contabilidade nas entidades do setor pblico - oroc.pt nas entidades do setor pblico transparncia,...

Download Contabilidade nas Entidades do Setor Pblico - oroc.pt nas Entidades do Setor Pblico Transparncia, Accountability e Controlo Financeiro Setor Pblico Antnio Joaquim Andrade Gonalves

If you can't read please download the document

Post on 06-Feb-2018

215 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Contabilidade nas Entidades do Setor PblicoTransparncia, Accountability e Controlo Financeiro

    Setor Pblico

    Antnio Joaquim Andrade Gonalvesrevisor oFiciAl de contAs

    Lus Filipe Quinazrevisor oFiciAl de contAs

  • Pudemos concluir que qualquer sistema que vise a normalizao contabilstica das entidades do sector pblico ter de tomar em considerao estas duas dimenses complementares:

    (i) A dimenso interna; e (ii) A dimenso externa.

    Ainda que possam ser abordadas isoladamente, cada uma destas dimenses reflete a mesma realidade e, consequentemente, devem estar alinhadas de modo a garantir a coerncia da anlise.

    Torna-se relevante e justificada a tomada de deciso em relao harmonizao contabilstica das entidades do sector pblico com a adotada pelas entidades empresariais, para efeitos de relato exter-no. O quadro seguinte evidencia as questes que carecem de res-posta relacionadas com a evoluo que dever ocorrer na dimenso interna face evoluo previsvel da dimenso externa, de modo a assegurar:

    Questes em aberto

    - O reforo da transparncia e, consequentemente, da confiana que os utilizadores tm na informao prestada, nomeadamente os financiadores (mercados)

    - A responsabilizao (Accountability) dos gestores das entidades do setor pblico; e

    - O reforo dos mecanismos de controlo financeiro e oramental, essencial promoo da eficincia operacional das entidades do setor pblico

    Fonte: Elaborao pelos prprios autores

    1. Contabilidade Pblica versus Contabilidade NacionalA conceo e implementao de um novo modelo de contabilidade pblica obriga a repensar e analisar os aspetos associados inter-re-lao entre a Contabilidade Pblica (doravante designada por CP) e a Contabilidade Nacional (doravante designada por Cn).

    A nvel europeu como forma de cumprimento do normativo que define a atividade do EUROSTAT (Statistical Office of the European Communities), os diferentes Estados-membros da unio Europeia tm adotado o Sistema Europeu de Contas Nacionais e Regionais para a preparao das suas Contas Nacionais, tendo ocorrido refor-mas considerveis nos diferentes sistemas de Contabilidade Pbli-

    43RevisoRes AuditoRes OUTUBRO_DEZEMBRO 2013

    SinopseEm face das alteraes registadas nas ltimas dcadas ao nvel econmico-financeiro em geral e, em particular evoluo das eco-nomias perifricas da unio Europeia, a questo do modelo de con-tabilidade a ser aplicado s entidades do sector pblico tem vindo a ganhar uma crescente relevncia, enquanto mecanismo que pro-porcione melhorias ao nvel da qualidade e transparncia do relato financeiro do sector publico, facultando informao para a gesto financeira de qualidade para a tomada de deciso.

    Diversos autores tm abordado a problemtica do relacionamento entre a Contabilidade Pblica (CP) e a Contabilidade Nacional (Cn), obtendo esta temtica uma particular relevncia em Portugal, ten-do a Comisso de Normalizao Contabilstica (CnC) tomado no seu plano de atividades, o desafio de iniciar o desenvolvimento de tra-balhos conducentes conceo do Sistema de Normalizao Con-tabilstica Pblico, tendo por referncia as Normas Internacionais de Contabilidade para o Setor Pblico (IPSAS).

    O principal objetivo do Plano Oficial de Contabilidade Pblica (PoCP) consistia na criao de condies para a integrao dos diferentes aspetos - contabilidade oramental, patrimonial e analtica - numa contabilidade pblica moderna, que constitusse um instrumento fundamental de apoio gesto das entidades pblicas e sua ava-liao.

    Os ltimos desenvolvimentos ocorridos ao nvel do International Pu-blic Sector Accounting Standards Board (iPSASb), tm subjacente a aplicao do regime do acrscimo de modo a permitir uma efetiva apresentao dos compromissos.

    Para serem analisadas as vrias dimenses do modelo contabi-lstico das entidades do setor pblico, numa primeira etapa vo ser enunciadas, num plano terico, as principais diferenas entre os dois sistemas contabilsticos, a Contabilidade Pblica versus Contabilidade Nacional, no que respeita aos elementos essenciais das suas estruturas concetuais.

    Numa segunda etapa iro ser analisadas as diferenas entre o que denominamos por dimenso externa, associada necessidade de produo de demonstraes financeiras elaboradas e preparadas de forma a satisfazer as necessidades dos utilizadores externos e a dimenso interna orientada para a gesto da entidade, assim como a produo de informao relevante para as entidades tutelares ou com funes de superviso e/ou regulao, bem como com respon-sabilidade pela produo de elementos estatsticos.

  • Setor Pblico

    44 RevisoRes AuditoRes OUTUBRO_DEZEMBRO 2013

    fundamental que os diferentes intervenientes no processo de conceo, desenvolvimento e implementao do futuro Sistema de Normalizao Contabilstica das entidades do setor pblico em Portugal, assumam, desde a primeira etapa, que esse sistema vise responder s necessidades dos utilizadores (externos) das Demonstraes Financeiras, devendo encontrar-se alinhado com as restantes dimenses da CP - Oramental e Tesouraria.

    Por outro lado, um dos grandes desafios que decorre da futura implementao do SNC-AP, consiste em repensar a dimenso or-amental e as suas bases, nomeadamente, se devem assentar no regime de caixa ou evoluir para o regime do acrscimo.

    Ainda que a dimenso oramental possa, evoluir para o regime do acrscimo entendemos que continuar a ser necessrio assegurar o registo e controlo dos fluxos financeiros, necessariamente por via do regime de caixa.

    2. A Dimenso Externa: - IPSAS como referencial de Relato Financeiro para Utilizadores ExternosTem-se assistido a um conjunto de trabalhos promovidos pelo iPSASb (International Public Sector Accounting Standards Board) que visam a conceo e implementao de uma estrutura concep-tual (EC) que possa constituir, semelhana do que acontece com o relato financeiro das entidades empresariais, nas fundaes do edi-fcio representado pelas normas de contabilidade e relato aplicveis ao sector pblico IPSAS. Ainda que os trabalhos se encontrem em curso, expectvel que a opo que vier ser tomada pela CNC, quan-to ao futuro Sistema de Normalizao Contabilstica das Entidades do Sector Pblico (SNC-AP), possa ter como base a futura EC a de-senvolver no mbito do IPSASB, bem como as IPSAS em vigor. Nes-te sentido, pode tambm avanar-se que se estima que Comisso de Normalizao Contabilstica venha privilegiar o alinhamento dos desenvolvimentos a realizar nesta matria com as decises a tomar no seio da unio Europeia, as quais tm recomendado a adoo de European Public Sector Accounting Standards (EPSAS), que esto baseadas nas atuais IPSAS.

    Caso a opo da CNC seja, o de privilegiar o desenvolvimento de um modelo autnomo de modo a antecipar-se aos desenvolvimentos no seio da unio Europeia, existir o risco de o mesmo ter de vir a ser ajustado no futuro.

    comummente aceite, pelos diferentes interlocutores, que para efeitos de relato externo as IPSAS consistem na conveno padro em relao qual dever obedecer o relato financeiro para fins ex-ternos, das entidades do sector pblico.

    As demonstraes financeiras preparadas e apresentadas de acor-do com as IPSAS so uma componente essencial da transparncia do relato financeiro do Governo e outras entidades do sector pbli-

    ca, designadamente atravs da introduo do regime do acrscimo, verificando-se um movimento de aproximao com o sistema de contabilidade adotada no mundo empresarial.

    A harmonizao ao nvel das Contas Nacionais, ao nvel do espao europeu, no tem paralelo no que concerne CP, ainda que possa ser reconhecido um caminho que vise a sua convergncia. Nesse senti-do, oportuno avaliar se o processo de reforma da CP deve conduzir a um maior alinhamento com o sistema de Contas Nacionais, na medida em que a informao de base deste, depende da disponibi-lizada pelo primeiro.

    As principais diferenas entre a CP e a CN decorrem das respetivas estruturas concetuais serem, necessariamente, distintas na medida em que visam satisfazer necessidades de informao diferentes.

    O IPSASB publicou em 2005 um Research Report denominado In-ternational Public Sector Accounting Standards (IPSASs) and Sta-tistical Bases for Financial Reporting: an analysis of Differences and Recomendations for Convergence, no qual so identificadas as di-ferenas entre as duas perspetivas contabilsticas, sendo tambm efetuado um conjunto de recomendaes no sentido da eliminao ou reduo das diferenas sempre que tal seja possvel e no con-trarie os objetivos especficos de cada um dos sistemas.

    Os principais aspetos que esto na origem das diferenas entre a CP e a CN centram-se nos seguintes tpicos:

    Definio e mbito da entidade de relato;

    Critrios de reconhecimento e bases de mensurao adotados por cada um dos sistemas nos registos das operaes;

    Relao entre as entidades que integram as Administraes P-blicas e as empresas pblicas.

    O quadro seguinte evidncia algumas das diferenas entre a CP e a CN:

    Contabilidade Pblica Contabilidade Nacional

    Utilizadores

    Credores e investidores, instituies e analistas financeiros, contribuintes, representantes dos eleitores e cidados

    Governos, instituies comunitrias, analistas e decisores de polticas pblicas e outros agentes da vida econmica e social

    ObjetivosPrestao de contas (Accountability)Tomada de decises

    Anlise e avaliao macroeconmicaDisponibilizar informao para a monitorizao do grau de eficcia das polticas pblicas

    Necessidades de Informao

    Informao relativa posio financeira, desempenho e fluxos financeiros da entidade

    Dados agregados de forma a permitir a disponibilidade de informao para a tomada de decises no mbito das polticas pblicas

    FinalidadesTomada de deciso por parte dos utilizadores das Demonstraes Financeiras (DFs)

    Anlise dos efeitos das polticas econmicas e outrasTomada de deciso e formu-lao de p

Recommended

View more >