correio rural

Click here to load reader

Post on 19-Mar-2016

235 views

Category:

Documents

8 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Maio de 2012

TRANSCRIPT

  • CYMK

    Maio de 2012 - Ano 4 - N 62 - O Jornal que fala com o Homem do Campo - Distribuio Gratuita

    Produtores focam nas culturas de inverno

    Pgina 03

    Inicia colheita de citros no Rio Grande do Sul

    Pgina 06

    Vacinao contra febre aftosa se encerra dia 31

    Pgina 04

    Estiagem eleva custo da produo de leite

    Pgina 10

  • CYM K

    CYMK

    CYMK

    2

    Agricultores focam nas culturas de inverno

    Em reas que ainda esto sob forte domnio da estiagem como o Alto Uruguai, a reduo da 1 safra est se configurando tam-bm na safrinha, em que, segundo tcnicos e produtores, a perda j vem se consolidando. Isso tambm deve estar ocor-rendo em outras reas pontuais, onde o fenmeno La Nia ainda se faz presente.

    As lavouras que se mantm atrasadas em relao ao his-trico da cultura, em decorrncia da falta de umidade na po-ca de semeadura, encontram-se, nesse momento, nas fases de evoluo final de maturao e predominantemente em colheita, mas com o potencial produtivo prejudicado tam-bm pela falta de chuvas durante o ciclo e, especialmente, no perodo de frutificao da cultura.

    Feijo

    Algumas reas de milho que foram seme-adas no tarde (fora do perodo recomendado) es-to em final de florao e incio de granao, com alguns agricultores retirando a planta para silagem. Todavia, essas reas no representam 1% do total semeado nesta safra. Devido aos dias frios ocorridos no final de abril, algumas reas de baixadas tiveram queimas resultantes das geadas ocorridas na ocasio.

    Pontos de Distribuio do Jornal Correio Rural na regioAJURICABA SINDICATO RURALMERCADO DEPIERIFERRAGENS COTRIJUISUPERM. COTRIJUIAGROCIAPOSTO CENTRALAUGUSTO PESTANAAGRIPLANCASA COLONIALSINDICATO RURALMERCADO PESTANENSELOJA JOSTSUPERM. COTRIJUIBOM GOSTOEQUIPALEITEBOA VISTA DO CADEADOCORREIOPADARIA BOA VISTASICREDIPOSTO IPIRANGABOZANOESCOLA PEDRO COSTA BEBERCOTRIJUIPOSTO BOZANOAGRO-VETERINRIA BOZANOCATUPEAGROP. GIRASSOLSINDICATO RURALCASA RURALPOSTO BURMANNSUPERMECADO COTRISAAGROCENTROLOJA JOST

    NEDEL DELLA CORTEAGRO CAMPOEMATERCORONEL BARROSCOTRIJUICOMERCIAL KIRCHNERLOJAS JOSTEMATERCASA DO PRODUTORPOSTO LARACONDORPOSTO COTRIPALSINDICATO RURALPOSTO LATINA DO CENTROMERCADO AVENIDAJOSCILCRUZ ALTACENTROSUL NEG.RURAISGARAFFA AGROCOM.RAZERAAGROCILREDEMAQREBELATTO FARM. VETERINRIACRUZ ALTA AGRCOLAAGRICRUZSUL PEASEUGNIO DE CASTROMERCADO FRISKEPOSTO EVERLINGMERCADO WILDNERSIND. RURALJIACOTRIJUIPOSTO STA. TEREZINHA

    SIND. RURALLOJA JOSTVET. BICHO DE SETE CABEASIJU TRATOR SULREDEMACAGROVELIROPELCENTRAL DA CONSTRUOFERRAGENS COTRIJUICOTRIJU-ATEND. AO PRODUTORHORTISULSINDICATO RURALASSOC. ARAIOSTER PNEUS/CHOROESCOLA BARREIROESCOLA CHORONOVA RAMADA COTRIJUIPANAMBIVET. IVO GAERTNERCASA PRODUTOR DE LEITECOMERCIAL TRENTINIINNOVAPOSTO BR CENTRALSINDICATO RURALSEMENTES VAN ASSPEJUARA COOPERLATESINC.DOS TRAB. RURAISSINDICATO RURALREBELATTO FARM. VETERINRIASICREDI COTRIMAIO

    Milho

    PisciculturaOs tanques e audes, na

    maioria das regies produ-toras de pescado, esto com os n-veis abaixo do normal e as precipitaes que ocorreram no perodo foram insuficientes para restabelecer os nveis dos reservatrios e mananciais de gua. Por outro lado, as con-dies climticas prprias desta entrada de outono, em que predominam as mdias e baixas temperaturas, dificultam a alimentao e o desenvolvimento dos peixes cultivados. No momento, em funo das condies de baixas precipitaes, existe grande procura pelos agricultores para a construo de novos audes.

    O fenmeno La Nia que tanto prejudicou as cultu-ras de inverno est se enfraquecendo. O perodo de estiagem ser amenizado com o retorno das chuvas no Rio Grande do Sul.

    Os produtores esto preparando para as culturas de inverno. Visando obter bons resultados para amenizar as perdas nas culturas de vero. Na regio, os agricultores voltam s atenes para o trigo e para as pastagens oti-mizando a produo da cadeia leiteira. O Governo do Estado est avaliando incentivos para aumentar a produ-o do cereal.

    Os pecuaristas tm at o dia 31 de maio para vacinar o rebanho contra a febre aftosa. A ateno est redobra-da devido ao foco da doena no Paraguai. Nesta edio, os produtores que enquadrados nos critrios do Pronaf e da Pecuria Familiar e que possurem at cem animais tambm iro receber as vacinas. J aqueles que no se enquadram nos critrios devem vacinar os animais e apresentar as guias nas Inspetorias Veterinrias.

    Uma das alternativas para variao de culturas a produo de citros. A safra esta no incio sendo que em algumas regies o produto est sendo colhido e comer-cializado. Em algumas regies, a estiagem tambm pre-judicou a produo, por exemplo, deixando o fruto de um tamanho um pouco menor do que em anos anteriores.

    A economia familiar foi um dos grandes destaques da 5 Feira Estadual da Agroindstria Colonial (Fecolnia). Os agricultores puderam esclarecer dvidas de como regular as agroindstrias familiares durante Seminrio promovido na Feira. J o pblico pode conferir os produ-tos produzidos atravs da aquisio e um caf colonial.

    A primeira edio da Festa Estadual do Milho, pro-movida pela Parquia Cristo Rei em Iju superou as ex-pectativas. Todos os produtos foram comercializados e a comunidade prestigiou o evento que teve como ponto chave a gastronomia a base de milho. Os preparativos para a prxima edio j esto em andamento.

    A cultura de milho tambm foi destaque no 5 En-contro Estadual de Produtores de Milho do Estado do Rio Grande do Sul realizado durante a 19 Fenasoja. En-tre os destaques esteve o debate sobre as alternativas de fomentar a cadeia e o Programa de Irrigao do Gover-no do Estado RS. Algumas Cooperativas j assinaram a adeso, entre elas, a Cotrijui.

    O novo Cdigo Florestal foi aprovado no dia 25 de abril, na Cmara dos Deputados. Agora o prximo passo a sano da presidente Dilma Rousseff. Os ruralistas acompanharam de perto a votao e conseguiram der-rubar algumas emendas. No entanto, acredita que ainda, a presidente vete alguns itens. O prazo para sano se encerra no dia 25 de maio.

    CanolaPara esta safra de 2012, a regio do Alto

    Uruguai mantm tendncia de implantao de rea semelhante anterior, ou seja, cerca de 1.000 ha de lavoura. A mesma perspectiva ocorre no Noro-este, com estabilidade de cerca de 4 mil hectares a serem se-meados. No Planalto Mdio, a tendncia de aumento na rea, subindo para 17 mil hectares a serem plantados. No incio do prximo ms, a Emater estar divulgando a 1 estimativa geral da cultura dessa oleaginosa no RS.

    Batata doce

    A colheita est em andamento e os produtores esto recebendo entre R$ 12,00 e R$ 14,00/cx de 22 kg. Na Ceasa, a saca de 60 kg est sendo comercializada a R$ 58.00. A lavoura esta entrando no perodo em que aumenta o volume de colheita. A produo muito boa e o produto de tima qualidade. O preo do produto na lavoura de R$ 8,00 a caixa de 20 kg para as variedades da casca branca. J para as variedades de casca rosa/roxa, de R$ 10,00.

    SuinoculturaNa regio de Santa Rosa, a suinocultura

    est concentrada em poucas unidades produ-toras, destacando-se alguns municpios como Nova Candelria, Santo Cristo, Alecrim, Cam-pinas das Misses, Tucunduva, Cerro Largo, So Pedro do Buti e Salvador das Misses. Em muitos municpios do Estado, continua difcil a situao da atividade, em que alguns produtores esto abandonando a criao de sunos, devido a sua baixa rentabilidade. O milho comercializado diretamente aos produtores, devido estia-gem, est disponvel em unidades armazenadoras de vrios municpios.

  • CYMK

    CYMK

    3

    Um bom final

    Testemunhamos, na semana passada, o desfecho de uma crise iniciada em 2009 e que nos ltimos tempos vi-nha se ampliando, trazendo prejuzos a cerca de 1.500 pequenos e mdios criadores de aves e sunos. A Doux Frangosul, com muitas dvidas, estimadas em cerca de R% 500 milhes de reais, especialmente junto aos produ-tores integrados, alguns dos quais recebendo com atrasos superiores a 150 dias, foi arrendada por dez anos, com opo de compra dos ativos, pela JBS. Representei o go-vernador Tarso Genro no anncio oficial deste operao, realizada em Montenegro. J vnhamos acompanhando este caso, inclusive tendo encaminhado denncia ao Mi-nistrio Pblico, com base nos balanos da Doux, que si-nalizavam para remessas ilegais para a matriz na Frana.

    Estado parceiroO Governo do Estado parceiro do novo empreen-

    dimento, que marca a estria da JBS no segmento de frangos. Nesta quinta-feira, no final da tarde, no Palcio Piratini, ser anunciada oficialmente a concretizao do negcio, a partir do que deveremos intensificar as con-versas para definir outras formas de apoio do Governo do Estado. O grupo o maior processador de alimentos no mundo e a terceira maior empresa brasileira, ficando atrs apenas da Petrobrs e da Vale do Rio Doce. Com a ex-panso, a JBS aumenta em 15% a sua capacidade de pro-duo de aves no mundo. O volume alcana agora nove milhes de cabeas por dia, incluindo as unidades nos Estados Unidos, Mxico e Porto Rico, incorporadas na aquisio da americana Pilgrims Pride, em 2009. Alm de reativar um setor que estava quase parando, o grupo saldar as dvidas com os produtores e promete, em bre-ve, estar abatendo um milho de aves por dia.

    Apoio das cooperativasAssinamos, nesta semana, com o sistema Ocergs/Ses-

    cop um termo de cooperao que assegura a participao das cooperativas gachas na implantao do Programa Mais gua, Mais Renda. Consideramos esta adeso fun-damental para que possamos continuar avanando na di-vulgao das vantagens da irrigao e na desmistificao de alguns conceitos que no condizem com a realidade, j enraizados na cultura dos produtores. Um deles de que a irrigao cara. Pelo contrrio. Estamos convencidos de que um investimento que se paga no mdio prazo, com o aumento da produtividade. No caso do milho, a mdia dos ltimos dez anos, em lavouras sem irrigao, de 60 sacos por hectares. E, com irrigao, a pr