correio da umbanda - 2008-03 - povo de aruanda ?· correio da umbanda – edição 27 – março...

Download Correio da Umbanda - 2008-03 - Povo de Aruanda ?· Correio da Umbanda – Edição 27 – Março de…

Post on 07-Nov-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Artigo Autor / Remetente / Instituio............................................................................. Pg Umbanda: Sua face / Roger Feraudy / enviado por Luzia / Luz de Aruanda ................... 02 Ectoplasma e sua utilizao nos Terreiros / Norberto Peixoto / Choupana Caboclo Pery 03 Falta de preparo / Renato de Oxossi ................................................................................ 04 2008 E Seus Regentes Ians e Ogum / enviado por Luzia / Luz de Aruanda ............... 05 A lei de atrao e os pensamentos coletivos da atualidade / Noberto Peixoto ................ 06 Uso das ervas, defumao e outros / O Indiano por Luzia Nascimento / Luz de Aruanda 09 A Rosa / Silvio da Costa Mattos / APEU ........................................................................... 11 Religioso diferente / Renato de Oxossi ............................................................................ 12 Causas Espirituais das Doenas / Chico Xavier / enviado por Luzia / Luz de Aruanda .... 13 A doena como caminho / Thorwald Dethlefsen / Enviado por Norberto Peixoto................. 15 Essa tal lei da atrao / Caboclo Boiadeiro Z do Lao por Vanessa Cabral / TUPB....... 22 Por que pedimos silncio no Terreiro? / Exu Tiriri por Norberto Peixoto .......................... 23 Mutao / Guaracy Stachuk ............................................................................................. 24 A raiz indgena na Umbanda / do site Site A Umbanda com amor ......................................... 29 F e boa conscincia / por Luzia Nascimento / Luz de Aruanda ...................................... 30 Orixs na Umbanda / Norberto Peixoto / Choupana Caboclo Pery .................................. 31 A Terra redonda / Paulo Roberto Gaefke....................................................................... 33 Para-quedas / Alexandro Andre Radin / TESE ................................................................ 34 Direo do sol / Paulo Roberto Gaefke / Cludia C. Gobor TESE ................................ 35 O sorriso de Deus / Alexandre Mors / Caboclo Arruda .................................................. 36 Essncia ou gua energizada / Manoel Lopes / TV Sarav Umbanda ............................. 37 Grupos, Templos e Instituies......................................................................................... 41 Expediente ........................................................................................................................ 45

    Correio da Umbanda Edio 27 Maro de 2008

  • Correio da Umbanda Edio 27 Maro de 2008

    2

    UMBANDA: SUA FACE 1. A Umbanda cr num Ser Supremo, o Deus nico criador de todas as religies monotestas. Os Sete Orixs so emanaes da Divindade, como todos os seres criados. 2. O propsito maior dos seres criador a evoluo, o progresso rumo a Luz Divina. Isso se d por meio das vidas sucessivas a Lei da Reencarnao, o caminho do aperfeioamento. 3. Existe uma Lei de Justia universal, que determina a cada um colher o fruto de suas aes, e que conhecida como Lei do Carma. 4. a Umbanda se rege pela Lei da Fraternidade Universal: todos os seres so irmos por terem a mesma origem, e a cada um devemos fazer o que gostaramos que a ns fosse feito. 5. a Umbanda possui uma identidade prpria, e no se confunde com outras religies ou cultos, embora a todos respeite fraternalmente, partilhando alguns princpios com muitos deles. 6. a Umbanda est a servio da Lei Divina, e s visa ao Bem. Qualquer ao que no respeite o livre-arbtrio das criaturas,q eu implique em malefcio, no Umbanda. 7. a Umbanda no realiza, em qualquer hiptese, o sacrifcio ritualstico de animais, nem utiliza quaisquer elementos destes em ritos, oferendas ou trabalhos. 8. a Umbanda no preceitua a colocao de despachos ou oferendas em esquinas urbanas, e sua reverncia s Foras da natureza implica em preservao e respeito a todos os ambientes naturais da Terra. 9. Todo o servio da Umbanda de caridade, jamais cobrando ou aceitando retribuio de qualquer espcie por atendimento, consultas ou trabalhos.q uem cobra por servio espiritual no umbandista. Umbanda essa Desconhecida Roger Feraudy

    por Luzia Nascimento em 20/01/2007

    Centro Espiritualista Luz de Aruanda Recife-PE

    marialuzia2002@yahoo.com.br

    mailto:marialuzia2002@yahoo.com.br
  • Correio da Umbanda Edio 27 Maro de 2008

    3

    ECTOPLASMA E SUA UTILIZAO NOS TERREIROS

    Um dos elementos bioenergticos mais utilizados por Caboclos, Pretos-Velhos, Exus e Crianas, seja em atividades curativas, harmonizatrias, e, tambm, em neutralizao de demandas, o denominado Ectoplasma. O Ectoplasma, que tem despertado um grande interesse por parte das religies medinicas e de cientistas de todo o mundo, uma substncia material, visvel ou no, consoante sua quantidade e densidade, absorvida/produzida pelo corpo humano a partir da fuso e posterior metabolismo de quatro fluidos, quais sejam fluidos astrais (qumica astral); fluidos da natureza (raios solares, raios lunares, gases etc.); e fluidos orgnicos e inorgnicos de nosso planeta (minerais, vegetais e animais).

    de conhecimento tambm que o ectoplasma localiza-se nas clulas humanas, constituindo-se como uma parte etrica das mesmas. Esta matria, que em alguns casos de acmulo excessivo, apresenta-se como uma gelia viscosa, de cor branca, semi-lquida e que sai atravs dos principais orifcios do corpo humano (boca, narinas, ouvidos etc.), um dos elementos integrantes de nosso corpo vital (duplo etrico), sendo o envoltrio intermedirio entre o perisprito (corpo astral) e o corpo fsico. o dinamizador da parte bio-fisiolgica do ser humano encarnado.

    Dizem alguns que encontrado em maior quantidade na altura dos centros de fora (chakras) Umbilical e bsico. No vamos nos ater a discorrer sobre o emprego de ectoplasma na materializao de espritos e objetos, situaes em que deve haver um grande acmulo de ectoplasma nos doadores desta substncia, mas sim na sua utilizao por parte dos espritos trabalhadores de nossa elevada Umbanda. Os Caboclos, Crianas, Exus e Pretos-Velhos, Marinheiros, Orientais, Ciganos e Boiadeiros, entre outras formas fludico-perispirituais de manifestao de espritos na Umbanda, costumam utilizar o ectoplasma de seus mdiuns para os mais variados fins (lembre-se: espritos no tm corpo vital, logo no tm ectoplasma. Nos trabalhos de cura, costumam aplic-lo nos centros de fora dos assistentes, a fim de reequilibrar o fluxo energtico (absoro e emanao de energias).

    Nos trabalhos direcionados ao desmanche de baixa magia, as entidades potencializam a substncia ectoplasmtica, deslocando-se a lugares onde est a origem material da feitiaria (objetos vibratriamente magnetizados), passando a manipular tais materiais, desmagnetizando-os e neutralizando as demandas. Devido aos espritos utilizarem o ectoplasma humano em algumas tarefas onde h a necessidade deste fluido vital, muitos mdiuns, ao trmino de uma sesso ou gira, sentem-se fatigados, cansados, exauridos de energia, e com apetite aguado. Esta situao ocorre em grande parte, e em vrios graus, conforme a quantidade sorvida, em razo da retirada de parte do ectoplasma do mdium por parte dos espritos trabalhadores. um acontecimento natural, facilmente dirimido pela ingesto de lquidos como gua pura, sucos, refrigerantes, comestveis, e, se possvel, um ligeiro repouso. Aps um curto espao de tempo o ectoplasma volta a seu nvel normal.

    Enviado por Norberto Peixoto

    Tringulo da Fraternidade - Choupana do Caboclo Pery - Porto Alegre - RS norpe@portoweb.com.br

    mailto:norpe@portoweb.com.br
  • Correio da Umbanda Edio 27 Maro de 2008

    4

    FALTA DE PREPARO

    Se acompanharmos mais de perto todos os acontecimentos que cercam a Umbanda, ns Umbandistas, que procuramos seguir corretamente os fundamentos, ficamos pasmos com atitudes e iniciativas do que fazem os supostos Pais e Mes no Santo.

    importante ressaltar que para um Mdium Umbandista, no basta apenas ter vontade de ter um Terreiro prprio, necessrio muitos anos (no mnimo sete anos) de dedicao e aprendizado para, a partir da abrir sua prpria casa.

    O que vemos no cotidiano so mdiuns sem fundamentos, sem conhecimentos primrios de nossa Religio, abrindo Terreiros para atendimento(e explorao) de necessitados e o que ainda mais grave, recrutando novos candidatos ao desenvolvimento medinico.

    A pergunta que cabe como essa pessoa poder ser responsvel pelo desenvolvimento medinico de novatos j que sequer ele foi desenvolvido corretamente?

    Qual o aprendizado transmitido para os nefitos se o pseudo Pai ou Me no Santo no teve aprendizado algum? No sabe o que ensinar.

    Se houver, e pode haver, um ataque de espritos inferiores nesse terreiro o que faro?

    Correro para onde? Buscaro ajuda de quem?

    Respondo. Deixaro as pessoas sob a influncia de espritos malvolos e com problemas maiores ainda do que daqueles que foram buscar soluo inicialmente.

    O que essa pessoa que foi buscar ajuda e saiu pior do que chegou vai falar da Umbanda a partir da, e com toda a razo?

    Dir que nossa religio ruim, que atrapalha a vida das pessoas, que do mal, etc

    Mal sabe ela que foi vtima de um charlato, mal preparado e s interessado em seu dinheiro.

    Mal sabe ela que aquele charlato usa o nome da Umbanda mas no pratica a Umbanda.

    Mal sabe ela que onde foi em busca de ajuda no pode ajud-la e que na realidade, o grande necessitado o dono do lugar

    H necessidade de quando formos em busca de ajuda espiritual, analisarmos bem esse local, nos informar de sua idoneidade e, se possvel at a sua formao dentro da religio pois do contrrio podemos ter surpresas desagradveis para nossa vida.

    A Umbanda pode sim ajudar muito aos necessitados ma

Recommended

View more >