correio rural 15 de abril de 2016

Click here to load reader

Post on 28-Jul-2016

224 views

Category:

Documents

3 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Correio Rural 15 de abril de 2016

TRANSCRIPT

  • A instalao das sinaleiras no substitui o prometido viaduto, mas j traz mais segurana para um dos pontos mais

    perigosos do trnsito local. Pgina 3

    FUNDADO EM 25 DE NOVEMBRO DE 1912 | ANO 104 | NMERO 5.281 | 15 DE ABRil DE 2016 | R$ 1,00

    www.correiorural.com.br

    H 103 anos o seu jornal de Viamo

    Tinga palestra para jovens atletas

    Contracapa

    Autismo tema de formao

    Pgina 4

    Festa do Trabalhador com muitas atraes

    Pgina 3

    Feira movimenta guas Claras

    Pgina 5

    Domingueira no Lago, dia 17Adiada devido previso de mau tempo, est confirmada para o

    dia 17, pelo Movimento Domingueira no Lago, a terceira edio do evento, junto ao Lago Tarum. Haver food truck, msica ao vivo, prtica de stand up, exposio de fotos, entre outras atraes. A Pre-feitura apoiadora do evento, que comea s 15hs.

    A solido devora Pgina 3

    Sinaleira instalada no encontro da ERS 040

    com a ERS 118

    Consultrio MdicoRua Coracy Prates da Veiga, 77 Viamo Centro

    Fone 3485.1383

    Dr. Belmar Andrade Cremers 4444 Cardiologia

    Dra. Irene Menezes Cremers 4390 Dermatologia

    Dra. Michele da Silva CRN 8083 Nutrio e Auriculoterapia

    Dr. Eduardo Dias Lopes Cremers 9372 Clnica e Cirurgia Geral

    Dra. Mrcia Michele de Souza CRP 07/13.731 Psicologia

    H1N1: Vacinao inicia dia 25 de abril

    A Secretaria Municipal de Sade (SMS) informa que inicia no dia 25 de abril a Campanha de Vacinao contra a Gripe A H1N1 nas 16 unidades de sade do municpio e no Setor Especializado em Imunizaes - SEI, localizado no Centro Administrativo da SMS. A imunizao destinada a todas as pessoas que integram os grupos prioritrios para vacinao: crianas entre 6 meses e 4 anos, 11 meses e 29 dias; gestantes em qualquer perodo gestacional; mulheres que tiveram beb h menos de 45 dias; trabalhadores em sade; indgenas; pessoas com 60 anos ou mais; pessoas com doenas crnicas (mediante a apresentao de pres-crio mdica); pessoas em situao privada de liberdade.

  • 15 DE ABRIL DE 2016WWW.CORREIORURAL.COM.BR2

    O Brasil j passou, em di-versas pocas, por situ-aes de destemperos polticos, sociais e econmicos. Naquelas ocasies, ficaram eviden-ciados descompassos ideolgicos e de ordem raivosa, cujos resultados deixaram marcas profundas na histria do pas, as quais levaram anos para serem apagadas, sendo que muitas delas ainda mantm cicatrizes.

    Agora, vivemos outro momen-to de turbulncia e o pas est pa-rado esperando pelos desfechos. Mais uma ferida que, com certe-za, deixar marcas que custaro a serem apagadas. Nestas pugnas, o que se v o despreparo compor-tamental e intelectual da maioria dos polticos que integram os seto-res de governo e de administrao (salvam-se alguns, engolidos pela desordem). Desabam em carter e sentimentos, desconhecem ci-dadania e ideologia. No importa o lado onde estejam, a luta que travam so armas afiadas que di-laceram os diversos segmentos que alavancam a vida da Nao.

    Seja qual for o resultado, o Bra-sil levar muito tempo para acertar o rumo. Ficar como uma nau deriva com sua populao beira de um naufrgio.

    Pior o exemplo que esto dei-xando para as geraes que recm comeam a procurar um rumo po-ltico. Procuram os jovens algum que seja digno de sua confiana, mas no encontram, pois estes, ao invs de estarem reunidos ao redor de uma mesa buscando so-luo para os problemas do pas, digladiam-se em brigas pelo poder e por interesses pessoais. Que belo exemplo esto dando para aquilo que chamam de democracia.

    Oremos pedindo proteo. Que, pelo menos, no haja ataques sanguinolentos e que, das entra-nhas da luta, surja uma luz de paz e de entendimento.

    EDiTORiAl

    Danos Nao

    EXPEDIENTE

    CORREIO RURAL uma publicao da MV Santos Editora Ltda.

    CNPJ 15308385/0001-26.

    Rua Marechal Deodoro, 274- Centro - Viamo - RS - Fone (51) 3485.1313 -

    CEP 94410-000

    [email protected] www.correiorural.com.br

    Diretor e Editor MILTON ZANI DOS SANTOS Jornalista Reg. MTb n 4506

    [email protected]

    Circulao: Semanal Tiragem: 3.000 exemplares

    Editorao: MV Santos Editora Impresso: Grupo CG

    O Jornal no se responsabiliza por conceitos emitidos em matrias assinadas.

    Detalhes As crnicas do cotidiano e as informaes de bastidoresPOR MilTON SANTOS

    OMASKARA

    Prefeitos pressionam pela 118A Associao dos Municpios da Regio Metropolitana,

    Granpal, havia divulgado em janeiro deste ano um projeto de-nominado Rota da Mobilidade. O estudo prev a implantao de diversas melhorias na malha viria da Regio Metropolitana, in-terligando rodovias como as ERS 118, 020, 030, 040 e Estrada do Mar, entre outras.

    Para Viamo, o ponto principal do projeto a extenso do asfaltamento da RS 118 at Itapu, uma necessidade histrica da regio. sabido por todos que o Governo Estadual no ter, nem a longo prazo, recursos para a obra. O projeto contempla

    Ningum v o seu rosto,mas ele est em todos os lugares

    tambm a mudana da praa de pedgio de guas Claras para a divisa com Capivari do Sul.

    Para viabilizar as melhorias em todas as estradas da regio Metropolitana, concesses iniciativa privada esto previstas.

    Na tarde desta quinta-feira, 14, os prefeitos entregaram o estudo ao governador Jos Ivo Sartori, no Palcio Piratini

    TecnologiaUm dos itens do estudo a possibilidade de pagamento de

    pedgio apenas por trecho utilizado pelo automvel. Chips nos veculos e sensores espalhados pela estrada fariam o controle de quilometragem, com o cidado pagando apenas o pedao de rodovia que utilizou.

    ItapuEsse asfaltamento da 118 at Itapu teria o poder de mudar

    definitivamente a relao da cidade com a regio de maior po-tencial turstico viamonense.

    Quantas milhares de pessoas que nunca foram a Itapu po-deriam acessar tranquilamente as praias e morros da regio?

    Viamo tem tudo para se tornar uma cidade turstica e este seria um passo gigantesco para a concretizao deste sonho.

    Andr, Canela e Belamar no PSDBO presidente do PSDB, prefeito Valdir Bonatto, fez questo

    de estar presente na reunio do partido para abonar e saudar a filiao dos ex-vereadores e secretrios municipais Canelinha e Belamar Pinheiro, ambos oriundos do PP.

    Canelinha, filho do histrico prefeito Marcionilo Pacheco (Canela), e a lder da Vila Elsa, Belamar, chegam com status de terem feito votao expressiva em 2012, com mais votos que muitos vereadores eleitos.

    Andr Pacheco, vice-prefeito, foi confirmado na legenda, mas como se recupera de cirurgia, no esteve presente ao ato.

    A ponteDois irmos moravam em

    propriedades vizinhas, que eram separadas por um riacho. Um dia entram em conflito. Desavena que acabou com uma vida de trabalho lado a lado. Por muito tempo eles seguiram pelos estreitos caminhos margem do riacho, trabalhando e cuidando-se mutuamente. Mas agora tudo havida mudado. Um mal entendido explodiu numa troca de palavras rspidas e, por fim, silncio.

    Um dia, o irmo mais velho ouviu baterem na sua porta. Ao abri-la notou um homem com uma caixa de ferramentas de carpinteiro na mo.

    - Estou procurando trabalho. Talvez voc tenha um pequeno servio que eu possa executar.

    - Sim! Claro que tenho trabalho para voc. Veja aquela propriedade alm do riacho. do meu vizinho, meu irmo. Ns brigamos e no posso mais suport-lo. V aquela pilha de madeira junto do celeiro? Quero que voc construa uma cerca bem alta ao longo do riacho para que eu no precise mais v-lo.

    - Entendo a situao. Mostre-me onde esto a p e os pregos que certamente farei um trabalho que lhe deixar satisfeito.

    O carpinteiro trabalhou durante todo dia, medindo, cortando e pregando. J anoitecia quando terminou sua obra. O proprietrio, que havia sado, ao chegar no pode acreditar no que via. No havia cerca. Ao invs, havia uma ponte que ligava as duas margens do riacho. Um belo trabalho. Ficou enfurecido e falou:

    - Voc foi muito atrevido construindo essa ponte aps tudo que lhe contei sobre meu irmo. Eu pedi uma cerca!.

    No entanto, surpreso, ao olhar novamente para a ponte, viu seu irmo aproximando-se da outra margem, correndo com os braos abertos. Por um instante permaneceu

    imvel de seu lado do riacho. Mas, de repente, num s impulso, correu na direo do outro e abraaram-se chorando.

    O carpinteiro estava indo embora quando os irmos pediram-lhe emocionado:

    - Espere! Fique conosco mais alguns dias.- Eu adoraria ficar, mas tenho muitas outras pontes para

    construir. Os austeros e impolutos polticos brasileiros, que tm suas

    correntes ideolgicas separadas por tortuosos riachos, esto precisando de um carpinteiro, capaz de construir uma ponte que os aproximem e, assim, possam dialogar com cortesia e bom senso pelo bem da propriedade maior: o Brasil.

    O povo vota e eles polticos no esto no poder por acaso. H uma razo muito especial para eles fazerem de seu crculo de relao um grande manancial de bem-estar para o povo. Por isso, caros polticos, no construam cercas briguentas que os separam. E se a ponte da suas relaes est um pouco frgil, ou balanando por causa dos ventos da discrdia, fortaleam-na com os laos do entendimento e da verdadeira amizade. Pelo bem do Brasil.

  • 15 DE ABRIL DE 2016WWW.CORREIORURAL.COM.BR 3

    PANOpra manga

    POr PANO TerrA

    Como algum disse por a, h um livro em cada um de ns.

    A solido devoraSemana passada, sem os devidos crditos, citei uma cano no ttulo da coluna.

    Envelheo na Cidade uma msica do IRA!, de 1986. Estou no Cear. Ontem foi aniversrio de Fortaleza, a capital, que fez 290 anos. Fortaleza 15 anos mais velha que Viamo, que completa 275 em setembro. Em frente ao hotel, beira da praia, Alceu Valena fez um baita show. Desfilou hits como Anunciao, Corao Bobo, Tropicana, Rouge Carmim, Como Dois Ani