contabilidade avanÇ de... · web viewapostila de contabilidade avançada assunto: contabilidade...

Download CONTABILIDADE AVANÇ de... · Web viewApostila de Contabilidade Avançada Assunto: CONTABILIDADE AVANÇADA

Post on 10-Nov-2018

219 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

CONTABILIDADE AVANADA

Apostila de Contabilidade Avanada

Assunto:

CONTABILIDADE

AVANADA

Ementa

Demonstraes Financeiras

- Balano Patrimonial.

- Demonstrao dos Lucros ou Prejuzos Acumulados.

- Demonstrao do Resultado do Exerccio.

- Demonstrao das Origens e das Aplicaes de Recursos.

- Notas Explicativas.

Avaliao de Investimentos Societrios.

- O Mtodo de Custo.

- O Mtodo de Equivalncia Patrimonial.

gio e Desgio.

- gio

- Desgio

Correo Monetria Patrimonial.

UNIDADE I DEMONSTRAO DE ORIGENS E APLICAES

DE RECURSOS - DOAR

1 INTRODUO

1.1 Objetivo da Demonstrao

1.2 Obrigatoriedade

1.2.1 Origens

1.2.1.1 Das Operaes

1.2.1.2 Dos Proprietrios

1.2.1.3 De Terceiros

1.2.2 Aplicao dos Recursos

1.3 Algumas Definies

1.4 Capital Circulante Lquido C.C.L.

1.4.1 Receitas e Despesas que no afetam o Capital Circulante Lquido

1.4.2 Transaes que afetam o Capital Circulante Lquido

1.5 Estrutura da DOAR

1.6 Demonstrao da Variao do Capital Circulante Lquido C.C.L.

1.7 Exerccios de fixao.

UNIDADE II DEMONSTRAO DOS FLUXOS DE CAIXA D.F.C.

2 INTRODUO

2.1 Conceito

2.2 Obrigatoriedade

2.3 Objetivo da Demonstrao dos Fluxos de Caixa

2.3.1 Outros Objetivos

2.4 Causas de Falta de Recursos na Empresa

2.5 Equilbrio Financeiro

2.6 Vantagens e Limitaes do Fluxo de Caixa

2.6.1 Vantagens

2.6.2 Limitaes

2.7 Fluxo Econmico e Fluxo Financeiro

2.7.1 Resultado Econmico

2.7.2 Resultado Financeiro

2.8 Classificao das Atividades

2.8.1 Atividades Operacionais

2.8.2 Atividades de Investimentos.

2.8.3 Atividades de Financiamento.

2.9 Mtodos de Elaborao

2.9.1 Mtodo Indireto.

2.9.2 Mtodo Direto

2.10 Mtodos de Elaborao.

2.10.1 Direto.

2.10.2 Indireto.

2.11 Estrutura da Demonstrao dos Fluxos de Caixa.

2.12 Exerccios de fixao.

UNIDADE III CONSOLIDAO DAS DEMONSTRAES FINANCEIRAS

3 INTRODUO.

3.1 Objetivo da Consolidao.

3.2 Obrigatoriedade.

3.3 Mtodos de Elaborao.

3.4 Eliminao de Consolidao.

3.5 Lucros nos Estoques e nos Ativos Permanentes.

3.6 Particularidades na Consolidao

3.7 Evidenciao.

3.8 Exerccios de fixao.

Outras Informaes

4 PRINCPIOS FUNDAMENTAIS DE CONTABILIDADE

4.1 Postulados.

4.2 Princpios.

4.3 Convenes.

5 DICIONRIO. CONTBIL

DEMONSTRAES FINANCEIRAS.

So elaboradas a partir de informaes extradas dos livros, registros e documentos da empresa.

A principal finalidade da Contabilidade e fornecer informaes de ordem econmica e financeira sobre o patrimnio da empresa Informaes que facilitaro nas tomadas de decises.

A Lei 6404/76 no artigo 176, diz que no final de cada exerccio social, elaborara com base na escriturao, as seguintes demonstraes.

- Balano Patrimonial. ( Art. 178, Lei 6404/76 .)

- Demonstrao de Lucros ou Prejuzos Acumulados. (Art. 186, Lei 6404/76. )

- Demonstrao do Resultado do Exerccio. ( Art. 187, Lei 6404/76. )

- Demonstrao de Origens e Aplicaes de Recursos. ( Art. 188, Lei 6404/76. )

- Notas Explicativas. ( Art. 176, parag. 4 , da Lei 6404/76. )

Balano Patrimonial

O Balano e uma expresso so de origem latina Bis Lanx, que quer dizer dos dois lados, onde podemos verificar o lado esquerdo as aplicaes dos esforos e recursos e, do lado direito as origens destes recursos, buscando o equilbrio do balano. Encontremos informaes contidas no Balano de forma esttica, ou seja numa determinada data. Apesar das limitaes como instrumento de informaes, assume o importante papel de comunicar aos administradores a avaliao da evoluo da atividade atravs da anlise dos dados.

A seguir a ntegra do artigo 178 da Lei 6404/76.

Art. 178. No balano, as contas sero classificadas segundo os elementos do patrimnio que registrem, e agrupadas de modo a facilitar o conhecimento e a anlise da situao financeira da companhia.

1o No ativo, as contas sero dispostas em ordem decrescente de grau de liquidez dos elementos nelas registrados, nos seguintes grupos:

a) ativo circulante;

b) ativo realizvel a longo prazo;

c) ativo permanente, dividido em investimentos, ativo imobilizado e ativo diferido.

2o No passivo, as contas sero classificadas nos seguintes grupos:

a) passivo circulante;

b) passivo exigvel a longo prazo;

c) resultados de exerccios futuros;

d) patrimnio lquido, dividido em capital social, reservas de capital, reservas de reavaliao, reservas de lucros e lucros ou prejuzos acumulados.

3o Os saldos devedores e credores que a companhia no tiver direito de compensar sero classificados separadamente.

BALANCO PATRIMONIAL

ATIVO

PASSIVO

Ativo Circulante

Passivo Circulante

- Disponibilidade

- Fornecedores

- Contas a Receber

- Obrigaes Trabalhistas

- Estoques

- Obrigaes Fiscais

Ativo Realizvel Longo Prazo

Passivo Exigvel Longo Prazo

- Contas a Receber

- Financiamentos

Resultado de Exerccios Futuros

- Receitas Antecipadas

Ativo Permanente

Patrimnio Liquido

- Investimentos

- Capital Social

- Ativo Imobilizado

- Reservas

- Ativo Diferido

- Lucros ou Prejuzos Acumulados

Demonstrao de Lucros ou Prejuzos Acumulados.

A Demonstrao de Lucros e Prejuzos Acumulados DLPA - e obrigatria conforme artigo 186 da Lei 6404/76, mas, poder ser substituda pela Demonstrao das Mutaes do Patrimnio Liquido. A DLPA e uma demonstrao que evidencia o lucro apurado no exerccio, sua destinao e a movimentao ocorrida na referida conta.

Modelo de Demonstrao de Lucros ou Prejuzos Acumulados

Saldo no inicio do perodo

Ajustes de exerccios anteriores ( + ou - )

Correo monetria do saldo inicial ( + )

Saldo Ajustado e Corrigido ( = )

Lucro ou Prejuzo do Exerccio ( + ou - )

Reverso de Reservas ( + )

Saldo a disposio ( = )

Destinao do Exerccio

Reserva Legal

Reserva Estatutria

Reserva para Contingncias

Outras Reservas

Dividendos obrigatrios ( por ao )

Saldo no final do exerccio.

Demonstrao das Mutaes do Patrimnio Liquido.

A Demonstrao das Mutaes do Patrimnio Liquido DMPL no e obrigatria pela Lei 6404/76, mas sua publicao e exigida pela instruo nr. 59 da CVM de 22/12/86. Esta Demonstrao de grande utilidade, pois, alem de mostrar a movimentao da conta de Lucros, mostra tambm a movimentao das demais contas do Patrimnio Liquido.

Investimentos.

O que significa Investimento ?

Do ponto de vista do investidor, e a aplicao de capitais em outras empresas na compra de aes ou quotas.

Empresa com sobra de caixas, podem investir na compra de aes ou quotas de outras empresas. Este investimento poder ser de carter temporrio ou permanente conforme seu grau de liquidez ou realizao. Ento, o fator tempo, inteno e transformao em meda, so fundamentais para o registro deste Ativo. No grupo do Ativo Permanente na conta Investimentos, sero registrados os investimentos de carter permanente, avaliadas pelo Mtodo de Custo ou pela Equivalncia Patrimonial e, Investimentos Temporrios, aqueles com inteno de realizao at o trmino do exerccio social seguinte, tendo seu critrio de avaliao por proviso para desvalorizao em relao ao mercado.

Exemplos de Investimentos.

- Participaes em outras Empresas ( temporrios ou permanentes ).

- Obras de arte.

- Imveis no destinadas venda e no utilizados pela empresa, etc..

Tipos de Investimentos.

a ) Investimentos Voluntrios.

So investimentos em capital de outras empresas como extenso de sua atividade econmica ( coligadas ou controladas ).

b ) Investimentos Compulsrios.

So aqueles que ocorrem atravs de incentivos fiscais aplicados em reas especficas.

Avaliao de Investimentos Societrios.

Critrios de Avaliao do Ativo (Art. 183 da Lei 6404/76 )

- O Mtodo de Custo.

Pelo Mtodo de Custo, as aes ou quotas de capital so adquiridas pelo seu valor histrico, ou seja, quanto a investidora pagou para adquiri-las. No momento do encerramento do exerccio, se houver necessidade, a empresa dever constituir a proviso para possveis perdas na realizao do investimento para atender ao Princpio contbil, Custo como Base de Valor.

Neste Mtodo, a investidora no registrar em sua contabilidade o resultado ( lucro ou prejuzo) apurado na investida.

Para que seja aplicado o Mtodo de Custo, os investimentos em outras sociedades no podero ser:

- relevantes;

- inexistncia de influncia administrativa;

- percentual de participao no atinja a 20% do capital social da coligada.

Contabilizao

Na data da aquisio.

A empresa ABC S.A. adquiriu em 31/07/19X0 lote de 1.000 aes da Empresa Bons Lucros S/A por R$ 1.000,00. O investimento de carter permanente.

D Ativo Permanente..........................................................................R$ 1.000,00

Investimentos em Outras Sociedades

C Bancos..............................................................................................................R$ 1.000,00

A Empresa Bon