conciliacao controle analise contas elias ciclo .conselho regional de contabilidade do estado de

Download Conciliacao Controle Analise Contas Elias Ciclo .Conselho Regional de Contabilidade do Estado de

Post on 19-Jan-2019

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Conselho Regional de Contabilidade do Estado de So Paulo Tel. (11) 3824-5400 opes 2 ou 3 (ncleo de relacionamento) Email: desenvolvimento@crcsp.org.br | web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva, 60 | Higienpolis 01230 909 | So Paulo SP Presidente: Claudio Avelino Mac-Knight Filippi Gesto 2014-2015

    Palestra

    PMEs Conciliao, Controle e Anlise de Contas

    Elaborado por:

    Elias da Silveira Cerqueira

    O contedo desta apostila de inteira responsabilidade do autor (a).

    A reproduo total ou parcial, bem como a reproduo de apostilas a partir desta obra intelectual, de qualquer forma ou por qualquer meio eletrnico ou mecnico, inclusive atravs de processos xerogrficos, de fotocpias e de gravao, somente poder ocorrer com a permisso expressa do seu Autor (Lei n. 9610/1998). TODOS OS DIREITOS RESERVADOS: PROIBIDA A REPRODUO TOTAL OU PARCIAL DESTA APOSTILA, DE QUALQUER FORMA OU POR QUALQUER MEIO. CDIGO PENAL BRASILEIRO ARTIGO 184.

    Junho 2015

    http://online.crcsp.org.br/visitantes/webtv/web_tv.asphttp://voluntariadocontabil.cfc.org.br/

  • CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

    1

    Tpicos da Palestra

    1 - Controle Interno e Controle Contbil - PME Governana e Controle Interno Requerimentos da Contabilidade e Controle Contbil Dado e Informao

    2 - Aspectos Contbeis e de Gesto - PME Apresentao e Estrutura de Contas Controles Auxiliares Ferramentas de Controle

    3 - Relatrios e Anlises Anlise Esttica x Gerencial Relatrios Contbeis e Gerenciais

    Empresa: Imagem e semelhana do DONO ?

  • CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

    2

    1 - Controle Interno e Controle Contbil - PME Governana e Controle Interno

    Governana deriva do termo governo, e pode ter vrias interpretaes,

    dependendo do enfoque. Segundo o Banco Mundial, governana a maneira pela

    qual o poder exercido na administrao dos recursos sociais e econmicos de

    um pas visando o desenvolvimento, e a capacidade dos governos de planejar,

    formular e programar polticas e cumprir funes.

    Governana Corporativa: Um sistema pelo qual as sociedades so dirigidas e

    monitoradas, envolvendo os acionistas e os cotistas, Conselho de Administrao,

    Diretoria, Auditoria Independente e Conselho Fiscal. As boas prticas de

    governana corporativa tm a finalidade de aumentar o valor da sociedade,

    facilitar seu acesso ao capital e contribuir para a sua perenidade. (IBGC)

    1 - Controle Interno e Controle Contbil - PME Governana e Controle Interno

    Sistema de Controle Interno

    o plano da organizao e todos os mtodos e medidas coordenados, aplicados a

    uma empresa, a fim de proteger seus bens, conferir a exatido e a fidelidade de

    seus dados contbeis, promover a eficincia e estimular a obedincia s diretrizes

    administrativas estabelecidas. (AICPA - American Institute of Certified Public Accountants)

    um processo levado a cabo pelo Conselho de Administrao, Direo e outros

    membros da organizao com o objetivo de proporcionar um grau de confiana

    razovel na concretizao dos seguintes objetivos:

    - Eficcia e eficincia dos recursos; Fiabilidade da informao financeira; e

    Cumprimento das leis e normas estabelecidas. (COSO - Committee of SponsoringOrganizations of the Treadway Commission)

  • CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

    3

    1 - Controle Interno e Controle Contbil - PMERequerimentos da Contabilidade e Controle Contbil

    Normas Brasileiras de Contabilidade - PME

    Res. CFC 1.255/09 - NBC TG 1000 (IFRS PME)

    Res. CFC 1.330/11 - ITG 2000 - Escriturao Contbil

    Res. CFC 1.418/12 - ITG 1000 (IFRS ME e EPP)

    1 - Escriturao contbil completa pelo regime de competncia (ativos,

    passivos, receitas e despesas)

    2 - Lanamentos no Livro Dirio feitos diariamente, ou ao final de cada ms,

    desde que tenham suporte em livros e registros auxiliares escriturados de

    acordo com a ITG 2000 - Escriturao Contbil (Res. CFC 1.330/11)

  • CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

    4

    1 - Controle Interno e Controle Contbil - PMERequerimentos da Contabilidade e Controle Contbil

    O Controle Contbil parte integrante do Sistema de Controle Interno, quepor sua vez parte da Governana.

    Funciona como Filtro de Controle pois permite a dupla checagem sobre apropriedade e evidenciao das operaes. Dentre as tcnicas eferramentas de Controle Contbil esto:

    Recepo e anlise da documentao comprobatria Classificao e registro das transaes Registros auxiliares/movimentao (adies/baixas) de ativos e passivos Composio de saldos e identificao de pendncias Regularizao de pendncias Anlise evolutiva e natureza de saldos Provises e estimativas Testes de recuperabilidade (impairment) e valor justo (fair value)

    1 - Controle Interno e Controle Contbil - PMEDado e Informao

    Dados Informao Deciso

    a parte inteligente do nosso trabalho.Processo de identificao, mensurao, anlise ereporte do desempenho das empresas para suportaro processo de tomada de deciso.

    Saber interpretar (e reportar) os resultados daempresa torna a contabilidade essencial naestratgia de negcios.

  • CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

    5

    Contabilidade - Opinies importante que uma entidade tenha o apoio da contabilidade gerencial

    na administrao de seus negcios, pois se houver dentro dessa entidade

    pessoas que consigam traduzir conceitos contbeis em aes

    prticas, a contabilidade estar sendo um instrumento para a

    administrao.Padoveze (1996)

    A funo bsica do contador produzir informaes teis aos

    usurios da contabilidade para tomada de decises. Ressalta-se,

    entretanto, que, em nosso pas, em alguns segmentos da nossa

    economia, principalmente na pequena empresa, a funo do contador foi

    distorcida (infelizmente), estando voltada exclusivamente para satisfazer

    s exigncias do fisco. (IUDCIBUS, 2000).

    2 - Aspectos Contbeis e de Gesto - PMEApresentao e Estrutura de Contas

    PRINCIPAIS USURIOS DA CONTABILIDADE

    Investidores

    Gestores

    Analistas

  • CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

    6

    2 - Aspectos Contbeis e de Gesto - PMEApresentao e Estrutura de Contas

    O que NO fazer:

    Falta de contabilidade (livro caixa) Plano de contas padro (sem considerar particularidades do negcio) Contas genricas (Outros ativos, outros passivos, despesas gerais) Falta de segregao entre custos e despesas Reproduo do razo em conciliaes (dbitos & crditos) Falta de registro/movimentao de estoques e custos (CMV anual) Contabilidade em base de caixa (extrato bancrio, sem provises) Atraso nos fechamentos contbeis (tempestividade) Custo Benefcio do controle/tarefa

    Tempestividade

    Informao disponvel no momento da necessidade do usurio;

    Mais vale uma informao 95% correta no prazo, do que 100% correta fora do prazo

    (desde que alertado ao usurio).

    2 - Aspectos Contbeis e de Gesto - PMEApresentao e Estrutura de Contas

  • CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

    7

    EmpresaXYZBalanopatrimonialem30deabrilde2015

    Ativo Passivo

    Caixa 432,50 ContasaPagar 132.424,00Bancos 2.530,25 FriasaPagar 5.425,12ContasaReceber 32.367,00 Impostos 20.924,45Estoques 300.000,00 OutrosPassivos 295.342,00OutrosCrditos 150.565,00 443.265,33

    485.029,75 PatrimnioLquidoCapital 20.000,00

    ValoresaReceber 20.000,00 LucrosAcumulados 48.935,20Imobilizado 9.345,30 LucrodoPerodo 100.044,92

    29.345,30 71.109,72

    TotaldoAtivo 514.375,05 TotaldoPassivo 514.375,05

    EmpresaXYZDemonstraodoRsultadoem30deabrilde2015

    Vendas 500.000,00Impostos 108.250,00CustodasVendas (EI+CEF=CMV)LucroBruto 391.750,00

    DespesasGeraiseAdministrativas 23.998,00 GenricaServiosPF 58.332,00 GenricaServiosPJ 147.889,00 GenricaOutrasDespesas 50.836,08 Genrica

    281.055,08LucroantesdiIReCSLL 110.694,92ImpostodeRenda 5.250,00ContribuioSocial 5.400,00LucrodoPerodo 100.044,92 Lucro?

  • CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

    8

    2 - Aspectos Contbeis e de Gesto - PMEControles Auxiliares

    Desafios da Contabilidade (Interna x Terceirizada):

    + Aging de contas a receber (por idade de vencimento)

    + Controle e movimentao de Pagtos/Rectos Antecipados

    + Controle e movimentao de aplicaes/emprstimos

    + Controle e movimentao de estoques (fisico x contbil)

    + Controle individualizado imobilizado/depreciao (conciliao)

    + Conciliao recebveis/vendas por carto de crdito

    + Controle e realizao de prejuzos fiscais (Parte B do LALUR)

    + Controle/realizao dos ajustes IFRS (Lei 12.973/14 e IN 1515/14)

    + Notas explicativas s DCs no padro IFRS

    2 - Aspectos Contbeis e de Gesto - PMEFerramentas de Controle

    Desafios da Contabilidade:

    + ERP - Sistema integrado de gesto (mdulos integrados)

    + Mdulo de Controle Patrimonial integrado (controleindividualizado do imobilizado x depreciao)

    + Sistema eletrnico de conciliao de base de dados (financeiro,faturamento, carto de crdito, recebimentos, SISPAG)

  • CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

    9

    3 - Relatrios e AnlisesAnlise Esttica x Gerencial

    Relatrios contbeis obrigatrios: so aqueles

    exigidos por lei e rgos reguladores (CFC, CVM,

    BACEN, etc.) sendo conhecidos como Demonstraes

    Financeiras (BP, DRE, DRA, DMPL, DFC, DVA e NE).

    Re