correio rural 02 de outubro de 2015

Click here to load reader

Post on 23-Jul-2016

217 views

Category:

Documents

1 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Correio Rural 02 de outubro de 2015

TRANSCRIPT

  • FUNDADO EM 25 DE NOVEMBRO DE 1912 | ANO 103 | NMERO 5.258 | 02 DE OUTUBRO DE 2015 | R$ 1,00

    www.correiorural.com.br

    H 102 anos o seu jornal de Viamo

    Histria para ver e ouvirPgina 4

    NOVO ENDEREO Av. Sen. Salgado Filho, 9908 Pda. 57

    Fone 3054.0504 - Em frente ao Cabritos

    LAVA SECA PASSAEspecializados em: edredons - tapetes

    MEMRIA VIVAFutebol nas praas de Viamo

    Pgina 5

    Prefeitura envia Plano de Carreira

    do Magistrio para a Cmara

    Pgina 3

    Comea o Outubro Rosa

    Contracapa

    Semana do Trnsito

    Pgina 5Jango Brown

    Pgina 3

  • 02 DE outuBRo DE 2015WWW.CoRREIoRuRAL.CoM.BR2

    Est no site da Cmara Muni-cipal a notcia de que os edis viamonenses decidiram pela no aceitao do carter de urgncia solicitado pelo poder Executivo para a apreciao e votao de diversos pro-jetos de lei encaminhados ao Legisla-tivo. Seguindo a vontade do presidente da Casa e o parecer da Comisso de Constituio, Redao e Justia, os ve-readores concordaram de que o prazo estipulado pelo Prefeito era curto de-mais.

    At a, tudo bem. Afinal, a Cmara tem soberania democrtica para deci-dir.

    Chama a ateno, no entanto, na mesma notcia, trecho do texto do re-latrio da Comisso de Constituio, Redao e Justia, onde se pode ler: ...Tivemos conhecimento do pedido do prefeito, que quis disciplinar esta casa e colocando prazo, uma saia justa, ao debater um projeto que coloca um concurso pblico em situao...(sic)

    Numa avaliao sensata, quere-mos crer que Prefeito algum teria a in-teno de enrascar vereadores usando documentos oficiais que tm a valia de dar melhorias populao. O relatrio da Comisso, no nosso entender, usou termos inconvenientes para assunto de tamanha relevncia.

    Outro fato foi a presena elevada de servidores municipais, predomi-nantemente da rea do Magistrio, notria e deliberadamente convoca-dos para uma simples sesso que iria decidir se acatava ou no o pedido de urgncia do Executivo para votao de projetos. E mais, alie-se a isso a abertu-ra da tribuna para manifestao destes, vociferando de forma raivosa contra projetos que nem foram expostos, pois acabaram recolhidos s gavetas por no precisarem de urgncia.

    Lamentavelmente, o Legislativo viamonense ingressou num perodo de politicagem barata, de confron-to poltico-partidrio, que no leva a nada. Aquela sesso tinha que ser substituda por uma reunio de dilo-go que levaria o assunto em benefcio do todos. A raiva e o fel do dio s le-vam ira gratuita.

    EDITORIAL

    A politicagem

    EXPEDIENTE

    CORREIO RURAL uma publicao da MV Santos Editora Ltda.

    CNPJ 15308385/0001-26.

    Rua Marechal Deodoro, 274- Centro - Viamo - RS - Fone (51) 3485.1313 -

    CEP 94410-000

    [email protected] www.correiorural.com.br

    Diretor e Editor MILTON ZANI DOS SANTOS Jornalista Reg. MTb n 4506

    [email protected]

    Circulao: Semanal Tiragem: 3.000 exemplares

    Editorao: MV Santos Editora Impresso: Grupo CG

    O Jornal no se responsabiliza por conceitos emitidos em matrias assinadas.

    Detalhes As crnicas do cotidiano e as informaes de bastidoresPOR MILTON SANTOS

    Z do Pedal caminha 10.700km empurrando uma cadeira de rodas

    OMASKARA

    Ficou (quase) tudo para maroCom a sano da presidente Dilma para os novos prazos

    de filiao e troca de partidos, foi adiada para maro de 2016 a definio do quadro eleitoral. Mas, diversos compromissos j estavam alinhavados e vo se concretizar agora mesmo. Pelo menos um vereador j vai trocar de sigla. Agora resta saber para quem foi favorvel esse novo prazo.

    Ganhando preo ou se perdendo na curvaAlguns acham que este adiamento vai favorecer aqueles

    que pretendem ser candidatos a prefeito, pois ganham mais tempo para se firmar ou negociar o melhor espao em algum partido. Eu j acho que, dependendo da figura, quanto mais tempo for concedido, mais enrolado vai ficar.

    ComportamentoUm dos termmetros para medir essa mudana de com-

    portamentos deve ser a votao do Plano de Carreira do fun-cionalismo municipal na Cmara. O que vai ter de vereador querendo tirar uma casca para aparecer. Vo berrar, jogar para a torcida, falar mal do governo e quando maro chegar...

    Alis, esses que mais gritam, que vo para as redes so-ciais escrever teses e que adoram uma cmera, duvido que faam alguma proposio concreta para os projetos de Plano de Carreira. Acho que sequer vo ler.

    Ningum v o seu rosto,mas ele est em todos os lugares

    A Rede ganha foraMarina Silva finalmente conseguiu emplacar seu partido,

    Rede Sustentabilidade. Com isso, muitos detentores de car-gos eletivos comearam a se bandear para o novo partido.

    Desde o senador do PSOL, Randolfe Rodri-gues, passando pelo deputado do PCdoB, Joo Derly, a sigla rapi-damente vai tomando corpo. Aqui em Viamo no est sendo diferen-te. Resta saber se vai ter fora para pegar algum vereador. Maninho, Gi-raudo, Armando, Aguir-re, quem ser? Faam suas apostas.

    Jorge Chiden, ex-prefeito de Viamo, j assinou ficha.

    O PMDB ferveO grupo de oposio atual gesto do PMDB de Viamo,

    lanou uma srie de notas no Facebook, contendo denn-cias e documentos. Um deles mostra a desaprovao por parte da promotora Gisele Moretto, das contas de 2013 do diretrio local. O grupo promete mais informaes esta se-mana.

    Segue o baileMas, ao que parece, Jair Mesquita e Sarico adotaram a

    ttica de no revidar, mantendo o silncio. Por enquanto.

    Tive a oportunidade, na quarta-feira, 24 de setembro, de conversar com Jos Geraldo de Souza Castro, o Z do Pedal. Estvamos na sede da Acostio no jantar de confraternizao que marcava o 3 aniversrio do Lions Clube Viamo Nossa Senhora Aparecida. Z faz parte do Lions Clube de Viosa-MG e ser o presidente daquele clube na prxima gesto. Ele estava em Viamo pela segunda vez. Ativista, resolveu abraar a causa da igualdade em favor daquelas pessoas com deficincia fsica que necessitam de cadeira de rodas, muletas, bengalas e outros acessrios para poderem locomover-se. Criou o projeto Extremas Fronteiras Barreiras Extremas - Cruzada pela Acessibilidade e decidiu que faria uma caminhada de Norte a Sul do Brasil para divulgar sua luta. Passou por Viamo duas vezes em setembro.

    Z do Pedal comeou a caminhada na Serra do Cabura, municpio de Uiramut, Roraima, s margens do Rio Uail, divisa com a Venezuela. Caminhei at 76km por dia, enfrentei chuvas torrenciais suportando temperaturas de 4 a 40 graus na constante busca de um mundo mais justo e humano baseado na trilogia dos conceitos de igualdade, dignidade e respeito, tentando eliminar barreiras que dificultam a pessoa com deficincia de participar ativamente da vida social, contou Z do Pedal.

    Em sua caminhada, de 10.700km, dando aproximadamente 15 milhes de passos, empurrando uma cadeira de rodas, passou por 20 estados brasileiros.

    Ele esteve em Viamo no incio do ms de setembro e depois seguiu para o Chu, meta final

    de sua caminhada. Fez uma pequena pausa em Santa Vitria do Palmar, onde visitou escolas e participou, acompanhado de cadeirantes, alunos da APAE e de Ecoterapia, do desfile comemorativo batalha Farroupilha. Seguindo para o Chu, foi recebido pelo prefeito, pelo presidente da Cmara, vereadores, amigos e membros do Lions Clube e Rotary Clube. Z do Pedal descerrou uma placa comemorativa Cruzada Pela Acessibilidade e ato seguido plantou uma rvore em comemorao ao Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficincia.

    A parte mais difcil e complicada da caminhada foi cruzar pelo menos 60% da rea Indgena Raposa Serra do Sol, em estradas de terra e, o pior, os mais de 700km que separam Boa Vista de Manaus no meio da maior floresta tropical do mundo e enfrentando altas temperaturas que me causou um principio de insolao. O Serto

    da Bahia e Norte de Minas tambm foram difceis e o frio do Sul foi um fator negativo bem diferenciado. Pegar uma temperatura de quatro graus, acompanhado de uma chuva constante no foi fcil. Pior ainda quando se est passando em um lugar onde o prximo restaurante para tomar um cafezinho para aquecer est a 40km de distncia, lembrou. Falou tambm das barreiras arquitetnicas que esto espalhadas por todas as cidades por onde passou. Porm pior que as barreiras arquitetnicas so as barreiras atitudinais. O cidado que coloca uma mesa na calada, coloca lixo, material de construo, estaciona seu carro em frente a uma rampa ou na calada contribui, de maneira negativa, para que o dia a dia da pessoa com deficincia seja ainda mais complicado. De acordo com o ativista, o seu projeto teve como objetivo precpuo entregar nas Cmaras Legislativas dos Municpios visitadas uma proposta de Projeto de Lei sobre Normas de Acessibilidade, outra para a criao de Conselhos Municipais dos Direitos da Pessoa com Deficincia, alm de conscientizar as pessoas, principalmente aquelas com poderes de deciso, a terem mais respeito com as pessoas deficientes.

    De Viamo, onde amigos e companheiros do Lions mandaram rezar uma Missa em Ao de Graas, Z do Pedal seguiu para Viosa, dando como concluda sua jornada. Saiba mais sobre o assunto em www.zedopedal.com.br ou www.zedopedal.skyrock.com - Contatos com Z do Pedal: (031) 86003001 ou [email protected]

    Foto

    s W

    end

    er d

    ua

    rte

    , Jo

    rna

    l o

    Mo

    Men

    to

  • 02 DE outuBRo DE 2015WWW.CoRREIoRuRAL.CoM.BR 3

    PANOpra manga

    POr PANO TerrA

    Como transformar um inimigo em um de seus melhores amigos

    Jango BrownEsta coluna poderia ter um subttulo: Como transformar um inimigo

    em um de seus melhores amigos. Neste 2015, minha turma de amigos, o Bando da Lua, faz 30 anos. Nome da banda que acompanhava a grande estrela dos anos 1940 Carmem Miranda. Herdamos este nome de uma tur-ma de amigos mais velhos onde, entre outros, estavam o Orfeu, o Breno,