convenÇÃo coletiva de trabalho o pagamento referente ao tíquete refeição ou vale-alimentação

Download CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO o pagamento referente ao tíquete refeição ou vale-alimentação

Post on 19-Nov-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • CONVENO COLETIVA DE TRABALHO 2018/2019

    NMERO DE REGISTRO NO MTE:

    RJ000628/2018 DATA DE REGISTRO NO MTE:

    18/04/2018

    NMERO DA SOLICITAO:

    MR014474/2018 NMERO DO PROCESSO:

    46215.004723/2018-09

    DATA DO PROTOCOLO:

    27/03/2018

    Confira a autenticidade no endereo http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

    SINDICATO DAS EMPRESAS DE SEG.PRIVADA,VIGILANCIA PATRIMONIAL,SISTEMAS DE SEGURANCA,ESCOLTA,SEG.PESSOAL E CURSOS DE FORMACAO NO EST.DO RIO DE JANEIRO , CNPJ n. 30.903.678/0001-45, neste ato representado(a) por seu Presidente, Sr(a). FREDERICO CARLOS CRIM CAMARA; E SIND DOS EMP DE EMP DE SEG E VIG INTER DE NOVA IGUACU, CNPJ n. 31.998.156/0001-37, neste ato representado(a) por seu Presidente, Sr(a). SERGIO BARBOSA BRUNO; celebram a presente CONVENO COLETIVA DE TRABALHO, estipulando as condies de trabalho previstas nas clusulas seguintes: CLUSULA PRIMEIRA - VIGNCIA E DATA-BASE

    As partes fixam a vigncia da presente Conveno Coletiva de Trabalho no perodo de 01 de maro de 2018 a 28 de fevereiro de 2019 e a data-base da categoria em 01 de maro. CLUSULA SEGUNDA - ABRANGNCIA

    A presente Conveno Coletiva de Trabalho abranger a(s) categoria(s) Vigilantes e Empregados em Empresas de Segurana e Vigilncia Integrantes do 2 grupo Empregados de Agentes Autnomos do Comrcio, do Plano da Confederao Nacional dos Trabalhadores no Comrcio, com abrangncia territorial em Nova Iguau/RJ.

    Salrios, Reajustes e Pagamento

    Reajustes/Correes Salariais

    CLUSULA TERCEIRA - REAJUSTE SALARIAL

    Fica concedido categoria profissional dos vigilantes, vigilantes femininas, e outras referidas no pargrafo primeiro da clusula quarta, conforme disposto nesta conveno, um reajuste total na ordem de 4,06% (quatro inteiros e seis centsimos por cento), vigendo a partir de 1 de maro de 2018, data-base da categoria. Pargrafo Primeiro - Proporcionalidade Para os empregados administrativos admitidos aps a data de 1 de maro de 2018, a correo dos salrios ser na proporcionalidade de 1/12 (um doze avos) da taxa de reajustamento prevista nesta clusula, por ms de servio ou frao superior a 15 (quinze) dias. Pargrafo Segundo Vigilante Desarmado

    O vigilante desarmado, ainda que trabalhando de terno, far jus ao piso do vigilante armado e uniformizado.

    Pargrafo Terceiro - Correo Salarial Do percentual definido no caput desta clusula, a ser aplicado sobre o piso da categoria incidir nas propores indicadas: a) 2,85% (dois inteiros e oitenta e cinco centsimos por cento) a incidir sobre o piso salarial de vigilante, fixado em 01/03/2017 resultando no piso salarial de R$ 1.404,52 (Hum mil, quatrocentos e quatro reais e cinquenta e dois centavos) b) 11,62% (onze inteiros e sessenta e dois centsimos por cento) incidir sobre o tquete refeio previsto na Clusula 8, O impacto na soma do homem hora, ser de 1,16 % (Hum inteiro e dezesseis centsimos por cento)

    c) 60,00% (sessenta inteiros por cento) Ajuda de Custo (clausula 10) - o impacto corresponde a soma do homem hora, ser de 0,05% (cinco centsimos por cento).

  • O impacto do reajuste da categoria de vigilantes no Estado do Rio de Janeiro, que dever ser repassado para todos os Tomadores de Servios de Segurana Privada e cumprido integralmente pelas empresas com segurana orgnica ser no total de 4,06% (quatro inteiros e seis centsimos por cento).

    CLUSULA QUARTA - REAJUSTE SALARIAL DO PESSOAL ADMINISTRATIVO

    Para os demais funcionrios, excetuados os componentes de quadros gerenciais, sujeitos ao regime de livre negociao, observadas as normas legais aplicveis, o ndice de reajuste ser o indicado na clusula terceira, excetuando o recebimento do adicional de periculosidade ( conforme portaria n 1.885/2013 - MTE e IN 16) facultada a compensao dos aumentos espontneos que tenham sido concedidos ao longo da vigncia da data-base anterior (2017/2018) e quaisquer valores adiantados no curso da presente data-base. Pargrafo Primeiro - Agentes e outros Ficam fixados, a partir de maro de 2018, os seguintes pisos salariais mnimos, facultando as empresas estabelecerem, acima desses pisos, valores diferenciados para agentes, estipulados por faculdade de quem contrata os servios de vigilncia. Nestes casos no incidir direito isonomia, conforme especificaes contidas na clusula POSTOS ESPECIAIS.

    FUNO SALRIO

    I- Vigilante R$ 1.404,52 II- Vigilante Motorista/Motociclista R$ 1.685,42 III- Vigilante Orgnico R$ 1.404,52 IV- Vigilante Feminina/Recepcionista R$ 1.404,52 V- Segurana Pessoal Privada R$ 1.685,42 VI- Supervisor de rea R$ 2.107,86 VII- Fiscal de Posto ou Supervisor de Posto R$ 1.555,84 VIII Instrutor R$ 2.364,33 IX- X -

    Coordenador Funcionrios em Servios Administrativos

    R$ R$

    2.239,60 1.182,82

    XI- Vigilante condutor de ces R$ 1.404,52 XII-

    Vigilante responsvel pelo monitoramento de aparelhos eletrnicos

    R$

    1.404,52

    Pargrafo Segundo - Gratificao Transitria O vigilante far jus a gratificao transitria de 20% (vinte por cento) sobre o piso da categoria quando estiver exercendo as funes de Vigilante Motorista. A gratificao transitria de 20 % (vinte inteiros por cento) se aplica ao Segurana Pessoal Privada, que se enquadrem na hiptese do pargrafo terceiro da clusula quarta. No far jus a essa gratificao transitria quando o seu piso for de R$ 1.825,88 (Hum mil, oitocentos e vinte e cinco reais e oitenta e oito centavos) . Pargrafo Terceiro Vigilante Motorista/Motociclista O vigilante motorista/motociclista ser aquele especializado em conduzir veculos automotivos, categoria passeio, no sentido de conduzir pessoas e/ou cargas, se equiparando a tal funo aqueles vigilantes que conduzem veculos motorizados ou motociclista para realizar rondas, rotina habitual das funes de vigilncia nas reas internas do posto de servio, sendo certo que estes ltimos so enquadrados como vigilantes motoristas. Pargrafo Quarto Compensao de Reajuste Fica facultado s empresas a livre negociao salarial daqueles empregados, inclusive do quadro administrativo com teto superior R$ 5.269,95 (cinco mil duzentos e sessenta e nove reais e noventa e cinco centavos) salrio este que se considera o mais elevado da categoria. Cumpre esclarecer, que aos empregadores ficaro autorizados a compensao de reajustes, sendo certo que se o salrio ajustado entre o empregado e empregador for mais benfico do que o estipulado no instrumento normativo, no se inserir na contraprestao ajustada o percentual ventilado na clusula REAJUSTE SALARIAL. Caso contrrio, o empregador ser obrigado a efetuar o pagamento dos vencimentos em quantia no inferior ao teto estipulado por fora de reajuste entabulado na presente conveno.

    Pargrafo Quinto - Do pagamento do retroativo

    A diferena do reajuste salarial retroativo a 1 de Maro de 2018 dever ser pago na competncia do ms de abril de 2018, e do tquete refeio pago no ms de abril de 2018.

    As diferenas de tiquete refeio de maro e abril de 2018 devero ser pagas na prxima recarga, aps a assinatura da Conveno Coletiva de Trabalho.

  • Gratificaes, Adicionais, Auxlios e Outros

    13 Salrio

    CLUSULA QUINTA - DCIMO TERCEIRO SALARIO

    As empresas podero optar pela antecipao do 13 salrio, com anuncia do funcionrio, da seguinte forma: 50 % nas frias, 1 parcela em 20 de outubro ; 2 parcela em 20 de novembro ; 3 parcela e demais reflexos de quitao at dia 20 de dezembro do ano corrente. No contra-cheque dever ser mencionado a rubrica como adiantamento do 13.

    Adicional de Tempo de Servio

    CLUSULA SEXTA - TRINIOS

    O adicional por tempo de servio - trinios, na base de 2 % (dois inteiros por cento) do salrio-base, somente continuar sendo pago aos empregados contratados at 28/02/2017, para cada perodo completo de 36 (trinta e seis) meses de servio efetivo na empresa.

    Pargrafo Primeiro - funcionrios admitidos a partir de 01/03/2017

    Somente os funcionrios admitidos a partir de 01/03/2017 no faro juz ao recebimento do trinio, mas, iro receber o valor fixo, mensal e no cumulativo de R$ 12,86 (doze reais e oitenta e seis centavos), que aplicando-se o desconto de 20% previsto pela Legislao do PAT - Programa de Alimentao do Trabalhador resultar no valor lquido de R$ 10,29 (dez reais e vinte e nove centavos), na forma de Vale-Alimentao at dia 20 de cada ms este valor no servir de base de clculo para horas extras, adicional de periculosidade, adicional noturno, hora noturna reduzida nem qualquer outra verba remuneratria, 13 Salrio, Frias, FGTS e Aviso Prvio.

    Adicional de Insalubridade

    CLUSULA STIMA - ADICIONAL DE INSALUBRIDADE E PERICULOSIDADE

    As empresas efetuaro o pagamento de adicional de insalubridade e ou periculosidade aos vigilantes, previstos na legislao, mediante definio a partir do laudo tcnico e/ou regulamentao, podendo ser solicitada pelas empresas inspeo do rgo tcnico da DRT/RJ, cujo laudo definir a instituio do beneficio para o exerccio da vigilncia no posto visado, conforme dispe o Artigo 195 da CLT. Pargrafo Primeiro Laudo Conclusivo

    Em ocorrendo laudo conclusivo pelo direito vantagem adicional da insalubridade para determinado posto, obrigam-se s empresas a incluir o correspondente custo em suas planilhas para seus contratos de locao de servios respectivos.

    Pargrafo Segundo Adicional de Periculosidade

    Com a normatizao da Lei n 12.740/2012, pelo Ministrio do Trabalho e Emprego, atravs da Portaria n 1.885/2013, que aprovou o Anexo 3 da NR 16/MTE, fica estabelecido que as empresas pagaro aos empregados vigilantes e a todos os demais empregados descritos no referido anexo, o adicional de periculosidade na proporo de 30% (trinta por cent