contabilidade financeira folha pagamento

Download Contabilidade Financeira Folha Pagamento

Post on 29-May-2018

219 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 8/9/2019 Contabilidade Financeira Folha Pagamento

    1/38

    CONTABILIDADE FINANCEIRA

    2 Sem./2009Prof. Elias Lopes

    UNIVERSIDADE PAULISTA

  • 8/9/2019 Contabilidade Financeira Folha Pagamento

    2/38

    CURSO:Cincias ContbeisSRIE:6/5 semestresTURNO:Diurno e NoturnoDISCIPLINA:Contabilidade FinanceiraCARGA HORRIA SEMANAL:4h/aula

    I EMENTA

    Provises versus Reservas. Folha de Pagamento. Demonstrao de ValorAdicionado.

    II OBJETIVOS GERAIS

    Capacitar os estudantes a adquirir conhecimentos necessrios para odesenvolvimento das seguintes competncias:

    Enfatizar a conscincia tica e a responsabilidade social da contabilidade.Buscar o equilbrio entre a teoria e prtica contbil de modo a gerarinformaes relevantes para fins de tomada de decises.Apresentar uma sntese das principais operaes relacionadas contabilidade tendo em vista o registro contbil, culminando com aelaborao das demonstraes contbeis.

    III OBJETIVOS ESPECFICOS

    Desenvolver com o estudante os conhecimentos tcnicos para identificao,classificao e registro de operaes especiais e o respectivo impacto nadivulgao de informaes sobre o patrimnio das organizaes

    IV CONTEDO PROGRAMTICO

    4.1. Provises versus Reservas4.1.1 Proviso como conta redutora do ativo

    4.1.2 Proviso como exigvel4.1.3 Reservas4.1.4 Reserva versus proviso para contingncia4.1.5 Previses4.1.6 Fundos

    4.2. Folha de Pagamento4.2.1 Noes bsicas de contabilizao da folha de pagamento e

    encargos sociais 4.2.2 Conceitos bsicos4.2.3 Proviso para Frias

    4.2.4 Proviso para 13 Salrio

  • 8/9/2019 Contabilidade Financeira Folha Pagamento

    3/38

    4.3. Demonstrao do Valor Adicionado4.3.1 Aspectos conceituais e prticos4.3.2 Como elaborar a DVA4.3.3 Utilizao do valor adicionado como instrumento de anlise

    V ESTRATGIA DE TRABALHO

    5.1 Aulas expositivas5.2 Exerccios de fixao individuais e em grupo5.3 Exerccios em classe e extra-classe5.4 Pesquisas extra-classe

    VI AVALIAO

    6.1 Provas escritas6.2 Trabalhos e exerccios desenvolvidos em classe e extra-classe6.3 Participaes em questionamentos e debates

    VII BIBLIOGRAFIA

    Bibliografia Bsica

    BRAGA, Hugo Rocha; ALMEIDA, Marcelo Cavalcanti.Mudanas Contbeis naLei Societria. So Paulo: Atlas, 2008.

    FIPECAFI, Fundao Instituto de Pesquisas Contbeis, Atuariais e Financeiras.Manual de contabilidade das sociedades por aes. 7a ed., So Paulo: Atlas,2007.

    IUDCIBUS, Srgio de; MARION, Jos Carlos.Contabilidade Comercial. 7a ed.,So Paulo: Atlas, 2006.

    Bibliografia Complementar:

    MARION, Jos Carlos.Contabilidade empresarial. 13a

    . ed., So Paulo: Atlas,2007.

    NEVES, Silvrio; VICECONTI, Paulo Eduardo.Contabilidade avanada. 15a ed.,So Paulo: Frase, 2007.

    Lder da disciplina: Profa.: Maria Jose Teixeirae-mail: m.jteixeira@uol.com.br

  • 8/9/2019 Contabilidade Financeira Folha Pagamento

    4/38

    4.1 Provises versus ReservasProvises so estimativas que reduzem valores do Ativo (Perdas) ou aumentam oPassivo (obrigaes)

    So fundamentais para que o princpio da competncia seja efetivamente cumprido

    Reservas so valores que excedem o capital realizado, compondo o Patrimnio Liquido.Dessa forma, a Reserva caracteriza-se como um fato positivo, j que compe o Capitalprprio, ao contrario das Provises que aumentam o Capital de Terceiros ou diminuem oAtivo.

    4.1.1 Proviso como conta redutora do ativoOs Direitos que podem ter seu valor reduzido so os direitos com clientes decorrentes deduplicatas que dificilmente sero recebidas. Sob o ponto de vista fiscal o art. 341 do

    RIR/99 esclarece os critrios em que a despesa com PDD sero consideradosdedutveis.

    Proviso Para Devedores Duvidosos

    Proviso Para Ajuste ao Valor de Mercado

    Quando o valor de mercado do estoque for menor do que o seu custo deve-se reduzir ovalor do estoque ao valor do mercado (Princpio da Prudncia) atravs da Proviso paraAjuste ao Valor de Mercado.Os Investimentos Temporrios ou Permanentes podem sofrer perdas na sua realizao.

    Quando for possvel estimar esta perda o valor dos Investimentos devem ser reduzidospela Proviso para Perdas na sua Realizao.Proviso Para Perdas

    Proviso Para Depreciao, Amortizao e Exausto

    Os bens tangveis componentes do Ativo Permanente, segundo o art. 183 da Lei6.404/76, podem perder o seu valor pelo uso, desgaste ou perda de eficincia, ao danatureza ou obsolescncia (Depreciao)

    Os bens intangveis componentes do Ativo Permanente, segundo o art. 183 da Lei

    6.404/76, podem sofrer a perda do seu valor. Nesse caso devem ser reduzidos pelaAmortizao.

    Os recursos naturais (minerais ou florestais) componentes do Ativo Permanente, segundoo art. 183 da Lei 6.404/76, podem sofrer a perda do seu valor em virtude da suaexplorao (Exausto).

    As obrigaes ainda no efetivas, mas possveis de serem estimadas, geradas noexerccio, devem ser reconhecidas no Passivo como PROVISES.

    Art. 183. No balano, os elementos do ativo sero avaliados segundo os seguintescritrios:

  • 8/9/2019 Contabilidade Financeira Folha Pagamento

    5/38

    I - as aplicaes em instrumentos financeiros, inclusive derivativos, e em direitos ettulos de crditos, classificados no ativo circulante ou no realizvel a longo prazo:(Redao dada pela Lei n 11.638,de 2007)a) pelo seu valor justo, quando se tratar de aplicaes destinadas negociao oudisponveis para venda; e (Redao dada pela Medida Provisria n 449, de 2008)b) pelo valor de custo de aquisio ou valor de emisso, atualizado conformedisposies legais ou contratuais, ajustado ao valor provvel de realizao, quando estefor inferior, no caso das demais aplicaes e os direitos e ttulos de crdito; (Includapela Lei n 11.638,de 2007)II - os direitos que tiverem por objeto mercadorias e produtos do comrcio dacompanhia, assim como matrias-primas, produtos em fabricao e bens emalmoxarifado, pelo custo de aquisio ou produo, deduzido de proviso para ajust-loao valor de mercado, quando este for inferior;III - os investimentos em participao no capital social de outras sociedades, ressalvadoo disposto nos artigos 248 a 250, pelo custo de aquisio, deduzido de proviso paraperdas provveis na realizao do seu valor, quando essa perda estiver comprovadacomo permanente, e que no ser modificado em razo do recebimento, sem custopara a companhia, de aes ou quotas bonificadas;IV - os demais investimentos, pelo custo de aquisio, deduzido de proviso paraatender s perdas provveis na realizao do seu valor, ou para reduo do custo deaquisio ao valor de mercado, quando este for inferior;

    V - os direitos classificados no imobilizado, pelo custo de aquisio, deduzido do saldoda respectiva conta de depreciao, amortizao ou exausto;VI - o ativo diferido, pelo valor do capital aplicado, deduzido do saldo das contas queregistrem a sua amortizao.VII os direitos classificados no intangvel, pelo custo incorrido na aquisio deduzidodo saldo da respectiva conta de amortizao; (Includo pela Lei n 11.638,de 2007)VIII os elementos do ativo decorrentes de operaes de longo prazo sero ajustados avalor presente, sendo os demais ajustados quando houver efeito relevante. (Includopela Lei n 11.638,de 2007) 1o Para efeitos do disposto neste artigo, considera-se valor justo: (Redao dadapela Medida Provisria n 449, de 2008)a) das matrias-primas e dos bens em almoxarifado, o preo pelo qual possam serrepostos, mediante compra no mercado;b) dos bens ou direitos destinados venda, o preo lquido de realizao mediantevenda no mercado, deduzidos os impostos e demais despesas necessrias para avenda, e a margem de lucro;c) dos investimentos, o valor lquido pelo qual possam ser alienados a terceiros.d) dos instrumentos financeiros, o valor que pode se obter em um mercado ativo,decorrente de transao no compulsria realizada entre partes independentes; e, naausncia de um mercado ativo para um determinado instrumento financeiro: (Includapela Lei n 11.638,de 2007)1) o valor que se pode obter em um mercado ativo com a negociao de outroinstrumento financeiro de natureza, prazo e risco similares; (Includo pela Lei n11.638,de 2007)2) o valor presente lquido dos fluxos de caixa futuros para instrumentos financeiros denatureza, prazo e risco similares; ou (Includo pela Lei n 11.638,de 2007)3) o valor obtido por meio de modelos matemtico-estatsticos de precificao deinstrumentos financeiros. (Includo pela Lei n 11.638,de 2007) 2o A diminuio do valor dos elementos dos ativos imobilizado e intangvel serregistrada periodicamente nas contas de: (Redao dada pela Medida Provisria n 449,de 2008)a) depreciao, quando corresponder perda do valor dos direitos que tm por objetobens fsicos sujeitos a desgaste ou perda de utilidade por uso, ao da natureza ouobsolescncia;b) amortizao, quando corresponder perda do valor do capital aplicado na aquisiode direitos da propriedade industrial ou comercial e quaisquer outros com existncia ouexerccio de durao limitada, ou cujo objeto sejam bens de utilizao por prazo legal oucontratualmente limitado;c) exausto, quando corresponder perda do valor, decorrente da sua explorao, dedireitos cujo objeto sejam recursos minerais ou florestais, ou bens aplicados nessaexplorao. 3o A companhia dever efetuar, periodicamente, anlise sobre a recuperao dosvalores registrados no imobilizado e no intangvel, a fim de que sejam: (Redao dada

    pela Medida Provisria n 449, de 2008)I registradas as perdas de valor do capital aplicado quando houver deciso deinterromper os empreendimentos ou atividades a que se destinavam ou quando

  • 8/9/2019 Contabilidade Financeira Folha Pagamento

    6/38

    comprovado que no podero produzir resultados suficientes para recuperao dessevalor; ou (Includo pela Lei n 11.638,de 2007)II revisados e ajustados os critrios utilizados para determinao da vida tileconmica estimada e para clculo da depreciao, exausto e amortizao.

Recommended

View more >