criminalização da pobreza e a pobreza da ... ?· criminalização da pobreza e a pobreza da...

Download Criminalização da pobreza e a pobreza da ... ?· Criminalização da pobreza e a pobreza da criminalização:…

Post on 27-Dec-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

205

Revista Publicum Rio de Janeiro, Nmero 3, 2016, p. 205-253 http://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/publicum DOI: 10.12957/publicum.2016.26429

8 ................................................................................................ Criminalizao da pobreza e a pobreza da criminalizao: a abordagem da justia restaurativa para a complexidade do conflito

Brisa Arnoud da Silva Mestre em Cincia Jurdica no Programa de Ps-Graduao stricto sensu em Cincia Jurdica da Universidade do Vale do Itaja (UNIVALI). Especializada em Direito do Estado pela Universidade Anhanguera (UNIDERP). Extenso em Instrumentos de Gesto Ambiental Empresarial pela Fundao Getlio Vargas (FGV). Graduada em Direito pela Universidade do Sul de Santa Catarina (UNISUL). Advogada. E-mail: brisa_arnoud@hotmail.com

.................................................................................................

Resumo O presente estudo, que se desenvolveu pela tica da complexidade, tem como objetivo examinar os efeitos reflexos da corrupo e da desigualdade social sob a perspectiva da associao pobreza/criminalidade na modernidade reflexiva, dadas as injustias que se mostram como causas que provocam as ofensas. O problema questiona a legitimidade do carter discriminatrio e seletivo do sistema penal brasileiro, que no intimida, no responsabiliza eficientemente, ou reintegra, mas, ao contrrio, causa mais sofrimento entre os envolvidos nos conflitos. Por fim, apresenta-se a abordagem da justia restaurativa, mostrando um modelo humanizado, participativo e cooperativo, que visa atender aos anseios de todos os envolvidos, comportando a alteridade e o respeito, afastando a resposta essencialmente punitiva. O mtodo utilizado na elaborao desta investigao foi o indutivo, com as tcnicas do referente, categoria, conceitos operacionais, pesquisa bibliogrfica e fichamento.

Palavras-chave Crise poltica; Criminalizao da pobreza; Crise do Direito Penal; Justia Restaurativa.

Criminalization of the poverty and the poverty of the criminalization: the approach of the restorative justice for the complexity of the conflict

206

Revista Publicum Rio de Janeiro, Nmero 3, 2016, p. 205-253 http://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/publicum DOI: 10.12957/publicum.2016.26429

Resumen El presente estudio, que se desarroll a partir de la perspectiva de la complejidad y la interdisciplinariedad, tiene como objetivo examinar los efectos reflejos de la corrupcin y la desigualdad social desde la perspectiva de la asociacin de la pobreza / criminalidad en la modernidad reflexiva, dadas las injusticias que aparecen como causas que provocan delitos. El problema cuestiona la legitimidad del carcter discriminatorio y selectivo del sistema penal brasileo, que no intimida, no castiga de manera eficiente, ni reintegra, pero en vez provoca ms sufrimiento entre los implicados en el conflicto. Por ltimo, se presenta el enfoque de la justicia restaurativa, mostrando una forma ms humana, participativa y cooperativa, que apunta a satisfacer las necesidades de todos los implicados, incluida la alteridad y respeto, y moviendo la respuesta esencialmente punitiva. El mtodo utilizado en la preparacin de esta investigacin fue el inductivo, con las tcnicas de referente, categora, los conceptos operacionales, la investigacin bibliogrfica y reporte de libro.

Palabras-claves Crisis poltica; Criminalizacin de la pobreza; Crisis del derecho penal; Justicia restaurativa.

Sumrio Introduo; 1. Crise poltica e a corrupo; 2. Desamparo e deteriorao social; 3. Criminalizao da pobreza: estigma, mdia e medo; 4. Crise no sistema penal e a pobreza da criminalizao; 5. Justia Restaurativa: uma abordagem humanizada para a complexidade do conflito; Concluso; Referncias Bibliogrficas

Introduo

Admitindo a articulao da complexidade1 na modernidade reflexiva2, no sentido de que

tudo interfere no todo, e toda ao tem uma reao, vivemos problemas na sociedade

contempornea que se transformam em motriz de outras ofensas. Partindo disso, busca-se

nesse artigo refletir o conflito sob o vis da complexidade e interdisciplinaridade,

justamente, para aprofundar e estender o olhar em um panorama mais extenso sobre as

questes que englobam e desencadeiam a marginalidade e, logo, a violncia. Uma vez que

o estudo da Sociologia se dedica a uma perspectiva mais abrangente da vida, do indivduo

em grupo e sociedade, considera-se que a funo social do Direito no pode ser insensvel

as demandas e dinmicas sociais.

1 FAGNDEZ, Paulo Roney vila. O direito e a hipercomplexidade. So Paulo: LTr, 2003, p. 20: O objetivo da ideia de complexidade fazer com que se pense na vida, nas mltiplas implicaes e, fundamentalmente, na riqueza de contedo que apresenta qualquer drama humano. 2 GIDDENS, Anthony; BECK, Ulrich; LASH, Scott. Modernizao reflexiva: poltica, tradio e esttica na ordem social moderna. Traduo de Magda Lopes. So Paulo: Editora da Universidade Estadual Paulista, 1997, p. 16: modernizao reflexiva significa autoconfrontao com os efeitos da sociedade de risco que no podem ser tratados e assimilados no sistema da sociedade industrial.

207

Revista Publicum Rio de Janeiro, Nmero 3, 2016, p. 205-253 http://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/publicum DOI: 10.12957/publicum.2016.26429

A Sociologia mostra que necessrio adoptar uma perspectiva mais

abrangente do modo como somos e das razes pelas quais agimos.

Ensina-nos que o que consideramos natural, inevitvel, bom ou

verdadeiro pode no o ser, e que o que tomamos como dado nas

nossas vidas fortemente influenciado por foras histricas e sociais.

Compreender as maneiras ao mesmo tempo subtis, complexas e

profundas, pelas quais as nossas vidas individuais reflectem os

contextos da nossa experincia social essencial perspectiva

sociolgica3.

A desigualdade social, a violncia e seus reflexos so graves motivos que

impulsionam a realizao de estudos que buscam contribuir para sua compreenso e

enfrentamento. O contexto de vulnerabilidade socioeconmica submete a vida de grande

parte da populao pobre e marginalizada restries, obstculos e inacessibilidade de

direitos, sujeita violao da dignidade e integridade humana e riscos multidimensionais.

Por sua vez, a corrupo um crculo vicioso e vinculante, que ao impactar uma rea

produz efeitos em outra e assim sucessivamente. Esses reflexos afetam diretamente verbas

pblicas destinadas educao, sade, habitao, segurana, e prejudicam a populao

como um todo, mas, sobretudo, os mais carentes, expropriando-os do acesso aos servios

pblicos, agravando ainda mais a condio de vulnerabilidade, tornando a corrupo um

elo entre a cadeia de condies sociais adversas, insegurana e marginalidade na vida de

um imenso nmero de pessoas.

Em virtude disso, preciso refletir sobre os custos humanos da corrupo, da

desigualdade, do desemprego, que reforam esteretipos e criminalizam a pobreza, e

levam em considerao a relao de poder e dominao, que desresponsabilizam o Estado

do caos sistmico e culpabilizam o indivduo, que passa por necessidades, privaes e

dificuldades na luta diria por sobrevivncia, suscetvel delinquncia e criminalidade.

Quando se percebe a misria humana como efeito reflexo de um sistema opressor,

e a falncia de um modelo penal ultrapassado, ineficiente e custoso, torna-se evidente que

os problemas precisam ser resolvidos de outra maneira. Com a manifesta crise de

legitimidade do sistema penal, se expandem os esforos por alternativas de resoluo de

conflitos e o enfoque restaurativo um tratamento diferenciado, em que participam os

envolvidos, as famlias e a comunidade, na busca por solues, atentos s necessidades

3 GIDDENS, Anthony. Sociologia. 6 ed. Lisboa: Fundao Calouste Gulbenkian. 2008, p. 2.

208

Revista Publicum Rio de Janeiro, Nmero 3, 2016, p. 205-253 http://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/publicum DOI: 10.12957/publicum.2016.26429

legtimas da vtima e do ofensor e ao compartilhamento das responsabilidades e obrigaes

entre as partes, visando superao das causas e consequncias do ocorrido.

No decorrer da pesquisa, lanou-se mo de contedo jornalstico, ainda que

brevemente, no com fim sensacionalista, mas com intuito de evidenciar importantes

temas apontados no texto, para analisar o cenrio atual das problemticas e preocupao

maior, no de descrever essas informaes, mas criar uma ponte com a ferramenta da

justia restaurativa que se apresenta para o enfrentamento da nossa realidade.

Assim, ao tratar da vulnerabilidade social, busca-se transcender a perspectiva

interindividual na anlise dos reflexos da corrupo e da desigualdade para a ordem

transindividual, invocando, ento, o senso comum num grau incomum4 pela luta contra a

corrupo, a injustia social, a discriminao e violncia.

1. Crise poltica e a corrupo

Vivemos uma crise, em recesso e declnio (da humanidade), que no deste ou daquele

setor, mas do prprio modelo de civilizao da modernidade reflexiva, complexa e

multidimensional, que afeta a todos, e se insere em todos os aspectos da vida, na sade,

nos modos de vida, na qualidade do ambiente, nas relaes sociais, na economia,

tecnologia, poltica, impregnando as dimenses morais, espirituais e intelectuais5.

A nossa democracia representativa, car

Recommended

View more >