criaÇÃo de novas oportunidades de trabalho contabilidade .contabilidade de custos contabilidade

Download CRIAÇÃO DE NOVAS OPORTUNIDADES DE TRABALHO CONTABILIDADE .Contabilidade de Custos Contabilidade

Post on 18-Jan-2019

218 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

PONTFICIA UNIVERSIDADE CATLICA DE MINAS GERAIS

Instituto de Cincias Econmicas e Gerenciais - Curso de Cincias Contbeis

5 Perodo Manh

CRIAO DE NOVAS OPORTUNIDADES DE TRABALHO

CONTABILIDADE E EMPREENDEDORISMO

Belo Horizonte 2016

Contabilidade de Custos

Contabilidade de Entidades de Previdncias

Contabilidade Fiscal e Tributria

Logstica

Teoria Avanada da Contabilidade

CRIAO DE NOVAS OPORTUNIDADES DE TRABALHO

CONTABILIDADE E EMPREENDEDORISMO

Trabalho Interdisciplinar do Curso de Cincias Contbeis apresentado Pontifcia Universidade Catlica de Minas Gerais para obteno de crdi-tos acadmicos.

Belo Horizonte, 2016

SUMRIO

1. APRESENTAO ............................................................................................................. 4

1.1 JUSTIFICATIVA ........................................................................................................ 5

1.2 OBJETIVOS ................................................................................................................. 5

1.3 METODOLOGIA ......................................................................................................... 5

2. REGULAMENTAO DA PROFISSO ......................................................................... 6

3. OS DIREITOS DO CATADOR ....................................................................................... 10

4. BENEFCIOS DESSA PROFISSO PARA A SOCIEDADE ........................................ 11

5. ONDE DEVEMOS DESCARTAR NOSSOS MATERIAIS? .......................................... 12

6. RETORNO AO CICLO PRODUTIVO ............................................................................ 12

CONCLUSO .......................................................................................................................... 16

REFERNCIAS BIBLIOGRFICAS ..................................................................................... 17

ANEXOS .................................................................................................................................. 20

4

1. APRESENTAO

O presente Projeto de Extenso visa divulgar a regulamentao de uma profis-

so que na maioria das vezes dada como insignificante perante a maioria das pes-

soas: Os catadores de materiais reciclveis.

O Catador de Material Reciclvel um trabalhador que recolhe os resduos

slidos reciclveis e reaproveitveis, como papelo, alumnio, plstico, vidro, entre

outros. Carregados de um pr-conceito, muitas vezes no cotidiano, so julgados por

outras pessoas da sociedade, mas esse profissional que possui grande importncia

no papel de reciclagem de materiais.

Poderia se dizer que o processo de regulamentao destes profissionais h

alguns anos, foi um grande avano para mudar o pr-conceito estabelecidos sobre

eles, o direito de realizar contribuies ao INSS, ter direito a quaisquer auxlios que

qualquer outra profisso regulamentada teria. uma equiparao profissional con-

quistada. Segundo Paim (Senador Paulo Paim PT-RS), esses profissionais, essenci-

ais para o processo de reciclagem, agora (na poca) podero ter carteirinha, se asso-

ciar em sindicatos ou montar cooperativas, negociar um piso salarial, se tornar em-

preendedores individuais, contribuir com a previdncia social e, consequentemente,

ter aposentadoria.

Por um lado, mesmo aps essa evoluo, essa profisso ainda discriminada.

Nossa inteno aumentar a quantidade de pessoas que reconhecem o trabalho

exercido por eles, mostrar a alguns Catadores de Materiais reciclveis a possibilidade

de ter uma segurana maior oriunda da sua profisso, e divulgar a todos, como

simples ajud-los em pequenas atitudes do nosso dia-a-dia, como por exemplo, atra-

vs da coleta seletiva.

5

1.1 JUSTIFICATIVA

A partir do cotidiano dos autores deste projeto de exteno, percebemos que,

em nossa capital, Belo Horizonte, o nmero de Catadores de Materiais Reciclveis

veio aumentando e uma dvida constante entre a maioria das pessoas em relao

regulamentao desta categoria de profissionais. Outra questo em pauta sobre

a qualidade de vida desses profissionais, como funcionam os direitos assistenciais

que todas as profisses regulamentadas possuem, como a integrao destes

profissionais com a sociedade em geral e a possibilidade de obter renda atravs deste

trabalho.

1.2 OBJETIVOS

Os objetivos deste projeto de extenso so:

Garantir o desenvolvimento da comunidade;

Evidenciar os benefcios para os cidados;

Promover a valorizao e a organizao do trabalho dos catadores da capital

mineira;

Divulgar a regulamentao da profisso e gerar empregos sustentveis;

1.3 METODOLOGIA

A metodologia utilizada a implementao e a programao de aes que in-

centivem e promovam o desenvolvimento social e integral dos catadores de material

reciclvel, atravs da cidadania e autoestima, promovendo sua insero social. Atra-

vs das atividades propostas pelo Projeto ser possvel trabalhar com vrios proble-

mas sociais e ao mesmo tempo buscar compreender a realidade vivenciada por cata-

dores de material reciclvel e moradores ou ex-moradores de rua, que so fortemente

estigmatizados pelo pr-conceito.

6

de conhecimento de todos brasileiros, que existe uma grande desigualdade

socioeconmica no pas. Essa desigualdade deve ser combatida, existe uma grande

parcela da populao que no possui emprego, acesso educao, moradia, entre

outros direitos que lhe garantido constitucionalmente. Segundo um grupo de consul-

toria, com base em dados da Receita Econmica Federal, revelou que mais de 2,5

milhes de famlias brasileiras da classe A so responsveis por 37% da renda naci-

onal. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatstica, at o incio de maio de

2016, o Brasil possu 205.861.487 pessoas. Ou seja, significa que aproximadamente

1,214% da populao brasileira est assegurando as maiores rendas do pas. total-

mente desigual.

Esse projeto realizado em com base a uma classe de trabalhadores que re-

presenta uma parte da desigualdade brasileira: Os catadores de Materiais Reciclveis.

preciso valorizar a classe perante a sociedade, mostrar a importncia, e formas de

obter rendas com este trabalho; o catador pode se filiar a uma cooperativa, ou uma

associao, ou at mesmo realizar seu trabalho de forma independente. Para isso,

necessrio conhecer mais sobre a profisso.

2. REGULAMENTAO DA PROFISSO

A profisso dos Catadores foi reconhecida na Classificao Brasileira de Ocu-

paes (CBO) pela Portaria n. 397, de 9 de outubro de 2002, do Ministrio do Traba-

lho, sob o Cdigo n. 5.192-05. A profisso regulamentada pela Lei 6822/10, o texto

define o catador como o profissional autnomo ou associado de cooperativa que cata,

seleciona e transporta material reciclvel nas vias pblicas e nos estabelecimentos

pblicos ou privados para venda ou uso prprio. J o reciclador aquele que recicla

papel para venda ou uso prprio. Ele pode atuar de forma autnoma ou integrar-se a

cooperativa e trabalhar em casa ou em outro local adequado atividade.

A partir desse momento, os catadores de materiais reciclveis tm por lei, a

segurana de sua profisso, podendo se conveniar a uma associao e/ou uma coo-

perativa, (caractersticas das associaes e cooperativas, os marcos legais, fiscais e

tributrios; abaixo, Quadro 1.0).

7

QUADRO 1.0 - COMPARATIVO ASSOCIAO X COOPERATIVA

CARACTERSTICAS ASSOCIAO COOPERATIVA

1 - DEFINIO LEGAL - Sociedade civil sem fins

lucrativos. - Sociedade civil e comercial, sem fins lu-

crativos (LTDA).

2 OBJETIVOS

- Prestar servios de inte-resse econmico, tcnico, legal, cultural e poltico de

seus associados.

- Prestar servios de interesse econmico e social aos cooperados, viabilizando e desenvolvendo sua atividade produtiva.

3 - AMPAROS LEGAIS - Constituio Federal (Ar-

tigo 5) - Cdigo Civil. - Constituio Federal (Artigo 5). - C-

digo Civil- Lei 5.764/71.

4 - MNIMO DE PES-SOAS PARA CONSTI-TUIO

- 02 (duas) pessoas fsicas. - 20 (vinte pessoas) fsicas, exclusiva-

mente.

5 - ROTEIRO SIMPLIFI-CADO PARA CONSTI-

TUIO

- Definio do grupo de in-teressados- Definio dos

objetivos concretos do grupo. - Elaborao con-junta do Estatuto Social. - Realizao da Assembleia de Constituio, com elei-o dos Dirigentes. Regis-trar o Estatuto Social, os Li-vros obrigatrios e a Ata de Constituio (Lei 9.042/95 Nova redao do Artigo

121 da Lei 6015/73). CGC na Receita Federal. Regis-tros na Prefeitura, INSS e

Ministrio do Trabalho. Ela-borao do primeiro plano

de trabalho.

Constituio, com eleio dos Dirigentes. - Subscrio e integralizao das cotas de

capital pelos associados. - Encaminha-mento dos documentos para anlise e re-gistro na Junta Comercial- CGC na Re-

ceita Federal- Inscrio na Receita Esta-dual. - Inscrio no INSS. - Alvar de Li-

cena e Funcionamento na Prefeitura Mu-nicipal. - Registro na OCEES. - Outros re-gistros para cada atividade econmica. -

Abertura de conta bancria.

6 - REPRESENTA-ES LEGAIS

- Repr