concreto 232

Download Concreto 232

Post on 13-Mar-2016

221 views

Category:

Documents

4 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Revista referente aos meses de Março a Junho de 2012

TRANSCRIPT

  • Revista da Associao dos Industriais da Construo Civil e Obras Pblicas - AICCOPN

    CONCRETOn. 232 maro / junho 2012 Bimestral 5 euros

    Foi o palco do I Encontro Nacional da

    Construo e Imobilirio

    Promover o Crescimento, Defender o Setor

  • EDITORIAL

    3

    Estou convicto que todos os que tiveram a oportunidade de participar no 1 Encontro Nacional da Construo e do

    Imobilirio saram com a certeza de que o nosso setor est, mais do que nunca, unido em torno de um objetivo que

    comum. Evidencimos a nossa fora e demonstrmos que, apesar das contrariedades, no nos deixaremos abater.

    Gritmos bem alto o papel que tem de ser reconhecido Construo e aos nossos empresrios, enquanto fatores

    impulsionadores do desenvolvimento sustentado da economia nacional.

    Sempre o foram e, estou certo, representando quase um quinto do PIB e cerca de 720 mil trabalhadores, no podero

    deixar de o ser. esta realidade que os nossos Governantes no podem esquecer e o nosso encontro, a mobilizao

    massiva que nos permitiu encher a Sala Tejo do Pavilho Atlntico, teve o mrito de os recordar da importncia que,

    inevitavelmente, nos tem de ser reconhecida.

    Discutimos os problemas que os empresrios enfrentam e apresentmos estratgias para ultrapassar dificuldades que

    so comuns, mas, de igual modo, demonstrmos que existem solues para dinamizar uma atividade que, ao longo

    dos anos, tem sido essencial para a promoo da economia portuguesa. Escrevo estas linhas num momento em que

    j sei que a Assembleia da Repblica ir deba-

    ter um Programa de Emergncia para a Cons-

    truo e para o Imobilirio, em que o Ministro

    da Economia e do Emprego foi potestivamente

    convocado para uma audio na Comisso

    Parlamentar de Economia e Obras Pblicas e

    em que o Governo se prepara para apresentar as primeiras medidas para um setor que at agora foi ignorado.

    Os polticos e, em particular, o Governo, comeam finalmente a prestar a devida ateno ao setor da construo e do

    imobilirio. de lamentar, no entanto, que tivssemos de chegar a um ponto de rutura, para que algo fosse feito.

    Tal como tenho afirmado, o risco de colapso do sistema financeiro, as falncias e desemprego, so os trs ingre-

    dientes de uma catstrofe anunciada. E, certo, se a situao no for invertida, estar em causa toda a economia

    nacional. Por isso, o pagamento das dvidas do Estado, a Reabilitao Urbana e o Arrendamento, a estabilizao do

    mercado imobilirio, a liquidez necessria ao funcionamento das empresas e o reconhecimento do processo de in-

    ternacionalizao do setor, so matrias estratgicas para o setor e para o Pas, que continuaremos a apontar como

    essenciais para a sobrevivncia das empresas.

    Termino, saudando os nossos Associados e a todos quero agradecer pelo empenhamento que colocaram na concre-

    tizao desta iniciativa. Uma vez mais, demonstrmos a fora da Associao e, estou certo, seremos capazes de,

    semelhana do que aconteceu noutras ocasies, vencer mais este desafio.

    1 Encontro Nacional da Construo

    e do Imobilirio

    Uma manifestao de fora de

    um setor que no se deixa abater

    Reis Campos,

    Presidente da Direo

    da AICCOPN

    Os polticos e, em particular, o Governo, comeam finalmen-te a prestar a devida ateno ao setor da construo e do imo-

    bilirio. de lamentar, no entanto, que tivssemos de chegar a

    um ponto de rutura, para que algo fosse feito..

  • 5NESTA EDIO...

    N. 232 - maro / junho 2012

    Publicao da Associao dos Industriais da Construo Civil e Obras Pblicas - AICCOPN | NIPC: 500 989 567

    Sede e Administrao: Rua lvares Cabral, 306 - 4050-040 Porto | Telf.: 223 402 200 | Fax: 223 402 297 | e-mail: geral@aiccopn.pt | www.aiccopn.pt

    Registo na D.G.C.S. - 119 471 |Depsito Legal n 84 432/94 |Tiragem: 9.300 exemplares | Distribuio: Gratuita a associados

    Director: Manuel Joaquim Reis Campos |Editor: Luis Saraiva |Execuo e Paginao - Rui Silva e Srgio Botas

    Colaboradores Permanentes - Tcnicos dos Servios de Economia, Engenharia, Jurdicos e Laborais, Informtica, Ncleo de Apoio Internacionalizao

    Publicidade e Produo: Yellowstreet - Rua das Artes Grficas, 78 4100-090 Porto | Telf.: 225 438 650 | Fax: 225 438 699 sac@yellowstreet.net

    Linha de Apoio a Clientes: 225 438 651

    Proibida a reproduo total ou parcial dos textos sem citar a fonte.

    A CONCRETO est aberta colaborao e opinio procedentes do sector

    Atividades da Direo - Pg 6

    Destaque - Pg 12

    Tomadas de Posio - Pg 20

    Formao AICCOPN - Pg 26

    Direito - Pg 31

    Economia - Pg 36

    Engenharia - Pg 44

    Segurana - Pg 51

    Regalias - Pg 56

    Pg. 6

    Pg. 10

    Pg. 12

    Pg. 48

  • 6

    ATIVIDADES DA DIREO

    Em Audio Parlamentar Reis Campos lembra que empresas no aguentam mais

    Reis Campos afirmou, que as empresas da construo no

    aguentam um Estado que no paga as suas dvidas e uma

    banca que no lhes concede crdito

    Na audincia parlamentar convocada pela Comisso de

    Economia e Obras Pblicas, Reis Campos alertou os De-

    putados para as consequncias daquela que considera ser

    a pior crise de que h memria, salientando que as em-

    presas da construo e do imobilirio se encontram numa

    situao limite e sem qualquer tipo de perspetiva futura.

    A juntar falta generalizada de obras, indefinio do

    investimento, falta de planeamento e ao adiamento da

    reabilitao urbana, Reis Campos referiu como principais

    problemas que afetam o funcionamento das empresas, os

    atrasos nos pagamentos por parte do Estado, as crescentes

    dificuldades no acesso ao crdito, a exigncia abusiva

    de garantias por parte da banca, as prticas reiteradas de

    preos anormalmente baixos e um Cdigo dos Contratos

    Pblicos desadequado em face das necessidades do mer-

    cado, que para alm de impor a manuteno das caues

    prestadas por prazos exagerados, permite o recurso gene-

    ralizado ao ajuste direto e consente a adoo de critrios

    abusivos no mbito de concursos limitados.

    Considerando indispensvel o aproveitamento do QREN,

    pois esto em causa cerca de 13 mil milhes de euros de

    verbas comunitrias por executar, Reis Campos concluiu

    que esta uma oportunidade nica para o setor, pois para

    alm de possibilitar a concluso de projetos que so es-

    senciais para o Pas, permitiria apoiar a reabilitao urba-

    na que, inexplicavelmente, continua adiada.

    Reis Campos, na qualidade de Presidente da CPCI,

    participou no passado dia 28 de junho, no 50 ani-

    versrio da COBA Consultores de Engenharia e

    Ambiente, cuja cerimnia contou com a presena

    da Senhora Ministra da Agricultura, do Mar, do Am-

    biente e da Administrao do Territrio.

    Cerimnia Comemorativa do 50 Aniversrio da COBA

    Reunio do Conselho Geral da AICCOPN

    Tendo presente a situao de crise que o setor atravessa,

    reuniu no passado dia 26 de abril o Conselho Geral da

    AICCOPN. Pelo Presidente da Direo foram apresenta-

    das aos Senhores Conselheiros, as medidas de urgncia a

    serem adotadas, em sintonia com a falta de iniciativa do

    Poder Poltico.

  • 7ATIVIDADES DA DIREO

    Subordinado ao tema um novo mo-

    delo para o setor da construo e do

    imobilirio um desafio para o futu-

    ro e no mbito do 15 Congresso da

    APCMC, teve lugar uma sesso, na

    qual o Presidente da CPCI participou

    numa mesa redonda, moderada pelo

    Jornalista Econmico, Camilo Louren-

    o e que contou com as participaes

    do Professor do ISEG, Manuel Avelino

    de Jesus, com o Diretor de Financia-

    mento Imobilirio da Caixa Geral de

    Depsitos, Paulo Sousa, com a Verea-

    dora da Cmara Municipal de Lisboa,

    Helena Roseta e com o Presidente da

    CCP, Joo Vieira Lopes. Esta sesso re-

    15 Congresso da APCMC - Um novo modelo para o setor da construo e do imobilirio - Um desafio para o futuro

    No passado dia 29 de maio a AIC-

    COPN recebeu na sua sede uma

    Delegao Angolana da CONICLE

    - Comisso Nacional de Inscrio e

    Classificao de Empreiteiros que,

    para alm de outros elementos, con-

    tou com a participao dos Presiden-

    tes das duas organizaes.

    alizou-se no dia 25 de maio, no Hotel

    Altis, em Lisboa.

    AICCOPN Recebe Delegao do Conicle

  • 8

    ATIVIDADES DA DIREO

    De 8 a 10 de maio teve lugar a 3

    edio do Portugal Constri 2012,

    cuja organizao da responsabilida-

    de da AICEP e da AIP, contou com o

    apoio da Confederao Portuguesa

    da Construo e do Imobilirio. Este

    evento, com uma forte componente

    no processo de internacionalizao

    das empresas do setor, contou este

    ano com 10 Pases convidados.

    Na abertura solene desta edio, Reis

    Campos, na sua interveno, referiu

    a importncia desta iniciativa como

    forma de discutir desafios e identi-

    ficar oportunidades nos mercados

    externos.

    Sem deixar de falar na situao de

    emergncia que o setor atravessa em

    Portugal, enfatizou a sua interveno

    para o empreendedorismo, para a

    resistncia e capacidade de diversi-

    ficao e de internacionalizao dos

    nossos empresrios no obstante os

    inmeros obstculos e falta de apoios

    com que se enfrentam. Relembrou

    que somos o segundo Pas europeu,

    com maior presena no Continente

    Africano, representando 19% de todo

    o negcio das empresas europeias de

    construo neste Continente.

    As valncias tcnicas e humanas que