cria§£o de abelhas ind­genas sem ferr£o .esp©cie africana, a dactylurina...

Download Cria§£o de abelhas ind­genas sem ferr£o .esp©cie africana, a Dactylurina staundigeri. ... em

Post on 09-Nov-2018

213 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Criao de abelhasindgenas sem ferro

    Giorgio Cristino Venturieri

  • Criao de Abelhas

    Indgenas sem Ferro

  • Repblica Federativa do Brasil

    Luiz Incio Lula da SilvaPresidente

    Ministrio da Agricultura, Pecuria e Abastecimento

    Roberto RodriguesMinistro

    Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuria Embrapa

    Conselho de Administrao

    Jos Amauri DimrzioPresidente

    Clayton CampanholaVice - presidente

    Alexandre Kalil PiresDiestrich Gerhard QuastSrgio FaustoUrbano Campos RibeiralMembros

    Diretoria Executiva da Embrapa

    Clayton CampanholaDiretor Presidente

    Gustavo Kauark ChiancaHebert Cavalcante de LimaMariza Marilena T. Luz BarbosaDiretores Executivos

    Embrapa Amaznia Oriental

    Tatiana Deane de Abreu SChefe Geral

    Oriel Filgueira de LemosJorge Alberto Gazel Yared Joo Baia Brito Chefes Adjuntos

  • Empresa Brasileira de Pesquisa AgropecuriaEmbrapa Amaznia Oriental

    Ministrio da Agricultura, Pecuria e Abastecimento

    Giorgio Cristino Venturieri

    Belm, PA2004

    Criao de Abelhas

    Indgenas sem Ferro

  • Exemplares desta publicao podem ser adquiridos na:

    Embrapa Amaznia OrientalTrav. Dr. Enas Pinheiro , s/nCaixa Postal 48CEP 66095-100 - Belm, PAFone: (91) 299-4500Fax: (91) 276-9845www.embrapa.brE-mail (sac): sac@cpatu.embrapa.br

    Comit de PublicaesPresidente: Joaquim Ivanir GomesMembros: Gladys Ferreira de Sousa Joo Tom de Farias Neto Jos Loureno Brito Jnior Kelly de Oliveira Cohen Moacyr Bernardino Dias Filho

    Superviso editorialGuilherme Leopoldo da Costa Fernandes

    Normalizao bibliogrficaIsanira Coutinho Vaz-Pereira

    RevisoMarlcia Oliveira da Cruz

    Diagramao e editorao eletrnicaEuclides Pereira dos Santos Filho e cone - Planejamento Visual LTDA

    FotografiasGiorgio Venturieri

    DesenhosSilvia Cordeiro e Giorgio Venturieri

    a1 edioa1 impresso (2004): 1.000 exemplares

    Todos os direitos reservados.A reproduo no-autorizada desta publicao, no todo ou em parte, constitui violao dos direitos autorais (Lei no 9.610).

    Venturieri, Giorgio Cristino

    Criao de Abelhas Indgenas sem Ferro/Giorgio Venturieri. - Belm: EmbrapaAmaznia Oriental, 2004.

    36p : il ; 21 cm. ISBN: 85-87690-32-9

    1. Abelha indgena. 2. Criao. I. Ttulo..

    CDD 638.1

    Embrapa 2004

  • Giorgio Cristino Venturieri

    Eng. Agrn., D. S., Pesquisador da Embrapa Amaznia Oriental

    Caixa Postal, 48, CEP 66.095-100, Belm, PA.

    E-mail: giorgio@cpatu.embrapa.br

    Autor

  • A todos os meus colaboradores, alunos, colegas pesquisadores, orientadores e, em especial, aos meliponicultores paraenses Zifirino, Vilemar, Joozinho,Taco, Olavo, Charles, Roque, Eduardo e Nazareno, que assim como eu, muitas vezes so considerados excntricos em suas respectivas comunidades, por gostarem tanto de abelhas. Ana Laura Lima, Patricia Drumond e Vera Imperatriz-Fonseca pela leitura crtica do manuscrito.

    Agradecimentos

  • Apresentao

    Tatiana Deane de Abreu SChefe Geral da Embrapa Amaznia Oriental

    com satisfao que disponiblizamos esta publicao que valoriza um importante produto da biodiversidade amaznica, ao mesmo tempo em que oferece uma oportunidade aos agricultores da regio de disporem de um documento tcnico fluente, que certamente desempenhar relevante papel na disseminao da meliponicultura na Amaznia, contribuiondo ao esforo multiinstitucional do Governo Federal em dar apoio produo familiar sustentvel .

    A meliponicultura, como chamada a criao de abelhas indgenas sem ferro, possui um potencial muito grande de crescimento. A regio amaznica possui mais de 130 espcies diferentes de abelhas, muitas espcies so excelentes para a produo de mel, podendo ser mais bem explorada e difundida a sua criao.

    A Embrapa Amaznia Oriental, com o apoio do Ministrio do Meio Ambiente, pretende se empenhar no desenvolvimento de tcnicas de manejo para melhorar ainda mais a produtividade das espcies de abelhas nativas da Amaznia e desta forma oferecer a sociedade uma alternativa simples, de fcil aceitao pelos agricultores e que muito contribui para a conservao, no somente das abelhas, como tambm de todas as plantas que dependem dos servios de polinizao prestados por estas abelhas.

    A publicao bem reflete o esprito tcnico, a preocupao social e a sensibilidade esttica do autor e equipe.

  • Introduo ................................................................13

    Morfologia.................................................................14

    Ninho .........................................................................16

    Ninho natural em oco de arvores...............................16

    Ninho em caixa racional de criao ...........................17

    A famlia das abelhas...............................................21

    Caixa racional...........................................................23

    Espcies mais produtivas .......................................27

    Coleta do ninho ........................................................29

    Desmembramento....................................................30

    Inimigo das abelhas.................................................32

    Observaes importantes .......................................34

    Sumrio

  • Introduo

    Apesar da produo do mel das abelhas sem ferro ser inferior da abelha italiana, os meliponneos (como tambm so chamadas essas abelhas) possuem vantagens muito importantes, especialmente levando-se em considerao que esto muito mais adaptadas polinizao das rvores de nossa floresta e nossa cultura e realidade. O mel das abelhas indgenas obtm melhor preo no mercado, por se tratar de um produto especial, orgnico e raro. O aroma e o sabor desses mis possuem caractersticas nicas, dependendo da florada e da espcie de abelha que os produziu.

    Os ecossistemas brasileiros, em especial o amaznico, possuem muitas condies que favorecem a criao das abelhas. Dentre elas, podemos citar: clima quente; flora rica em espcies fornecedoras de nctar, plen e resina; florao mais distribuda ao longo do ano; diferentes espcies de abelhas produtoras de mel,devido a um grande mercado com boa cotao para esse produto.

    Dentro do conceito de se desenvolver prticas de uso sustentado de recursos naturais, a meliponicultura (nome dado ao cultivo das abelhas indgenas sem ferro), se enquadra perfeitamente nos conceitos de diversificao e melhor uso das terras da Amaznia. uma atividade que pode ser integrada vegetao natural, a plantios florestais, de fruteiras e de culturas de ciclo curto e, em muitos casos, pode contribuir para o aumento da produo agrcola, originando frutos maiores e em maior quantidade, atravs do servio de polinizao prestado pelas abelhas.

    Esta publicao oferece informaes bsicas sobre a biologia e o manejo de algumas espcies que ocorrem na Amaznia. Tais informaes permitiro o incio da criao dessas abelhas, seja ela pela produo de mel para consumo e comercializao, ou pelo prazer de cri-las e descobrir a encantadora e complexa sociedade das abelhas. So apresentadas situaes e solues prticas, resultantes de investigaes cientficas e, tambm, do convvio com os habitantes do interior da Amaznia.

    13Criao de Abelhas Indgenas sem Ferro

  • Morfologia

    O conhecimento das estruturas externas encontradas no corpo das abelhas importante para que o criador entenda como as abelhas desempenham, com tanta eficincia, a coleta dos recursos necessrios sua sobrevivncia.

    Na cabea, est contida a maioria dos rgos sensoriais. A glossa, alongada e cheia de plos, funciona como um pincel. Ela absorve o nctar, geralmente localizado dentro da flor. Os olhos compostos so fundamentais para a localizao das flores, quando as abelhas desempenham suas atividades externas sob a luz do sol. Os ocelos so importantes para a visualizao no escuro, por exemplo, dentro da colnia, onde no existe luz alguma. As antenas so extremamente importantes para a comunicao entre as abelhas, uma vez que nelas encontram-se estruturas detectoras de sons, vibraes e odores. As mandbulas servem para defesa e manipulao de cera, resina, plen, fibras etc.

    olhos compostosocelos

    antena

    mandbula

    14 Criao de Abelhas Indgenas sem Ferro

  • No trax, se encaixam os apndices locomotores: dois pares de asas e trs pares de pernas. Internamente, o trax constitudo, em sua maioria, por poderosos msculos responsveis pela movimentao das asas e pernas. Esses msculos tambm podem auxiliar na comunicao, promovendo vibraes para a indicao da distncia da fonte de recursos e na coleta de plen de flores, que possuem anteras poricidas, que obrigatoriamente necessitam de abelhas que vibram para coleta de seu plen. Uma outra estrutura muito importante no transporte de slidos e substncias pastosas para o ninho a corbcula, uma tbia modificada, de forma achatada, encontrada no terceiro par de pernas das operrias dos meliponneos. Nessa estrutura, podem ser transportados plen, barro, resina, fibra e sementes.

    No abdome esto alojados o intestino, as glndulas secretoras de cera, os rgos reprodutores e o papo, este ltimo responsvel pelo transporte do nctar que a abelha coleta.

    trax

    asas

    perna corbcula

    cabea

    abdome

    15Criao de Abelhas Indgenas sem Ferro

  • As abelhas italianas possuem uma estrutura muito simples, bastante conhecida. J as abelhas sem ferro a p r e s e n t a m n i n h o s m u i t o diversificados. Vejamos algumas das estruturas mais importantes.

    Orifcio de entra

Recommended

View more >