correio rural - edição 63

Click here to load reader

Post on 09-Mar-2016

260 views

Category:

Documents

23 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Jornal Correio Rural - O Jornal que fala com o homem do campo

TRANSCRIPT

  • CYMK

    Junho de 2012 - Ano 5 - N 63 - O Jornal que fala com o Homem do Campo - Distribuio Gratuita

    ADMINISTRAOCINCIAS CONTBEIS

    Canola alternativa de cultura para o inverno Pgina 03

  • CYM K

    CYMK

    CYMK

    2

    Agricultores voltam-se para culturas de inverno

    Em razo do clima seco na maior parte da semana, pois s ocor-reram precipitaes nos dias 29 e 30, a evoluo da colheita foi boa, com avano de 9 pontos percentuais sobre a semana ante-rior. Mesmo assim, a lavoura ainda permanece em atraso sobre a mdia histrica, em decorrncia da estiagem em todo o ciclo dessa cultura. A colheita ultrapassa os 80%, devendo prosseguir em ritmo mais acelerado nesse final de safra. A produtividade que, em muitas reas, fica abaixo da estimativa inicial. O produ-to colhido de qualidade regular a boa.

    Feijo 2 safra

    Apesar de os campos nativos e as pastagens cultivadas apresentarem redu-zida oferta de pasto, tanto pela pouca umi-dade do solo como pelas baixas temperaturas que retardam seu crescimento, o rebanho bovi-no de corte ainda apresenta condies corporais satisfatrias. A maior preocupao dos criadores com o perodo entre o meio do outono e a entrada inverno, denominado de vazio forragei-ro, caracterizado pelo final de ciclo das espcies forrageiras de vero at o estabelecimento das pastagens de inverno. As reas de pastagem de aveia e azevm recentemente instaladas tive-ram problemas de germinao e desenvolvimento inicial devido pouca umidade do solo. As condies sanitrias dos animais devido baixa umidade so satisfatrias, mas permanecem os cuidados com as verminoses, o controle do carrapato e da mosca-do-chifre, que tm apresentado uma alta incidncia nas regies mais quentes.

    Pontos de Distribuio do Jornal Correio Rural na regioAJURICABA SINDICATO RURALMERCADO DEPIERIFERRAGENS COTRIJUISUPERM. COTRIJUIAGROCIAPOSTO CENTRALAUGUSTO PESTANAAGRIPLANCASA COLONIALSINDICATO RURALMERCADO PESTANENSELOJA JOSTSUPERM. COTRIJUIBOM GOSTOEQUIPALEITEBOA VISTA DO CADEADOCORREIOPADARIA BOA VISTASICREDIPOSTO IPIRANGABOZANOESCOLA PEDRO COSTA BEBERCOTRIJUIPOSTO BOZANOAGRO-VETERINRIA BOZANOCATUPEAGROP. GIRASSOLSINDICATO RURALCASA RURALPOSTO BURMANNSUPERMECADO COTRISAAGROCENTROLOJA JOSTNEDEL DELLA CORTEAGRO CAMPOEMATERCORONEL BARROS

    COTRIJUICOMERCIAL KIRCHNERLOJAS JOSTEMATERCASA DO PRODUTORPOSTO LARACONDORPOSTO COTRIPALSINDICATO RURALPOSTO LATINA DO CENTROMERCADO AVENIDAJOSCILCRUZ ALTACRUZAUTOMARASCA SEMENTESCENTROSUL NEG.RURAISGARAFFA AGROCOM.RAZERAREDEMAQREBELATTO FARM. VETERINRIACRUZ ALTA AGRCOLAAGRICRUZSUL PEASEUGNIO DE CASTROMERCADO FRISKEPOSTO EVERLINGMERCADO WILDNERSIND. RURALJIACOTRIJUIPOSTO STA. TEREZINHASIND. RURALLOJA JOSTVET. BICHO DE SETE CABEASIJU ARCO RISTRATOR SULREDEMAC

    AGROVELIROPELCENTRAL DA CONSTRUOFERRAGENS COTRIJUICOTRIJU-ATEND. AO PRODUTORHORTISULSINDICATO RURALASSOC. ARAIOSTER PNEUS/CHOROESCOLA BARREIROESCOLA CHORONOVA RAMADA COTRIJUIPANAMBIVET. IVO GAERTNERCASA PRODUTOR DE LEITECOMERCIAL TRENTINIINNOVAPOSTO BR CENTRALSINDICATO RURALSEMENTES VAN ASSPEJUARA COOPERLATESINC.DOS TRAB. RURAISSINDICATO RURALREBELATTO FARM. VETERINRIASICREDI COTRIMAIOSANTO AUGUSTOSINDICATO DOS TRABALHADORES RURAISCOOMACELPLANTASULLUPA AGRCOLASUPERMERCADO PARA TODOSAGROPECURIA FORTETARUM PREFEITURA MUNICIPAL

    Bovinocultura de corte PinhoEncaminha-se para o final a colheita da safra

    2012, constituindo-se em uma das mais fracas em produtividade e qualidade da cultura, resultado das chu-vas na florada de 2009/10 e estiagem posterior que travou o crescimento das poucas pinhas e das sementes (pinho). Essa reduo atingiu a ordem de 70% do volume tradicionalmente colhido.

    O IBGE divulgou recentemente o balano da safra para o ano de 2012. De acordo com os dados, a rea a ser colhida em 2012, de 49,9 milhes de hectares, apresenta acrscimo de 2,5% frente rea colhida em 2011 e 0,7% menor frente ao ms anterior. O levantamento refere-se a safra nacional de cereais, legu-minosas e oleaginosas (caroo de algodo, amendoim, arroz, feijo, mamona, milho, soja, aveia, centeio, ceva-da, girassol, sorgo, trigo e triticale). Os dados apontam uma produo da ordem de 160,3 milhes de toneladas, superior em 0,1% obtida em 2011 (160,1 milhes de toneladas) e 0,6% maior do que a estimativa de abril.

    O plantio das culturas de inverno vem se intensifican-do. No entanto, os reflexos da estiagem seguem. No caso da canola, a produo vem ganhando espao tendo em vista que esto sendo realizados investimentos na regio por empresas para a produo de biodiesel. As lavouras implantadas esto encontrando dificuldades no seu est-gio inicial de desenvolvimento vegetativo e em algumas houve deficincia na germinao prejudicando o stand de plantas por falta de umidade. A expectativa que as chuvas registradas nos ltimos dias amenizem os refle-xos e otimizem a produo da cultura na regio.

    J em relao a principal cultura da poca, o trigo, o Rio Grande do Sul dever plantar 993 mil hectares com trigo, representando um aumento de 6,51% em relao ao ano passado. Alguns agricultores realizaram o plantio do cereal com um pouco de atraso. As ltimas reas es-to sendo semeadas no Estado.

    Outro sistema que vem ganhando espao a implan-tao da hidroponia. Muitas pessoas no conhecem a tcnica que faz com que os produtos sejam cultivados na gua. Atualmente, empregada em hortalias, como alface, agrio e rcula compondo assim a mesa dos bra-sileiros.

    O mercado da carne gacha ganhar uma ateno es-pecial por parte do Governo do Estado. Recentemente foi criado um grupo que estudar os gargalhos do setor. Segundo dados apresentados no primeiro encontro, o se-tor rene 121 estabelecimentos, gera oito mil empregos e tem um faturamento anual de R$ 2,2 bilhes.

    O abate de matrizes ovinas nos frigorficos com fisca-lizao oficial reduziu pouco mais de 46% desde o incio do Programa Mais Ovinos no Campo. Diante deste dado, o Estado pretende estimular os produtores atravs deste programa.

    A partir desta edio, o Jornal Correio Rural trar uma pgina destinada ao leite. Nela ser possvel acom-panhar as principais discusses do mercado bem como a importncia da produo leiteira para os agricultores familiares.

    ApiculturaOs apicultores das diversas regi-

    es produtoras permanecem realizando as prticas caractersticas da entrada de inverno, tais como a reduo e a retirada das melgueiras, a reduo dos alvados e a reduo do espao interno das colmeias com populao menores para manter a temperatura interna. Os apicultores, nesta poca, tambm continuam realizando a Suple-mentao alimentar de inverno para reforar as colmias menos populosas.

    CitrosNesta poca, esto sendo colhidas as

    variedades precoces de laranjas e bergamo- tas. A mais precoce, a bergamota-satsuma, j teve s u a colheita encerrada. A colheita das bergamotas-ca j atinge 35% das frutas colhidas, enquanto que a ponkan est com 20% das frutas co-lhidas. Entre as laranjas, as variedades do-cu precoce, de umbigo-bahia e shamouti tambm aumentaram o volume colhido. Tambm teve incio a colheita da laranja-seleta.

    AlfaceAlm de propiciar umidade do solo

    mais adequada ao transplante e cresci-mento das mudas, chuvas amenizaram as temperaturas, favorecendo o desenvolvi-mento da cultura. Plantas com iseno de pragas e fitomols-tias. Preos mdios entre R$ 0,60 e R$ 1,00/un.

    Aipim (mandioca)

    Efeitos da estiagem so sentidos no campo, neste momento de colheita, com fraco desenvolvimento das plantas e razes, refletindo-se em baixos rendimentos da cultura.

    Em momento posterior, a baixa qualidade do produto evidencia-se na mesa do consumidor, com razes pequenas e de difcil coco. Com intensificao do frio, intensifica-se a procura e o consumo, traduzindo-se em cotaes firmes. Pre-os entre R$ 12,00 e R4 14,00/cx de 20 kg.

  • CYMK

    CYMK

    3

    Temos mais ovelhasO Governo do Estado vem obtendo xito no Progra-

    ma Mais Ovinos no Campo. Lanado em abril do ano passado, o programa, desenvolvido pela Secretaria da Agricultura, em parceria com o Banrisul, j financiou R$ 37.957.611,36 para mais de 1.632 ovinocultores ga-chos, que retiveram ou adquiriram 247,5 mil matrizes ou reprodutores. Somente em subvenes, o Governo do Estado j investiu R$ 1,2 milho de reais. Mas, o dado mais importante o que se refere diminuio do abate de fmeas nos frigorficos com inspeo oficial. Desde o lanamento do programa, no ano passado, conseguimos reduzir em 46% o nmero de fmeas entregues aos frigo-rficos. Abatemos menos 92.431 matrizes neste perodo. Isso significa que demos um passo importante para repo-voar os campos gachos com mais ovinos, o que signifi-ca, diante do quadro de valorizao da carne e recupera-o dos preos da l, mais renda para o produtor e mais arrecadao para o Estado.

    Alinhando o trigoRealizamos, no incio desta semana, em Passo Fundo,

    o Seminrio de Alinhamento Estratgico do Trigo, a nos-sa mais importante cultura agrcola de inverno, com um grande potencial de crescimento. Debatemos com repre-sentantes dos produtores, das indstrias, das cooperativas e de entidades, com o apoio de tcnicos e pesquisadores de rgos governamentais, a atual situao, os principais gargalos e as alternativas para superao dos entraves. O relatrio final, em fase de concluso, ser encaminhado Cmara Setorial para validao. Plantamos, hoje, em torno de um milho mil hectares, mas podemos chegar a dois milhes, tranquilamente.

    Fortalecendo a pesquisaO Governo do Estado repassou nesta semana, a t-

    tulo de contrapartida, Fundao Estadual de Pesquisa Agropecuria (Fepagro), mais de um milho de reais. Os recursos se somaro a outros R$ 3,1 milhes destinados pelo Governo Federal para projetos e programas desen-volvidos pela Secretaria da Agricultura, que coordena as aes da Fepagro. A verba servir para fortalecer o pro-grama Dissemina, voltado para o melhoramento gentico dos rebanhos bovinos, para pesquisas na rea da sanida-de animal, para o Labor