CONTABILIDADEI Escrituração Prof. Carlos Alexandre.

Download CONTABILIDADEI Escrituração Prof. Carlos Alexandre.

Post on 18-Apr-2015

105 views

Category:

Documents

2 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Slide 1
  • CONTABILIDADEI Escriturao Prof. Carlos Alexandre
  • Slide 2
  • Conceitos A Escriturao uma tcnica contbil que consiste no registro, em livros prprios, dos fatos contbeis decorrentes da atividade de uma entidade. Finalidade: de controle do patrimnio, de apurao do resultado do exerccio social, bem como de prestao de informaes aos usurios das informaes contbeis.
  • Slide 3
  • Conceitos O registro de um fato contbil chamado de lanamento contbil; este efetuado nos livros contbeis prprios. Conclumos ento que a escriturao uma tcnica contbil que efetua os registros dos fatos contbeis atravs dos lanamentos contbeis.
  • Slide 4
  • Conceitos Fatos contbeis so os que alteram o patrimnio da empresa, qualitativa ou quantitativamente; por isso so objeto de escriturao contbil. Tais fatos so escriturados (ou lanados) utilizando-se as contas patrimoniais ou as contas de resultado, conforme a natureza da operao que lhe deu origem.
  • Slide 5
  • Mtodos de Escriturao Mtodo das Partidas Dobradas: Esse o mtodo utilizado universalmente nos registros contbeis. Sua utilizao permite o controle de todos os elementos patrimoniais, bem como das variaes do Patrimnio Lquido atravs da apurao do resultado econmico. ** Consiste em que: para cada valor total lanado a dbito, h um valor total igual lanado a crdito.
  • Slide 6
  • Mtodos de Escriturao Por meio desse mtodo, os fatos contbeis so registrados no Livro Dirio, e depois no Livro Razo. A conta devedora sempre escriturada antes da respectiva conta credora. No h dbito sem crdito correspondente; A soma dos dbitos sempre igual soma dos crditos; O valor das aplicaes de recursos sempre igual ao valor das origens de recursos; Na escriturao, as aplicaes de recursos so debitadas e as origens so creditadas.
  • Slide 7
  • Lanamentos Contbeis O Lanamento Contbil ou simplesmente lanamento, o registro de um fato contbil nos livros Dirio, Razo e Razonetes. atravs dos lanamentos que se efetua o processo de Escriturao Contbil de uma entidade. So elementos essenciais de um lanamento contbil os seguintes: 1. Local e data do fato contbil; 2. Conta(s) debitada (s) 3. Conta(s) creditada(s) 4. Histrico da operao 5. Valor da Operao
  • Slide 8
  • Lanamentos Contbeis Em nossas aulas, por questes prticas, adotaremos uma forma simplificada de lanamento, omitindo local, data e histrico; porm obedecendo devida ordem: dbito(s), crdito(s) e valor. * Livro Dirio e Razonetes
  • Slide 9
  • Passos para fazer um Lanamento O entendimento para se fazer lanamentos contbeis depende diretamete do entendimento da natureza de cada grupo de contas, dos saldos das contas e do funcionamento das contas. Passo 1:Identificar as contas a serem utilizadas no lanamento, de acordo com a INTERPRETAO do fato contbil; Passo 2:Identificar a natureza do saldo da cada uma dessas contas; Passo 3:Interpretar os efeitos do fato a ser lanado sobre o saldo de cada uma das contas envolvidas no lanamento; Passo 4:Lanar o(s) dbito(s) na(s) conta(s) a ser(em) debitada(s); Passo 5:Lanar o(s) crdito(s) na(s) conta(s) a ser(em) creditada(s).
  • Slide 10
  • Passos para fazer um Lanamento Exemplo 1: A Empresa HFL LTDA, em 03 de Junho de 20x1, comprou mercadorias para revenda, vista, em dinheiro, no valor de R$ 10.000,00. 10
  • Slide 11
  • Passos para fazer um Lanamento 1. Contas utilizadas: Caixa e Mercadorias 2. Saldos das Contas: Caixa Saldo devedor Mercadorias Saldo devedor 3. Interpretao do fato nos saldos: Caixa diminui credita-se Mercadorias aumenta debita-se 4. Lanamento do dbito:Mercadorias R$ 10.000,00 5. Lanamento do crdito: Caixa R$ 10.000,00 Vejamos o lanamento simplificado: D Mercadorias C Caixa R$ 10.000,00
  • Slide 12
  • Frmulas de Lanamentos a) Primeira Frmula: so de primeira frmula os lanamentos que envolverem apenas uma conta de dbito e uma conta de crdito. Citemos como exemplo o pagamento em dinheiro do alugul do prdio da fbrica, no valor de R$ 800,00: D Aluguis Passivos C Caixa R$ 800,00
  • Slide 13
  • Frmulas de Lanamentos b) Segunda Frmula: so os lanamentos que envolvem apenas uma conta a dbito e mais de uma conta a crdito. Tomemos como exemplo o pagamento de obrigao com fornecedores, em dinheiro, no valor de R$ 1.000,00; com descontode 10% por antecipao: D Fornecedores R$ 1.000,00 C Caixa R$ 900,00 C Descontos Ativos R$ 100,00
  • Slide 14
  • Frmulas de Lanamentos c) Terceira Frmula: so os lanamentos que envolvem mais de uma conta a dbito e apenas uma conta a crdito. Vejamos o exemplo de recebimento, em dinheiro, de duplicata de um cliente, no valor de R$ 150,00; com desconto de 20%: D Caixa R$ 120,00 D Descontos Passivos R$ 30,00 C Clientes R$ 150,00
  • Slide 15
  • Frmulas de Lanamentos d) Quarta Frmula: so os lanamentos que envolvem mais de uma conta a dbito, e mais de uma conta a crdito. So pouco utilizados na prtica. Porm, vejamos um exemplo envolvendo a compra de mercadorias para revenda, no valor de R$ 5.000,00; com despesas de frete de R$ 500,00; onde o pagamento do frete foi feito em dinheiro, e o pagamento das mercadorias ser feito mediante duplicatas: D Mercadorias R$ 5.000,00 D Despesas com frete R$ 500,00 C Caixa R$ 500,00 C Fornecedores R$ 5.000,00
  • Slide 16
  • Conceito de Contas Conta o nome tcnico que identifica cada componente patrimonial (bem, direito ou obrigao), bem como identifica um componente de resultado (receita ou despesas). Todos os acontecimentos que ocorrem durante a gesto patrimonial de uma entidade, tais como compras, vendas, pagamentos, recebimentos, etc. so registrados contabilmente em suas respectivas contas.
  • Slide 17
  • Conceito de Contas Por exemplo: dinheiro em caixa, conta Caixa; dinheiro em banco, conta Banco; mercadorias em estoque, conta Mercadorias, etc. As contas se apresentam em sistemas de contas que representam o conjunto de todas as contas utilizadas nos registros contbeis da entidade. As contas de um sistema podem ser agrupadas de acordo a natureza de cada uma delas como veremos a diante.
  • Slide 18
  • Teoria Patrimonialista a teoria usualmente adotada no Brasil. Considera o patrimnio como objeto da contabilidade. Classifica as contas como: a) CONTAS PATRIMONIAIS: so as contas representativas dos bens, dos direitos, das obrigaes e do PL da entidade; b) CONTAS DE RESULTADO: so as contas que representam as receitas e as despesas da entidade.
  • Slide 19
  • Contas Patrimoniais As Contas Patrimoniais so as que representam os elementos componentes do Patrimnio. Dividem-se em Ativas (Bens e direitos) e Passivas (Obrigaes e PL).
  • Slide 20
  • Contas de Resultado As Contas de Resultado so as que representam variaes no patrimnio da entidade. Dividem-se em Despesas e Receitas:
  • Slide 21
  • Despesas As Despesas caracterizam-se pelo consumo de bens e pela utilizao de servios, com o objetivo de obter receitas. Como exemplo, podemos citar a energia eltrica consumida, o material de expediente, os salrios pagos, etc. Vejamos algumas contas que representam despesas:
  • Slide 22
  • As Despesas gua e Esgotos o Aluguis Passivos o Descontos Concedidos o Despesas Bancrias o Fretes e Carretos o Impostos o Material de Expediente o Juros Passivos o Luz e Telefone o Material de Limpeza o Salrios o Prmio de Seguros o Caf e Lanches
  • Slide 23
  • Receitas As Receitas decorrem da venda de bens ou da prestao de servios. H menos contas de receitas que de despesas; vejamos as mais comuns: o Aluguis Ativos (Receita de Alugueis) o Descontos Obtidos o Juros Ativos o Vendas de Mercadorias o Receita de Servios o Comisses Ativas
  • Slide 24
  • Adjetivos Os adjetivos: Ativos, Recebidos ou Auferidos representam idia positiva, de aumento do patrimnio. Nestes casos, a idia de receita. Os adjetivos: Passivos, Pagos ou Concedidos representam idia negativa, de diminuio patrimonial. Nestes casos, a idia de despesas.
  • Slide 25
  • Interpretao das contas Dentro desse contexto, podemos interpretar algumas contas da seguinte forma: o Aluguis Passivos conta de despesa o Aluguis Ativos de receita o Juros Ativos receita o Juros Passivos despesa o Descontos Concedidos despesa o Descontos Obtidos receita o Descontos Ativos receita o Descontos Passivos despesa o Juros Ativos receita o Juros Passivos despesa o Juros Pagos despesa o Juros Recebidos receita
  • Slide 26
  • Interpretao das contas Podemos observar do exposto que: Os saldos das contas do Ativo, assim como das Despesas, so aumentados quando as debitamos, e so diminudos quando as creditamos; Os saldos das contas do Passivo, assim como das contas de Receitas, so aumentados quando as creditamos, e so diminudos quando as debitamos.

Recommended

View more >