crenças - robert dilts.pdf

Download Crenças - Robert dilts.pdf

Post on 06-Feb-2016

340 views

Category:

Documents

56 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 1 Introduo

    Crenas Caminhos para sade e o bem-estar

    Robert Dilts Tim Hallbom e Suzi Smith

    Introduo

    A mudana um processo em vrios nveis: ambiente em que vivemos, comportamentos, interao com o ambiente; como dirigimos

    e guiamos nosso comportamento. Fazemos mudanas e nossas crenas e sistemas de valores com que nos motivamos e reforamos nossos

    sistemas e mapas de orientao; em nossa identidade com a qual selecionamos valores e crenas que orientam nossas vidas; tambm com as

    coisas maiores que ns espirituais. Aqui a mudana ser no nvel das crenas, fornecendo ferramentas conceituais e interativas para a

    compreenso e obteno de mais escolhas dentre do sistema de crenas que orienta nosso comportamento no mundo.

    Os efeitos das crenas incidem sobre a sade e outros nveis de mudanas necessrias para que uma mudanas comportamental seja

    completa e duradoura.

    O Objetivo fornecer a maneira de criar uma mudana.

    1- Crenas: identificao e mudana

    (Trabalhos de PNL bem sucedidos e no funcionam) A causa de trabalhos bem sucedidos e no funcionando tem por causa crenas

    que de certa forma nega a mudana que se deseja obter, a pessoa pode depreciar sua nova capacidade, fazendo com que se anule todos os

    indcios do que pode realmente fazer.

    Os sistemas de crenas so a grande moldura de qualquer trabalho de mudana. Se a pessoa est viva e pode assimilar informaes,

    ela pode fazer; no entanto, se acreditarem que no pode fazer alguma coisa, vo descobrir uma maneira inconsciente de evitar que a mudana

    ocorra. Vo encontrar uma forma de interpretar os resultados de modo que possa conform-los s suas crenas. Assim, preciso trabalhar as

    crenas limitadoras.

    Ao trabalhar com qualquer crena limitadora, o objetivo , partindo do estado atual,

    chegar ao resultado.

    Os passos: o Primeiro e mais importante identificar o estado desejado, ter representao clara do objetivo final. Ex.: com fumante,

    fazer com que pense no que far com seus amigos e conhecidos, trabalho e lazer, etc., quando parar de fumar. No estabelecer objetivo, se inicia

    a mudana, fazendo o crebro organizar o comportamento inconsciente para poder atingi-la. A pessoa comear automaticamente a obter

    informaes autocorretivas, que a mantero no caminho rumo ao objetivo desejado.

    Aps identificar o que se deseja, necessrio reunir informaes obre o estado atual em que a pessoa se encontra. Comparado o

    estado atual com o desejado, possvel determinar que habilidades e recursos so necessrios para atingir o estado desejado.

    Frmula da mudana

    Estado atual (problema)+ Recursos = Estado Desejado

    Este basicamente o processo usado em PNL.

    s vezes se tem dificuldade em acrescentar recursos ao estado atual. Algo no pensamento da pessoa interfere. Temos ento:

  • 2 1- Crenas: identificao e mudana

    Reconhecer e trabalhar com as interferncias

    As interferncias so terroristas internos que sabotam nossos melhores esforos. Contudo, no possvel prender esse terrorista,

    por que ele um lado da pessoa que precisa ser desenvolvido e incorporado e no destrudo. Consideramos como uma mensagem de que outro

    conjunto de recursos necessrio antes de ir par ao estado desejado.

    Uma tpica aquela dentro do indivduo. A pessoa tenta chegar a um estado sem perceber que tem benefcios do problema que tenta

    superar. Ex.: 1. Mulher tenta perder peso, mas no quer se sentir seu por no saber lidar om a situao. 2. Homem doente, e por isso recebe

    ateno. Pergunta: Algum lado teu se ope recuperao? qualquer hesitao deve ser percebida; deve-se lidar com essa interferncia antes

    de acrescentar recursos.

    3 tipos de interferncias:

    1. Algum lado da pessoa no deseja a mudana. Em geral ela tem conscincia desse lado. Pode ser qualquer motivo em um tempo,

    lugar. Para criar a mudana, deve-se desejar mudar de maneira congruente;

    2. No saber como criar uma representao da mudana ou como agiria se mudasse. preciso saber como passar do estado atual

    ao desejado. Ter familiaridade com a coisa, processo;

    3. No se dar a chance de usar o que acabou de aprender. Existem muitas maneiras de no se dar a chance. preciso geralmente

    de tempo e espao para que acontea. Tentada uma estratgia, no se percebe resultado do em pouco tempo, d mais tempo,

    assim se dar a oportunidade que se necessita.

    Resumo: criar mudanas

    1. Identificar o estado atual;

    2. Identificar o estado desejado;

    3. Identificar os recursos adequados (estados internos, fisiologia, informaes ou habilidades) necessrios para passar do estado atual ao

    estado desejado;

    4. Eliminar quaisquer interferncias por meio do uso desses recursos.

    preciso querer mudar, saber como mudar e se dar a chance de mudar.

    Outros elementos que influenciam as mudanas

    Alm dos 3 elementos anteriores existem 4 elementos relacionados eles: 1. Fisiologia; 2. Estratgias; 3.Congruncia; 4. Sistema de

    Crenas. Dividimos assim:

    A fisiologia e as estratgias tem a ver com o saber como fazer a mudana. Como a pessoa executa um comportamento especfico?

    A congruncia e as crenas tem a ver com o querer fazer; se dar a chance de fazer. A pessoa tem de assumir um compromisso

    pessoal pleno, sem lugar contra si mesmo ou outras pessoas. Tem de acreditar que possvel conseguir o que quer.

    1 Fisiologia ...

    So os estados corporais corretos (acess-los), atingir os estados corporais corretos, os processos fisiolgicos na modalidade adequada

    (viso, audio, tato) para fazer uma determinada coisa. Ex.: para fazer leitura dinmica: abre o livro, se aproxima, afasta, respira, aproxima, vira o

    livro, estala os dedos, olha para o livro, pega e l. Depois de passar pelo processo, impossvel ler devagar, parece um terremoto.

    Ao ensinar algum a fazer visualizaes, mais que criar imagens, necessita adotar a fisiologia adequada. Olhos para cima, para criar

    imagens; para baixo, sons e sentimentos. A metfora a do canal de TV, que cada canal (ex. 7) pega determinada frequncia.

    Imagens internas: olhar para cima e direita, respirao superficial e corpo reto.

    Estado Desejado Recursos Estado Desejado

    Interferncias (crenas limitadoras, etc.)

  • 3 1- Crenas: identificao e mudana

    Pode ser que haja interferncia de outros canais: enquanto se quer criar uma imagem, h uma voz que diz: no posso, no consigo.

    Se usarmos a fisiologia correta, podemos nos comportar como queremos e chegar ao resultado desejado.

    2 Estratgias

    Em PNL esse termo usado para descrever como se coloca em sequncia as imagens internas e externas, sons, sensaes, paladar e

    olfato, a fim de produzir uma crena, um comportamento, um padro mental. Nos referimos aos 5 sentidos como representaes ou

    modalidades. Nunca vivenciamos o mundo de maneira direta ns o representamos para ns mesmos atravs dos sentidos. Uma estratgia

    eficiente, usa as representaes mais adequada na sequencia mais apropriada para atingir um objetivo.

    Para escrever corretamente, e uma boa ortografia, bom, ajuda, criar uma imagem lembrada da palavra e verificar as sensaes

    para certificar-se de que est correta.

    Para leitura dinmica, no se repete as palavras em voz baixa ou na mente, mas visualizar as palavras e formar imagens diretas do

    seu significado.

    Um elemento que faz um bom atleta observar o desempenho da outra pessoa e entrar nos movimentos dela. O que lhes permitem

    ter uma boa coordenao o mapa mental que utilizam a sequncia de representaes e submodalidades que usam (sentidos e qualidades ou

    pequenos elementos dentro de cada modalidade). Mudando as submodalidades ou sequncia das representaes, muda-se a experincia

    subjetiva de qualquer acontecimento, muitas vezes de maneira profunda.

    Todos temos talentos, no h maior Inteligncia ou melhores genes, mas h construo de representaes fortes de uma habilidade

    ou de um comportamento rpida e eficientemente. Pense numa matria ou algo que aprendeu rapidamente e outro que no; ver que as

    estratgias so diferentes, representados diferentes. A diferena de talento est na estratgia utilizada.

    3 Congruncia ...

    Ocorre quando assumimos um compromisso plenamente consciente e inconscientemente para atingir um objetivo ou

    comportamento especfico. Ex.: Comer de maneira correta e manter o peso ser fcil se todos os nossos lados assim o desejarem, se

    usarmos a fisiologia adequada e tivermos boas estratgias para selecionar e ingerir os alimentos. Contudo, se diante disso pensar que estarei

    eliminando um prazer de nossa vida, ser difcil. preciso congruncia.

    A incongruncia muito explica a dificuldade de mudar o comportamento (fumar, beber, emagrecer, etc.) enquanto um lado quer mudar, outro

    (geralmente inconscientemente) obtm um ganho positivo daquele comportamento. Um comportamento no atingvel por causa de algo

    ligado ele e, pode estar relacionado a algo no passado, ou crena ou algo no futuro.

    Enquanto colocamos recursos e energia num objetivo sem termos congruncia, haver sempre um lado que evitar essa mudana,

    lutar contra: terrorista interno.

    Num sistema amplo, como uma empresa, se houve algum tipo de incongruncia entre objetivos e valores dos colegas de trabalho,

    qualquer projeto que se tente implantar criar possibilidade de conflito.

    Sem congruncia teremos tudo de melhor (pessoal, maquinrio, recursos) mas no os resultados desejados. Os conflitos

    internos podem assumir vrias formas: entre o que se deve fazer e o que se deseja. Ex.: Uma pessoa (deve) querer parar de fumar,