializao de produtos necessrios, mas sim no acesso a essesavanos. Esse talvez seja o desao e o discurso mais antigo da humanidade: viver em uma sociedade mais justa que permita o acessoaos bens materiais e intelectuais de maneira ampla, e, no fazer dela uma arma de dominao poltica, econmica e militar.

Antes de colocarmos o peso das novas tecnologias na transformao de uma situao concreta, devemos pensarse as tecnologias esto transformando o modo de pensar dospovos, se elas so utilizadas como formas de ampliao da conscincia e do conhecimento compartilhado, ou esto cada vezmais a servio da segregao, dominao e explorao.

BibliografiaHORTA, R. G. (2006). Anlise Funcional do Comportamento como Estratgia de Anlise da Cultura Organizacional. Dissertao de Mestrado, CEPEAD UFMG.

NONAKA, I (1997). A Empresa Criadora de Conhecimento. IN STARKEY, K. (1997). Como as Organizaes Aprendem: relatos de sucesso das grandes empresas. Futura: So Paulo, 1997.

SCHEIN, E. H. (1992). Organizational culture and leadership. San Francisco: Jossey-Bass. STOECKICHT, I. P. (2005). Gesto Estratgica do Capital Humano avaliando o potencial de inovao de uma empresa: estudo de caso. Dissertao de Mestrado, Universidade Federal Fluminense.

SKINNER, B.F (1953/2000). Cincia e Comportamento Humano. (J. C. Todorov e R. Azzi, Trad.). So Paulo: Martins Fontes. (Traba