Conceitos e Gerenciamento de Memória - ic.uff.br ?· RAM ou à memória Auxiliar. Gerência de Memória…

Download Conceitos e Gerenciamento de Memória - ic.uff.br ?· RAM ou à memória Auxiliar. Gerência de Memória…

Post on 04-Jun-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

<ul><li><p>Conceitos e Gerenciamento de Memria </p><p>Introduo Cincia da Computao </p><p>Professor Rodrigo Mafort </p></li><li><p>O que memria? </p><p> Dispositivos que permitem armazenar dados temporariamente ou definitivamente. </p><p> A unidade bsica de memria o Bit </p><p> O Bit pode conter apenas 2 valores: 0 e 1. </p><p> O agrupamento de 8 bits constitu um Byte </p><p> Palavra a unidade de informao constituda do grupamento de 32 Bits </p></li><li><p>Ordens de Grandeza </p><p> 8 Bits </p><p>Byte </p><p> 1024 Bytes </p><p> Arquivo Texto </p><p>Kilobyte </p><p> 1024 TB </p><p> Data Center </p><p>Petabyte </p><p> 1024 GB </p><p> HD Moderno </p><p>Terabyte </p><p> 1024 KB </p><p> Disquete </p><p>Megabyte </p><p> 1024 MB </p><p> Pendrive </p><p>Gigabyte </p><p> 1024 EB </p><p> Demanda de armazenamento no final de 2011 </p><p>Zettabyte </p><p> 1024 TB </p><p> Se cada pessoa do planeta guardasse 2,5 GB, no total teramos 1EB </p><p>Exabyte </p><p>????? </p></li><li><p>Tipos de Memria </p><p> Volteis Perdem seus dados em caso de interrupo de energia. Mais rpidas do que as no volteis </p><p> Memria Principal do Computador </p><p> Registradores do Processador Cache </p><p> Memria de altssima velocidade (maior do que a RAM), porm de tamanho reduzido, devido ao seu custo. </p><p> Unida fisicamente ao processador. Armazena os dados que o processador vai processar ou est </p><p>processando. </p><p> RAM (Random Access Memory) Acesso Aleatrio as Posies Onde so armazenados temporariamente os dados dos </p><p>programas e do sistema operacional. </p></li><li><p>Tipos de Memria(cont.) </p></li><li><p>Tipos de Memria(cont.) </p><p> No volteis mantm os dados mesmo sem energia Constituem a memria auxiliar do computador ROM (read only memory) </p><p> PROM: Os dados uma vez escritos no podem ser apagados EPROM, EEPROM: Podem ser apagados e rescritos (com </p><p>ultravioleta ou eletronicamente) </p><p> Flash Mais rpida e durvel do que as ROM. Pode armazenar volumes elevados de informao Pendrive e carto de memria. </p><p> ptica :CD, DVD Magntica : HD, Disquete, Fita Cassete, etc... </p></li><li><p>Tipos de Memria(cont.) </p></li><li><p>Memria Principal </p><p> Seu objetivo armazenar os dados que esto em uso pelo computador (Ex: Power Point, Apresentao em Aberto, Sistema Operacional, etc.) e fornec-los rapidamente ao processador. </p><p> Normalmente, a necessidade de memria maior do que a sua disponibilidade. </p></li><li><p>Memria Secundria </p><p> Chamadas de memrias de armazenamento em massa </p><p> Armazenamento permanente de dados. No podem ser endereadas diretamente, a </p><p>informao precisa ser carregada em memria principal antes de poder ser tratada pelo processador. </p><p> No volteis, permitindo guardar os dados permanentemente. </p><p> Discos rgidos, CDs, DVDs, Blu-Rays, Pendrive, Disquetes e Fitas Magnticas. </p></li><li><p>Memria Virtual </p><p> Caso a memria principal no comporte a demanda, partes do programa ou dos dados que no sero usadas imediatamente pelo processador so transferidas para a memria auxiliar. Ficando l armazenadas at o momento em que se tornem necessrias. </p><p> Quando os dados armazenadas se tornarem necessrios, so transferidos de volta a memria principal, onde ficam disponveis para o processador. </p></li><li><p>Hierarquia entre as Memrias </p><p> Custo Alto </p><p>Velocidade Alta Baixa Capacidade </p><p>Custo Baixo Velocidade Baixa Alta Capacidade </p><p>Registradores </p><p>Cache </p><p>Principal </p><p>Secundria </p></li><li><p>Acesso a Memria </p><p> Quando uma instruo chega CPU e existe a necessidade de buscar dados, isto feito nesta ordem: </p><p>1) CPU acessa a memria CACHE </p><p> Praticamente Instantneo </p><p>2) Se no encontrar, CPU acessa a memria RAM </p><p> 5 vezes mais tempo </p><p>3) Se no encontrar, CPU acessa a memria VIRTUAL </p><p> Extremamente dispendioso, pois necessita acesso ao disco </p></li><li><p>Acesso a Memria </p><p>1 3 </p><p>Processador </p><p>2 </p></li><li><p>Acesso a Memria (cont.) </p><p> Para otimizar esta busca necessrio prever quais dados </p><p>sero utilizados em breve e aloc-los na memria cache Utiliza-se alguns princpios para esta previso: </p><p> Princpio Espacial: Se h um acesso a determinado endereo de memria, muito provvel que haver um novo acesso a um endereo prximo a este. </p><p> Princpio Temporal: Se h um acesso a determinado endereo de memria, muito provvel que haver um novo acesso a este endereo em breve. </p><p> Com estes princpios consegue-se que a maioria das buscas localizem os dados na memria cache, evitando a paralisao do processamento para acesso memria RAM ou memria Auxiliar. </p></li><li><p>Gerncia de Memria </p><p> A principal funo trazer programas e seus dados da memria auxiliar para a memria principal. </p><p> O responsvel por esta gerncia o Sistema Operacional. </p><p> Deve ser capaz de permitir a cada programa acesso a sua rea de memria. </p><p> Deve evitar que um programa corrompa outros. </p></li><li><p>Gerncia de Memria(cont.) </p><p> Pode permitir mono ou multiprogramao </p><p> Deve ser capaz de: </p><p> Alocar programas maiores do que a memria principal </p><p> Otimizar o acesso a memria, diminuindo o tempo em que o processador fica ocioso </p><p> Otimizar a alocao de blocos de dados na memria de forma que esta no fique fragmentada </p><p> Existem vrios mtodos de gerenciar a memria. Sero detalhados durante o estudo de Sistemas Operacionais. </p></li><li><p>Bibliografia </p><p> GUIMARES, ngelo M; LAGES, Newton A. C.; Introduo </p><p>a Cincia da Computao. LTC Livros Tcnicos e Cientficos. Edio Atualizada. </p><p> MOKARZEL, Fbio C.; Introduo Cincia da Computao. Editora Campus </p><p> TANENBAUM, Andrew S.; Sistemas Operacionais Modernos, Editora Pearson PTR, Terceira Edio </p><p> FEDELI, Ricardo D. et al.; Introduo Cincia da Computao, Editora Cengage Learning, Segunda Edio </p><p> http://tecnologia.uol.com.br/infograficos/2010/08/13/do-megabyte-ao-yotabyte-saiba-quanta-informacao-cabe-em-cada-medida-de-armazenamento.jhtm </p>http://tecnologia.uol.com.br/infograficos/2010/08/13/do-megabyte-ao-yotabyte-saiba-quanta-informacao-cabe-em-cada-medida-de-armazenamento.jhtmhttp://tecnologia.uol.com.br/infograficos/2010/08/13/do-megabyte-ao-yotabyte-saiba-quanta-informacao-cabe-em-cada-medida-de-armazenamento.jhtmhttp://tecnologia.uol.com.br/infograficos/2010/08/13/do-megabyte-ao-yotabyte-saiba-quanta-informacao-cabe-em-cada-medida-de-armazenamento.jhtmhttp://tecnologia.uol.com.br/infograficos/2010/08/13/do-megabyte-ao-yotabyte-saiba-quanta-informacao-cabe-em-cada-medida-de-armazenamento.jhtmhttp://tecnologia.uol.com.br/infograficos/2010/08/13/do-megabyte-ao-yotabyte-saiba-quanta-informacao-cabe-em-cada-medida-de-armazenamento.jhtmhttp://tecnologia.uol.com.br/infograficos/2010/08/13/do-megabyte-ao-yotabyte-saiba-quanta-informacao-cabe-em-cada-medida-de-armazenamento.jhtmhttp://tecnologia.uol.com.br/infograficos/2010/08/13/do-megabyte-ao-yotabyte-saiba-quanta-informacao-cabe-em-cada-medida-de-armazenamento.jhtmhttp://tecnologia.uol.com.br/infograficos/2010/08/13/do-megabyte-ao-yotabyte-saiba-quanta-informacao-cabe-em-cada-medida-de-armazenamento.jhtmhttp://tecnologia.uol.com.br/infograficos/2010/08/13/do-megabyte-ao-yotabyte-saiba-quanta-informacao-cabe-em-cada-medida-de-armazenamento.jhtmhttp://tecnologia.uol.com.br/infograficos/2010/08/13/do-megabyte-ao-yotabyte-saiba-quanta-informacao-cabe-em-cada-medida-de-armazenamento.jhtmhttp://tecnologia.uol.com.br/infograficos/2010/08/13/do-megabyte-ao-yotabyte-saiba-quanta-informacao-cabe-em-cada-medida-de-armazenamento.jhtmhttp://tecnologia.uol.com.br/infograficos/2010/08/13/do-megabyte-ao-yotabyte-saiba-quanta-informacao-cabe-em-cada-medida-de-armazenamento.jhtmhttp://tecnologia.uol.com.br/infograficos/2010/08/13/do-megabyte-ao-yotabyte-saiba-quanta-informacao-cabe-em-cada-medida-de-armazenamento.jhtmhttp://tecnologia.uol.com.br/infograficos/2010/08/13/do-megabyte-ao-yotabyte-saiba-quanta-informacao-cabe-em-cada-medida-de-armazenamento.jhtmhttp://tecnologia.uol.com.br/infograficos/2010/08/13/do-megabyte-ao-yotabyte-saiba-quanta-informacao-cabe-em-cada-medida-de-armazenamento.jhtmhttp://tecnologia.uol.com.br/infograficos/2010/08/13/do-megabyte-ao-yotabyte-saiba-quanta-informacao-cabe-em-cada-medida-de-armazenamento.jhtmhttp://tecnologia.uol.com.br/infograficos/2010/08/13/do-megabyte-ao-yotabyte-saiba-quanta-informacao-cabe-em-cada-medida-de-armazenamento.jhtmhttp://tecnologia.uol.com.br/infograficos/2010/08/13/do-megabyte-ao-yotabyte-saiba-quanta-informacao-cabe-em-cada-medida-de-armazenamento.jhtmhttp://tecnologia.uol.com.br/infograficos/2010/08/13/do-megabyte-ao-yotabyte-saiba-quanta-informacao-cabe-em-cada-medida-de-armazenamento.jhtmhttp://tecnologia.uol.com.br/infograficos/2010/08/13/do-megabyte-ao-yotabyte-saiba-quanta-informacao-cabe-em-cada-medida-de-armazenamento.jhtmhttp://tecnologia.uol.com.br/infograficos/2010/08/13/do-megabyte-ao-yotabyte-saiba-quanta-informacao-cabe-em-cada-medida-de-armazenamento.jhtmhttp://tecnologia.uol.com.br/infograficos/2010/08/13/do-megabyte-ao-yotabyte-saiba-quanta-informacao-cabe-em-cada-medida-de-armazenamento.jhtmhttp://tecnologia.uol.com.br/infograficos/2010/08/13/do-megabyte-ao-yotabyte-saiba-quanta-informacao-cabe-em-cada-medida-de-armazenamento.jhtmhttp://tecnologia.uol.com.br/infograficos/2010/08/13/do-megabyte-ao-yotabyte-saiba-quanta-informacao-cabe-em-cada-medida-de-armazenamento.jhtmhttp://tecnologia.uol.com.br/infograficos/2010/08/13/do-megabyte-ao-yotabyte-saiba-quanta-informacao-cabe-em-cada-medida-de-armazenamento.jhtmhttp://tecnologia.uol.com.br/infograficos/2010/08/13/do-megabyte-ao-yotabyte-saiba-quanta-informacao-cabe-em-cada-medida-de-armazenamento.jhtm</li></ul>