concurso pblico edital n 01 /2009 decea de 24 de mar†o de 2009

Download CONCURSO PBLICO EDITAL N  01 /2009  DECEA DE 24 DE MAR‡O DE 2009

Post on 11-Jul-2015

123 views

Category:

Education

1 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 1

    MINISTRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONUTICA

    DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAO AREO EDITAL N 01 /2009

    O Departamento de Controle do Espao Areo - DECEA, Organizao do Comando da Aeronutica, prevista no Decreto no 5.196, de 26 de agosto de 2004, no uso de sua competncia que foi outorgada pela Portaria n 819/GC1, de 7 de novembro de 2008, do Comandante da Aeronutica, publicada no Dirio Oficial da Unio (DOU) no 219, de 11 de novembro de 2008, torna pblica a abertura das inscries para realizao de Concurso Pblico destinado a selecionar candidatos para o provimento de cargos do Grupo Defesa Area e Controle de Trfego Areo (DACTA), observadas as disposies na Lei n 8.112, de 11 de dezembro de 1990, e dos demais diplomas legais vigentes, para provimento de cargos vagos, relacionados no Anexo I, e de acordo com o previsto na Portaria no 297, de 19 de setembro de 2008, do Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto (MPOG), publicada no DOU no 183, de 22 de setembro de 2008, o qual ser regido pelo presente Edital que estabelece normas relativas sua realizao mediante ajuste com a FUNDAO CESGRANRIO. 1 - DAS DISPOSIES PRELIMINARES 1.1 - O Concurso Pblico ser regido por este Edital e executado pela FUNDAO CESGRANRIO. 1.2 - A FUNDAO CESGRANRIO responsvel, tcnica e operacionalmente, pelo desenvolvimento das etapas relativas s Provas Objetivas (eliminatrias e classificatrias) para todos os cargos e da prova Didtica para o cargo DACTA 1301 - rea: Licena de Pessoal/Habilitao Ingls. 1.3 - O Concurso Pblico destina-se ao preenchimento de 131 (cento e trinta e uma) vagas de cargos de nvel superior e de 17 (dezessete) de nvel intermedirio do Grupo DACTA, e as que vierem a vagar na data de aprovao deste Edital, ou novas que forem criados dentro de seu prazo de validade, de acordo com o artigo 12 da Lei no 8.112, de 1990 e do Decreto no 4.175, de 27 maro de 2002. 1.4 - As localidades com as vagas oferecidas encontram-se especificadas no Anexo I. 1.5 - Os requisitos /exemplos de atribuies encontram-se descritos no Anexo II. 1.5.1 - O salrio inicial para os cargos de nvel superior de R$ 5.629,42 (cinco mil seiscentos e vinte e nove reais e quarenta e dois centavos) e para os cargos de nvel mdio de R$ 3.682,02 (trs mil seiscentos e oitenta e dois reais e dois centavos), considerando a Gratificao de Desempenho de Atividade de Controle e Segurana de Trfego Areo - GDASA estabelecida em 80 (oitenta) no art 3o - B da Lei no 10.551, de 13 de novembro de 2002. 1.6 - As provas objetivas sero realizadas nas cidades de Braslia (DF), Curitiba (PR), Manaus (AM), Rio de Janeiro (RJ), Recife (PE), So Paulo (SP) e So Jos dos Campos (SP). 1.6.1 - A prova Didtica para o Cargo DACTA 1301 - rea: Licena de Pessoal/Habilitao Ingls ser realizada somente na cidade de So Jos dos Campos/SP. 1.6.2 - Ao se inscrever para determinado Cargo/rea/Localidade, o candidato estar, automaticamente, vinculado ela, para fins de classificao, posse e demais condies do presente edital. 1.7 - O DECEA ser o responsvel pela realizao do curso de formao para o cargo DACTA 1302 - Tcnico de Informaes Aeronuticas, dentro das suas necessidades e convenincias. 1.8 - A inscrio do candidato no presente Concurso Pblico implicar o conhecimento e a aceitao tcita das normas e condies estabelecidas neste Edital e em seus Anexos, dos quais no poder alegar desconhecimento. 2 - DAS DISPOSIES GERAIS SOBRE A INSCRIO E A REALIZAO DAS PROVAS 2.1 - Do total de vagas previstas neste Edital, sero reservados s pessoas portadoras de deficincia conforme Decreto n 3.298, de 20 de dezembro de 1999, publicado no Dirio Oficial da Unio, de 21 de dezembro de 1999, alterado pelo Decreto no 5.296, de 2 de dezembro de 2004, as vagas estabelecidas no Anexo I. 2.2 - Para concorrer s vagas para portadores de necessidades especiais, o candidato dever: a) no ato da inscrio, declarar-se portador de necessidades especiais; b) encaminhar laudo mdico original ou cpia autenticada, emitido nos ltimos doze meses, atestando a espcie e o grau ou nvel da deficincia, com expressa referncia ao cdigo correspondente da Classificao Internacional de Doenas (CID-10), bem como provvel causa da deficincia ou Certificado de Homologao

  • 2

    de Readaptao ou Habilitao Profissional emitido pelo INSS, conforme definido no subitem 2.4.1. Caso o candidato no envie o laudo mdico, no poder concorrer ao percentual reservado para portadores de necessidades especiais, mesmo que tenha assinalado tal opo no Requerimento de Inscrio. 2.2.1 - O laudo mdico dever ser legvel, sob pena de no ser considerado. 2.3 - No ato da inscrio, o candidato portador de necessidades especiais que necessite de tratamento diferenciado no dia das provas dever requer-lo indicando as condies diferenciadas de que necessita para a realizao das provas (ledor, prova ampliada, auxlio para transcrio, sala de mais fcil acesso, intrprete de libras ou tempo adicional). 2.3.1 - O candidato portador de necessidades especiais que necessite de tempo adicional para a realizao das provas dever requer-lo no ato da inscrio e apresentar justificativa acompanhada de parecer emitido por especialista da rea de suas necessidades especiais. 2.4 - O candidato portador de necessidades especiais que no declarar tais opes (vagas reservadas e/ou tratamento diferenciado) no ato de inscrio e/ou o que no enviar laudo mdico conforme determinado em 2.2, 2.2.1 e 2.3.1 deixar de concorrer s vagas reservadas s pessoas portadoras de necessidades especiais ou de dispor das condies diferenciadas e no poder impetrar recurso em favor de sua situao. 2.4.1 - O candidato portador de necessidades especiais que solicitar condies especiais e/ou optar por concorrer aos quantitativos reservados aos deficientes dever enviar correspondncia, via SEDEX ou carta registrada, ao Departamento de Concursos da FUNDAO CESGRANRIO (Rua Santa Alexandrina, 1011 - Rio Comprido - Rio de Janeiro - RJ, CEP 20261-903), impreterivelmente, at o dia 07/04/2009 (mencionando Concurso Pblico - DECEA 01/2009), confirmando sua pretenso e anexando laudo mdico atestando a espcie e o grau ou nvel de sua deficincia, com expressa referncia ao cdigo correspondente da Classificao Internacional de Doenas - CID, bem como provvel causa de sua deficincia. Caso o candidato no envie o laudo mdico, no ser considerado como deficiente apto para concorrer aos quantitativos reservados, nem ter preparadas s condies especiais, mesmo que tenha assinalado tal opo no Requerimento de Inscrio. 2.5 - Os candidatos que se declararem portadores de necessidades especiais participaro do Concurso Pblico em igualdade de condies com os demais candidatos no que concerne ao contedo das provas, avaliao e aos critrios de aprovao, ao horrio e ao local de aplicao das provas e s notas mnimas exigidas para todos os demais candidatos. 2.6 - O candidato que se inscrever como portador de deficincia e obtiver classificao dentro das vagas especialmente destinadas a este fim figurar em lista especfica e tambm na listagem de classificao geral dos candidatos ao Cargo/rea/Localidade de sua opo, onde constar a indicao de que se trata de candidato portador de deficincia. 2.7 - Os candidatos que se declararem portadores de deficincia, se convocados para a Qualificao Biopsicossocial, devero submeter-se previamente avaliao por uma equipe multiprofissional designada pelo DECEA, que emitir parecer conclusivo sobre a sua condio de portador de deficincia ou no e sobre a compatibilidade das atribuies do cargo com a deficincia da qual portador, observadas: a) as informaes fornecidas pelo candidato no ato da inscrio; b) a natureza das atribuies e tarefas essenciais do cargo ou da rea a desempenhar; c) a viabilidade das condies de acessibilidade e de adequaes do ambiente de trabalho execuo das tarefas; d) a possibilidade de uso, pelo candidato, de equipamentos ou outros meios que habitualmente utilize; e) a Classificao Internacional de Doenas (CID); e f) as diretrizes estabelecidas no Decreto no 3.298, de 1999 e no 5.296, de 2004. 2.8 - A inobservncia do disposto nos subitens anteriores acarretar a excluso do candidato do quantitativo de vagas reservadas aos candidatos portadores de necessidades especiais e sua incluso apenas na listagem geral, caso no tenha sido eliminado do Concurso Pblico. A DECEA convocar, ento, o prximo candidato portador de necessidades especiais ou o prximo da lista geral, caso a listagem de pessoas portadoras de necessidades especiais do referido Cargo/rea/Localidade j se tenha esgotado. 3 - DOS REQUISITOS PARA INVESTIDURA NO CARGO 3.1 - Ter nacionalidade brasileira ou portuguesa e, em caso de nacionalidade portuguesa, estar amparado pelo estatuto de igualdade entre brasileiros e portugueses, com reconhecimento de gozo de direitos polticos, nos termos do pargrafo 1, artigo 12, da Constituio Federal e do Decreto no 70.436, de 18 de abril de 1972; 3.2 - Estar em dia com as obrigaes eleitorais;

  • 3

    3.3 - Gozar dos direitos polticos; 3.4 - Estar em situao regular para com as obrigaes do Servio Militar, para os candidatos do sexo masculino em conformidade com o Decreto n 57.654, de 20 de janeiro de 1966, alterado pelo Decreto n 93.670, de 9 de dezembro de 1986; 3.5 - Ter idade mnima de dezoito anos completos, na data de admisso; 3.6 - Ser classificado no Concurso Pblico e possuir os requisitos exigidos para o exerccio do Cargo/rea/Localidade conforme estabelecido no Anexo II; 3.7 - No estar incompatibilizado para a nova investidura em cargo pblico federal, nos termos dispostos no artigo 137 da Lei n 8.112, de 1990; 3.8 - Ser considerado RECOMENDADO no exame de aptido psicolgica que ser realizado pelo Instituto de Psicologia da Aeronutica (IPA), para os candidatos ao cargo DACTA 1302 - Tcnico em Informaes Aeronuticas. Este exame ter carter eliminatrio; 3.9 - Ser considerado APTO em exame mdico realizado por Junta Regular de Sade (JRS) de Organizao de Sade da Aeronutica (OSA); 3.10 - Apresentar outros documentos