congresso brasileiro nota de esclarecimento sobre fadiga ...· dislipidemia, síndrome dos ovários

Download Congresso Brasileiro Nota de Esclarecimento sobre Fadiga ...· Dislipidemia, Síndrome dos Ovários

Post on 08-Nov-2018

221 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • rgo Informativo da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia Ano XXIII - Maro 2016 109

    Nota de Esclarecimento sobre Fadiga Crnicam O diagnstico de Fadiga Adrenal um dos temas em destaque desta edio, com abordagem tambm no editorial do presidente Dr. Alexandre Hohl. A Nota de Esclarecimento, publicada

    no site da SBEM, mostra a preocupao da entidade devido recomendao do uso de corticosteroides para o tratamento da doena.

    (Pginas 3 e 4)

    Dicas para o TEEM

    m Nos dias 14 e 15 de maio acontecero as provas do Ttulo de Especialista em Endocrinologia e Metabologia (TEEM). O Dr. Josivan Lima, presidente da Comisso do TEEM, deu dicas de como se preparar para o exame.

    (Pgina 6)

    Para Se Programar

    m O primeiro semestre contar com eventos importantes dos Departamentos Cientficos da SBEM. Tireoide, Endocrinologia Peditrica e Neuroendocrinologia so os temas das atividades que acontecem em Gramado, So Paulo e Porto Alegre: EBT, EBEP e SINE. (Pgina 10)

    Especialista Voluntrio

    m Os Jogos Olmpicos e Paralmpicos acontecem em agosto e setembro, no Rio de janeiro. Entre as vrias histrias dos bastidores, a participao do Dr. Rogrio Friedman, do Rio Grande do Sul, que ser um dos voluntrios na rea de sade da Rio 2016. (Pgina 14)

    Congresso Brasileirom O presidente do CBEM 2016, Dr. Fbio Trujilho, e o presidente da Comisso Cientfica, Dr. Joo Eduardo Salles, falam sobre o andamento do Congresso Brasileiro de Endocrinologia e Metabologia na Costa do Saupe. O local est pronto para um grande evento.

  • 2 REPORTAGEM

    Protocolos Clnicos e Diretrizes TeraputicasA CONITEC Comisso Nacional de Incorporao de Tecnologias do SUS publicou em seu site, no incio do ano, uma enquete com o objetivo de atualizar os Protocolos Clnicos e Diretrizes Teraputicas de 2012/2013 de vrias doenas. Durante o perodo em que o questionrio esteve disponvel, a SBEM intensificou a divulgao do mesmo e estimulou a participao dos seus associados no processo. Os endocrinologistas puderam acessar o link da enquete atravs do site da SBEM.

    Apesar da Sociedade no possuir a confirmao da adeso dos seus associados pesquisa, a entidade fez uma avaliao com relao ao nmero de profissionais que tiveram conhecimento do questionrio atra

    vs da Instituio. O relatrio do site apontou que a matria, referente divulgao da enquete, teve mais de 400 pageviews (visualizaes de pginas). Esses dados correspondem at a data de 18/02.

    O questionrio da CONITEC esteve disponvel para os endocrinologistas de 26 de janeiro a 29 de fevereiro. Entre os temas em debate estavam as seguintes comorbidades: Acromegalia, Diabetes Inspidos, Dislipidemia, Sndrome dos Ovrios Policsticos, entre outros.

    Alm de responder pesquisa, os profissionais tiveram a oportunidade de enviar sugestes para melhoria das diretrizes de cada doena. Outra contribuio era atravs do compartilhamento de documentos ou bibliografias. Os participantes ti

    nham a opo de anexar arquivos ao final da enquete.

    Os protocolos e diretrizes vigentes tambm ficaram acessveis aos profissionais. Eles puderam fazer uma reflexo sobre a utilizao dos documentos atuais, baseandose na realidade local de cada um.

    SOBRE A CONITEC O objetivo da Comisso Nacional de Incorporao de Tecnologia do SUS auxiliar o Ministrio da Sade quanto incorporao, modificao ou excluso de tecnologias em sade pelo Sistema nico de Sade. Dentre essas tecnologias esto medicamentos, procedimentos e produtos, alm das atualizaes dos protocolos clnicos e diretrizes teraputicas. c

    Rede Informtica de Medicina AvanadaN o fim do ano, a SBEM iniciou os contatos para uma importante parceria na rea de divulgao cientfica. Aps algumas reunies entre a SBEM e a AstraZeneca foi definido o trabalho em conjunto sobre o projeto RIMA (Rede Informtica de Medicina Avanada). Para que a informao chegasse simultaneamente aos associados, a notcia foi publicada em destaque no site da SBEM e foram enviados boletins regulares para todos os scios.

    Os relatrios dos boletins so monitorados para saber sobre o alcance do envio aos scios. Foram registrados ndices muito baixos relativos a problemas com os emails. No boletim do dia 2 de fevereiro o ndice de emails no entregues (com algum problema) foi de 0,4% e no dia 5 de fevereiro de 0,5%.

    O comunicado foi enviado e publicado no site da SBEM Nacional.

    As inscries para o sorteio se encerraram no dia 29 de fevereiro. Os 300 scios contemplados (devido ao nmero de acessos disponveis) foram notificados por email.

    RIMA A SBEM Nacional firmou, recentemente, uma parceria com o laboratrio AstraZeneca do Brasil Ltda., atravs do projeto RIMA. Mais uma opo de atualizao cientfica para os associados adimplentes.

    O RIMA um portal onde possvel ter acesso ao contedo de mais de 2.200 revistas cientficas, incluindo os principais peridicos na rea de Endocrinologia e Metabologia. Sero permitidos mensalmente at cinco downloads de artigos na ntegra, com acesso livre aos resumos e outras ferramentas de pesquisas.

    As publicaes esto sempre atualizadas, alm das edies anteriores permanecerem disponveis para

    consultas. Os associados da SBEM que tiverem o acesso ao contedo podero, em 2016, realizar buscas por artigos, assuntos de interesse, diretrizes, entre outros.

    O projeto tem um nmero limitado de acessos disponveis (300) e, em funo disso, a SBEM realizou um sorteio, s 16h (horrio de Braslia) entre os associados adimplentes no dia 29/02/16.

    A divulgao do resultado foi feita por email no dia 7 de maro.

    Aps o sorteio, o cadastro ser feito pelo associado no site www.rima.org, onde est a opo registrese. Neste campo, o scio colocar o cdigo de acesso recebido e em seguida criar o seu login e senha conforme orientaes do site.

    A SBEM lembra que esse acesso de uso pessoal e intransfervel, sendo proibida qualquer reproduo e distribuio. c

    no 1

    09 -

    mar

    o d

    e 20

    16Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia

  • 3EDITORIAL

    O Que Pode Ser Chamada de Medicina Moderna?V ivemos tempos difceis na sociedade atual. A velocidade de recebimento de novas informaes instantnea. O vo-lume de notcias e mensagens gigantesco e chegam por toda parte: papel, televiso, pginas de busca na internet, redes sociais e aplicativos de celulares.

    Se por um lado nos tornamos uma so-ciedade que, cada vez mais ganha peso e torna-se diabtica, tambm difcil saber o que saudvel. Especialistas probem aleatoriamente a ingesto de glten e lac-tose, outras pessoas retiram da dieta todas as protenas de origem animal, simultanea-mente noticia-se que parte dos alimentos vendidos como orgnicos no nosso pas esto contaminados com agrotxicos. Os pacientes chegam nos consultrios mdi-cos sem rumo.

    As queixas principais so repetitivas: ganho de peso, cansao, indisposio, fal-ta de energia, memria ruim. Parecia bvia a explicao: o estilo de vida atual inten-so, com alto nvel de estresse, alimentao desiquilibrada e falta de atividade fsica regular. Mesmo assim, as avaliaes en-docrinolgicas eram feitas para descartar doenas subclnicas que pudessem estar ocorrendo. Os exames normais indicavam o caminho a ser percorrido: mudar o estilo de vida!

    Entretanto, hoje isto no suficien-te. Precisa haver uma soluo mgica. Precisa haver um hormnio alterado. Nem que para isso, um novo ponto de corte para diagnstico de doena seja estabe-lecido por um mdico ou por um grupo de mdicos, que tenham interesses em criar doenas em pacientes hgidos.

    E um processo cada vez mais frequente tem ocorrido: a prescrio de hormnios por mdicos que no so endocrinologis-tas! Como exemplo, os pacientes esto chegando nos nossos consultrios, rece-bendo levotiroxina (manipulada muitas ve-zes com triiodotironina), com um diagns-

    tico equivocado de hipotireoidismo sub-clnico, feito com TSH < 2,0 mU/L. Outros tm o seu diagnstico realizado a partir da anlise inadequada de T3 total, T3 livre ou T3 reverso. Ou seja, pacientes eutiroi-deanos que recebem hormnio tiroideano indevidamente.

    Em todo mundo, o uso de testosterona em homens eugondicos tem aumenta-do muito. Este perigoso fenmeno vinha sendo identificado nos Estados Unidos da Amrica nos ltimos anos, mas ago-ra tambm est evidente aqui no Brasil. Basta haver sintomas de queda de libido ou de cansao, que existe algum mdico prescritor de hormnios para dar a receita (mesmo sem avaliar adequadamente exa-mes complementares) e dizer que faz uma Medicina Moderna.

    Paralelamente, o uso de testosterona em mulheres, que tem uma indicao ainda mais restrita, cresce absurdamente. Aqui, a motivao parece ser esttica na maio-ria dos casos: diminuir gordura, aumentar musculatura, ficar com um corpo escultu-ral. Porm, quase sempre, acompanhado por uma masculinizao ou por diversos efeitos adversos.

    Mas, sem dvida, a Fadiga Adrenal tem sido uma das formas modernas de justificar o uso indevido de algum horm-nio mais propagada nos ltimos tempos. Infelizmente, com divulgao em mdia leiga em muitos casos. Parece que nin-gum mais quer comer adequadamente, ningum mais quer fazer atividade fsica regular, ningum mais quer tentar diminuir o nvel de estresse. Um grande nmero de pessoas quer apenas tomar uma plula m-gica (com um ou vrios hormnios) e, com isso, conseguir, da noite para o dia, ficar saudvel, com um corpo maravilhoso, com exames sensacionais. Mas, provavelmen-te, bem menos saudvel!

    preciso deixar claro: no existe plu-la mgica. E, neste sentido, a Sociedade

    Brasileira de Endocrinologia e Metabologia tem feito o seu papel. A recente nota de esclarecimento sobre Fadiga Adrenal, publicada pela SBEM, alerta a populao sobre o uso indevido de corticosteroides para retirar sinais e sintomas que no so causados pela falta de corticoide.

    Que cada mdico endocrinologista s-cio da entidade utilize este material c