comprasnet - grupo negócios públicos ?· segundo paludo (2012), a administração pública...

Download Comprasnet - Grupo Negócios Públicos ?· Segundo Paludo (2012), a Administração Pública gerencial…

Post on 19-Jan-2019

213 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

1

SISTEMA ELETRNICO DE COMPRAS GOVERNAMENTAIS: O des empenho do

SIASG-Comprasnet e sua influncia para o futuro das compras governamentais.

Paulo Rodrigues de Santana

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE

RESUMO Com o advento da Administrao Pblica Gerencial foi criado o Governo Eletrnico, influenciado pelo desenvolvimento da tecnologia da informao e a necessidade de gerar eficincia administrativa. O Sistema Eletrnico de Compras Governamentais foi o instrumento do governo eletrnico com a misso de gerar a eficincia nas compras da administrao pblica. O governo federal tem obtido excelentes resultados com as compras eletrnicas, influenciando no rumo das compras governamentais de toda a Administrao Pblica. possvel que as mudanas futuras na legislao aumentem a abrangncia dessa modalidade de compras, tornando-a obrigatria em todas as esferas da Administrao Pblica. PALAVRAS-CHAVE : Sistema Eletrnico de compras, Compras Governamentais, Prego eletrnico. 1. INTRODUO O sistema eletrnico de compras governamentais um instrumento do governo eletrnico que surge com a necessidade de gerar eficincia nas compras pblicas, conforme pretendido pela administrao pblica gerencial.

Diversas medidas foram tomadas pela Administrao Pblica Federal, sendo uma das principais a criao do Sistema Integrado de Administrao dos Servios Gerais SIASG. Este sistema se torna de extrema importncia para as compras governamentais, na medida em que integra o portal de compras comprasnet. Desta forma, o SIASG-Comprasnet o sistema eletrnico de compras governamentais utilizado na Administrao Pblica Federal. No campo terico e operacional, diversas consideraes positivas so direcionadas s compras governamentais realizadas sob a plataforma de compras eletrnicas. Ocorre que a abrangncia do sistema eletrnico de compras governamentais restrita e sua adeso no generalizada. Por este motivo, a pesquisa deste trabalho identificar seu impacto e qual sua influncia no rumo das compras governamentais na Administrao Pblica Federal.

Com os resultados obtidos pelo sistema eletrnico de compras governamentais, alguns eventos se tornam importantes nesse mbito, capazes de influenciarem o rumo de toda administrao pblica, iniciando pela Unio.

Nesse contexto, de extrema importncia que os demais rgos da outras esferas da administrao pblica busquem compreender a realidade das compras eletrnicas, de forma a se prepararem para as possveis mudanas advindas do desenvolvimento do sistema eletrnico de compras governamentais, bem como da evoluo legislativa correlata. Necessrio se faz responder as seguintes questes: O sistema eletrnico de compras governamentais tem atendido seus fins? Como ele pode influenciar no rumo das compras governamentais?

2

1.1 Objetivos 1.1.1 Objetivo Geral

Identificar e avaliar o impacto da utilizao do sistema eletrnico de compras governamentais na Unio e a sua influncia na perspectiva de compras governamentais para toda Administrao Pblica.

1.1.2 Objetivos Especficos

Identificar as vertentes de analise de um sistema eletrnico de compras governamentais;

Identificar e avaliar o sistema eletrnico de compras governamentais da Unio, a partir das vertentes de analise selecionadas;

Identificar e analisar fatos relevantes que possam influenciar no rumo das compras governamentais realizadas sob o sistema eletrnico de compras governamentais.

2. FUNDAMENTAO TERICA 2.1. O regime jurdico das compras governamentais e a competncia da unio

Segundo Maral (2011), a licitao o procedimento administrativo destinado a selecionar, segundo critrios objetivos predeterminados, a proposta de contratao mais vantajosa para a Administrao, assegurando-se a ampla participao dos interessados e o seu tratamento isonmico, com observncia de todos os requisitos legais exigidos.

Segundo Maurano (2004), j em 1570, poca do imprio no Brasil, se vislumbrava que as compras Governamentais fossem realizadas com ampla divulgao, gerando a competio e, desta forma, melhores resultados nas referidas compras, com o chamado andar em prego.

Com a reforma da Administrao Pblica Federal ocorrida em 1967, por intermdio do Decreto-Lei 200, baixado no mesmo ano, as compras Governamentais ganharam um regime jurdico sistematizado, fixando normas gerais para o seu procedimento, criando as modalidades de licitaes tradicionais, a concorrncia, a tomada de preos, o convite, o concurso e o leilo. J em 1986, as licitaes passam a ser reguladas pelo decreto federal n. 2300, que recebe alteraes por intermdio dos decretos n. 2348 e 2360, todos baixados no mesmo ano. Somente com a Constituio Federal de 1988, em seu art. 37, inciso XXI, o sistema jurdico normativo das licitaes ganha a ateno devida, sendo elevado ao plano constitucional, que impe como regra geral, a precedncia da licitao a todas as compras governamentais. de extrema relevncia observar o que dispe o art. 22, inciso I, da mesma carta Magna, que confere competncia privativa Unio para editar normas gerais sobre licitaes e contrataes pblicas. Maral (2011), aps discorrer acerca de normas gerais, afirma que, em matria de licitao e contratao administrativa, trata-se de um conceito jurdico indeterminado cujo

3

ncleo de certeza positiva compreende a disciplina imposta pela Unio e de observncia obrigatria por todos os entes federados (inclusive da Administrao Indireta), atinente a disciplina de: a) requisitos mnimos necessrios e indispensveis validade da contratao administrativa; b) hiptese de obrigatoriedade e de no obrigatoriedade de licitao; c) requisitos de participao em licitao; d) tipos de licitao; e e) regime jurdico de contratao administrativa.

Como regra consagrada pela Constituio Federal Brasileira de 1988, em seu art. 37, inciso XXI, todas as compras governamentais devem ser precedida por uma licitao. A lei federal 8666, sancionada em junho de 1993, regulamenta o dispositivo constitucional, inserindo no campo das compras governamentais normas de procedimentos a serem observadas, no s na Administrao Pblica Federal, mas, tambm, na esfera Estadual e Municipal. Vale mencionar que a referida norma de carter geral, mantm as modalidades tradicionais e atua como norte aos demais entes da federao. A lei 8.666/93, conforme se observa na leitura do seu art. 1, e pargrafo nico, estabelece normas gerais de licitao e contratos administrativos pertinentes a obras, servios, inclusive de publicidade, compras, alienaes e locaes no mbito dos poderes da Unio, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municpios, subordinando-se ao regime da mesma todos os rgos controlados, direta ou indiretamente, por estes poderes. Considerando a imposio constitucional de licitao como regra, a referida lei trata, tambm, das excees a esta regra. O captulo II, da lei federal 8.666/93, trata das modalidades a serem utilizadas nas licitaes e os critrios onde ser dispensvel ou inexigvel, podendo a compra ser realizada na forma direta, sem licitao. Em 1997 a Unio cria um regime exclusivo de contrataes para a ANATEL - Agncia Nacional de Telecomunicaes, atravs da lei 9.472. Com isso, nasce a figura do prego que, tendo em vista seus resultados positivos, estendido a toda a Unio, por intermdio da Medida Provisria n 2.026. Esta medida provisria foi reeditada ms a ms at receber o n 2.182/2000, quando foi regulamentada pelo Decreto Federal n 3.555, de 2000, no sendo impostos, ainda, aos Estados, Distrito Federal e Municpios. O prego passa a ser regulamentado na sua forma eletrnica, por intermdio do Decreto n 3.697/2000, sob a influncia do uso das TICs nos negcios privados que, futuramente, exercero considerveis modificaes na Administrao Pblica como um todo. Em 17 de julho de 2002, instituda legalmente a nova modalidade de licitao, o prego, com a transformao da medida provisria n 2.182/2000 em lei, sob o n 10.520. Assim, so inseridas inovaes na ordem jurdica das compras governamentais, na medida em que a lei 10.520/02 impe obrigatoriedade da utilizao do prego para compras de bens e servios comuns, com a preferncia de utilizao da sua forma eletrnica e, estendendo suas regras aos Estados, Distrito Federal e Municpios, como norma geral, pendente regulamentao. A Unio regulamentou o prego eletrnico atravs do Decreto n 5.450, de 31 de maio de 2005, passando a utiliz-lo para as compras de bens e servios comuns, sob os sistemas eletrnicos de compras governamentais existentes, em especial, o SIASG-Comprasnet desenvolvido pelo Ministrio do Planejamento Oramento e Gesto. Da mesma forma que o prego eletrnico foi criado para as licitaes realizadas sob o sistema eletrnico de compras, a Administrao Pblica Federal pensou em um instrumento

4

para a realizao das compras realizadas com a devida dispensa de um prvio procedimento licitatrio. Nesse sentido, por intermdio da portaria n 306, do MPOG, em 13 de dezembro de 2001, criado o instituto da cotao eletrnica, para realizao das compras governamentais enquadradas nos limites de dispensa de licitao disposto no art. 24, inciso II, da lei 8.666/93. 2.2. A administrao pblica gerencial e o princpio da eficincia As dcadas de 70, 80 e 90 foram marcadas pela insatisfao com o modelo de Administrao Pblica burocrtica e seus resultados. Os esforos estavam concentrados na construo de um novo modelo para atender as demandas do mundo globalizado. O terreno estava frtil para o nascimento de um novo modelo, o modelo de Administrao Pblica gerencial (BRESSER PEREIRA, 1996).

Segundo Paludo (2012), a Administrao Pblica gerencial um modelo considerado essencial na busca da eficincia, reduo de custos e aumento da qualidade, dirigida ao cidado. Esse modelo deixa de se basear nos processos, conforme seu modelo antecessor, a Administrao Pblica burocrtica, para se concentrar nos resultados. O Pdrae (1995) discorre que a Admin