critérios de hierarquização de intervenções em áreas de ...· necessitam de intervenções...

Download Critérios de hierarquização de intervenções em áreas de ...· necessitam de intervenções são

Post on 03-Dec-2018

215 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 3IV COBRAE - Conferncia Brasileira sobre Estabilidade de Encostas - Salvador-BA

    Critrios de hierarquizao de intervenes em reas derisco definidas pelo Plano Diretor de Encostas doMunicpio de Salvador

    Mattos, E.F.O.Prefeitura Municipal de Salvador, Salvador, Bahia, Brasil.

    Cerqueira Neto, J.X.Universidade Federal da Bahia, Instituto de Geocincias, Salvador, Bahia, Brasil.

    Silva, F.R.Geohidro Consultoria e Operao de Sistemas, Salvador, Bahia, Brasil, Franz@geohidro.com.br

    Gomes, R.L.Universidade Estadual de Santa Cruz, Ilhus, Bahia, Brasil, rlgomes@uesc.br

    Oliveira, S.M.Prefeitura Municipal de Salvador, Salvador, Bahia, Brasil, monemaia@ig.com.br

    Resumo: Este trabalho apresenta o mtodo utilizado para a hierarquizao de 433 intervenes aserem realizadas em reas de risco definidas no Mdulo de Prognstico do PDE - Plano Diretor deEncostas do Municpio de Salvador. A Sistemtica de hierarquizao foi realizada a partir de ummodelo de tomada de decises elaborado especificamente para os propsitos do plano, de formaa subsidiar a escolha da melhor linha de ao a ser adotada pela Prefeitura Municipal. Nessemodelo, chamado de Sistema de Hierarquizao, as intervenes propostas foram ordenadassegundo uma estrutura hierrquica de priorizao baseada na anlise comparativa de um conjuntode aspectos representativo levando-se em considerao as caractersticas fsico-ambientais,econmicas, sociais e polticas, relacionadas ao problema do risco em assentamentos situados nasreas precrias das encostas.

    Abstract: This work presents the method used for the hierarchization of the 433 interventionstaken in risk areas as defined in the HMP Prognostic module from the Hillside Management Planof the Municiple of Salvador. The Hierarchization Systematics was developed from a decisionmaking model created specifically for the intentions of the plan, which assist in the choosing of thebest line of action on the part of City Hall. In this model, called the Hierarchization System, theproposed interventions were ordered following a hierarchical prioritization based on the comparativeanalysis of joined aspects representing the ample spectrum of physical-environmental, economical,social and political characteristics related to the risk problem in hillside housing situations.

  • 4 IV COBRAE - Conferncia Brasileira sobre Estabilidade de Encostas - Salvador-BA

    1 INTRODUO

    Os trabalhos desenvolvidos nas etapas deInventario, Diagnstico e Prognstico realiza-das pelo Plano Diretor de Encostas de Salvadorpropuseram 433 intervenes em reas de ris-co, que abrangem desde obras de engenharia,at remoo e reassentamento de moradoressob situao de risco de deslizamento do talu-de. A priorizao destas intervenes consti-tui-se no elemento de base para fundamentar,dentro de um rigor tcnico, as decises durantea fase de implantao do Plano Diretor de En-costas. A possibilidade de ordenar as interven-es segundo diferentes critrios permite oagrupamento dessas segundo situaes es-pecficas, considerando os aspectos estritamen-te tcnicos relacionados a caractersticas domeio, o alcance social e a disponibilidade derecursos. A flexibilidade de anlise e simulaode situaes socioeconmicas distintas com avisualizao do contexto geogrfico no qualesto inseridas as reas a serem beneficiadas e,at mesmo, a realimentao do processo dehierarquizao atravs da insero de novasintervenes, ser possvel por meio do Siste-ma de Informaes desenvolvido especificamen-te para o PDE.

    As aes necessrias para atingir a eficin-cia tcnica, econmica e social prevista para oPDE, devem estar em consonncia com os re-cursos humanos e financeiros liberados ao lon-go do cronograma preestabelecido. Sabe-se, noentanto, que esses recursos no so disponi-bilizados integralmente, e as reas de risco quenecessitam de intervenes so vrias, e que orisco de deslizamento um fenmeno dinmicoe tende a se agravar caso as aes necessriasno venham a ser realizadas em tempo hbil.Neste contexto, foi definida uma metodologiapara tomada de decises sob condies demltiplas escolhas, fundamentada em tcnicasde anlise de multicritrio, e a partir da qual as

    intervenes propostas foram ordenadas se-gundo uma estrutura hierrquica depriorizao.

    2 MTODO ADOTADO

    A elaborao do Plano Diretor de Encostas(PDE) foi compartimentada em quatro etapassubseqentes e interdependentes, chamadas deMdulos: Modulo I Inventrio; Mdulo II Diagnstico; Mdulo III Prognstico; eMdulo IV - Plano de Ao. O Inventrio com-preendeu o levantamento e cadastramento dosdados e informaes disponveis relacionadosao problema e inspees de campo para a ca-racterizao fsico-ambiental e socioeconmicadas reas de risco. No Diagnstico, a base dedados e informaes inventariadas foi analisa-da de forma orientada compreenso e caracte-rizao dos aspectos scio-ambientais relacio-nados problemtica em anlise. No mdulosubseqente, o Prognstico, esto estabele-cidas as intervenes necessrias visando ocontrole do risco dessas reas de ocupaosubnormal. J o Plano de Ao, contempla osaspectos sistmicos da parte gerencial do PDE,que implicam na definio das prioridades, nocronograma de implantao e na forma de atua-o tcnica e social da gesto pblica duranteo processo de implantao do Plano (PMS,2004).

    No contexto deste trabalho, a hierarquizaodas 433 intervenes em reas de risco defini-das no Prognstico foi realizada a partir de ummodelo de tomada de decises elaborado espe-cificamente para os propsitos do PDE, de for-ma a subsidiar a escolha da melhor linha de aopor parte do gestor do Plano. Nesse modelo,chamado de Sistema de Hierarquizao, as in-tervenes propostas foram ordenadas segun-do uma estrutura hierrquica de priorizao ba-seada na anlise comparativa de um conjuntode aspectos representativo do amplo espectro

  • 5IV COBRAE - Conferncia Brasileira sobre Estabilidade de Encostas - Salvador-BA

    de caractersticas fsico-ambientais, econmi-cas, sociais e polticas, relacionadas ao proble-ma do risco em assentamentos precrios situa-dos em encostas. O Sistema de Hierarquizaofoi concebido utilizando-se os fundamentos deum mtodo clssico de anlise multicritrio,denominado de AHP (Analytic HierarchyProcess). Foram, tambm, considerados as pre-missas bsicas para modelagem de sistemas detomada de deciso com base na anlisemulticriterial, os dados e informaes que com-pem o SIGPDE, e principalmente, os objetivose finalidades do Mdulo IV Plano de Ao.

    A seguir so citadas as principais diretrizesmetodolgicas que nortearam a concepo doSistema de Hierarquizao do PDE: a) Ordenara partir de uma estrutura hierrquica as 433 in-tervenes propostas no Prognstico, de for-ma que possibilite a anlise dos fatoresdecisrios envolvidos para cada interveno,subsidiando a escolha da melhor linha de aopor parte do gestor do Plano; b) O modelo con-cebido de fcil compreenso; no exigir co-nhecimentos tcnicos especficos para a anli-se dos resultados e entendimento dos aspec-tos positivos e negativos de cada interveno;dispensa uma especializao para comunicar eadministrar; c) fruto de um consenso entre asprincipais instituies envolvidas com os pro-blemas em encostas, encorajando, assim, a for-mao de compromisso e, conseqentemente,uma ao participativa e integrada para o alcan-ce dos objetivos do PDE, e d) Apresenta umaspecto dinmico, possibilitando a anlise denovas intervenes durante o perodo de im-plantao do PDE.

    3 ELABORAO DO SISTEMA DEHIERARQUIZAO

    Esse procedimento foi compartimentado nasseguintes etapas: Definio dos Especialistas,Definio dos Critrios de Deciso,

    Estruturao Hierrquica do Processo de An-lise, Avaliao dos Componentes do Processode Anlise e Priorizao das Intervenes.

    3.1 Definio dos Especialistas

    Nessa etapa foi definido o grupo de especialis-tas responsvel pelos julgamentos no estgiode avaliao dos critrios de deciso. Esse gru-po tambm foi responsvel, no apenas pelojulgamento dos critrios, mas, tambm, pelaanlise dos resultados, condicionando ao mes-mo a responsabilidade do aval final no queconcerne os resultados da priorizao. Destaforma foram selecionadas instituies e profis-sionais que representam diversas reas de atu-ao tais como gesto pblica, universidades eempresas de consultoria tcnica. A seguir es-to citadas as instituies e profissionais queparticiparam do processo de avaliao e pon-derao dos critrios de deciso: SURCAP Superintendncia de Urbanizao da Capital;CARG Coordenadoria de reas de Risco Ge-olgico; CODESAL Coordenao de DefesaCivil de Salvador; CREA-BA Conselho Regi-onal de Engenharia e Arquitetura daBahia;GEOHIDRO (Empresa Consultora); Clu-be de Engenharia da Bahia; Laboratrio deGeotecnia da Escola Politcnica da UFBA e Pro-fessores do Instituto de Geocincias da UFBA.

    3.2 Definio dos Critrios de Deciso

    Essa etapa consistiu na seleo dos critriosutilizados no processo de anlise comparativadas intervenes. A definio desses critriosfoi baseada no conhecimento do grupo de es-pecialistas selecionados, na experincia dostcnicos responsveis pelo projeto de elabora-o do PDE e na familiaridade com os aspectosqualitativos e quantitativos dos dados dispo-nveis. Os critrios selecionados foramcompartimentados nos seguintes grupos infor-

  • 6 IV COBRAE - Conferncia Brasileira sobre Estabilidade de Encostas - Salvador-BA

    mais: Critrios Tcnico-Ambientais, CritriosTcnico-Econmicos e Critrios Scio polticos.

    Os Critrios Tcnico-Ambientais fornecemelementos para a avaliao da interveno emfuno das caractersticas do meio onde situaa rea a ser beneficiada. Portanto, esses crit-rios caracterizam-se como parmetros para aanlise direta e indireta de aspectos geolgi-cos-geotcnicos, geomorfolgicos e de uso eocupao do solo, permitindo assim uma ava-liao tcnica em funo da situao do meiofsico. Fazem parte desse grupo os seguintescritrios: Grau de Risco; Vulnerabilidade Fsi-co-Ambiental e Degradao Fsico-Ambiental.No Grau de Risco avalia-se a situao atualou condio potencial de perigo ao ser huma

Recommended

View more >