conselho regional de medicina veterinária do estado de ... tecnico 65... · projeto de...

Download Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de ... tecnico 65... · PROJETO DE EDUCAÇÃO…

Post on 09-Nov-2018

214 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Conselho Regional de Medicina Veterinria do Estado de Minas Gerais

    o CRMV-MG participando do processo de atualizaotcnica dos profissionais e levando informaes da

    melhor qualidade a todos os colegas.

    VALORIZAO PROFISSIONAL

    compromisso com voc

    www.crmvmg.org.br

    PROJETO DE EDUCAO CONTINUADA

  • Universidade Federal de Minas Gerais

    Escola de Veterinria Fundao de Estudo e Pesquisa em Medicina Veterinria e Zootecnia - FEPMVZ Editora

    Conselho Regional de Medicina Veterinria do Estado de Minas Gerais - CRMV-MG

    Correspondncia:FEPMVZ Editora Caixa postal 5671 30123-970- Belo Horizonte - MG Telefone: (31) 3409-2042 E-mail: journal@vet.ufmg.br

    EditorialA Escola de Veterinria e o Conselho Regional

    de Medicina Veterinria, com satisfao, novamen-te disponibilizam para a comunidade de leitores o segundo nmero do Cadernos Tcnicos, de 2012.

    Com este nmero, tanto a Escola quanto o Con-selho mantm consolidada a parceria e seu com-promisso com a comunidade veterinria de Minas Gerais.

    O nmero 2, tratando do tema leishmaniose, mostra a insero da Escola e do Conselho na an-lise crtica, discusso aprofundada e busca de solu-es contemporneas, validadas pela pesquisa, para equacionar problemas trazidos por essa zoonose, que atinge Minas Gerais e outras regies do pas.

    Portanto, parabns comunidade de leitores que utilizam o Cadernos Tcnicos para sua educa-o continuada, uma experincia que transcende os anos de graduao e ps-graduao.

    Ainda, a Escola de Veterinria tem a satisfao de divulgar a celebrao dos seus 80 anos, incluindo uma pgina com sua histria de consistncia e com-promisso com o ensino, com o profissional e com a sociedade.

    Prof. Antonio de Pinho Marques JuniorEditor-Chefe do Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinria e Zootecnia (ABMVZ)

    Prof. Jos Aurlio Garcia BergmannDiretor da Escola de Veterinria da UFMG

    Prof. Marcos Bryan HeinemannEditor do Cadernos Tcnicos de Veterinria e Zootecnia

    Prof. Nivaldo da SilvaCRMV-MG n 0747 Presidente do CRMV-MG

  • Conselho Regional de Medicina Veterinria do Estado de Minas Gerais - CRMV-MGPresidente:

    Prof. Nivaldo da Silva

    E-mail: crmvmg@crmvmg.org.br

    CADERNOS TCNICOS DE VETERINRIA E ZOOTECNIAEdio da FEPMVZ Editora em convnio com o CRMV-MGFundao de Estudo e Pesquisa em Medicina Veterinria e Zootecnia - FEPMVZ

    Editor da FEPMVZ Editora: Prof. Antnio de Pinho Marques Junior

    Editor do Cadernos Tcnicos de Veterinria e Zootecnia: Prof. Marcos Bryan Heinemann

    Editora convidada para edio 65:Danielle Ferreira de Magalhes Soares

    Revisora autnoma:Giovanna Spotorno Moreira

    Tiragem desta edio:9.100 exemplares

    Layout e editorao:Solues Criativas em Comunicao Ldta.

    Fotos da capa: Fabiana Lara, Luiz Felipe e www.bigstockphoto.com

    Impresso:Imprensa Universitria

    Cadernos Tcnicos de Veterinria e Zootecnia. (Cadernos Tcnicos da Escola de Veterinria da UFMG)

    N.1- 1986 - Belo Horizonte, Centro de Extenso da Escola deVeterinria da UFMG, 1986-1998.

    N.24-28 1998-1999 - Belo Horizonte, Fundao de Ensino e Pesquisa em Medicina Veterinria e Zootecnia, FEP MVZ Editora, 1998-1999

    v. ilustr. 23cm

    N.29- 1999- Belo Horizonte, Fundao de Ensino e Pesquisa em Medicina Veterinria e Zootecnia, FEP MVZ Editora, 1999Periodicidade irregular.

    1.Medicina Veterinria - Peridicos. 2. Produo Animal - Peridicos. 3. Produtos de Origem Animal, Tecnologia e Inspeo - Peridicos. 4. Extenso Rural - Peridicos.

    I. FEP MVZ Editora, ed.

    Permite-se a reproduo total ou parcial, sem consulta prvia, desde que seja citada a fonte.

  • Prefcio

    Danielle Ferreira de Magalhes Soares

    Mdica Veterinria, Professora de Epidemiologia da Escola de Veterinria da Universidade Federal de Minas Gerais

    A leishmaniose visceral (LV) uma zoonose grave de transmisso vetorial e de grande impor-tncia em sade pblica. Atualmente, encontra--se presente nas cinco regies brasileiras, e os casos em humanos e caninos tm aumentado de forma significativa em reas urbanas brasileiras. Em Belo Horizonte, nos ltimos anos, ocorre-ram aproximadamente 100 casos anuais com alta letalidade, em mdia 13,5%, variando de 6,3% no ano de 1996 a 23,6% em 2009.

    O Programa de Controle da Leishmaniose Visceral tem como objetivo a reduo das ta-xas de letalidade e do grau de morbidade, assim como a diminuio dos nveis de transmisso da doena. As estratgias propostas so: diagns-tico e tratamento precoces dos casos humanos, identificao e eliminao de reservatrios do-msticos, sendo o co o principal em rea urba-na, controle vetorial e educao em sade. As medidas de controle usualmente empregadas no tm apresentado, em muitas regies do pas, efetividade suficiente para reduo da incidn-cia e da letalidade da doena, sendo esta consi-derada atualmente o principal problema da LV.

    Um maior conhecimento cientfico sobre o papel especfico de cada elemento da cadeia de transmisso (agente etiolgico, inseto transmis-sor, homem e reservatrios silvestres e domsti-cos) representa um dos maiores desafios para o aprimoramento das estratgias de controle.

    O papel do co no cenrio atual, a descober-ta de novos reservatrios e vetores, as dificulda-

  • des nos diagnsticos canino e humano, a recu-sa dos proprietrios de animais em atender s solicitaes do servio pblico, a proibio do tratamento canino, as comorbidades em huma-nos, responsveis pela alta letalidade da doena, as perspectivas das vacinas anti-leishmaniose visceral, o difcil controle vetorial, entre outros fatores, tornam o combate LV um grande de-safio para o setor pblico e o privado.

    Nesse cenrio, a educao permanente dos mdicos veterinrios imprescindvel, uma vez que papel desse profissional zelar pela sade e pelo bem-estar tanto da populao humana quanto da animal, promovendo o repasse de sa-beres voltados guarda responsvel de animais, ao cuidado com seus ambientes domsticos, ao uso racional de medicamentos e produtos vol-tados preveno dos ces, ao comrcio de ani-mais, s questes relativas ao bem-estar animal e ao controle de vetores e outros reservatrios da LV.

    Esta edio do Caderno Tcnico visa en-globar, de forma multidisciplinar, aspectos epi-demiolgicos, entomolgicos, clnicos e edu-cacionais, gerando um campo para a discusso, o aprendizado e a problematizao da situao da LV, com nfase na discusso de novas estra-tgias, mais viveis e efetivas, para serem empre-gadas no Programa de Vigilncia e Controle.

    Espera-se, dessa forma, alcanar maior in-sero da comunidade no controle da LV com melhor reestruturao do programa de controle da doena, o que pode refletir na reduo dos casos de LV entre os homens e os animais.

  • SumrioLeishmanioses do Novo Mundo ......................................................................11

    Reviso dos aspectos sobre a urbanizao das leishmanioses e a importncia da identificao de reservatrios de Leishmania sp. para o estabelecimento de medidas eficientes de controle.

    Aspectos entomolgicos das leishmanioses ...................................................30

    Reviso sobre a biologia e ecologia dos flebotomneos, principais espcies vetoras das leishmanioses.

    Vetores mecnicos da leishmaniose visceral canina .........................................38

    O artigo aborda outros mecanismos de transmisso envolvidos na epidemiologia da leishmaniose visceral canina, alm da transmisso natural pela picada de fmeas de flebotomneos da espcie Lutzomyia longipalpis.

    Vigilncia e controle da leishmaniose visceral no contexto urbano ...............46

    Reviso sobre a situao da leishmaniose no mundo e no Brasil e sobre medidas propostas para seu controle.

    Clnica, diagnstico e tratamento da LVC ......................................................76

    Reviso sobre os avanos, limitaes e perspectivas relacionados aos aspectos clnicos, de diagnstico e do tratamento da LVC.

    Leishmaniose visceral felina .........................................................................106

    Reviso sobre os principais aspectos epidemiolgicos, sinais clnicos, diagnstico e tratamento da infeco de gatos domsticos por L. Infantum.

    Uma reviso sobre a vacinao canina e a vacina de FML ............................117

    Reviso sobre caractersticas imunolgicas, de registro e comercializao das vacinas contra leishmaniose visceral canina.

    Desenvolvimento de vacinas contra a LVC ..................................................121

    O artigo aborda as formulaes vacinais contendo o antgeno A2 Imunogenicidade e eficcia de proteo em camundongos e ces e , Testes pr-clnicos em primatas no humanos

    Educao em sade e guarda responsvel .....................................................128

    Reviso sobre a Aquisio de conhecimento, Avaliao de material informativo disponvel, Medidas de interveno para leishmaniose visceral e A guarda responsvel de animais como auxlio ao programa de controle da doena

  • 11Leishmanioses do Novo Mundo

    1. Introduo

    Os parasitos do gnero Leishmania so organismos unicelulares, digen-ticos, pertencentes ao sub-reino Pro-tozoa, ordem Kinetoplastida, famlia Trypanosomatidae1. Esse gnero cons-titui um grupo de espcies morfologica-mente muito similares, biologicamente distintas, com caractersticas genticas, bioqumicas e imunolgicas diferencia-

    das. O gnero Leishmania apresenta em seu ciclo biolgico formas amastigotas, com flagelo interno e cinetoplasto vis-vel em forma de basto. Essas vivem e multiplicam-se no interior de clulas do sistema monoctico fagocitrio (SMF) dos hospedeiros vertebrados2, que so mamferos de diferentes ordens, entre elas roedores, marsupiais, edentados, carnvoros e primatas.3,4,5

    A transmisso do parasito entre os

    Leishmanioses do Novo MundoEstudo de hospedeiros no humanos e s