contabilidade oramentria e - .::fiorilli::. da contabilidade contabilidade patrimonial...

Download Contabilidade Oramentria e - .::Fiorilli::.  DA CONTABILIDADE Contabilidade Patrimonial Contabilidade Financeira Contabilidade Oramentria RECEBIMENTO DE BENS EM DOAO EMPENHOS

Post on 07-Feb-2018

224 views

Category:

Documents

5 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • ContabilidadeOramentria e

    Patrimonial

  • 4320/64

    NBCTSLRF

    EVOLUO LEGAL

  • ENFOQUES DA CONTABILIDADE

    Contabilidade Patrimonial

    ContabilidadeFinanceira

    Contabilidade Oramentria

    EFEITOS NOPATRIMNIO

    IMPACTO NO FLUXO DE

    CAIXA

    RECEITAS E DESPESAS

    (BASE MODIFICADA)

  • ABRANGNCIA DA CONTABILIDADE

    Contabilidade Patrimonial

    ContabilidadeFinanceira

    Contabilidade Oramentria

    RECEBIMENTO DE BENS EM

    DOAO

    EMPENHOS NO

    LIQUIDADOS

  • Bens e Direitos Obrigaes

    AtivoPassivo

    PatrimnioLquido

    PATRIMNIO PBLICO

  • PATRIMNIO PBLICO

  • CASP

    PLANO

    DE CONTAS

    NICO

    NORMAS

    CONTBEIS

    (IPSAS)

  • PCASP

    PCASP

    FOCO NA CONTABILIDADE

    PATRIMONIAL

    TRANSPARNCIA

    CONSOLIDAAO

    DAS CONTAS

    PBLICAS

  • PCASP

    CONTAS PERTENCENTES

    A SISTEMAS

    ORAMENTRIO

    FINANCEIRO PATRIMONIAL

    COMPENSAO

    CUSTOS

    LANAMENTOS CONTBEIS

  • PCASPLANAMENTOS CONTBEIS

  • LANAMENTOS CONTBEIS

  • RECEITA PBLICA

  • ENFOQUES PATRIMONIAL x ORAMENTRIO

    EVENTORECEITA

    PATRIMONIALRECEITA

    ORAMENTRIA

    1. PRESTAO DE SERVIOS VISTA

    2. PRESTAO DE SERVIOS A PRAZO

    3. ALIENAO DE ATIVO IMOBILIZADO

    4. LANAMENTO DE TRIBUTOS

    5. ARRECADAO DE TRIBUTOS

    X X

    X

    X

    X

    X

    -

    -

    -

    -

    RECEITA PBLICA

  • DESPESA PBLICA

  • DESPESA PBLICA

    ATO / FATO

    DESPESA

    PATRIMONIAL

    (VPD)

    DESPESA

    ORAMENTRIA

    1. DESPESA SEM SUPORTE

    ORAMENTRIO

    2. AQUISIO DE MATERIAL

    DE CONSUMO

    3. CONCESSO DE

    SUPRIMENTO DE FUNDOS

    4. DEPRECIAO

    5. DESPESA COM PESSOAL

    VISTA

    6. PROVISO COM FRIAS

    7.DEVOLUO DE CAUO

    X -

    -

    X

    X

    X

    X

    -

    -

    X

    X -

    - -

  • Portaria 828/753 -STN

  • Portaria 634 STN (19/11/2013)

  • (PIPCP)

  • (PIPCP)Bens Mveis e Imveis e Respectiva Depreciao, Amortizao ou Exausto

  • PIPCP -introduo

    Incluem-se no rol de variaes patrimoniaisaumentativas decorrentes de crditos a receber: oscrditos oriundos de receitas tributrias e decontribuies; crditos previdencirios; demaiscrditos a receber; crditos de dvida ativa,tributria e no-tributria, e os respectivos ajustespara perdas.

  • PIPCP IPC 02

  • PIPCP IPC 02

  • PIPCP IPC 02

  • PIPCP IPC 02

  • PIPCP IPC 02

  • IPTU

  • ISS

  • Divida Ativa

  • PROVISES

  • PROVISES -SIP

  • PROVISES

  • Divida Ativa

  • Divida Ativa

  • Divida Ativa

  • Dvidas comuns referentes classificao oramentria

  • Se est adquirindo, ou se est ampliando os benefcios econmicos de um bem de capital, a

    despesa sempre de capital, ou seja, a classificao da despesa inicia com 4.4

    se no est adquirindo ou ampliando um bem de capital, a classificao da despesa comea com

    3.3.

    MATERIAL PERMANENTE x MATERIAL DE CONSUMO

  • Durabilidade;

    Fragilidade;

    Perecibilidade;

    Incorporabilidade;

    Transformabilidade.

    PARMENTROS EXCLUDENTES PORT. 448/2002

  • BENS PARA DOAO

    Se a entidade no vai ter uso desse bem por mais de doisanos e, consequentemente, no bem permanente eno transita pelo controle patrimonial.

    Nesse caso, a classificao da despesa comearia com3.3. e a classificao completa 3.3.90.32 (Material deDistribuio Gratuita), conforme descrito no MCASP . Obem passar pelo controle de estoque paradoaes/almoxarifado

  • 1 Mquina/Ferramenta. Exemplo: Windows

    Classificao = 4.4.90.39/ 3.3.90.39

    Mesmo classificando a despesa como 3.3., o software vai agregar valor ao bem?

    classificao da despesa uma coisa e a classificao patrimonial outra, vai agregar valor.

    A contabilidade vai colocar em nota explicativa

    SOFTWARES

  • SOFTWARES

    2 Aplicativos Diversos. Exemplo: antivrus

    Classificao = 4.4.90.39/ 3.3.90.39

    Aqui o controle separado , pois o antivrus e um intangvel

  • SOFTWARES

    3 OEM Inclusos. OEM uma sigla em ingls que utilizada pelo MCASP. OEM so aqueles programas que j

    vem instalado de fbrica no computador

    Classificao = 4.4.90.52

  • LIVROS

    Na Lei 10.753/03, seu artigo 18 diz o seguinte:

    Com a finalidade de controlar os bens patrimoniais das bibliotecas pblicas, o livro no considerado material

    permanente.

    Biblioteca pblica aquela que atende a todos os ramos de conhecimento, com o propsito de disseminao da

    leitura, no em um propsito especifico

  • LIVROS

    biblioteca pblica classificada como consumo, e no precisa ser tombada

  • PEAS NO INCORPORVEIS

    Classificao de peas no Incorporveis a Imveis (despesas com materiais empregados em imveis que

    possam ser removidos ou recuperados, tais como: biombos, cortinas, divisrias removveis, estrados,

    persianas, tapetes e afins):

  • PEAS NO INCORPORVEIS

    A despesa com aquisio de pea no incorporveis aimveis deve ser classificada observando os critriosacima expostos (Durabilidade, Fragilidade, Perecibilidade,Incorporabilidade e Transformabilidade). Geralmente ositens elencados acima so considerados materialpermanente, mas no precisam ser tombados.

  • OBRAS E INSTALAES X SERVIOS DE TERCEIROS.

    Sero considerados servios de terceiros as despesascom:

    - Reparos, consertos, revises, pinturas, reformas eadaptaes de bens imveis sem que ocorra a ampliaodo imvel;

    - Reparos em instalaes eltricas e hidrulicas;

    - Reparos, recuperaes e adaptaes de biombos,carpetes, divisrias e lambris; e

    - Manuteno de elevadores, limpeza de fossa e afins.

  • OBRAS E INSTALAES X SERVIOS DE TERCEIROS.

    Quando a despesa ocasionar a ampliao relevante dopotencial de gerao de benefcios econmicos futurosdo imvel, tal despesa dever ser considerada comoobras e instalaes, portanto, despesas cominvestimento.

  • O Ativo imobilizado

  • Patrimnio Pblico Contextualizao e as novas regras

    Patrimnio pblico o conjunto de direitos e bens,tangveis ou intangveis, onerados ou no, adquiridos,formados, produzidos, recebidos, mantidos ou utilizadospelas entidades do setor pblico, que seja portador erepresente um fluxo de benefcios, presente ou futuro,inerente prestao de servios pblicos ou exploraoeconmica por entidades do setor pblico e suas obrigaes.

  • Patrimnio Pblico Contextualizao e as novas regras

    Ativo Imobilizado - o item tangvel que mantidopara o uso na produo ou fornecimento de bens ouservios, ou para fins administrativos, inclusive osdecorrentes de operaes que transfiram para a entidadeos benefcios, riscos e controle desses bens.

  • Patrimnio Pblico Contextualizao e as novas regras

    BENS DA ENTIDADE EM PODER DE TERCEIROS E BENS DE TERCEIROS EM PODER DAENTIDADE

    Transferncia;

    Concesso de uso;

    Permisso de uso;

    Cesso de uso; e

    Comodato

  • Patrimnio Pblico Contextualizao e as novas regras

    BENS DE USO COMUM DO POVO

    ATIVOS DE INFRAESTRUTURA

    BENS DO PATRIMONIO

    CULTURAL

    Reconhecimento e mensurao

    obrigatrio facultativo

  • Patrimnio Pblico Contextualizao e as novas regras

    BENS DE USO COMUM DO POVO

    ATIVOS DE INFRAESTRUTURA

    BENS DO PATRIMONIO

    CULTURAL

    sistemas de esgoto, sistemas deabastecimento de gua e energia,rede de comunicao, pontes,caladas, calades, dentreoutros.

    Monumentos e prdioshistricos, stios arqueolgicos,reas de conservao e reservasnaturais.

  • Patrimnio Pblico Contextualizao e as novas regras

    BENS DE USO COMUM DO POVO

    O reconhecimento e a mensurao dessesativos seguem a mesma base utilizadapara os demais ativos imobilizados.

    ATIVOS DE INFRAESTRUTURA

    BENS DO PATRIMONIO

    CULTURAL

  • Patrimnio Pblico Contextualizao e as novas regras

    Reconhecimento - A entidade dever aplicar o princpiogeral de reconhecimento para todos os ativos imobilizados nomomento em que os custos so incorridos, incluindo os custosiniciais e os subsequentes.

    O ativo imobilizado, incluindo os gastos adicionais ou complementares, reconhecido inicialmente com base no valor de aquisio, produo ouconstruo.

  • Patrimnio Pblico Contextualizao e as novas regras

    CONCEITO

    RECONHECIMENTO

    PROCEDIMENTOSCONTBEIS

    INICIAL

    SUBSEQUENTE

    AVALIAO INICIAL

    DEPRECIAO

    RED. A VAL RECUPERVEL

    REAVALIAO

  • INVENTRIO PATRIMONIAL

    SETOR DE PATRIMNIO CONTABILIDADE

    CONTA CONTBIL

  • CONTA CONTBIL

  • AVALIAO INICIAL

    Avaliao Inicial - O ajuste dos bens adquiridos emexerccios anteriores para o valor justo de mercado

    Ser contabilizada diretamente no resultado por entender o MCASP -que este procedimento trata-se de um ajuste necessrio para deixartodos os bens em igualdade para iniciar a depreciao.

    Na verdade o que se deve fazer uma avaliao inicialdos bens , que nada mais do que uma reavaliao

  • AVALIAO INICIAL

    Data do corte a data definida pela Entidade paraseparar os bens que sero objeto de ajuste em seu valorcontbil e os bens que podero ser depreciadosdiretamente, sem passar por um procedimento de ajuste.

    AJUSTE INICIAL

    CORTE J PODEM SER

    DEPRECIADOS

    IPC 00 - Os procedimentos

Recommended

View more >