controle patrimonial da contabilidade regulatória do setor ...docs.· o critério utilizado para

Download Controle Patrimonial da Contabilidade Regulatória do Setor ...docs.· O critério utilizado para

If you can't read please download the document

Post on 07-Nov-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 1

    Revista Eletrnica Gesto e Negcios Volume 4 n 1 - 2013

    Controle Patrimonial da Contabilidade Regulatria do Setor Eltrico e seus Efeitos na Tarifa de Energia Eltrica

    Siegfried Urban 1

    Ricardo Pereira Rios 2

    Resumo O objetivo do presente trabalho foi a realizao de um estudo sobre a implantao dos procedimentos de controle patrimonial de acordo com a Resoluo Normativa n.367, de 02 de junho de 2009 da Agncia Nacional de Energia Eltrica ANEEL, a qual aprova o Manual de Controle Patrimonial do Setor Eltrico MCPSE, que em face de alterao de conceitos regulatrios, de avanos tecnolgicos, da necessidade de aperfeioamento do controle patrimonial e de uma nova estrutura dos procedimentos de imobilizaes dos bens e instalaes, busca atender s atuais normas regulamentares. O estudo da adequao dos procedimentos foi feito por meio da implantao dos processos na Cooperativa de Eletrificao de Ibina e Regio CETRIL, utilizando-se pesquisa de campo e pesquisa bibliogrfica. Conforme dados obtidos ao final do trabalho de implantao foi demonstrada a maneira como esse controle de patrimnio influencia na tarifa de energia. No caso da empresa estudada, no houve o processo de reviso tarifria at a presente data, porm pode-se entender que o controle patrimonial essencial para a sobrevivncia da permissionria.

    Palavras-chave: Controle Patrimonial; Pronunciamentos Contbeis; Reviso Tarifria; setor eltrico; contabilidade regulatria.

    INTRODUO

    Neste trabalho acadmico ser realizado um estudo sobre a implantao dos

    procedimentos de controle patrimonial que vm sendo utilizados pela permissionria de

    energia eltrica para registro de suas operaes de cadastro e movimentao de bens

    1 Bacharel em Cincias Contbeis pela Fac So Roque em 2012. 2 Mestre em Cincias Contbeis pela Pontifcia Universidade Catlica de So Paulo PUC/SP, Ps

    Graduado em Gesto Empresarial pela Universidade Nove de Julho, Bacharel em Cincias Contbeis pela Faculdade de Administrao e Cincias Contbeis de So Roque. Professor e Coordenador do Curso de Cincias Contbeis da FAC So Roque. Atua na rea Contbil Tributria h 20 anos. Escritor, Consultor, atuando tambm como docente em cursos e palestras com temas voltados rea contbil e tributria h mais de 05 anos.

  • 2

    Revista Eletrnica Gesto e Negcios Volume 4 n 1 - 2013

    e instalaes que compem o patrimnio do servio concedido, especificamente para a

    Cooperativa Distribuidora de Energia Eltrica de Ibina e Regio.

    Esse novo modelo est a cargo da iniciativa privada enquanto a regulao est nas

    mos do Estado, e tem como um dos objetivos atender expanso da demanda de

    energia do pas sem prejudicar a confiabilidade do suprimento de energia aos

    consumidores.

    Com a inteno de uma melhor compreenso deste trabalho acadmico foi

    elaborada uma questo que ser respondida: como o Controle Patrimonial poder

    fornecer subsdios para o planejamento econmico-financeiro da empresa em estudo?

    O critrio utilizado para a realizao da avaliao de ativos da permissionria de

    energia eltrica de Ibina e regio ser o Mtodo do Custo de Reposio de um bem ou

    similar ao que est sendo avaliado, considerando seu valor novo de reposio como

    base para determinao do respectivo valor de mercado em uso. Essa metodologia,

    que est disposta na Resoluo Normativa n. 338 da Agncia Nacional de Energia

    Eltrica - ANEEL, definir a base de remunerao da permissionria, ou seja, os

    subsdios informados Superintendncia de Fiscalizao Econmica e Financeira

    SFF que contribuiro para a formao da tarifa de energia eltrica.

    Sendo assim o objetivo geral analisar como o controle patrimonial poder fornecer

    subsdios para o planejamento econmico-financeiro da empresa em estudo. E o

    objetivo especfico demonstrar como sero avaliados os ativos imobilizados e como,

    aps levantamento patrimonial e controle fsico-contbil dos bens e direitos e

    instalaes, esse levantamento poder influenciar na tarifa de energia da

    permissionria, que ocorre na reviso tarifria.

    Para este estudo de caso, ser realizada uma pesquisa documental, exploratria

    em campo com abordagem qualitativa e observao participativa do autor deste artigo,

    o qual faz parte do grupo responsvel pelo levantamento de dados da permissionria

    de distribuio de energia eltrica em questo. (GIL, 2010)

    1. REFERENCIAL TERICO

  • 3

    Revista Eletrnica Gesto e Negcios Volume 4 n 1 - 2013

    1.1 REINTEGRAO ACUMULADA (DEPRECIAO)

    Entende-se por depreciao o desgaste pela desvalorizao de um bem,

    sistematicamente alocado por um determinado tempo, e esse tempo deve representar o

    perodo pelo qual o bem estar gerando benefcios para a empresa, seja atravs de

    receitas ou economia de gastos.

    Segundo o Manual de Contabilidade do Setor Eltrico (2009, p.50), [...] as

    imobilizaes tangveis sero reintegradas por meio de quota de depreciao, enquanto

    que as intangveis e as despesas registradas no Ativo Diferido o sero por intermdio

    de quota de amortizao. As taxas anuais de depreciao dos bens vinculados ao setor

    eltrico sero estabelecidas pelo rgo Regulador, e devero ser adotadas por todas

    as concessionrias e permissionrias do servio pblico de energia eltrica .

    Depreciao a alocao sistemtica do valor deprecivel de um ativo ao longo de sua vida til. (CPC, 2009).

    1.2 CONTABILIDADE REGULATRIA

    Segundo a Agncia Nacional de Energia Eltrica, a Contabilidade Regulatria

    surgiu da necessidade de divulgar sociedade um conjunto de informaes que

    representem adequadamente a situao econmico-financeira das concessionrias e

    permissionrias de servio pblico de transmisso e de distribuio de energia eltrica,

    em um modelo que permita a apresentao da realizao dos componentes da tarifa e

    da efetiva remunerao obedecendo ao Pressuposto Bsico da Competncia,

    especificamente relacionado ao processo de confrontao das despesas com as

    receitas entre os perodos contbeis e da necessidade de manuteno das informaes

    contbeis no que se refere ao controle patrimonial dos ativos sujeitos a reverso, e

    assim atender s atividades de fiscalizao e prestaes de informaes dos

    investimentos no setor eltrico, face s eminentes alteraes propostas com vistas

    convergncia das prticas contbeis brasileira s normas internacionais de

    contabilidade, aprovadas pelo CFC.

    A partir das necessidades citadas acima, a ANEEL resolve instituir a

    Contabilidade Regulatria aprovando alteraes no Manual de Contabilidade do Setor

  • 4

    Revista Eletrnica Gesto e Negcios Volume 4 n 1 - 2013

    Eltrico MCSE (2009) atravs da Resoluo Normativa no. 396, de 23 de fevereiro

    de 2010, da Agncia Nacional de Energia Eltrica -ANEEL, que diz:

    Art.. 1. Instituir a contabilidade regulatria, passando o Manual de Contabilidade do Setor Eltrico MCSE a ter por finalidade estabelecer as prticas e orientaes contbeis necessrias s concessionrias e permissionrias de servio pblico de transmisso e de distribuio de energia eltrica para registro contbil de suas respectivas operaes e elaborao de demonstraes contbeis, de forma a atender as necessidades regulatrias. I - Aplica-se contabilidade regulatria todas as normas contbeis emitidas pelo Comit de Pronunciamentos Contbeis CPC, j aprovadas pela ANEEL at a publicao desta Resoluo. II - A aplicao de Pronunciamentos Tcnicos ou Interpretao Tcnica de Correlao s Normas Internacionais de Contabilidade, na contabilidade regulatria, depende de prvia aprovao pela diretoria da ANEEL.

    A empresa em estudo apresenta a Contabilidade Regulatria em cumprimento a

    Resoluo Normativa no. 396, e o novo ambiente contbil societrio estabelecido pela

    lei 11.638/2007 com influncias significativas de sua origem como cooperativa

    baseadas na lei no. 5.764, de 16 de dezembro de 1971.

    1.1 MANUAL DE CONTROLE PATRIMONIAL DO SETOR ELTRICO - MCPSE

    Institudo por meio da Resoluo ANEEL n. 444, de 26 de outubro de 2001,

    o Manual de Controle Patrimonial do Setor Eltrico - MCPSE, contm a padronizao

    das normas e edio e publicao das demonstraes contbeis das empresas do

    setor de energia no Brasil. O manual abrange as disposies contidas na lei no.

    6.404/76 e na sua confeco foram tambm consideradas as disposies e normas dos

    seguintes rgos e entidades: Conselho Federal de Contabilidade (CFC), Instituto de

    Auditores Independentes do Brasil (IBRACON), Comisso de Valores Mobilirios

    (CVM), Comit de Normas Internacionais de Contabilidade (Internacional Accounting

    Standards Committee IASC) e Agncia Nacional de Energia Eltrica (ANEEL).

    2. BREVE HISTRICO DA COOPERATIVA DE ELETRIFICAO DE IBINA E

    REGIO (CETRIL)

  • 5

    Revista Eletrnica Gesto e Negcios Volume 4 n 1 - 2013

    A Cooperativa de Eletrificao de Ibina e Regio iniciou sua trajetria no ano de

    1965 nas dependncias da Cooperativa Agrcola de Cotia - CAC. Com o intuito de

    usufruir dos benefcios da energia eltrica, moradores da zona rural se uniram para

    quotizar e construir suas prprias redes de energia. Contando com o suporte tcnico e

    administrativo do Departamento de guas e Energia Eltrica - DAEE

Recommended

View more >