Contexto deposicional e estratigrafia da parte ocidental da Bacia Bauru Aluno: Hely Cristian Branco, bolsista de Iniciação Científica Pibic/CNPq Orientador:

Download Contexto deposicional e estratigrafia da parte ocidental da Bacia Bauru Aluno: Hely Cristian Branco, bolsista de Iniciação Científica Pibic/CNPq Orientador:

Post on 17-Apr-2015

103 views

Category:

Documents

0 download

TRANSCRIPT

<ul><li> Slide 1 </li> <li> Contexto deposicional e estratigrafia da parte ocidental da Bacia Bauru Aluno: Hely Cristian Branco, bolsista de Iniciao Cientfica Pibic/CNPq Orientador: Prof. Dr. Luiz Alberto Fernandes Introduo e Objetivos A Bacia Bauru uma unidade litoestratigrfica neocretcea localizada na poro centro-sul da Amrica do Sul e constituda por sequncia siliciclstica arenosa nica, subdividida nos grupos Caiu e Bauru (Fernandes 2010). A poro leste da bacia possui mais dados bibliogrficos e um maior detalhamento estratigrfico, com o grupo Caiu subdividido em suas respectivas formaes, as quais na parte oeste ainda no foram mapeadas. Este projeto se enquadrou no inicio do detalhamento e atualizao da estratigrafia da poro oeste da bacia e objetivou proporcionar o contato com as diversas tcnicas ligadas ao mapeamento geolgico, bem como utilizar as informaes coletadas para dar inicio a reviso do mapa da Bacia Bauru e refinamento do modelo evolutivo atualmente aceito. Etapas do projeto 1. Reviso bibliogrfica; 2. Elaborao de sees e modelos regionais; 3. Coleta de dados em campo na poro ocidental da bacia. O levantamento durou seis dias, percorridos aproximadamente 2.000km entre Campo Grande (MS) e Quirinpolis (GO) e estudados 22 afloramentos; 4. Discusso e sntese preliminar dos resultados e concluses, que envolveu reviso dos dados coletados, confeco de seo colunar (Fig. 2), discriminao de fcies quando possvel (Quadro 1) e refinamento do mapa geolgico da bacia compilado anteriormente (Fig. 1); e 5. Elaborao de relatrio final e apresentao dos resultados. Resultados e discusso Foram identificadas quatro unidades geolgicas diferentes: a.Depsitos holocnicos que provavelmente se formaram a partir da alterao de rochas do Grupo Caiu conforme caracterizada por Fernandes (1998). Com exceo de um afloramento, todos os demais pontos no Mato Grosso do Sul so dessa litologia; b.Arenito silicificado em ocorrncia nica, similar as rochas dos Trs Morrinhos e Morro do Diabo conforme descritas por Fernandes et al. (2012) (Fig. 3); c.Rochas gneas do embasamento da bacia:, sendo possvel diorito/anortosito e basaltos a gabros pegmatides; e d.Membro Echapor, da Formao Marlia, que representada por arenito fino a mdio, arenito conglomertico, lamito e paraconglomerado. Foram diferenciadas as fcies fluviais Sm, Sp, Sl, St, Ss, Fmc, Fr, Gmg e Gt de acordo com Fernandes (1998). Tambm foi possvel registrar a sucesso vertical parcial das fcies em um dos afloramentos visitados, sintetizada na forma de seo colunar (Fig. 2). Aflora sobretudo em Gois. Concluses Os altos topogrficos so formadas por arenitos do Membro Echapor, Formao Marlia. O conjunto de fcies identificado permite inferir que parte da regio estudada corresponde a pores prximas a margem da bacia, ou ao menos de paleogeografia similar a regio anloga em Minas Gerais. Os arenitos silicificados provavelmente so anlogos aos arenitos que compe o Morro do Diabo e Trs Morrinhos e, portanto, sua gnese est relacionada ao magmatismo alcalino neocretceo da regio. So uma possvel explicao para a presena de um morro isolado em meio a uma plancie alguns quilmetros a norte-noroeste de onde afloram. Recomenda-se uma nova etapa de campo para se estudar pores mais isoladas, com destaque para o morro prximo do afloramento de arenitos silicificados, e a criao de um banco de dados de subsuperfcie sobretudo para a regio do Mato Grosso do Sul da bacia, onde h escassez de bons afloramentos. Referncias bibliogrficas Fernandes, L. A. 1998. Estratigrafia e evoluo geolgica da parte oriental da Bacia Bauru (Ks, Brasil). Dissertao. Instituto de Geocincias, Universidade de So Paulo, 266p. So Paulo, SP. Fernandes, L. A. 2010. Calcretes e registros de paleossolos em depsitos continentais neocretceos (Bacia Bauru, Formao Marlia). Revista Brasileira de Geocincias, 40 (1): 19-35. Fernandes, L. A.; Couto, E. V.; Santos, L. J. C. 2012. Trs Morrinhos, Terra Rica, PR - Arenitos silicificados de dunas do Deserto Caiu testemunham nvel de superfcie de aplainamento K-T. In: Winge, M.; Schobbenhaus, C.; Souza, C. R. G.; Fernandes, A. C. S.; Berbert-Born, M.; Sallun filho, W.; Queiroz, E. T.; (Edit.) Stios Geolgicos e Paleontolgicos do Brasil. Publicado na Internet em 05/12/2012 no endereo http://sigep.cprm.gov.br/sitio058/sitio058.pdf Quadro 1 - Litofcies do Membro Echapor em MS e GO Adaptado de Fernandes (1998). Fig. 2 - Seo colunar do ponto BW20, mostrando a sucesso de fcies do Membro Echapor da Formao Marlia na regio. A seo foi montada a partir de pores de rocha aflorante nos paredes de escarpa localizada nos arredores de Quirinpolis (GO). Fig. 1 - Mapa geolgico da Bacia Bauru, refinado a partir de compilao de dados do Servio Geolgico do Brasil (CPRM) e IBGE. SiglaCaractersticas Interpretao (formas de leito, processos e ambientes deposicionais) Fmc Lamito macio, as vezes com marcas de cristais reas pantanosas, periodicamente expostas FrLamito macio com bioturbaesZona de atividade orgnica ou solo SmArenito macio ou com laminao incipienteFluxo de lenol SpArenito com estratificao cruzada tabular Barras transversais/linguides (dunas tipo 2-D) ou lobos de arrombamento Sl Arenito laminado com estratificao cruzada de baixo ngulo (&gt;15/) Preenchimento de sulcos e rompimento de diques marginais St Arenito com estratificao cruzada acanalada (as vezes com clastos na base) Formas de cristas sinuosas/linguides (dunas tipo 3-D) SsArenito macio, as vezes com clastos Preenchimento de sulcos erosivos (amplos e rasos) Gmg Conglomerado sustentado por matriz arenosa, com gradao normal ou inversa Fluxo de detritos de alta energia e baixa viscosidade Gt Conglomerado sustentado por areia ou areia conglomertica e com estratificao cruzada acanalada Preenchimento de canais Fig. 3 - Fotomicrografias mostrando A) aspecto geral do arenito silicificado encontrado e B) aspecto geral do arenito silicificado do Morro do Diabo descrito por Fernandes et al. (2012). A B </li> </ul>

Recommended

View more >