Contrato de Trabalho - .pdf · JUN/17 3,66% SET/17 2,66% DEZ/17 1,66% MAR/18 0,66% JUL/17 3,33% OUT/17…

Download Contrato de Trabalho - .pdf · JUN/17 3,66% SET/17 2,66% DEZ/17 1,66% MAR/18 0,66% JUL/17 3,33% OUT/17…

Post on 28-Jan-2019

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

<p>Sede: Avenida Mauro Ramos, 1624 CX.P. 213 - Centro CEP 88020-304 - Centro FLORIANPOLIS - SC </p> <p>Fone: (048) 3229-8677 - Fax: (048) 3229-8631 fecesc@fecesc.org.br - www.fecesc.org.br </p> <p>CNPJ 83 929 588/0001-90 </p> <p>CONVENO COLETIVA DE TRABALHO 2018/2019 NMERO DE REGISTRO NO MTE: SC000730/2018 DATA DE REGISTRO NO MTE: 16/05/2018 NMERO DA SOLICITAO: MR019950/2018 NMERO DO PROCESSO: 46220.003333/2018-34 DATA DO PROTOCOLO: 09/05/2018 Confira a autenticidade no endereo http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. FEDERACAO DOS TRAB NO COM NO ESTADO DE SANTA CATARINA, CNPJ n. 83.929.588/0001-90, neste ato representado(a) por seu Tesoureiro, Sr(a). IVO CASTANHEIRA; E SINDLOC SC SINDICATO DAS EMPRESAS LOCADORAS DE VEICULOS AUTOMOTORES DO ESTADO DE SANTA CATARINA, CNPJ n. 00.250.599/0001-11, neste ato representado(a) por seu Presidente, Sr(a). EDUARDO MARTINS GUEDES; celebram a presente CONVENO COLETIVA DE TRABALHO, estipulando as condies de trabalho previstas nas clusulas seguintes: CLUSULA PRIMEIRA - VIGNCIA E DATA-BASE As partes fixam a vigncia da presente Conveno Coletiva de Trabalho no perodo de 01 de maio de 2018 a 30 de abril de 2019 e a data-base da categoria em 01 de maio. CLUSULA SEGUNDA - ABRANGNCIA A presente Conveno Coletiva de Trabalho abranger a(s) categoria(s) Trabalhadores em Empresas Locadoras de Veculos Automotores, Equipamentos e Bens Mveis, com abrangncia territorial em SC. </p> <p> Salrios, Reajustes e Pagamento </p> <p>Piso Salarial </p> <p>CLUSULA TERCEIRA - SALRIO NORMATIVO - PISO SALARIAL O Salrio Normativo para o perodo de Maio/2018 a Abril/2019 assegurado nas seguintes bases: a) R$ 1.850,00 (um mil e oitocentos e cinquenta reais) - Operador de Locao, Agente de Locao e Agente de Servios; b) R$ 1.600,00 (um mil e seiscentos reais) - Motorista e Gestor de Negcios; </p> <p> c) R$ 1.311,00 (um mil e trezentos e onze reais) - Caixas e Assemelhados, Telefonistas; Recepcionistas, Auxiliar Administrativo, Auxiliar Contbil, Auxiliar de Operador de Locao, Auxiliar de Agente de Locao, Auxiliar de Agente de Servio e Demais Funes; d) R$ 1.252,00 (um mil e duzentos e cinquenta e dois reais) - Copeira, Servente, Office-Boy e Lavador de Veculos. Pargrafo nico: Na ocorrncia de reajuste do Piso Salarial Estadual (Inciso III do Artigo 1 da </p> <p>Lei Complementar n 459/09-SC) durante a vigncia da presente conveno, para valor superior aos constantes nas letras "c" e "d" desta clusula, prevalecer para todos os efeitos o maior valor. </p> <p>Reajustes/Correes Salariais </p> <p> CLUSULA QUARTA - CORREO SALARIAL </p> <p>Os salrios dos integrantes da categoria profissional sero reajustados no ms de Maio 2018, pela aplicao do percentual de 4% (quatro por cento), incidente sobre os salrios de Maio de </p> <p>2017, compensados os adiantamentos legais ou espontaneamente pagos no perodo, salvo os decorrentes de promoo, trmino de aprendizagem, transferncia de cargo, funo, estabelecimento ou localidade e equiparao salarial determinada por sentena transitada em julgado. Pargrafo nico: Os empregados admitidos aps Maio de 2017, faro jus correo </p> <p>proporcional ao tempo de servio, incidente sobre o salrio de admisso, conforme tabela a seguir: </p> <p>MS ADMISSO </p> <p>CORREO SALARIAL </p> <p>MS ADMISSO </p> <p>CORREO SALARIAL </p> <p>MS ADMISSO </p> <p>CORREO SALARIAL </p> <p>MS ADMISSO </p> <p>CORREO SALARIAL </p> <p>At MAI/17 4,00% AGO/17 3,00% NOV/17 2,00% FEV/18 1,00% </p> <p>JUN/17 3,66% SET/17 2,66% DEZ/17 1,66% MAR/18 0,66% </p> <p>JUL/17 3,33% OUT/17 2,33% JAN/18 1,33% ABR/18 0,33% </p> <p> Pagamento de Salrio Formas e Prazos </p> <p> CLUSULA QUINTA - MORA SALARIAL As empresas pagaro ao empregado 1% (um por cento) ao dia mais correo monetria sobre o salrio vencido, no caso de mora salarial, aps o 5 (quinto) dia til do ms subsequente, configurada a culpa da empresa no atraso do pagamento </p> <p>Isonomia Salarial </p> <p> CLUSULA SEXTA - EMPREGADOS NOVOS ADMITIDOS </p> <p>Durante a vigncia da presente Conveno, os empregados admitidos no podero perceber remunerao inferior a dos empregados dispensados, desde que admitidos para trabalho da mesma natureza, excludas as vantagens pessoais e dispensada a necessidade de comprovao de experincia anterior. CLUSULA STIMA - EMPREGADO MAIS NOVO NA EMPRESA </p> <p>Por ocasio de reajuste salarial e quando da admisso, no poder o empregado mais antigo receber salrio inferior ao empregado mais novo na mesma funo, devendo, neste caso, ser efetuada a equiparao salarial na forma da lei, salvo se a empresa tiver quadro organizado de carreira. CLUSULA OITAVA - EMPREGADO SUBSTITUTO </p> <p>Enquanto perdurar a substituio que no tenha carter meramente eventual, o empregado substituto far jus ao salrio do empregado substitudo. </p> <p>Descontos Salariais </p> <p> CLUSULA NONA - CHEQUES SEM FUNDOS </p> <p>As empresas no descontaro da remunerao de seus empregados, as importncias correspondentes a cheques sem fundos, por estes recebidos quando na funo de caixa ou servios assemelhados, uma vez cumpridas as normas da empresa, que devero ser por escrito e constando da mesma a obrigatoriedade de existncia de responsvel para visto no cheque, no ato de seu recebimento. </p> <p>Outras normas referentes a salrios, reajustes, pagamentos e critrios para clculo </p> <p> CLUSULA DCIMA - REAJUSTE AUTOMTICO </p> <p>Os salrios dos empregados abrangidos por esta Conveno Coletiva de Trabalho, inclusive os salrios normativos, sero reajustados no mesmo nvel e automaticamente pela variao do INPC-IBGE ou outro ndice que venha a substitu-lo, toda vez que tal acumulao ultrapassar 15% (quinze por cento), a partir da vigncia do presente instrumento. O reajuste automtico ser considerado antecipao salarial. CLUSULA DCIMA PRIMEIRA - COMPROVANTES DE PAGAMENTOS As empresas fornecero obrigatoriamente aos seus empregados, envelope mensal de pagamento ou documento equivalente, contendo, alm da identificao da empresa, discriminao de todos os valores pagos e descontados. </p> <p> Gratificaes, Adicionais, Auxlios e Outros </p> <p>13 Salrio </p> <p>CLUSULA DCIMA SEGUNDA - ANTECIPAO DO 13 SALRIO Antecipao do percentual de 50% (cinqenta por cento) do 13 salrio aos empregados que requeiram at 10(dez) dias antes do incio das frias. </p> <p>Gratificao de Funo </p> <p>CLUSULA DCIMA TERCEIRA - GRATIFICAO DE FUNO As empresas pagaro aos empregados exercentes das funes de: Operador de Locao, Agente de Locao e Agente de Servios, uma gratificao de funo de 5% (cinco por cento) do salrio nominal de cada empregado, ficando os mesmos responsveis pelos valores recebidos no ato dos contratos de locao dos veculos. Pargrafo Primeiro: A presente gratificao no cumulativa com a gratificao de quebra de caixa, ficando excludos do presente beneficio os empregados que recebem o adicional de quebra de caixa estabelecido na presente Conveno Coletiva. Pargrafo Segundo: O empregado que no receber a gratificao estipulada no caput desta clusula, ficar isento das responsabilidades sobre os valores recebidos no ato dos contratos de locao de veculos. CLUSULA DCIMA QUARTA - QUEBRA DE CAIXA As empresas remuneraro os empregados que exeram a funo especfica de caixa ou assemelhada (tesoureiro, auxiliar de tesouraria, fiscal de caixa e conferente de caixa), com o prmio mensal de 20% (vinte por cento) sobre o salrio normativo estabelecido na letra b da clusula 3 da presente Conveno Coletiva de Trabalho, a ttulo de quebra de caixa, ficando o empregado responsvel pelas diferenas que ocorrerem. CLUSULA DCIMA QUINTA - CONFERNCIA DE CAIXA </p> <p>Ficam os empregados responsveis pelas diferenas que forem encontradas na conferncia dos valores em caixa, desde que seja realizada na presena do operador responsvel pela mesma. Quando este for impedido pela empresa de acompanhar a conferncia, ficar isento de responsabilidade por qualquer erro verificado. </p> <p>Adicional de Hora-Extra </p> <p> CLUSULA DCIMA SEXTA - HORAS EXTRAORDINRIAS A jornada extraordinria de trabalho ser remunerada com o adicional de 70% (setenta por cento), sobre o valor da hora normal de trabalho. Pargrafo nico: As eventuais compensaes de horas extraordinrias sero efetuadas de comum acordo, observada a legislao vigente. </p> <p>Adicional Noturno </p> <p> CLUSULA DCIMA STIMA - ADICIONAL NOTURNO </p> <p>O trabalho noturno ser pago com o adicional de 40% (quarenta por cento), a incidir sobre o salrio hora normal. </p> <p>Auxlio Alimentao </p> <p>CLUSULA DCIMA OITAVA - VALE OU TICKET REFEIO As empresas fornecero vale ou ticket-refeio ou vale alimentao gratuitamente a todos os empregados abrangidos por esta Conveno, por dia trabalhado, nos valor de R$ 16,00 (dezesseis reais). </p> <p> Pargrafo Primeiro: Com o fornecimento do vale ou ticket-refeio ou alimentao na forma estabelecida no caput desta clusula, ficam as empresas isentas do fornecimento de vale-transporte nos deslocamentos para o almoo. Pargrafo Segundo: A correo do Vale ou Ticket Refeio no ter natureza salarial, no desnaturando a verba. </p> <p> Contrato de Trabalho Admisso, Demisso, Modalidades </p> <p>Normas para Admisso/Contratao </p> <p> CLUSULA DCIMA NONA - ANOTAE NA CARTEIRA DE TRABALHO </p> <p>As empresas devero anotar na Carteira de Trabalho de seus empregados, o salrio fixo, com o tambm a funo pelos mesmos efetivamente exercida. CLUSULA VIGSIMA - CPIA DO CONTRATO DE TRABALHO </p> <p>O empregador se obriga a entregar a segunda via do contrato de experincia (quando houver), ao empregado. </p> <p>Desligamento/Demisso </p> <p>CLUSULA VIGSIMA PRIMEIRA - QUITAO DO INPC NAS RESCISES CONTRATUAIS As empresas complementaro na resciso contratual de seus empregados, eventuais diferenas do INPC-IBGE ou ndice substituto, acumulados a partir da ltima data-base ou data de admisso, at o ms da resciso contratual, os valores referentes s verbas rescisrias, compensados os reajustes de ordem legal e espontnea. CLUSULA VIGSIMA SEGUNDA - DISPENSA POR JUSTA CAUSA No caso de despedida por justa causa, a empresa comunicar por escrito ao empregado, o motivo da resciso, sob pena de no poder alegar a falta grave em juzo. CLUSULA VIGSIMA TERCEIRA - PAGAMENTO DAS VERBAS RESCISRIAS A quitao das verbas rescisrias ser efetuada pela empresa nos prazos estabelecidos no Artigo 447 da CLT, sob pena das cominaes previstas na referida Lei, alm da penalidade prevista nesta Conveno. CLUSULA VIGSIMA QUARTA - COMPROVANTES DE PAGAMENTOS EFETUADOS No ato da homologao de resciso de contrato de trabalho, fica a empresa obrigada a apresentar os ltimos 12 (doze) comprovantes de pagamentos efetuados ao empregado e do recolhimento da contribuio negocial patronal. CLUSULA VIGSIMA QUINTA - ASSISTNCIA SINDICAL NAS RESCISES CONTRATUAIS As rescises de contrato de trabalho sero efetivadas perante a Federao dos Trabalhadores no Comrcio no Estado de Santa Catarina e/ou Sindicatos filiados. </p> <p>mailto:fecesc@fecesc.org.br</p> <p>Aviso Prvio </p> <p> CLUSULA VIGSIMA SEXTA - AVISO PRVIO </p> <p>Para os empregados que contem com mais de 5 (cinco) anos de servio na empresa e com mais de 45 (quarenta e cinco) anos de idade, o aviso prvio a ser concedido pela empresa ser de 60 (sessenta) dias. CLUSULA VIGSIMA STIMA - AVISO PRVIO INDENIZADO No pedido com indenizao do aviso prvio, os dias correspondentes integrar-se-o para todos os efeitos legais. CLUSULA VIGSIMA OITAVA - DISPENSA DO AVISO PRVIO Fica dispensado o cumprimento do aviso prvio, no caso do empregado obter novo servio antes do trmino do referido aviso, fazendo jus o empregado aos salrios dos dias efetivamente trabalhados. </p> <p>Suspenso do Contrato de Trabalho </p> <p>CLUSULA VIGSIMA NONA - CONTRATO DE EXPERINCIA O contrato de experincia fica suspenso durante a concesso do benefcio previdencirio completando-se o tempo nele previsto aps a cessao do benefcio referido. </p> <p> Relaes de Trabalho Condies de Trabalho, Normas de Pessoal e Estabilidades </p> <p>Estabilidade Geral </p> <p> CLUSULA TRIGSIMA - GARANTIA GERAL DE EMPREGO </p> <p>Sero garantidos o emprego e o salrio aos trabalhadores abrangidos pelo presente instrumento normativo de trabalho, durante 30 (trinta ) dias a partir do incio de sua vigncia (01/05/2018), s podendo ser rescindidos os seus contratos, por motivo disciplinar, tcnico, econmico ou financeiro. </p> <p>Estabilidade Servio Militar </p> <p>CLUSULA TRIGSIMA PRIMEIRA - ALISTAMENTO MILITAR A partir do conhecimento, pelo empregado, da sua incorporao ao servio militar, ter o mesmo estabilidade no emprego at 60 (sessenta) dias aps a baixa no referido servio. Do conhecimento de sua incorporao, dar cincia ao empregador em 48 (quarenta e oito) horas. </p> <p>Estabilidade Portadores Doena No Profissional </p> <p> CLUSULA TRIGSIMA SEGUNDA - ESTABILIDADE AO EMPREGADO SOB AUXLIO DOENA Ser garantida a estabilidade no emprego ao empregado sob auxlio-doena, at 90(noventa) dias aps a alta mdica previdenciria. </p> <p>Estabilidade Aposentadoria </p> <p>CLUSULA TRIGSIMA TERCEIRA - ESTABILIDADE NA PR-APOSENTADORIA Sero garantidos o emprego e o salrio ao trabalhador que contar mais de 5(cinco) anos de servios prestados ao mesmo empregador, nos 18(dezoito) meses, anteriores a aquisio do direito aposentadoria voluntria, ressalvados os casos de motivo disciplinar, acordo ou no uso do direito. </p> <p> Jornada de Trabalho Durao, Distribuio, Controle, Faltas </p> <p>Durao e Horrio </p> <p>CLUSULA TRIGSIMA QUARTA - JORNADA DE TRABALHO DO VIGIA Com base no artigo 7, inciso XIII, Captulo II da Constituio Federal, fica facultado s empresas e respectivos empregados exercentes da funo de vigia, estabelecerem acordo de compensao de horrio de trabalho, possibilitando fixarem a jornada de 12 (doze) horas consecutivas de trabalho por 36 (trinta e seis) hora de descanso, resguardando o direito do empregado em realizar refeies no local de trabalho, durante o seu turno. </p> <p>Intervalos para Descanso </p> <p> CLUSULA TRIGSIMA QUINTA - INTERVALO PARA LACHES </p> <p>Os intervalos de 15 (quinze) minutos para lanche, sero computados como tempo de servio na jornada diria do empregado. </p> <p>Controle da Jornada </p> <p>CLUSULA TRIGSIMA SEXTA - CONTROLE DO HORRIO DE TRABALHO obrigatria a utilizao de livro-ponto ou carto mecanizado, para o efetivo controle do horrio de trabalho, a fim de que possibilite o real pagamento das horas trabalhadas alm da jornada normal. </p> <p>Faltas </p> <p>CLUSULA TRIGSIMA STIMA - ABONO DE FALTAS AO EMPREGADO ESTUDANTE E VESTIBULANDO A empresa abonar as faltas dos empregados estudantes e vestibulandos, para a realizao das provas em cursos oficiais, assim como em concursos vestibulares, desde que pr-avisada 72(setenta e duas) horas antes. CLUSULA TRIGSIMA OITAVA - ABONO DE FALTA AO TRABALHADOR Ser abonada a falta ao trabalhador(a) no caso de necessidade de acompanhamento em consulta mdica, durante os dias de permanncia em atestado mdico ou na internao hospitalar de dependente at 18 (dezoito) anos de idade, invlido ou portador de necessidades especiais, mediante comprovao por declarao mdica. </p> <p> Outras disposies sobre jornada </p> <p> CLUSULA TRIGSIMA NONA - FORNECIMENTO GRATUITO DE LANCHES As empresas fornecero obrigatria e gratuitamente, lanches para seus empregados, quando estes estiverem trabalhando...</p>