crédito tributário e suas formas de lançamento .crédito tributário art. 156 ... violação que

Download Crédito Tributário e suas formas de lançamento .Crédito Tributário Art. 156 ... Violação que

Post on 25-Sep-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Crdito Tributrio e suasformas de lanamento

    Rubens Kindlmann

  • Pagamento Compensao Transao Remisso Prescrio e Decadncia Converso do depsito em renda Pagamento antecipado e a homologao do lanamento

    nos termos do art. 150 e seus 1 e 4 Consignao em pagamento Deciso administrativa irreformvel Deciso judicial passada em julgado Dao em pagamento de bens imveis

    Modalidades de Extino do Crdito TributrioArt. 156, CTN

  • Acerca do constrangimento ilegal ao pagamento de tributos:

    Sumula 70, STF: inadmissvel a interdio de estabelecimento como

    meio coercitivo para cobrana de tributo

    Sumula 323, STF: inadmissvel a apreenso de mercadorias como meio

    coercitivo para o pagamento de tributos

    Sumula 547, STF: No licito autoridade proibir que o contribuinte em

    dbito adquira estampilhas, despache mercadorias nas alfndegas e

    exera suas atividades profissionais

    Pagamento

  • Proibio de selos

    TRIBUTRIO. IPI. MANDADO DE SEGURANA. OBTENO DE SELOS DECONTROLE DE BEBIDAS ALCOLICAS. DBITOS COM A FAZENDA PBLICA.PRINCPIO DO LIVRE EXERCCIO DE ATIVIDADE ECONMICA. ARTIGO 170,PARGRAFO NICO, DA CONSTITUIO FEDERAL. SMULA N 547 DOSTF. - Violao que o Poder Pblico pratica, pelo ato de seus agentes, negando aocomerciante em dbito de tributos aquisio dos selos necessrios ao livreexerccio das suas atividades. Artigo 170, pargrafo nico da Carta Magna. - Ratioessendi das Smulas 70, 323 e 547 do E. STF e 127 do STJ no sentido de que aFazenda Pblica deve cobrar os seus crditos atravs de execuo fiscal, semimpedir direta ou indiretamente a atividade profissional do contribuinte. - defeso administrao impedir ou cercear a atividade profissional docontribuinte, para compeli-lo ao pagamento de dbito, uma vez que talprocedimento redundaria no bloqueio de atividades lcitas, merc derepresentar hiptese da autotutela, medida excepcional ante o monoplio dajurisdio nas mos do Estado-Juiz. - Recurso improvido.(STJ - REsp 414486 Rel. Min LUIZ FUX)

    Pagamento

  • o encontro de contas entre o contribuinte que credor e devedorde tributos para com o mesmo ente tributante

    Art. 170, CTN

    PROCESSO CIVIL E TRIBUTRIO. RENNCIA AO MANDATO.FORMALIDADES. COMPENSAO. OFERECIMENTO DECRDITO JUNTO A OUTRO ENTE POLTICO. NOCONFIGURAO. IMPOSSIBILIDADE. (...). - A compensaopressupe crditos recprocos, ou seja, identidade subjetiva. -Oferecimento de crditos junto a terceiros implicaria dao empagamento que, contudo, no encontra guarida em lei nem seadequaria ao art. 156, XI, do CTN, conforme a LC 104/2001. (TRF4,AC 1998.04.01.033857-6,Relator Leandro Paulsen)

    Compensao

  • Compensao ou Repetio do indbito ?

    Reconhecido o direito restituio do tributo indevido,nada impede o deferimento do pedido alternativo dacompensao requerida. Ao contribuinte facultado optarpela compensao tributria, a qualquer tempo, mesmoaps liquidada a sentena que reconheceu o direito devoluo do indbito Recurso Especial conhecido eprovido(Resp 272.439/SP, rel. Min Francisco Peanha Martins)

    Compensao

  • Precisa de Lei

    Art. 171. A lei pode facultar, nas condies que estabelea,aos sujeitos ativo e passivo da obrigao tributria celebrartransao que, mediante concesses mtuas, importe emdeterminao de litgio e conseqente extino de crditotributrio.

    Pargrafo nico. A lei indicar a autoridade competente paraautorizar a transao em cada caso.

    H o Projeto de Lei 5082/2009 em tramitao no Congresso

    Transao

  • Transao

    No se confunde com parcelamento

    (...) Mas tambm o parcelamento se afasta datransao, em primeiro lugar porque no extingue ocrdito tributrio como prev o art. 171, in fine, do CTN.Em segundo, no acordo de parcelamento, no soprevistas concesses: apenas a Administrao torna opagamento mais vivel para o devedor dividindo o seucrdito em prestaes peridicas.(STJ, Resp 39.020-6/SP, excerto do voto do Min. Milton Luiz Pereira,que ele prprio transcreve no Resp 54.531/SP, de que foi relator,ago/95)

  • o perdo da dvida atinente ao tributo devido e extingue orespectivo crdito. No se confunde com a anistia

    Depende de lei especfica (art. 150, 6)

    A ultima lei federal que trouxe a remisso foi a Lei N11.941/09Remisso

  • - Se depositado em processo judicial penas aps o transito em julgado a favordo fisco

    - Se depositado em processo administrativo: ... A converso dar-se- trintadias aps a notificao do devedor, desde que no recorra ele ao PoderJudicirio (Paulo de Barros Carvalho, Curso de Direito Tributrio, 8 edio,Ed. Saraiva, 1996, p.321)

    - E a correo do valor??

    TRIBUTARIO. DEPOSITO JUDICIAL. CORREO MONETARIA. A CIRCUNSTANCIADE QUE OS INDEXADORES DO DEPOSITO JUDICIAL SEJAM MAIORES OUMENORES DO QUE O DO CREDITO TRIBUTARIO NO INFLUI NO SEU REGIMEJURIDICO, QUE ESTIPULA DEVOLUO OU CONVERSO EM RENDA,CONFORME O DESFECHO DA LIDE, PELO SALDO DA CONTA. ORDEMDENEGADA. (TRF4, MS 93.04.04832-0)

    Converso do depsito em renda

  • Consignao em pagamento

    Regra vlida apenas para o julgamento procedente da ao consignatria

    Art. 164, CTN

    Cabimento:

    I - de recusa de recebimento, ou subordinao deste ao pagamento de outro tributo ou de penalidade, ou ao cumprimento de obrigao acessria;

    II - de subordinao do recebimento ao cumprimento de exigncias administrativas sem fundamento legal;

    III - de exigncia, por mais de uma pessoa jurdica de direito pblico, de tributo idntico sobre um mesmo fato gerador.

    1 A consignao s pode versar sobre o crdito que o consignante se prope pagar.

    2 Julgada procedente a consignao, o pagamento se reputa efetuado e a importncia consignada convertida em renda; julgada improcedente a consignao no todo ou em parte, cobra-se o crdito acrescido de juros de mora, sem prejuzo das penalidades cabveis.

    Consignao em pagamento

  • Deciso administrativa irreformvel

    A deciso precisa reconhecer a inexistncia do crditotributrio. Se a deciso reconhecer apenas vcios formaisno lanamento e o anula, cabe fazenda realizar novolanamento, desde que dentro do prazo decadencial

    Deciso administrativa irreformvel

  • Entrega de bens pelo contribuinte para a quitao de dbitos tributrios,mediante avaliao do bem para realizao da imputao do valor na dvidado contribuinte

    Necessita ser estabelecida / criada por lei por cada ente tributante (sujeitoativo)

    Formas e condies, cabero lei

    Lei 13.259/16

    - Deve ser precedida de avaliao do(s) bem(ns) ofertado(s) que devemestar livres de nus

    - Deve abranger a totalidade do(s) crdito(s) que se queira liquidar (comjuros, mulas e encargos) sem qualquer desconto

    - No se aplica a crditos decorrentes do SIMPLES

    Dao em pagamento de bens imveis

  • Contatos

    Rubens Kindlmann

    Kindlmann

    rubens@kindlmann.com.br

Recommended

View more >