contratos empresariais - contratos empresariais... · contratos empresariais página 3 teoria...

Download CONTRATOS EMPRESARIAIS - Contratos Empresariais... · CONTRATOS EMPRESARIAIS Página 3 TEORIA GERAL…

Post on 12-Jan-2019

217 views

Category:

Documents

1 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

PONTIFICIA UNIVERSIDADE CATLICA DE SO PAULO FACULDADE DE DIREITO

CONTRATOS EMPRESARIAIS Resumo das Aulas

2018

Prof. Luiz Gonzaga Modesto de Paula modesto@pucsp.br

01/08/2018

CONTRATOS EMPRESARIAIS Pgina 2

PROGRAMA 1. TEORIA GERAL DO DIREITO CONTRATUAL Autonomia da vontade. Interveno estatal. Regimes jurdicos de direito privado dos

contratos no Brasil. Princpios do Direito Contratual. Classificao dos contratos. Os contratos dos empresrios. Contratos eletrnicos.

2. COMPRA E VENDA ENTRE EMPRESRIOS Elementos e formao do contrato. Obrigaes do Vendedor. Obrigaes do Compra-

dor. Contrato de fornecimento. Compra e venda no comrcio exterior. Cmbio. IN-COTERMs.

3. CONTRATOS DE COLABORAO Distribuio. Concesso mercantil. Concesso para comercializao de veculos au-

tomotores terrestres. Mandato mercantil. Comisso mercantil. Representao comer-cial autnoma. Agncia. Clusula de exclusividade e Mercado Cinza (Importao pa-ralela).

4. CONTRATOS RELATIVOS PROPRIEDADE INTELECTUAL Franquia (franchising). Licenas e cesses. Transferncia de Tecnologia. Know how. 5. CONTRATOS BANCRIOS Atividade bancria. Sistema Financeiro Nacional. Depsito bancrio. Mtuo bancrio.

Aplicao financeira. Desconto bancrio. Crdito documentrio. Vendor. Garantias bancrias.

6. CONTRATOS BANCRIOS IMPRPRIOS Fomento mercantil (factoring). Arrendamento mercantil (leasing). Alienao fiduci-

ria em garantia. 7. CONTRATO DE SEGURO Atividade securitria. Seguro de Pessoas. Seguro de danos. Liquidao do Seguro.

Resseguro. 8. CONTRATOS DE CONSUMO Aplicao do CDC aos contratos entre empresrios. Princpios da Tutela Contratual

do Consumidor. Clusulas Abusivas. 9. OUTROS CONTRATOS EMPRESARIAIS Transporte de carga. Fretamento. Armazenamento. Agenciamento de Publicidade.

Hedge. Corretagem mercantil.

CONTRATOS EMPRESARIAIS Pgina 3

TEORIA GERAL DE DIREITO CONTRATUAL

Autonomia da vontade. Interveno estatal. Regimes jurdicos de direito privado dos contratos no Brasil. Princpios do Direito Contra-tual. Classificao dos contratos. Os contratos dos empresrios. Contratos eletrnicos. CONCEITO DE CONTRATO Contrato o acordo de duas ou mais vontades, na conformidade da ordem jurdica, destinado a estabelecer uma regulamentao de in-teresses entre as partes, com o escopo de adquirir, modificar ou extinguir relaes jurdicas de natureza patrimonial FUNDAMENTO:

AUTONOMIA DA VONTADE (conceito filosfico) KANT - chave para discernir a moralidade das condutas

fazer algo porque se quer outra coisa VERSO JURDICA: reconhecimento da validade e eficcia do acordo

a) ningum obrigado a contratar b) todos podem contratar com quem quiser c) contrata na forma que quiser

O CONTRATO LEI ENTRE AS PARTES

(PACTA SUNT SERVANDA)

O direito garante o cumprimento: - Execuo especfica - mais perdas e danos RESULTADO: manifestao livre da vontade DEFEITOS NA MANIFESTAO DA VONTADE:

ERRO - DOLO - COAO = anulabilidade SIMULAO - FRAUDE = nulidade

CONSEQUNCIA: (proteo ao mais fraco) ENTRE O FRACO E O FORTE A LIBERDADE ESCRAVIZA E O DIREITO

LIBERTA (Jean-Baptiste-Henri Dominique Lacordaire (1802 - 1861)

CONTRATOS EMPRESARIAIS Pgina 4

EVOLUO DO CONCEITO DE CONTRATO

direito romano - contrato civil idade mdia (476 a 1453) - contrato mercantil formao dos Estados (sec. XV) - contrato administrativo revoluo industrial (1780 a 1830) - contrato de trabalho relaes de consumo (1891 - NEW YORK CONSUMERS LEAGUE)- contrato de consumo REQUISITOS COMUNS AGENTE CAPAZ

OBJETO LCITO e POSSVEL

FORMA PRESCRITA OU NO DEFESA EM LEI

REQUISITOS DE VALIDADE E EFICCIA QUANTO VALIDADE cumprimento obrigatrio (pacta sunt servanda) autonomia da vontade sem efeito por vcios da vontade (art. 147 CCiv)

- VICIOS DE CONSENTIMENTO

ANULABILIDADE = ex nunc desde agora = erro ou ignorncia, dolo, coao, leso, estado de perigo - VCIOS SOCIAIS

NULIDADE = ex tunc desde o incio = fraude e simulao QUANTO EFICCIA IMPREVISO

ONEROSIDADE EXCESSIVA

(rebus sic stantibus)

CONTRATOS EMPRESARIAIS Pgina 5

FORMAO e INTERPRETAO DOS CONTRATOS

FORMAO PROPOSTA POLICITAO quem faz proponente ou policitante proposta gera obrigatoriedade art. 427 CCiv - entre presentes internet, fax, e-mail, etc. - entre ausentes teoria da expedio (art. 428 III do CCiv)

ACEITAO quem aceita aceitante ou oblato expressa tcita = comportamento adesivo presumida = prazo de recusa no cumprido MANIFESTAO DA VONTADE (art. 107 CCiv) expressa ou explcita tcita ou implcita DO LUGAR (jurisdio) eleio ou foro contratual entre pessoas de pases diferentes = local do proponente (LICC art. 9- 2)

INTERPRETAO DOS CONTRAT0S

REGRA BSICA: Nas declaraes de vontade se atender mais inteno neles consubstanciada do que o sentido literal da lingua-gem. (art. 112 CCiv)

REGRAS DE POTHIER

a) clusula com duplo sentido = deve produzir efeito

b) clusulas ambguas = conforme costume do lugar

c) expresses com duplo sentido = cf. natureza e objeto do contrato

d) a regra inserida por um dos contratantes = a favor do outro

e) contratos gratuitos (benficos) = restrita

f) contratos onerosos = equilbrio

Robert Joseph Pothier (1699-1772)

CONTRATOS EMPRESARIAIS Pgina 6

EXTINO DOS CONTRATOS

PELO CUMPRIMENTO INVALIDADE (VCIOS) NULIDADE (ex tunc) = imediata - insanvel - perptua (166) ANULABILIDADE (ex nunc) = erro, dolo, coao, leso, estado de perigo, fraude (138 a 158) DISSOLUAO MODOS

RESOLUO = extino do contrato por caso fortuito ou fora maior (act of God) (478) = vcio redibitrio e evico = leso, estado de perigo, estado de necessidade

RESILIO = por convenincia BILATERAL (art. 472) UNILATERAL revogao, denncia, renncia

RESCISO = por inadimplemento CAUSAS

EXCEO DO CONTRATO NO CUMPRIDO (art. 476) exceptio non adimpleti contractus (s bilateral)

IMPREVISO

ONEROSIDADE EXCESSIVA rebus sic stantibus

"Contractus qui habent tractum successivum et debentiam de futuro rebus sic stantibus intelliguntur". Art. 478. Nos contratos de execuo continuada ou diferida, se a prestao de uma das partes se tornar excessivamente onerosa, com extrema vantagem para a outra, em virtude de acontecimentos extraordinrios e imprevisveis, poder o devedor pedir a resoluo do contrato. Os efeitos da sentena que a decretar retroagiro data da citao.

CONTRATOS EMPRESARIAIS Pgina 7

INTERVENO ESTATAL

INCIO PELO MODELO LIBERAL:

autonomia da vontade (pacta sunt servanda) = vcios e defeitos na manifestao da vontade

REVOLUO SOCIALISTA (sc. XIX)

= relaes de trabalho = relaes de consumo

nasce a idia de vulnerveis e hipossuficientes

REVISO JUDICIAL DOS CONTRATOS: teoria de impreviso

(rebus sic stantibus) teoria da leso

(excessiva onerosidade) equalizao das condies jurdicas dos desiguais

entre o forte e o fraco, a liberdade escraviza e o direito liberta

CONSTITUIO FEDERAL

PRINCPIO DA FUNO SOCIAL DA PROPRIEDADE PRINCIPIO DA LIBERDADE DE INICIATIVA PRINCPIO DA LIVRE CONCORRNCIA DEFESA DO CONSUMIDOR INCENTIVOS PARA A MICROEMPRESA

CONTRATOS EMPRESARIAIS Pgina 8

REGIMES JURDICOS DE DIREITO PRIVADO

DOS CONTRATOS NO BRASIL

CONTRATOS ADMINISTRATIVOS

conveno estabelecida entre duas ou mais pessoas para constituir, regular ou extinguir, entre elas, uma relao jur-dica patrimonial, tendo sempre a participao do Poder P-blico, visando persecuo de um interesse coletivo, sendo regido pelo direito pblico. o ajuste que a Administrao P-blica firma com o particular ou outro ente pblico, para a con-secuo de interesse coletivo. Lei 8.666/93 (LEI N 12.598/2012)

CONTRATOS DE DIREITO CIVIL

Art. 421. A liberdade de contratar ser exercida em razo e nos limites da funo social do contrato. Cdigo Civil - Lei n 10.406 de 10 de Janeiro de 2002

CONTRATOS EMPRESARIAIS

Contratos celebrados entre dois ou mais empresrios ou soci-edades empresariais cuja finalidade seja o lucro

CONTRATOS DE CONSUMO

So contratos de consumo os que os fornecedores de pro-dutos ou prestadores de servios celebram com os consu-midores. Lei n. 8.078/90

CONTRATOS EMPRESARIAIS Pgina 9

PRINCPIOS DO CONTRATO EMPRESARIAL

(VIDE ARTS. 303 A 310 DO PL. 1.572/2011)

AUTONOMIA DA VONTADE

liberdade de contratar

contrata se quiser contrata com quem quiser contrata como quiser

PLENA VINCULAO DOS CONTRATANTES

pacta sunt servanda a reviso dos contratos excepcional caveat emptor (significa 'o risco do comprador')

PROTEO DO CONTRATANTE MAIS FRACO

relaes assimtricas por dependncia econmica o contratante no vulnervel nem hipossuficiente

exemplo: contratos de franquia

RECONHECIMENTO DE USOS E COSTUMES

so vlidas as clusulas contratuais que reproduzem usos e costumes

LIBERDADE DA FORMA DO CONTRATO

forma ad probationem

Recommended

View more >