controle estoque

Download controle estoque

Post on 01-Jul-2015

8.674 views

Category:

Documents

10 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

Curso de Especializao em Logstica de Produo IntegradaMdulo IIDisciplina: Logstica em Sistemas Produtivos

Gesto de estoques e suprimentosProf. Dr. Rui Carlos Botter e-mail: rcbotter@usp.br25/06/2004

Razes para Manter Estoques O ideal seria a perfeita sincronizao entre a oferta e a demanda. Melhoram o nvel de servio; incentivam economias na produo e nas compras; permitem economias de escala nas compras e no transporte; agem como proteo contra aumentos de preos;

Razes para Manter Estoques protegem a empresa de incertezas na demanda e no tempo de ressuprimento; e servem como segurana contra contingncias

Melhoram o nvel de servio; Auxiliam a funo de marketing a vender os produtos da empresa, vantagem competitiva e menores custos de vendas perdidas (especial para demanda elstica e produtos sazonais) Os estoques podem ser localizados mais prximos aos pontos de venda e com quantidades mais adequada.

Incentivar economias na produo Estoques agem com amortecedores entre oferta e demanda, possibilitando uma produo mais constante.

Permitir economias de escala nas compras e no transporte Facilitando descontos por quantidade de suprimento e otimizando o transporte.

Proteo contra alteraes nos preos Permitem uma certa suavizao nas flutuaes de preos.

Proteo contra oscilaes na demanda ou no tempo de ressuprimento Referido como estoque de segurana, devido incerteza na demanda dos produtos versus o tempo necessrio para ressuprimento. Estes estoques so adicionados aos estoques regulares.

Proteo contra contingncias Referido como estoque de segurana, devido eventuais greves, incndios.

Entretanto, estocar tem custado caro. Portanto, o desafio : Minimizar o investimento ao mesmo tempo garantir a eficincia de produo e da logstica com as necessidades de marketing

Objetivos do Estoque Os objetivos do Estoque pode ser classificados em: de custo do nvel de servio

Objetivos do Estoque: do nvel de servio O nvel de servios estabelecido de acordo com a poltica da empresa em funo da demanda a ser atendida pelo estoque.

Tipos de estoque: Estoque regular Estoque de segurana$

Estoque especulativo

$

Viso do problema de estoque O gerenciamento do estoque feito diferentemente entre os diversos tipos de empresas e em funo do tipo de produto.

Portanto, classificar estoques por tipo facilita o controle, que poderia ser por: demanda permanente demanda sazonal demanda irregular demanda em declnio demanda derivada

Demanda Permanente Requerem ressuprimento contnuo, orientando-se por: previso de demanda de cada item do inventrio determinao de quando o ressuprimento deve ser efetuado definir o tamanho do lote de ressuprimento

Demanda Sazonal A principal caracterstica deste tipo de demanda ser considerado composta por um nico pico pelo controle de estoque.

Demanda Irregular Caracterizada pela difcil projeo de vendas, principalmente quando o comportamento errtico est combinado com tempo de ressuprimento muito longos ou pouco flexveis.

Demanda em Declnio Deve-se considerar o perodo de extino do produto em questo adequando os estoques de reposio.

Demanda Derivada O estoque necessrio para atender a Demanda Derivada decorrente do estoque do produto precedente. Exemplo, pneus para automveis

O grfico a seguir representa exemplos tpicos de tipo de demanda

Fatores fundamentais: CUSTOS REQUISIO OU COMPRA MANUTENO OU ARMAZENAGEM FALTA

PREVISO DE NECESSIDADE DO PRODUTO TEMPO DE RESSUPRIMENTO OU CARNCIA LEAD-TIME OU TEMPO MORTO

NVEL DE SERVIO(Ballou, 1998)

REPRESENTAO GRAFICA DO DETERMINAO DA QUANTIDADE TIMA D COMPRA$CUSTOS TOTAIS

CUSTOS DE ESTOQUE

CUSTOS DE COMPRA /CUSTOS DE FALTA

Q*

A - CUSTOS:1 - CUSTOS DE REQUISIO OU COMPRA EMISSO DO PEDIDO (TAMANHO DO PEDIDO) PROCESSAMENTO INTERNO (CONTABILIDADE ETC) TRANSMISSO DO PEDIDO AO FORNECEDOR MANUSEIO NO RECEBIMENTO RECEPO DO MATERIAL TRANSPORTE DO MATERIAL (*)

2. CUSTOS DE MANUTENO DO ESTOQUE ESPAOS DE ARMAZENAGEM FSICA CAPITAL (CUSTOS DE OPORTUNIDADE) SERVIOS (TAXAS, SEGUROS) RISCOS (DETERIORAO, EVASO, DANO, OBSOLSCENCIA)

ASSOCIADO AO ESTOQUE MDIO.

3. CUSTOS DE FALTAS VENDAS PERDIDAS RE-EMISSO DE PEDIDO PARADA DE OPERAO/PRODUO ASSOCIADO AO ESTOQUE DE SEGURANA

JAN.2003

Estrutura de custos de armazenagem: Exemplo

DESCRIO.. N DE PESSOAS DA EXPEDIO .. N DE TERIRIZADOS EXPEDIO

ROTA

TOTAL

-

.. Vol. em Cx's Fsicas Expedidas .. Vol. Em Cx's Fsicas Recebidas .. Vol. em Pallets Expedidos .. Vol. em Pallets Recebidos .. rea do CD mCUSTOS

.. .. .. .. .. .. .. .. .. .. .. .. .. .. .. ..

Salrios & Enc. Sociais Combustveis Manuteno Predial Manuteno Equipamentos Manuteno Pallets Perdas Pallets Seguros EPIs Locao de Vec.Pesados Aluguel do CD Impostos & Taxas Depreciaes Segurana e Conservao Quebras Outras Despesas gua, Enrgia e Telef.TOTAL DOS CUSTOS

-

-

.. CUSTO POR CX FSICA MOVIMENTADA .. CUSTO POR M .. CUSTO P/ PALLET MOVIMENTADO

B - PREVISO DE VENDASZt 120 100 80 60 40 20 0 0 5 10 15 20

QUAL DELES MAIS FCIL PREVER?

210 190 170 150 130 110 90 20 25 30 35 40

Previso das Incertezas Previso de demanda Existem diversos modelos de previso de demanda que variam por tipo de industrias e tipo de produto. Exemplificando: Mdia com suavizao exponencial. Previso = a (demanda real) + (1-a) (previso anterior)

C - TEMPO DE RESSUPRIMENTO (LEAD-TIME) Previso do tempo de ressuprimento da mesma maneira que a previso de demanda os tempos de ressuprimento podem no ser conhecidos com exatido. Normalmente, a previso do tempo de ressuprimento podem utilizar os mesmos mtodos de estimao da demanda.

HISTOGRAMA (DISTRIBUIO)

C - TEMPO DE RESSUPRIMENTO (LEADTIME)

VALOR MDIO VARIABILIDADE (DESVIO PADRO) CAPABILIDADE15 10 Freq. 5 0 1 2 3 4 5 6 7 Dias

50 entregas mdia= 4,2 dias desvio= 1,6 dias

D - NVEL DE SERVIO DE ESTOQUES DEFININDO = probabilidade de falta de estoque NS = 1 - = disponibilidade ASSOCIADO A CUSTO DE FALTA ESTOQUE DE SEGURANA

Estoque Mdio e Perodo de RenovaoExemplo: Tempo morto (Lead-time) constante = 20 dias Consumo constante = 10 unidades/diaLT = 20 dias D = 10 u/dia

A) Perodo de Renovao T = 20 dias Lote de compra Q

Q = 10 un./dia x 20 dias = 200 un. Estoque mdio EMEstoque

EM = 0,5 x Q = 0,5 x 200 = 100 un.Pedido feito Pedido recebido

200

QEM

100

0

20

40

60

80

Tempo

B) Perodo de Renovao T = 10 dias Q = 10 un./dia x 10 dias = 100 un. EM = 0,5 x Q = 0,5 x 100 = 50 un.EstoquePedido feito Pedido recebido

200

100

Q0 20 40 60

EM

80

Tempo

C) Perodo de Renovao T = 40 dias Q = 10 un./dia x 40 dias = 400 un. EM = 0,5 x Q = 0,5 x 400 = 200 un.Pedido feito Pedido recebido

que

400

Q

200

EM

0

20

40

60

80

Tempo

Estoque de Seguranasemana 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Total Mdia semanal Valor acima da mdia consumo (cx) 28 29 31 27 34 30 28 25 28 30 290 29 5

Exemplo: venda semanal de Coca KS (cx). A/S

Clculo do ESDepende da variao (amplitude)!

Adotando nvel de servio NS = 100% de disponibilidade, teremos:ES = 5 cx

Determinao do Estoque Mdio Final Consumo constante d Perodo de renovao T Lote de requisio Q Estoque de segurana ESa) ES = 0 EM = 1 2 Q= 1 2 dT 2 Q = ES + dT 2

b) ES > 0

EM = ES +

Lote econmico Q*Custo Total Custo de manuteno

Custo ($)

Custo de Pedido/setup Q*Lote Q

Lote econmico de compra/produo = Q*

Lote econmico Q* Mnimo custo total de estoqueQ* = 2 . CP . D CM . PU

CP = custo por pedido ou de setup D = consumo por perodo PU = custo unitrio do tem CM = custo de manuteno por perodo (% de PU)

Exemplo: lote econmico15000 Custo 10000 ($) 5000 060 1140 1500 1860 2220 420 780

Demanda anual: 2.400 un. Ano operacional: 240 dias Preo unitrio: $ 50/un. Custo de manuteno: 20% a.a. Custo de um pedido: $ 200/pedido

Q*=

2 x 200 x 2400 0,20 x 50

Lote Q

= Estoque mdio: EM = 0,5 Q* = 150 un.

= 96000 = 310 un. Q* = 300 un. (arredondado)

Alguns conceitos e Tcnicas de Controle de Estoques Mtodos de empurrar estoques (tipo push) Mtodo de puxar estoques (tipo pull) estoque para demanda ponto de reposio determinando o ponto de reposio definindo o tamanho do lote de reposio sistema alternativo para puxar estoques

Curva ABC Conceito Just-in-Time

MTODOS DE GESTO DE ESTOQUES EMPURRAR ( PUSH) PUSH DA FABRICA PARA O ARMAZNS COM BASE NA PREVISO DA DEMANDA

PUXAR ( PULL) NECESSIDADES ESPECFICAS DE CADA DEPSITO OU CENTRO DE DISTIBUIO

PUSH NVEL DE ESTOQUE FIXADO COLETIVAMENTE ECONOMIA EM COMPRAS E PRODUO SO DETERMINANTES NO NVEL DE ESTOQUE CONTROLE CENTRALIZADO DE ESTOQUES PREVISO FEITA DE ACORDO COM DEMANDA AGREGADA E DEPOIS RATEADA PARA CADA DEPSITO

PULL CONSIDERA CADA PONTO DE ESTOQUE INDEPENDENTEMENTE PREVISO DE DEMANDA E QUANTIDADES DE REPOSIO CONSIDERANDO CONDIES LOCAIS PROPOSRCIONA CONTROLE DE INVENTRIO LOCAL MAS NO CONSIDERA EFEITOS SOBRE A FONTE DE SUPRIMENTOS

Modelos bsicos de gesto de estoquesA. Modelos clssicos para um tem Pressupostos ou hipteses bsicas: demanda independente demanda previsvel e bem comportada

Demanda independente necessidade gerada pelo usurio final natureza aleatria

Demanda dependente necessidades encadeadas conhecida necessidade final, as derivadas so determinsticas

1. Sistema de quantidade fixa bsico (ponto de pedido) Pressupostos ou hipteses: