Controle da Gestão de Pessoal sob a perspectiva do ... ?· Controle da Gestão de Pessoal sob a perspectiva…

Download Controle da Gestão de Pessoal sob a perspectiva do ... ?· Controle da Gestão de Pessoal sob a perspectiva…

Post on 17-Nov-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

TRANSCRIPT

  • Controle da Gesto de Pessoalsob a perspectiva do Controle Interno

    Parte I

    Secretaria de Atos de Pessoal

    Junho de 2017

  • Apresentao:Heberte Rodrigues Pereira Chefe de Diviso da SAPE-mail: heberte.pereira@tcm.go.gov.brTelefone: (62) 3216-6262

    Atribuies da Diviso dentro da SAP:- Editais de processo seletivo simplificado- Registros de admisso de pessoal- Registros de aposentadoria- Trilhas em folha de pagamento- Cumprimento de Acrdos

    Controle da Gesto de Pessoal sob a perspectiva do Controle Interno Parte I

  • Competncias da Secretaria de Atos de Pessoal (SAP)

    Edital de concurso pblico; processo seletivo pblico e processo seletivo simplificado;

    Registro de admisso de pessoal a qualquer ttulo (exceto cargo em comisso);

    Registro de aposentadoria e penso;

    Ato de fixao e reviso dos subsdios dos agentes polticos;

    Registro das declaraes de bens;

  • Competncias da Secretaria de Atos de Pessoal (SAP)

    Respectivos recursos de Agravo e Embargos de Declarao;

    Consultas, denncias, solicitaes e outros relacionados com sua rea de atuao;

    Folhas de pagamento dos rgos;

    Realizar visitas tcnicas, inspees simples, inspees complexas, auditorias, tomada de contas especial, acompanhamentos e monitoramentos;

    Analisar e avaliar despesas de pessoal e certificar o respectivo ndice

  • Contrato por prazo determinado

    Natureza jurdica

    Cargo: o lugar dentro da organizao funcionalda administrao direta e de suas autarquias efundaes pblicas, ocupado por servidorpblico, tem funes especficas fixadas em leiou diploma a ela equivalente.

    Divide-se: Efetivo Comisso

  • Natureza jurdica

    Emprego pblico: corresponde relaofuncional trabalhista, no ocupando cargo,mas celebrando contrato.

    Contrato por prazo determinado

  • Natureza jurdica

    Funo pblica: a atividade em si mesma,ou seja, funo sinnimo de atribuies.

    Divide-se: Funo de confiana Funo temporria

    Contrato por prazo determinado

  • Natureza jurdica

    (...) os contratados sob essa modalidade exercemfunes pblicas, no como integrantes de quadro depessoal permanente, mas em carter transitrio eexcepcional. (DI PIETRO, Maria Sylvia Zanella. DireitoAdministrativo. SP: Atlas, p. 421)

    Contrato por prazo determinado

  • Natureza jurdica

    PORTANTO, as contrataes por prazo determinado nose tratam de cargos pblicos, funes de confiana oumesmo empregos pblicos, mas de funes temporrias.

    Contrato por prazo determinado

  • Consequncias da Natureza Jurdica

    A Lei Municipal que prev as contrataestemporrias no cria cargos

    No primordial que a referida Lei Municipaldetermine o quantitativo de funes (apenas oscasos)

    Contrato por prazo determinado

  • Previso Constitucional

    art. 37, IX da CRFB/88 c/c art. 92, X daConstituio Estadual de Gois

    a lei estabelecer1 os casos2 de contratao por tempo determinado3para atender a necessidade temporria4 de excepcional interessepblico.5

    Contrato por prazo determinado

  • Previso Constitucional

    a lei estabelecer1

    Norma constitucional de eficcia limitada Exemplos

    Lei 8.745/93 mbito federal Lei 13.664/00 mbito do Estado de Gois

    Contrato por prazo determinado

  • Previso Constitucional

    a lei estabelecer1

    Competncia para legislar por Ente Federativo art. 30 da CRFB/88. Compete aos Municpios:

    I - legislar sobre assuntos de interesse local

    STF: Impossibilidade de aplicao de Lei Federal noEstados e Municpios.

    Contrato por prazo determinado

  • Previso Constitucional

    casos2

    A lei deve estabelecer as hipteses e condies emque sero realizadas as admisses temporrias depessoal para atender o excepcional interesse pblico.

    STF: inconstitucional leis demasiadamenteabrangentes (ADI 3.116 e 2.125)

    Contrato por prazo determinado

  • Previso Constitucional

    tempo determinado3

    Contrato celebrado para tempo determinado

    Limites definidos em Lei

    Contrato por prazo determinado

  • Previso Constitucional

    necessidade temporria4

    Conforme a situao que se enquadra na Lei

    Contrato por prazo determinado

  • Previso Constitucional

    excepcional interesse pblico5

    Indispensvel Evite danos ao interesse pblico Prestigie o princpio da continuidade do servio

    pblico

    Contrato por prazo determinado

  • Requisitos para a contratao previso legal da contratao por prazo determinado,

    com suas hipteses

    contratao por tempo determinado

    atender necessidade temporria

    presena de excepcional interesse pblico

    realizao de processo seletivo simplificado

    Contrato por prazo determinado

  • Por que tenho que promover Processo SeletivoSimplificado PSS para a contratao porprazo determinado?

    Princpios constitucionais administrativos

    Entendimento jurisprudencial

    Entendimento doutrinrio

    Determinao TCM/GO RN 007/05

    Determinao legal, caso exista

    Contrato por prazo determinado

  • Sistemtica para celebrar contrato por prazo determinado

  • Sistemtica para celebrar contrato por prazo determinado

  • Contratao de ACE e ACS Lei 11.350/06

    Art. 16. Fica vedada a contrataotemporria ou terceirizada de AgentesComunitrios de Sade e de Agentes deCombate s Endemias, salvo na hiptese decombate a surtos endmicos, na forma da leiaplicvel.

    Contrato por prazo determinado

  • Elaborao do Edital de PSS

    Previso das vagas e cadastro reserva quantitativo restrito ao necessrio

    Qualificao profissional

    Data/perodo de inscries Princpio da razoabilidade Nem nfimo, nem muito prolongado No se utiliza edital de concurso pblico como

    padro

  • Taxa de inscrio Caso tenha, limita-se s despesas da seleo,

    observado o valor dos contratos Caso tenha, deve haver iseno para

    economicamente hipossufissientes

    Data da seleo

    Elaborao do Edital de PSS

  • Forma da seleo Critrios objetivos, impessoais Contempla a celeridade que o caso requer Caso tenha prova, pertinncia temtica No devem ter critrios que privilegiem

    servidores ou ex-servidores

    Elaborao do Edital de PSS

  • Critrios de desempate Princpio da eficincia Atendimento ao Estatuto do Idoso Maior idade com critrio residual

    Prazo de validade do PSS

    Elaborao do Edital de PSS

  • Prazo de vigncia dos contratos

    Local de exerccio da atividade contratada

    Carga horria

    Remunerao

    Elaborao do Edital de PSS

  • Data de divulgao do resultado final

    Dentre outros

    Elaborao do Edital de PSS

  • Publicao do edital de PSS

    Oficial

    Demais formas para aumentar a publicidade

    Determinao pela IN 010/15 TCM/GO Cpia do aviso de publicao do extrato do edital em rgo oficial de

    divulgao dos atos da Administrao local ou no Dirio Oficial do Estado(DOE), e ainda em jornais de circulao local ou de grande circulao, bemcomo comprovao de outros meios utilizados para ampliar a publicidade.

  • Encaminhamento do PSS ao TCM/GO

    art. 7, IV da IN 10/15 TCM/GO

    Edital fsico em 3 dias teis aps sua primeirapublicao oficial

    Mesmo prazo, cadastrado no site do TCM

    Rol de documentos (art. 7, pargrafo nico, inciso VI, da IN 10/15)

  • Celebrao do contrato por prazo determinado

    Deve-se verificar

    Dotao oramentria Contratao por ordem de classificao Prazo de validade do PSS Contratao dentro do nmero manifestado

    da necessidade, salvo nova necessidade motivada

  • Celebrao do contrato por prazo determinado

    Regime Jurdico de Trabalho

    Regime Especial (estabelecido pela prpriaLei)

    Subsidiariamente, pode-se utilizar doestatutrio, mas desde que compatvel com anatureza do contrato

  • Regime Jurdico de Previdncia

    Regime Geral de Previdncia RGPS Art. 40, 13 da CRFB/88

    Ao servidor ocupante, exclusivamente, de cargoem comisso declarado em lei de livre nomeaoe exonerao bem como de outro cargotemporrio ou de emprego pblico, aplica-se oregime geral de previdncia social.

    Celebrao do contrato por prazo determinado

  • Admisso para provimento em cargo efetivo

    Caractersticas Art. 37, II da CRFB/88

    A investidura em cargo ou emprego pblico depende deaprovao prvia em concurso pblico de provas ou deprovas e ttulos, de acordo com a natureza e a complexidadedo cargo ou emprego, na forma prevista em lei, ressalvadasas nomeaes para cargo em comisso declarado em lei delivre nomeao e exonerao.

  • Caractersticas

    Nomeao: forma de provimento originrio

    ato administrativo que materializa o provimentooriginrio de um cargo. (CARVALHO FILHO, Jos dosSantos. Manual de Direito Administrativo. Lmen Juriseditora, p. 672)

    Admisso para provimento em cargo efetivo

  • Caractersticas

    Posse: ato de investidura

    o ato de posse que contempla a investidura,espelhando uma verdadeira conditio iuris para oexerccio da funo pblica. (CARVALHO FILHO, Josdos Santos. Manual de Direito Administrativo. LmenJuris editora, p. 673)

    Admisso para provimento em cargo efetivo

  • Caractersticas

    Exerccio: efetivo desempenho das funes atribudas ao cargo

    o exerccio que confere ao servidor o direito retribuio pecuniria como contraprestao pelodesempenho das funes inerentes ao cargo.(CARVALHO FILHO, Jos dos Santos. Manual de DireitoAdministrativo. Lmen Juris editora, p. 673)

    Admisso para provimento em cargo efetivo

  • Admisso para provimento em cargo efetivo

  • Caractersticas Concurso pblico/Processo Seletivo Pblico

    Apreciao do edital pelo Tribunal

    Prazo de validade/prorrogao Art. 37, III da CRFB - o prazo de validade do concurso

    pblico ser de at dois anos, prorrogvel uma vez, porigual perodo.

    Admisso para provimento em cargo efetivo

  • Caractersticas Concurso pblico/Processo Seletivo Pblico

    Ordem classificatria Pessoas com deficincia, nomeaes de ACS por rea e

    demais peculiaridades do edital

    Relao quantidade de vagas x nomeaes Imprescindvel averiguar a presena de cargos vagos a

    serem preenchidos

    Admisso para provimento em cargo efetivo

  • Caractersticas Acumulao de cargos, empregos ou funes Idade dos nomeados LDO

    A Constituio da Repblica Federativa do Brasilem seu art. 169, 1, I e II, determina que,dentre outro, deve haver autorizao especficana lei de diretrizes oramentrias (LDO) para aadmisso ou contratao de pessoal.

    Admisso para provimento em cargo efetivo

  • Caractersticas Despesa com pessoal

    despesa total com pessoal exceder a 95% (noventa e cinco por cento) do limite, vedado o provimento de cargo pblico, admisso ou contratao de pessoal a qualquer ttulo (I art. 22, pargrafo nico, l inciso IV, da LRF)

    Admisso para provimento em cargo efetivo

  • Caractersticas Despesa com pessoal

    Limite prudencial Poder Executivo 51,3% Poder Legislativo 5,7%

    art. 21, pargrafo nico, da Lei Complementar n 101/2000

    Veda aumento na despesa total com pessoal nosltimos 180 dias do ltimo ano do mandato

    Admisso para provimento em cargo efetivo

  • Caractersticas Perodo eleitoral

    Art. 73, inciso V, alnea c, da Lei n 9.504/97 - So proibidasaos agentes pblicos (...) nomear, contratar ou de qualquerforma admitir, demitir sem justa causa (...) nos trs mesesque o antecedem e at a posse dos eleitos (...) ressalvados:(...) a nomeao dos aprovados em concursos pblicoshomologados at o incio daquele prazo.

    Admisso para provimento em cargo efetivo

  • Aposentadoria do servidor pblico

    Conceito

    o direito, garantido pela Constituio, ao servidorpblico, de perceber determinada remunerao nainatividade diante da ocorrncia de certos fatosjurdicos previamente estabelecidos. (CARVALHOFILHO, Jos dos Santos. Manual de DireitoAdministrativo. Lmen Juris editora, p. 753)

  • Natureza jurdica

    Ato complexo (doutrina majoritria; STF)

    Aposentadoria do servidor pblico

  • Modalidades

    Por invalidez

    Compulsria

    Voluntria

    Aposentadoria do servidor pblico

  • Previso constitucionalArt. 40. (...)I por invalidez permanente, sendo osproventos proporcionais ao tempo decontribuio, exceto se decorrente de acidenteem servio, molstia profissional ou doenagrave, contagiosa ou incurvel, na forma da lei;

    Aposentadoria do servidor pblico

  • Previso constitucionalArt. 40. (...)II - compulsoriamente, com proventosproporcionais ao tempo de contribuio, aos70 (setenta) anos de idade, ou aos 75 (setentae cinco) anos de idade, na forma de leicomplementar;

    Aposentadoria do servidor pblico

  • Previso ConstitucionalArt. 40. (...)III - voluntariamente, desde que cumprido tempomnimo de dez anos de efetivo exerccio no serviopblico e cinco anos no cargo efetivo em que sedar a aposentadoria, observadas as seguintescondies:

    a) sessenta anos de idade e trinta e cinco decontribuio, se homem, e cinquenta e cinco anosde idade e trinta de contribuio, se mulher.

    Aposentadoria do servidor pblico

  • Previso ConstitucionalArt. 40. (...)III - voluntariamente, desde que cumprido tempomnimo de dez anos de efetivo exerccio no serviopblico e cinco anos no cargo efetivo em que sedar a aposentadoria, observadas as seguintescondies:

    b) sessenta e cinco anos de idade, se homem, esessenta anos de idade, se mulher, com proventosproporcionais ao tempo de contribuio.

    Aposentadoria do servidor pblico

  • Requisitos de concesso artigo 40, I da CRFB/88, na redao dada pela

    EC 20/98.

    proventos integrais pela mdia: invalidezdecorrente de acidente em servio, molstiaprofissional ou doena grave, contagiosa ouincurvel, especificadas em lei.

    Aposentadoria do servidor pblico

  • Requisitos de concesso artigo 40, I da CRFB/88, na redao dada pela

    EC 20/98.

    proventos proporcionais pela mdia: invalidezdecorrente de doenas no especificadas em lei.

    Aposentadoria do servidor pblico

  • Requisitos de concesso artigo 40, II da CRFB/88, , na redao dada

    pela EC 88/15.

    75 (setenta e cinco) anos de idade, na forma daLei Complementar n 152/15.

    Aposentadoria do servidor pblico

  • Requisitos de concesso artigo 40, III, a da CRFB/88, na redao dada

    pela EC 20/98.

    HOMEM

    Tempo de contribuio 35 anos

    Idade 60 anos

    Tempo de efetivo exerccio no servio pblico 10 anosTempo de exerccio no cargo efetivo em que se deu a aposentadoria 5 anos

    Aposentadoria do servidor pblico

  • Requisitos de concesso artigo 40, III, a da CRFB/88, na redao dada

    pela EC 20/98.

    MULHER

    Tempo de contribuio 30 anos

    Idade 55 anos

    Tempo de efetivo exerccio no servio pblico 10 anosTempo de exerccio no cargo efetivo em que se deu a aposentadoria 5 anos

    Aposentadoria do servidor pblico

  • Requisitos de concesso artigo 40, III, b da CRFB/88, na redao

    dada pela EC 20/98.

    HOMEM

    Idade 65 anos

    Tempo de efetivo exerccio no servio pblico 10 anos

    Tempo de exerccio no cargo efetivo em que se deu a aposentadoria 5 anos

    Aposentadoria do servidor pblico

  • Requisitos de concesso artigo 40, III, b da CRFB/88, na redao

    dada pela EC 20/98.

    MULHER

    Idade 60 anos

    Tempo de efetivo exerccio no servio pblico 10 anos

    Tempo de exerccio no cargo efetivo em que se deu a aposentadoria 5 anos

    Aposentadoria do servidor pblico

  • Requisitos de concesso artigo 40, III, a da CRFB/88, na redao dada

    pela EC 20/98.

    HOMEM PROFESSOR

    Tempo de contribuio 30 anos

    Idade 55 anos

    Tempo de efetivo exerccio no servio pblico 10 anos

    Tempo de exerccio no cargo efetivo em que se deu a aposentadoria 5 anos

    Aposentadoria do servidor pblico

  • Requisitos de concesso artigo 40, III, a da CRFB/88, na redao dada

    pela EC 20/98.

    MULHER PROFESSORA

    Tempo de contribuio 25 anos

    Idade 50 anos

    Tempo de efetivo exerccio no servio pblico 10 anos

    Tempo de exerccio no cargo efetivo em que se deu a aposentadoria 5 anos

    Aposentadoria do servidor pblico

  • REGRAS DE TRANSIO

    Aposentadoria do servidor pblico

  • Requisitos de concesso artigo 40, I da CRFB/88, na redao dada pela

    EC 70/12.

    proventos com integralidade ltimaremunerao

    Aposentadoria do servidor pblico

  • Requisitos de concesso artigo 40, I da CRFB/88, na redao dada pela

    EC 70/12.

    proventos com proporcionalidade ltimaremunerao

    Aposentadoria do servidor pblico

  • Requisitos de concesso artigo 6 da EC 41/03.

    HOMEM

    Ingresso no servio pblico At 31/12/2003Tempo de contribuio 35 anos

    Idade 60 anos

    Tempo de efetivo exerccio no servio pblico 20 anos

    Tempo de efetivo exerccio na carreira 10 anosTempo de exerccio no cargo efetivo em que se deu a aposentadoria 5 anos

    Aposentadoria do servidor pblico

  • Requisitos de concesso artigo 6 da EC 41/03.

    MULHER

    Ingresso no servio pblico At 31/12/2003Tempo de contribuio 30 anos

    Idade 55 anos

    Tempo de efetivo exerccio no servio pblico 20 anos

    Tempo de efetivo exerccio na carreira 10 anosTempo de exerccio no cargo efetivo em que se deu a aposentadoria 5 anos

    Aposentadoria do servidor pblico

  • Requisitos de concesso artigo 6 da EC 41/03.

    HOMEM PROFESSORAtividade exclusiva de magistrio 30 anos

    Ingresso no servio pblico At 31/12/2003Tempo de contribuio 30 anosIdade 55 anosTempo de efetivo exerccio no servio pblico 20 anosTempo de efetivo exerccio na carreira 10 anosTempo de exerccio no cargo efetivo em que se deu a aposentadoria 5 anos

    Aposentadoria do servidor pblico

  • Requisitos de concesso artigo 6 da EC 41/03.

    MULHER PROFESSORA

    Atividade exclusiva de magistrio 25 anos

    Ingresso no servio pblico At 31/12/2003Tempo de contribuio 25 anosIdade 50 anosTempo de efetivo exerccio no servio pblico 20 anos

    Tempo de efetivo exerccio na carreira 10 anosTempo de exerccio no cargo efetivo em que se deu a aposentadoria 5 anos

    Aposentadoria do servidor pblico

  • Clculo dos proventos

    mdia aritmtica simples das maioresremuneraes

    Integral: no se aplica a frao

    Proporcional: aplica-se a frao correspondenteao perodo parcial de contribuio

    OBS.: reajustamento dos benefcios para preservar-lhes, em carter permanente, o valor real.

    Aposentadoria do servidor pblico

  • Clculo dos proventos

    Integralidade

    OBS.: proventos revistos na mesma proporo e namesma data, sempre que se modificar a remuneraodos servidores em atividade, e estendidos quaisquerbenefcios ou vantagens posteriormente concedidosaos servidores em atividade (paridade).

    Aposentadoria do servidor pblico

  • Obrigado

    Heberte Rodrigues Pereiraauditor de controle externo/chefe de diviso

    heberte.pereira@tcm.go.gov.br

Recommended

View more >