Crescimento Infanto Juvenil

Download Crescimento Infanto Juvenil

Post on 21-Aug-2015

1.484 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

<ol><li> 1. CRESCIMENTO INFANTO JUVENIL MMXII - VAN DER HGEN </li><li> 2. CRESCIMENTO INFANTO JUVENIL CRESCIMENTO INFANTO JUVENILDR. JOO SANTOS CAIO JR.DRA. HENRIQUETA V. CAIO1-INDICE2-SINOPSE3-MTODO AUTODIDATA DE INTERPRETAR OCRESCIMENTO INFANTO JUVENIL4-ANTES DE COMEAR5-HISTRIA6-FUNES FISIOLOGICA DO HGH HORMNIO DECRESCIMENTO EM HUMANOS7-CRESCIMENTO INDIVIDUAL8-CRESCIMENTO SSEO9-O EFEITO DO HORMNIO DE CRESCIMENTOHGHSOBRE O OSSO.10-HORMNIO DE CRESCIMENTO (GH), A DEFICINCIA DEHORMNIO DE CRESCIMENTO (GH) NA INFNCIA LEVA ASCRIANAS BAIXA ESTATURA.11-CARACTERSTICAS DO DESENVOLVIMENTO PUBERALDE MENINOS E MENINAS, POR VOLTA DE QUE IDADE ELESPARAM DE CRESCER.MMXII - VAN DER HGEN </li><li> 3. CRESCIMENTO INFANTO JUVENIL12-A DEFICINCIA DE HORMNIO DE CRESCIMENTO (GH)NA INFNCIA LEVA AS CRIANAS BAIXA ESTATURA.13-CRIANAS QUE PODEM NASCER COM DEFEITOSFSICOS DA FACE E DO CRNIO, COMO O LBIOLEPORINOOU FENDAPALATINA, PODEROPROVAVELMENTE, TER A PRODUO DE HORMNIO DECRESCIMENTO (GH) DIMINUDA.14-CAUSAS GENTICAS E TRATAMENTO ISOLADO DO GHHORMNIO DE CRESCIMENTO OU SOMATOTROFINA.15-IMPORTNCIA DA TIREOIDE NO DESENVOLVIMENTO EEFICINCIA DO HORMNIO DE CRESCIMENTO - HGH(HIPOTIREOIDISMO, HIPERTIREOIDISMO, TIREOIDITE DEHASHIMOTO, SINDROME DE GRAVES, HIPOTIREOIDISMOPRIMRIO, HIPOTIREOIDISMO SECUNDRIO).16-NOVOS CONHECIMENTOSNOS MOSTRAM AIMPORTNCIA DO METABOLISMO DOS HORMNIOSTIREOIDIANOS NO CONTROLE DOS LPIDES.17-(COLESTEROLTOTAL, MAU-COLESTEROL,BOM-COLESTEROL, TRIGLICRIDES) NO ORGANISMO E SUALIGAO COM O HGH HORMNIO DE CRESCIMENTO.18-BIBLIOGRAFIAMMXII - VAN DER HGEN </li><li> 4. CRESCIMENTO INFANTO JUVENIL ]SINOPSEO crescimento infanto juvenil, afeta de forma devastadoraos humanos com baixa estatura.Por ser uma situao irreversvel aps o fechamento dascartilagens que propiciaram com que as pessoas aumentamsuas estaturas, e este fato perptuo, observado todotipo de comprometimento comportamental, independentedas doenas primrias que em geral podem agravar taissituaes. Podemos presenciar desde um comportamentoagressivo, at doenas mais srias como epifisiolise,sndrome de Osgood - Schlatter. Nanismo hipofisrio, mformao ssea, e jamais devemos s culpar a genticacomo nica ou isolada causa de baixa estatura. Portanto,quando perceber algo no apropriado com a estatura deseus filhos, no tenha duvidas em procurar ajudaprofissional, pois esta doena estigmatizante perene.1 EdioDr.Joo Santos Caio Jr e Dra Henriqueta Verlangieri Caio MMXII - VAN DER HGENSO PAULO BRASIL Editorao Suelene QuidicomoMMXII - VAN DER HGEN </li><li> 5. CRESCIMENTO INFANTO JUVENILCRESCIMENTO INFANTO JUVENILMtodo autodidata de interpretar o crescimento infantojuvenil, um problema biopsicossocial marcante, e carregadode efeitos negativos quando possvel tratar, envolvendo agentica, o meio ambiente e doenas graves, da fase fetalat a fase adulta, que suas sequelas sero cobradas de nspais se no fizermos nossa parte como tal, que afeta amaioria dos humanos estatisticamente.1 EdioDr.Joo Santos Caio Jr e Dra Henriqueta Verlangieri Caio MMXII - VAN DER HGENSO PAULO BRASILEditoraoSuelene Quidicomo MMXII - VAN DER HGEN </li><li> 6. CRESCIMENTO INFANTO JUVENILANTES DE COMEARAumento na sntese proteica celular. Isso ocorre porque ohormnio do crescimento aumenta o transporte deaminocidos atravs da membrana celular, aumenta aformao de RNA (matriz do DNA) e aumenta osribossomos no interior das clulas. Tudo isso proporciona,nas clulas, melhores condies para que as mesmassintetizem mais protenas. Menor utilizao de glicose pelasclulas para produo de energia promove, assim, umefeito poupador de glicose no organismo. Aumento dautilizao de gordura pelas clulas para produo deenergia ocorre, tambm, uma maior mobilizao de cidosgraxos dos tecidos adiposos para que os mesmos sejamutilizados pelas clulas. Uma consequncia disso areduo dos depsitos de gordura nos tecidos adiposos.Devido aos efeitos acima citados, observa-se umimportante aumento na quantidade de protenas em nossostecidos. Em consequncia do aumento das protenas e deum maior armazenamento de glicognio no interior dasclulas, estas aumentam em volume e em nmero.Portanto observamos um aumento no tamanho de quasetodos os tecidos e rgos do nosso corpo. O hormnio docrescimentohumano umaprotenade191 aminocidos com uma massa molecular de cerca de22.000 Dalton (medida molecular). Sua estrutura incluiquatro hlices, necessrias para a interao funcional como receptor do GH hormnio de crescimento. O GH homlogo estrutural e evolucionrio da prolactina eda somatotropina corinica. Apesar damarcantesimilaridade estrutural entre os hormnios do crescimento MMXII - VAN DER HGEN </li><li> 7. CRESCIMENTO INFANTO JUVENILde diferentes espcies, apenas os hormnios GH humano ede primatas tm ao significante em seres humanos. O GHsecretado na correntesangunea pelas clulassomatotrpicas da glndula pituitria anterior no crebro.Dentre os hormnios dessa glndula, o GH hormnio decrescimento aquele produzido em maior quantidade.O fator de transcrio PIT-1 estimula tanto odesenvolvimento dessas clulas quanto sua produo deGH. A falha no desenvolvimento dessas clulas, assim comoa destruio da glndula pituitria anterior, resultana deficincia do GH hormnio de crescimento.Os peptdeos liberados pelos ncleos neurossecretoresdo hipotlamo veia portal pituitria, que cerca a glndula,so os principais controladores da secreo do GH por partedos somatotrpos. O Hormnio da Liberao do Hormniodo Crescimento (GHRH em ingls), proveniente do ncleoarqueado (estrutura do crebro), e a grelina promovem asecreo de GH, enquanto que a somatostatina, que vemdo ncleo periventricular (estrutura do crebro), a inibe.Embora o balano destes peptdeos estimulantes einibidores determinam a emisso do GH hormnio docrescimento, este mesmo balano por outro lado afetadopor muitos outros fatores. Dentre os estimulantes daliberao do GH pode-se citar o sono, o exerccio fsico,a hipoglicemia (diminuio deacar),as protenas consumidas na dieta e o estradiol (hormniosexual feminino). Os inibidores da liberao do GH incluemos carboidratos consumidos na dieta e os glicocorticoides. Amaior parte da secreo fisiologicamente importante do GHacontece em forma de pulsos ou picos de liberao do GHvrias vezes ao dia.MMXII - VAN DER HGEN </li><li> 8. CRESCIMENTO INFANTO JUVENILHISTRIAA estatura a medida da altura de um ser humano.As medidas de altura possuem muitas unidades de medida,porm as mais comuns so em metros/centmetros e emps/polegadas. A maior parte da secreo fisiologicamenteimportante do GH hormnio do crescimento acontece emforma de pulsos ou picos de liberao do GH vrias vezesao dia. O nvel do GH hormnio do crescimento durante taispicos pode ir de 5-30 ng/mL ou mais. Os picos geralmenteduram de 10-30 minutos e ento retornam aos nveisbasais. O maior e tambm o mais provvel desses picos deGH hormnio do crescimento acontece por volta de umahora aps deitar-se. De qualquer forma, h uma variaoampla de acordo com o dia e o indivduo. Entre picos, osnveis basais de GH hormnio do crescimento so baixos,geralmente abaixo de 3 ng/mL na maior parte do dia e danoite. A quantidade e o padro de secreo do GHhormnio do crescimento mudam ao longo de toda a vida.Os nveis basais so mximos durante a infncia. Aamplitude e a frequncia de picos so mximas durante oestiro puberal, mas pode acontecer que por disfunometablica ou orgnica, esta situao fique comprometidae o estiro puberal acabe no se verificando como oprevisto. As crianas e os adolescentes sadios tm umamdia de 8 picos a cada 24 horas. Os adultos, em mdia 5picos. Os nveis basais, a frequncia e a amplitude dospicos caem ao longo da vida adulta.Existem vrias formas moleculares do GH. A maior parte dohormnio do crescimento na circulao sangunea estligada a uma protena (GHBP em ingls, Protena Ligadorado Hormnio do Crescimento), que derivada do receptorde hormnio do crescimento, outro detalhe que devemoster em mente, que GH hormnio de crescimento necessrio para toda e qualquer clula de humanos.MMXII - VAN DER HGEN </li><li> 9. CRESCIMENTO INFANTO JUVENILFUNO FISIOLOGICA DO HGH HORMNIO DECRESCIMENTO EM HUMANOSOs efeitos do hormnio do crescimento nos tecidos doorganismo podem ser geralmente descritos comoanablicos (efeito construtivo). Da mesma forma que aprotena de outros hormnios, o GH age por meio dainterao com um receptor especfico encontrado nasuperfcie das clulas.O ganho de altura conseguido durante a infncia omelhor efeito conhecido da ao do GH e parece serestimulado por no mnimo dois mecanismos: 1. O GHestimula diretamente na diviso e multiplicaodos condrcitos da cartilagem. Estas so as clulasprimrias encontradas nas extremidades dos ossos longosdas crianas (braos, pernas, dedos). 2. O GH tambmestimula a produo do Fator do Crescimento do TipoInsulina 1 (IGF-1 em ingls, antigamente conhecidocomo somatomedina C), um hormnio homlogo proinsulina. O fgado o alvo principal do GH neste processo e o principal local de produo de IGF-1. O IGF-1 estimulao crescimento em inmeros tecidos, e gerado nessestecidos-alvos, oquefazdeletantoumhormnio endcrino quantoumhormnio autcrino/parcrino.Embora o ganho de altura seja o melhor efeito conhecidodo GH, o hormnio tambm assiste muitas outras funesmetablicas. O GH aumenta a reteno de clcio e aumentaa mineralizao dos ossos; aumenta a massa muscular;induz a sntese de protenas e o crescimento de vriosrgos do corpo.O hormnio tambm estimula o sistema imunolgico e temum papel na homeostase de energia do organismo: elereduz o consumo de glicose por parte do fgado, que umefeito oposto ao da insulina. Tambm contribui para a MMXII - VAN DER HGEN </li><li> 10. CRESCIMENTO INFANTO JUVENILmanuteno e funcionamento das ilhotas pancreticas;tende a promover liplise, que resulta em alguma reduodo tecido adiposo (gordura corporal) e no aumentode cidos graxos livres e glicerol na corrente sangunea.Ele tambm promove a queima de gordura ao movergordura armazenada para a corrente sangunea para serutilizada como energia. Por conta desse efeito mobilizadorde gordura, o GH reduz a quantidade de glicose e protenasusada como combustvel. Ento, altos nveis de GHprotegem a perda de massa magra e resultam em algumareduo do tecido adiposo.A estatura final, no entanto, no regida exclusiva esimplesmente pela quantidade de GH qual submetido oindivduo. Trata-se de uma conjuno de fatores que incluioutros hormnios, mas mais fundamentalmente qual aresposta que cada tecido pode dar a uma oferta maior deGH; em outras palavras, depende da programao genticado indivduo. Se os nveis sricos de GH de um determinadoindivduo ainda em fase de crescimento so normais,somente haver alterao significativa de estatura se esteindivduo receber cargas consideravelmente acima de seunvel padro (que normal, por hiptese). Entretanto, sobcargas sensivelmente acima do normal, os diversos tecidosrespondem de maneirasdiferentes(respostasdescompassadas, desequilibradas, desproporcionais) eproblemaspodemsurgir. Umexemplo o gigantismo quando, entre outros problemas, verifica-seum crescimento fora do comum (h casos de indivduosque passam de2,50m),sempreacompanhadode diabetes severa, cardiomegalia e outros distrbios queinvariavelmente encurtam a vida do indivduo (raramenteatingem 40 anos de idade).Assim, a estatura final do indivduo depende, grosso modofalando, de sua programao gentica em geral (desde queMMXII - VAN DER HGEN </li><li> 11. CRESCIMENTO INFANTO JUVENILtenha alimentao adequada e nveis normais de GH). Se aprogramao gentica apontar para uma estatura final de,por exemplo, 1,60m, e se hipoteticamente submetido(artificialmente ou no) a uma carga alta de GH, o indivduopoder atingir 1,70, 1,80m ou mais, mas sempre custa deum desequilbrio orgnico perigoso e quase em suatotalidade irreversvel (ainda que os nveis de GH regridamdepois de atingida a estatura desejada). Em outraspalavras, se tivermos dois indivduos normais (sem faltanem excesso de GH) e um deles for, por exemplo, 20 cmmais alto que o outro, essa diferena de estatura no sedever a nveis substancialmente diferentes de GH, mas sim programao gentica de cada um; se o mais baixo fosse,hipoteticamente, submetido a um tratamento com altasdoses de GH com vistas a uma estatura final maior, poderiaatingir (e at passar) a estatura do outro indivduo, mas aofinal estaria em condies de sade muito mais precrias.Veja, mais abaixo, "Riscos do tratamento". MMXII - VAN DER HGEN </li><li> 12. CRESCIMENTO INFANTO JUVENILCRESCIMENTO INDIVIDUAL Qualquer clulaviva aumenta de tamanho, por absoro e metabolizao de nutrientes, desde o momento em que separa da sua clula-irm at atingir um tamanho a partir do qual a clula, ou se divide para dar origema duas clulas-filhas (ver ciclo celular), ou exerce a suafuno especfica (no caso de ser uma clula diferenciada)at ao momento da sua morte.Os seres vivos multicelulares aumentam de tamanho pordiviso celular nos seus tecidos e tambm por crescimentoindividual das suas clulas.Aumento da massa corprea, pela multiplicao celular(hiperplasia) e aumento do volume celular (hipertrofia), quepode ser identificada em unidade tais como g/dia, g/ms,kg/ms, kg/ano, cm/ms, cm/ano, isto , aumento da"unidade de massa" em determinada "unidade de tempo".O crescimento infantil normalmente medido por trsparmetros: altura; peso e permetro ceflico. Todos estesparmetros encontram-se tabelados sendo definidos porcurvas de probabilidade estatsticas chamadas percentis,correspondendo o percentil 50 ao crescimento normal. MMXII - VAN DER HGEN </li><li> 13. CRESCIMENTO INFANTO JUVENILCRESCIMENTO SSEOO efeito do hormnio do crescimento no crescimento sseoocorre de uma forma indireta: O hormnio do crescimentoestimula nas clulas hepticas e, em menor proporo, nosrins a produo de uma substncia denominadasomatomedina. A somatomedina estimula a sntese desubstncia fundamental na matriz ssea, necessria aocrescimento deste tecido. Portanto, um dficit na produode hormnio do crescimento acarreta tambm um dficit nocrescimento em estatura.Embora o crescimento estatural cesse aps a juventude, ohormnio do crescimento continua a ser secretado por todaa vida. Ocorre apenas uma pequena reduo em suasecreo aps a juventude. O crescimento estatural nomais ocorre, a partir desta fase, devido ao esgotamento dacartilagem de crescimento dos ossos longos, impedindo ocrescimento dos mesmos em comprimento. Porm ossosmais membranosos, como os do nariz, continuaro acrescer lentamente.MMXII - VAN DER HGEN </li><li> 14. CRESCIMENTO INFANTO JUVENILENDOCRINOLOGIA NEUROENDOCRINOLOGIA: OEFEITO DO HORMNIO DE CRESCIMENTO HGHSOBRE O OSSO.Recentemente chegou-se a uma melhor compreenso doefeito do hormnio de crescimento HGH sobre o osso. Adeficincia de hormnio de crescimento HGH estrelacionada baixa massa ssea em crianas e adultos,alm de ser uma rea de impacto e de crescimento. Almdo hormnio de crescimento HGH o fator de crescimentosemelhante insulina - IGF-1, tem ao direta sobre oesqueleto do organismo, tambm possvel que ohormnio da paratireoide (glndulas do tamanho delentilhas que se localizam duas ou mais atrs de cada loboda tireoide que esto relacionadas com o metabolismo doclcio) quando secretado de forma desorga...</li></ol>