Comunicando com Maria-NOV 2011

Download Comunicando com Maria-NOV 2011

Post on 22-Mar-2016

223 views

Category:

Documents

5 download

DESCRIPTION

Informativo da Parquia N. S. de Ftima So Jos dos Campos-SP

TRANSCRIPT

Ano 7 - n 66 - novembro de 2011Informativo da Parquia Nossa Senhora de FtimaDiocese de So Jos Dos CamposDisco Dance Fest 3 Pginas 4 e 5Festival da EsfihaPgina 82MariaComunicandocom Ano 7 - n 66Novembro de 2011Palavra do ProcoExpediente Comunicando com Maria - Distribuio GratuitaPublicao mensal da Parquia Nossa Senhora de Ftima - Rua Serra Dourada, 180 - Altos de Santana - So Jos dos Campos - SP - CEP.: 12214-130 - Telefone: (12) 3942-4226 - Equipe PASCOM: Alessandra, Ana Paula, Cristina, Janete, Jorge, Mrio, Pollyana, Rafaela, Renan e Rogria - Reviso, Edio e Fotos: Equipe PASCOM - Jornalista Responsvel: Ana Cristina da C. Silveira MTB(PA): 1.317 - Projeto Grfico e Editorao: Ana Cristina da C. Silveira - Impresso: Jac Editora (12) 3928 1555 - Tiragem: 1.500 exemplaresEditorialAgende-seMais do que um convite, este mandato partilhar evoca a possibilidade de colocarmos nossos dons e talentos, bens e servios, a disposio para que ou-tros se beneficiem. Assim queremos verificar que esta a graa atual pedida e suplica-da para este Ms do Dzimo. Mais do que a questo financeira queremos refletir que a Igreja cresce em qualidade e nmero quan-do todos colocam as mos a disposio, quando todos se sentem pertencentes, logo a unidade verificada.Construir o Reino de mos unidas construir a civilizao do amor. Por isso a Igreja no nasce de baixo, da convergncia de interesses puramente mundanos ou do mpeto de qualquer corao generoso: no simplesmente um fruto da terra; como o seu Senhor, a Igreja oriens exalto, fonte do alto, de junto de Deus, posta no tempo pela admirvel iniciativa do amor Trinitrio (Bru-no Forte em A Trindade como histria).Tal amor ser experimentado por aque-les que vo aderindo esta realizao trinitria que a Igreja. Como espao da graa, esta possibilita fazer a experincia da comunho daqueles que crem em Jesus Cristo, ou seja, a Igreja essencialmente comunho de f, esperana e amor. precisamente a tangilidade, o lugar, a garantia, a expresso histrica de que Deus nos amaFormada a comunidade dos fiis, unida pelo Esprito Santo, configurada pelo Filho e chamada com toda a criao para o reino de Deus Pai, a Igreja o prprio sacramento da comunho (communio-Koinonia) com Deus. preciso pensar sempre na unidade enquanto sacramento de Comunho. A par-tir do momento que rompida a unidade originante corre-se o risco de anunciar a si prprio, a ideias pessoais, a ideologias, uma verdade falseada. Para isso preciso res-tabelecer a comunho, esta significa uma fuso de duas existncias, da mesma forma que ao se alimentar, o corpo assimila ma-tria estranha que lhe permite viver, assim tambm meu eu se assimila ao eu de Jesus, faz-se semelhante a ele, num intercmbio que rompe cada vez mais as linhas divis-rias (RATIZINGER, Compreender a Igreja hoje). Este unir-se a Ele e Ele a ns tarefa primeira da Igreja que somos todos ns. Para que haja aproximao preci-so romper os muros da inimizade, precisa abertura das partes, quebra de paradigmas, converso do corao e santidade de vida. Desejo que este ms seja momento propcio de comunho, unidade e partilha. Pe. ThiagoProco Novembro o ms dedicado conscientizao do Dzimo em todas as parquias da Diocese de So Jos dos Campos. O dzimo tem como finalidade concreta a sustentao das comunidades. Ele existe para possi-bilitar comunidade a orao comum (dimenso religiosa), a assistncia e a promoo com os empobrecidos (di-menso social) e a formao dos evan-gelizadores (dimenso missionria). Somos todos responsveis, tanto pelas despesas como pelos investimentos que se fazem necessrios, tendo sempre em vista a nossa misso fundamental: a evangelizao (cf. Mt 28, 16-20).Antes de ser partilha, o dzimo ao de graas. Ao manifestar a sua f na providncia divina, o cristo d um sinal generoso e consciente de que tudo pertence a Deus. Por isso, somos convidados a devolver o dzimo, e no a pagar o dzimo. Deus no tem nada para vender - ele pura gratuidade portanto no tem nada que possamos comprar Dele.Demonstrando, atravs do dzimo, a nossa gratido para com Deus, tambm manifestamos o nosso compromisso para com o prximo. No possvel se-parar o amor a Deus do amor ao prxi-mo (cf. Mt 22, 34-40). O que oferecemos ao prximo entregue a Deus. Existimos no apenas para viver, mas para convi-ver. Ao devolver o dzimo, demonstra-mos a nossa gratido para com Deus e a nossa responsabilidade para com o bem comum, no caso, o da comunidade qual pertencemos.Assim seja!Conscientizao do Dzimo Unidade: sacramento de Comunho e Partilha4 Ch BingoData: 26 de novembroLocal: Matriz - Hora: 14hTero da Misericrdia Pastoral FamiliarData: 2 de dezembroLocal: Matriz - Hora: 15hTero e adorao Apostolado da OraoData: 2 de dezembro Local: Matriz - Hora:18h30 Encontro de CasaisData: 4 de dezembroLocal: Centro Pastoral Padre Wagner - Hora: 7hEncontro de BatismoData: 10 de dezembroLocal: Centro Pastoral Padre Wagner Hora: 16h303 Feira de TalentosData: 11 de dezembroLocal: Matriz - Hora: 10h3MariaComunicandocomAno 7 - n 66Novembro de 2011Dicono Caio N. Santana RibeiroO Dicono Entre NsA comunidade existe porque uma necessidade de nos comu-nicarmos uns com os outros. Mas eu posso ou no fazer parte dessa comunidade. importante que ns tenhamos dentro de ns a riqueza e a impor-tncia dessa comunidade. preciso aceitar e encarar que a comunidade importante e que eu preciso dela, para santificar outras pessoas e tambm me santificar.A comunidade sou eu, o outro e toda a estrutura que a forma, onde a estrutura consequncia. O verda-deiro sacrifcio sair da teoria do que eu sei sobre comunidade e trabalhar a minha lentido para que a comunida-de acontea. Preciso colocar no meu corao que a comunidade um te-souro, um bem precioso. Se eu entrei na comunidade eu acredito nela. A co-munidade cada um de ns e ns so-mos nicos. Tenho muito a dar a Deus O Que Comunidade?e ao prximo na comunidade. neces-srio nos sentirmos comunidade.Na comunidade um eterno doar-se e Deus nos acompanha e nos com-pleta. Ningum vai fazer voc sentir-se comunidade, uma deciso do nosso corao. Deus o sentido de tudo e Deus quem nos atrai comunidade. O principal ingrediente para qualquer membro de uma comunidade ser atu-ante, alegre, feliz e santo, o amor. A comunidade vai exigir muito de ns, mas isso bom, porque nos sentire-mos teis onde estivermos atuando. Viver em comunidade significa: eu pensar, agir e interagir com o outro que Deus coloca na nossa caminhada. Ento convido a todos os leitores a se integrar na comunidade maior que a nossa Parquia, atravs de uma comu-nidade menor, que so os movimen-tos, pastorais e organismos vivos de nossa parquia. Que Deus abenoe a todos! A Peregrinao de Leigos Cristos (PLC) promove um concurso para a cria-o do logotipo come-morativo do Jubileu de Rubi (40 anos) do movi-mento na diocese de So Jos dos Campos. O concurso aberto a comunidade em geral. Para se inscre-ver no concurso o interessado dever preencher o formulrio que se encontra O encontro preparatrio ao Matrimnio, promovido pela Pastoral familiar, reuniu casais que j vivem juntos ou so casados apenas no civil e querem regula-rizar a situao diante da Igreja. O encontro ocorreu no dia 30 de outubro, no Centro Pastoral Pe. Wagner, das 7h s 17h.Encontro de SantificaoConcurso para escolha do logotipo de 40 anos da PLCcom os membros da PLC. Cada trabalho dever ser apresentado em papel A4, acompanhado de texto explicativo so-bre o logotipo criado. O prazo para par-ticipar at 26 de novembro. O prmio para o vencedor um celular dual chip e uma camiseta comemorativa do Ju-bileu de Rubi. O resultado do concurso ser divulgado no dia 30 de novembro, na escola de formao e nos blogs do movimento.A Pastoral Familiar prepara o 3 Encontro de Casais na Parquia. O domingo, 4 de dezembro, ser in-teiramente dedicado aos casais com qualquer tempo de matrimnio. O encontro vai acontecer no Centro Pastoral Pe. Wagner. A taxa de par-ticipao vinte reais. Inscries e mais informaes com a Pastoral Fa-miliar ou na secretaria paroquial. Vem a o 3 Encontro de CasaisParticipe do 23 Encontro Celebrati-vo da CEBs, no dia 27 de novembro, a partir das 8h, com o tema Celebrar a festa da vida e juntos comungar a esperana.Local: Parquia Perpetuo Socorro - Av. Angelo B. Pintus, 320 - Campos dos AlemesTaxa: R$2,00 levar kit almoo Encontro Celebrativo da CEBs4MariaComunicandocom Ano 7 - n 66Novembro de 2011BICICLETARIADOALEXANDREDedicao total em qualidade a voc!!! Bicicletas novas e usadasem geral Peas e acessrios ServiosAv. Pico das Agulhas Negras, 600 - Altos de Santana - SJC - SPFone: (12) 3913-1757 / 9764-3695DEPSITO DO LUIZODEPSITO DO LUIZOMateriais para ConstruoVila Unidos:Vila So Geraldo:Rua Jaguari, 1210Estrada Juca de Carvalho, 1049Fones: 3921-0136 e 3922-9125Fone: 3922 7419A Fantstica Disco Dance Fest 3Cerca de 1600 pessoas prestigiaram a terceira edio do Disco Dance Fest, no dia 5 de novembro, no Clube de Campo do Luso Brasileiro. A festa teve incio s 22h30 e foi animada pelo DJ Marco Ferrari (Campinas) e o pelo VJ argentino Pablo Fer-rini que tocaram mais de 5 horas de msica das dcadas de 60,70 e 80.O evento contou com a participao de alguns padres e seminaristas da diocese e de pessoas vindas de diversas partes de So Jos dos Campos e de outras cidades como So Paroquianos recebem o Sacramento da CrismaCento e duas pessoas, entre jovens e adultos, receberam o sacramento da Crisma no dia 21 de outubro, na igreja Nossa Senhora Auxiliadora em cerim-nia presidida por Dom Moacir Silva. Crismados da catequese na Diversidade O Movimento Apostlico de Scho-enstatt realizou o louvor e a coroao da Me Rainha no dia 16 de outubro, na Matriz de nossa parquia. A celebrao eucarstica foi presidida pelo padre Thiago.Coroando a Me de Deus como Rainha da famlia, confiamos que ela nos ajudar a descobrir as pequenas fontes de alegria e de amor. Ela nos ensinar a viver os sacramentos como fonte de foras que ajudar cada membro a se empenhar para que rei-ne amor, alegria e paz nas famlias, destaca Maria Aparecida Sobreira, co-Louvor e Coroao da Me Rainhaordenadora do Movimento, na Regio Pastoral 2.No dia 16 de outubro, mission-rias da Me Rainha, tambm partici-param da festa da Aliana no Santu-rio em Atibaia.5MariaComunicandocomAno 7 - n 66Novembro de 2011Av Pico das Agulhas Negras, 750 - Lj. 02 - Altos de SantanaFone: (12) 3911-5593 / 8815-7624A Fantstica Disco Dance Fest 3Paulo, Campinas e Belo Horizonte. A parquia agradece a participao de todos. A maioria do nosso pblico veio a carter, grupos inteiros combinando roupas, pessoas de todas as idades, vrias religies, tudo num mesmo lugar. Foi um evento fan-tstico, porque a principal atrao brilhou muito: as pessoas. Sem elas nosso evento no aconteceria, enfatiza Marcos Nogueira, da organizao do evento. Foram muitas as manifestaes de carinho que proco rece-beu pela passagem do seu na-talcio, no dia 6 de novembro. Nas missas daquele final de semana o aniversariante recebeu presentes e homenagens dos paroquianos. Durante a Disco Dance Fest 3, no Luso Brasileiro, meia-noite, Padre Thiago come-morou seus 30 anos, em grande esti-lo: vestido Elvis Presley e com 1600 vozes cantan-do parabns a voc.Aniversrio do Padre ThiagoEste ano, a congregao das Pe-quenas Missionrias de Maria Imaculada est comemorando 75 anos da primeira aprovao (em 8 de novembro de 1936) da Congrega-o pela Santa Igreja. Alm do Brasil, a congregao atuante na Itlia, Portugal e Moambique e est presen-te em 16 cidades paulistas e em mais 4 estados brasileiros e no Distrito Fe-deral. A obra missionria da Congre-gao consta de hospitais, abrigos para idosos, creches e escolas, pen-sionatos, centro de formao humana e religiosa, casas de assistncia aos sacerdotes, administrao de residn-cias Episcopais, atuao em pastorais e em misso humanitria.No Jaguari, a Congregao pos-sui a Obra de Assistncia e Promoo Pequenas Missionrias completam 75 anosRural Cura DArs que foi fundada em 15 de fevereiro de 1959. Inicialmen-te com a finalidade de produzir horti-granjeiros e leite para as comunidades locais e Casa de repouso para Sacer-dotes. Hoje tambm presta assistncia integral ao homem do campo: sade, educao (educao infantil e ensino fundamental de 1 a 4 sries), lazer, formao moral e religiosa, catequese, alm de ser Casa de Retiros. Agentes da Pastoral Familiar es-tiveram reunidos com o Dicono Caio em duas formaes. No dia 8 de outubro, o Dicono falou sobre encontro de casais, como fazer uma visita para recm-casados e como fazer uma visita de conquista para casos especiais.No dia 24 de outubro, ele falou sobre o Diretrio da Pastoral Fami-liar. Este formao teve incio com uma motivao do Maria Bernadete: Gente que eu gosto.Formao na Pastoral Familiar6MariaComunicandocom Ano 7 - n 66Novembro de 2011Obra de Ao Social N. Sra. de FtimaCNPJ 07.756.782/0001-32Utilidade Pblica Lei 7.176/06 de 29/09/06Rua das Araras, 15 - Bairro Altos de SantanaSo Jos dos Campos - So PauloTelefone: (12) 3942-7118Relatrio das Atividades do Ms de outubro/2011ATIVIDADES ATENDI-MENTOSArtesanato 06 pessoasAtendimento social 16 pessoasAtendimento Jurdico 18 pessoasVisita Domiciliar 01 pessoaMassoterapia 07 pessoasPsicloga 28 pessoasIoga 10 pessoasAula de Violo 24 pessoasDoao (alimentos em geral) 15 pessoasDoao (pagamento de contas: gua, luz e gs) 01 pessoaDocao (psicloga) 05 pessoasDoao (roupas, fraldas e mveis) 01 pessoaDoao (Aula de Violo) 01 pessoaDespesa Valor (R$)Compra de gs de cozinha 33,00Total das despesas 33,00Se voc deseja fazer uma pergunta ao Comunicando com Maria envia-a para Rua Serra Dourada, 180 Altos de Santana. Voc tambm pode mandar por e-mail para:cristinasilveira_pascom@hotmail.comPerguntas que o povo fazPalavra do VigrioPe. PadoanNa Campanha realizada em conjunto com a Associao de Moradores e tica e Relojoaria Golden Mix, no dia 29 de outubro, das 9h s 15h, foram atendidas 36 pessoas, sendo: 18 crianas, 10 adul-tos e 8 idosos.Para muitos, expresso de f, para outros, sinal de gratido a Deus e aos irmos. manifestao segura de solidariedade; para uns, gesto concre-to de amor, para outros, sinal visvel de fraternidade. Para alguns, presena incon-fundvel de responsabilidade e conscincia, em relao Igreja e o projeto de salvao e amoroso de Deus; para outros tantos, aquela ajuda mensal que se presta Igreja, para atender s suas mais variadas neces-sidades.No entanto, a maior motivao que podemos ter ou o maior desejo para ser dizimista deve ser o amor. Por tudo o que Deus nos proporciona, dia e noite, material e espiritualmente, deve brotar no fundo do corao uma inabalvel gratido, nos cons-cientizando de que devemos compartilhar com nossos semelhantes, tantos e to ma-ravilhosos dons, provindos de Deus. Essa simples doao, por amor, possi-bilita a Igreja, enquanto instituio fundada Qual deve ser motivao para pagar o dizimo? E a finalidade do dzimo? por Cristo e que, por vocao missionria e evangelizadora, cumprir esse papel. Para tanto, o dizimo dividido em trs dimenses: religiosa, social e missionria.A dimenso religiosa a ajuda neces-sria aos ministros ordenados, os salrios daqueles por direito, matrias quer litrgicas ou no e outros gastos para a manuteno da Igreja. A dimenso social uma parcela do dzimo que direcionada para socorrer enfermos ou para aqueles mais necessita-dos. E por fim a dimenso missionria, ou seja, a ajuda a manuteno de seminrios, colgios, universidades, hospitais, etc. e aplicaes dos recursos s misses, no pr-prio territrio diocesano ou fora dele. O Catolicismo e as Doutrinas Protestantes Parte IAgora o atendimento jurdico (Pre-videncirio e Trabalhista) toda tera-feira. Os interessados devem marcar horrio na Obra Social.Atendimento JurdicoAlterao do dia de atendimentoCampanha de Sade Visual na ObraCom o objetivo de esclarecer os catlicos sobre as discordncias das outras doutrinas crists que utilizam a Bblia, mas negam parte dela, de-fendem Jesus Cristo, mas no aceitam totalmente a Sua palavra, publicaremos alguns textos que ex-plicam tais divergncias. Partes das Bblia que foram tiradas pelas Teste-munhas de Jeov:Mateus 17,21 e 23,14; Marcos 7,16; 9,44 e 9,46 e 11,26; Lucas 17,36; Joo 8,1-11 (foi posto no ro-dap da folha); Joo 7,53; Atos 8,37; 15,34; 24,7 e 28,29; Romanos 16,24.Partes das Bblia que no so aceitas pelos Crentes, Protestantes e Testemunhas de Jeov [de-nominados neste texto por protestantes]:1) Lucas 1,48 Desde agora todas as geraes me chamaro bem-aventurada. (Ns, catlicos, so-mos a gerao que sempre teve e tem a devoo a Maria e os protestantes a rejeitam).2) Lucas 1,28a Salve Agraciada (salve em la-tim ave e agraciada significa cheia de graa); o nome da virgem era Maria (Lucas 1,27); portanto, Ave Maria cheia de graa! O Senhor contigo; ben-dita s tu entre as mulheres (Lucas 1,28b) parte da Ave-Maria que os protestantes no aceitam, como no aceitam que seja agraciada ou cheia de graa e tambm no aceitam que ela seja bendita entre as mulheres, pois dizem que ela uma mu-lher como as outras, inclusive pecadora. Bendita s tu entre as mulheres e bendito o fruto do ventre (Lucas 1,42), os crentes todos rejeitam esta parte da Bblia.3) Lucas 1,49 Porque me fez grandes coisas, o poderoso. Os protestantes rejeitam esta parte da Bblia porque no acreditam que Deus, o Poderoso, tenha dado privilgio especiais a Maria, ou seja, fei-to grandes coisas nela.4) Joo 20,23 queles a quem perdoardes os pecados lhes so perdoados; e aqueles a quem os retiverdes lhes so retidos. (Os protestantes no aceitam esta parte da Bblia. Rejeitam o que Je-sus disse e fez; deu a seus discpulos (apstolos) o poder de perdoar ou no perdoar os pecados; deu, portanto, a homens, seres humanos, o poder de perdoar pecados. Este versculo, na prtica, vem associado a outro Tiago 5,16.5) Tiago 5,16; Confessai vossa Culpas uns aos outros. (Os crentes rejeitam esta parte da Bblia por-que tm a mania de confessar-se diretamente com Deus; a prtica deles mais cmoda, mas no a maneira que a Bblia ensina). O sacerdote Catlico ouve a pessoa em confisso, d-lhe ou no a absol-vio dos pecados (Joo 20,23); como sucessores dos apstolos receberam o Esprito Santo do prprio Jesus (Joo 20,22).Continua na prxima edio7MariaComunicandocomAno 7 - n 66Novembro de 2011Espao da SobriedadeEu fui a uma festa, me. Eu lem-brei o que voc disse. Voc disse para eu no beber e eu no bebi. Eu me senti orgulhosa de mim, como voc disse que eu me sentiria.Antes de dirigir, eu no bebi, me, embora alguns amigos insistissem para que eu bebesse. Eu agi certo, me. E sei que voc sempre esteve certa.A festa foi acabando, me. E os amigos foram saindo. Quando eu en-trei no carro, eu acreditei que logo chegaria em casa e inteira! Isso por causa do jeito responsvel e doce que voc me criou.Eu dei partida, me, e assim que entrei na avenida outro carro no me viu, bateu forte e eu fui lanada para fora.Aqui no solo da avenida, enquan-to o socorro, no vinha, eu escutei um policial dizer que o outro motorista estava bbado, me. E agora sou eu que pago por isso. Eu estou morrendo, aqui me. Eu gostaria que voc che-gasse logo. Como isso pode me acon-tecer, me? Minha vida simplesmente se queimar como um balo?H sangue por toda parte me, e a maior parte o meu sangue. Eu agora escuto o mdico dizer que morrerei em poucos minutos. Eu s queria lhe dizer, me, jurar que eu no bebi! Os outros sim, me. Eles no pensaram. Aquele que me atingiu, provavelmen-te estava na mesma festa. A diferena, me que ele bebeu e eu que vou morrer. Porque h gente assim, me?Autores do Texto: Kamilla Mansur e HudsonColaborao: Turma da Sorria.com.brPara refletir:Morte de um inocenteEles no percebem que podem ar-ruinar a prpria vida? Eu estou sentindo dores agudas, me. O cara que me atingiu esta an-dando e eu no consigo achar isso jus-to. Eu morrendo e tudo que ele faz ficar parado me olhando.Diga ao meu irmo para no chorar e para o papai no ficar bravo comigo. E quando eu partir, me, ponha flores do campo no meu sepulcro. Algum deveria ter avisado esse cara para no beber antes de dirigir. Se ele no tives-se bebido, eu ainda poderia continuar viva!Minha respirao esta enfraque-cendo, me, eu estou ficando com medo. Por favor, no chore por mim, me. Sempre que precisei, voc no falhou. Eu s tenho uma ultima per-gunta, me, antes de me despedir. Eu no bebi antes de dirigir, ento porque sou eu a morrer?Este o fim, me. Eu gostaria de poder olhar nos seus olhos para dizer estas palavras finais:Eu te amo...e...adeus...8MariaComunicandocom Ano 7 - n 66Novembro de 2011Evangelizar a misso de todo o cristo, seja em casa, na esco-la, no trabalho ou em qualquer forma de convvio social. Os meios de comunicao catlicos tm como prin-cipal objetivo tambm levar a evange-lizao, com reportagens, artigos de acordo com suas caractersticas.Na internet, no pode ser dife-rente, a Igreja precisa estar presente de modo ativo, ainda mais porque ela permite uma interao quase ime-diata com as pessoas. Neste sentido, nossa parquia agora est nas redes sociais para evangelizar tambm por este meio de comunicao.Inicialmente, estamos presentes Parquia nas redes sociaisno Facebook e no Twitter. Com ima-gens, reflexes e fatos mais importan-tes de nossa parquia, queremos que todos vivenciem a comunidade diaria-mente. Curta-nos em facebook.com/PN-SenhoraDeFatima e siga-nos em twit-ter.com/PNSdeFatimaA Parquia agradece a dedicao e o es-foro dos agentes de pastorais e movi-mentos e a colaborao da comunidade para a realizao de mais esta iniciativa paroquial.Festival da EsfihaNos dias 22 e 23 de outubro foram vendi-das 5.894 es-fihas. Parquia ganhar nova Secretaria ParoquialA nova secretaria paroquial, construda no trreo do Cen-tro Pastoral Trs Pastorinhos, ser inaugurada no dia 13 de de-zembro. Alm de instalaes novas e adequadas, o novo espao tem a vantagem do acesso fcil aos idosos e pessoas com necessidades espe-ciais que precisam do atendimento na secretaria. A construo das trs salas, do auditrio e dos banheiros do piso superior do Centro Pastoral tambm j est em andamento.Texto: Luis Daniel