COMPRIMIDOS Profa. Patrícia da Fonseca Leite. Vantagens de Formas Farmacêuticas Sólidas A administração de medicamentos via oral é a forma mais utilizada.

Download COMPRIMIDOS Profa. Patrícia da Fonseca Leite. Vantagens de Formas Farmacêuticas Sólidas A administração de medicamentos via oral é a forma mais utilizada.

Post on 22-Apr-2015

103 views

Category:

Documents

0 download

TRANSCRIPT

  • Slide 1
  • COMPRIMIDOS Profa. Patrcia da Fonseca Leite
  • Slide 2
  • Vantagens de Formas Farmacuticas Slidas A administrao de medicamentos via oral a forma mais utilizada e a classe preferida; Comprimidos/drgeas e cpsulas apresentam preciso de dosagem unitria contribuindo para uma melhor eficcia do tratamento; Ocupam menor espao se comparado com formas farmacuticas lquidas, apresentando vantagens em custo de espao de armazenagem e transporte; Possibilita mascarar o sabor de medicamentos, facilitando a aceitao pelo paciente;
  • Slide 3
  • Vantagens de Formas Farmacuticas Secas Maior estabilidade qumica e fsica levando a prazos de validade maiores; Menor risco de contaminao microbiana em funo de caractersticas de formulao; Liberao controlada otimizam tratamentos.
  • Slide 4
  • Comprimidos So formas farmacuticas slidas contendo princpios ativos, normalmente preparados com o auxlio de adjuvantes farmacuticos adequados. Podem variar em tamanho, peso, forma, dureza, espessura, caracterstica de desintegrao, etc. Depende dos excipientes, tcnica de preparo
  • Slide 5
  • Administrao dos comprimidos Uso oral (grande maioria) Sublingual (ex. Toragesic ) Bucal (ex. Feldene Oro-disperssvel) Vaginal
  • Slide 6
  • Mtodos de obteno Moldagem - Preparados manualmente ou em mquinas - Material umedecido forado em moldes - Secagem Compresso - Maquinas capazes de exercer grande presso para compactar o material em p ou granulado
  • Slide 7
  • Composio Ativo; Diluentes: lactose, celulose microcristalina, etc Aglutinantes adesivos: PEG Desintegrantes: croscamelose, amido de milho, CMC, crospovidona, glicolato de amido sdico etc. 5 20% Antiaderentes lubrificantes: estearato de magnsio Corantes Flavorizantes.
  • Slide 8
  • Mtodos de preparao por compresso Granulao mida; Granulao a seco; Compresso direta.
  • Slide 9
  • Granulao mida
  • Slide 10
  • Aglutinantes: preparao aquosa de amido de milho 10- 20% soluo de glicose 25-50% derivados de celulose
  • Slide 11
  • Granulao mida Secagem estufas; leito fluidizado
  • Slide 12
  • Granulao mida Classificao Lubrificao talco; estearato de magnsio cido esterico
  • Slide 13
  • Granulao a seco No apresenta a etapa de adio da soluo de aglutinao; Ativo e diluentes devem possuir propriedades coesivas; Se aplica a substncias que no podem ser preparadas por granulao mida: degradao com a umidade ou com elevadas temperaturas.
  • Slide 14
  • MP PesadaCompactaoMoagem seca Mistura final Compresso Granulao a seco
  • Slide 15
  • Compresso direta Indicada para materiais que apresentam fluidez e compressividade. Ex. Cloreto de potssio Excipientes que favoreem: Diluentes: lactose, celulose microcristalina, Desintegrantes: amido de compresso direta, polivinilpirrolidona, Lubrificantes: estearato de magnsio, talco, Deslizantes: dixido de silcio
  • Slide 16
  • MP PesadaMoagemMistura final Compresso Compresso direta
  • Slide 17
  • Equipamentos - Compressora
  • Slide 18
  • Comprimidos feitos com mltiplas camadas Mltipla compresso Ncleo + poro externa Interessante nos casos de incompatibilidade de ativos, liberao diferenciada ou simples atrativo esttico
  • Slide 19
  • Drgeas Comprimidos revestidos com acar e corante. Vantagens: Todas as dos comprimidos; Protege o ativo do umidade e ar Mascaram sabor e odor; Questes comerciais. Desvantagens Todas as presentes nos comprimidos; Impossibilidade de baixo custo; Difcil preparao. Aumento do tamanho do comprimido
  • Slide 20
  • Preparo de drgeas Drageadeira ou drageadoras O ncleo deve ser preparado com formato esfrico ou oval, pequeno, duro. Impossibilidade de baixo custo Difcil preparao
  • Slide 21
  • Equipamentos - Drageadeira
  • Slide 22
  • Outros comprimidos Comprimidos revestidos com pelculas Comprimidos de liberao entrica Comprimidos mastigveis Comprimidos efervescentes Comprimidos de liberao controlada
  • Slide 23
  • Aspectos relevantes - Compresso Componentes de mquina compressora: oHopper: funil de enchimento que leva o granulado compressora; oMatrizes: define o tamanho e formato dos comprimidos; oPunes: comprime o granulado dentro das matrizes; oGuia: guia o movimento do punes; oDistribuidor: mecanismo de alimentao do granulado no hopper para dentro das matrizes.
  • Slide 24
  • Caractersticas dos comprimidos Aparncia geral; Tamanho, forma e variao de peso; Espessura; Capping; Propriedades sensoriais; Dureza e friabilidade; Liberao e teor do frmaco: tempo de dissoluo, desintegrao e uniformidade de contedo.
  • Slide 25
  • Controle em processo - Compresso Peso mdio; Espessura; Dureza; Dissoluo/Desintegrao; Friabilidade; Propriedades sensoriais. Uniformidade de contedo: Setor de Controle de Qualidade
  • Slide 26
  • Aspectos relevantes - Revestimento Mascarar sabor, odor ou cor do frmaco; Proporcionar proteo fsica e qumica para o frmaco; Liberao controlada do frmaco; Proteger o frmaco do ambiente gstrico (drageamento entrico); Incorporar um outro frmaco em casos de incompatibilidade qumica ou promover a liberao seqencial do frmaco; Melhorar o aspecto do medicamento.

Recommended

View more >