Comportamentos desviantes - ? Web view5.1. Ordem Social e Controlo Social. Valores, normas e comportamentos.…

Download Comportamentos desviantes - ? Web view5.1. Ordem Social e Controlo Social. Valores, normas e comportamentos.…

Post on 20-Sep-2018

213 views

Category:

Documents

0 download

TRANSCRIPT

RESUMO DE SOCIOLOGIA

Unidade letiva 5

5.1. Ordem Social e Controlo Social

Valores, normas e comportamentos

Os valores englobam as ideias que definem o que bom ou mau, belo ou feio, etc., comuns a um determinado grupo ou sociedade e consubstanciando-se em normas conjunto de regras de conduta.

Tanto os valores como as normas no possuem um carter universal, isto , variam no tempo e no espao.

Os valores e as normas existentes numa determinada sociedade orientam os indivduos na sua interao com o mundo social, determinando, desta forma, os seus comportamentos maneiras de agir dos indivduos em sociedade, que se baseiam nos valores e nas normas socialmente aceites.

atravs do processo de socializao que as normas so interiorizadas e aceites pelos indivduos, na medida em que o seu incumprimento pode originar uma reprovao social.

Padres e Expetativas de Comportamento (X)

As normas sociais tendem a concretizar-se nos comportamentos dos indivduos atravs de maneiras de agir regulares e, portanto, previsveis padres de comportamento. Atravs da sua concretizao em padres de comportamento, as normas do origem a expetativas de comportamento formas esperadas de comportamento em virtude da interiorizao de regularidades de aes associadas a determinadas situaes.

Ordem e controlo social

Os valores, as normas e os comportamentos constituem um quadro de referncia de uma sociedade, garantindo-lhe uma certa estabilidade ordem social.

A sua manuteno implica que esses mesmos valores, normas e comportamentos sejam interiorizados e aceites pelos indivduos. Neste sentido, e para evitar os comportamentos desviantes, a sociedade exerce um controlo social sobre os seus membros, recorrendo a mecanismos prprios:

Processo de socializao contribui no s para a aprendizagem dos valores, das normas e dos comportamentos do grupo ou da sociedade em que se inserem como para que os indivduos aceitem os padres de comportamento socialmente definidos, fazendo com que acreditem na sua legitimidade.

Sanes:

Negativas punies que se podem aplicar quando os indivduos no se comportam em conformidade com as normas estabelecidas;

Positivas recompensas que se podem aplicar os indivduos se comportam em conformidade com as normas estabelecidas.

Formais quando h um grupo definido de pessoas ou um agente encarregue de assegurar que um conjunto particular de normas seguido;

Informais reaes menos organizadas e mais espontneas em relao inconformidade.

Comportamentos desviantes

Em qualquer sociedade existem comportamentos que se afastam das normas estabelecidas e que no esto em conformidade com as normas socialmente aceites comportamentos desviantes.

Comportamentos desviantes e crime no so sinnimos: o conceito de desvio mais amplo do que o de crime, pois este ltimo engloba-se no primeiro. Os comportamentos desviantes abrangem os comportamentos desviantes que transgridem a lei e os que no a violam comportamentos no conformistas comportamentos e atividades de grupos associados culturas juvenis que, apresentando alternativas e desenvolvendo ideias novas em diversas reas, podem contribuir para transformar a sociedade.

comportamentos desviantes que transgridem a lei

Comportamentos desviantes

comportamentos no conformistas

5.2. Instituies Sociais

Instituies Sociais Definio e Caratersticas

Toda a atividade humana est sujeita ao hbito e, consequentemente, a ser institucionalizada. Deste modo, existem instituies sociais conjuntos de valores, crenas, normas, posies e papis partilhados por certo nmero de indivduos no decurso de um tempo longo, com vista organizao bsica da vida social.

Caratersticas das instituies sociais:

Normatividade, pois as normas estabelecidas pelas instituies so sentidas pelo indivduo como uma obrigao, sujeitando-se a punies ou recompensas.

Estruturao, dado que h coeso entre os seus membros em virtude de combinaes estruturais de padres de comportamento.

Durabilidade, na medida em que os modelos de comportamento que lhe esto associados perduram no tempo.

Finalidade, porque tem como objetivo a satisfao das necessidades sociais.

As instituies e a manuteno da ordem social

As instituies sociais englobam valores, smbolos e normas prprios que definem padres de comportamento interiorizados pelos indivduos. Para promover o conformismo relativamente a esses padres de comportamento, podem acionar mecanismos de controlo social atravs da aplicao de sanes positivas ou negativas, contribuindo assim para a manuteno da ordem social e impondo aos indivduos padres de comportamento que previamente definiram: controlam a conduta humana.

5.3. Reproduo e Mudana Social

Reproduo social (X)

Para subsistirem, as sociedades tm de produzir, de forma continuada, bens materiais e pessoas para acionar essa mesma produo reproduo social renovao do processo de produo de bens materiais e de pessoas.

Reproduo dos Seres Humanos

Sociologia interessa sobretudo o processo de reproduo dos seres humanos que engloba dois nveis: o material (reproduo biolgica), que est a cargo das famlias, e o cultural, que controlado pelos grupos (classes dominantes).

As classes dominantes, atravs do sistema de ensino, dos mass media, da influncia que exercem sobre as prprias famlias, etc., possibilitam a transmisso de um certo saber tcnico e a interiorizao dos valores e das normas dominantes na sociedade, contribuindo assim para a produo cultural dos seres humanos, que tem como finalidade a manuteno das condies sociais de produo e da ordem social.

Neste sentido, a reproduo social permite que as caractersticas das estruturas sociais se mantenham durante longos perodos de tempo, verificando-se, por isso, uma continuidade nas prticas sociais que os indivduos prosseguem.

As Instituies e as Classes Dominantes

atravs das instituies que se efetiva a ao desenvolvida pelas classes dominantes na produo e reproduo cultural dos seres humanos, pois so elas que ensinam os valores, as normas e os saberes prticos que asseguram a conformidade com os padres dominantes. Desta forma, as instituies desempenham um papel ativo na reproduo social. No entanto, ao serem influenciadas pelas estratgias desenvolvidas pelos atores sociais, as instituies tambm podem dar origem a uma transformao social.

Mudana social

A mudana social ocorre quando, num determinado grupo ou sociedade, se verifica uma alterao das suas estruturas bsicas, do seu funcionamento ou dos seus padres culturais.

Situaes de Mudana

Apenas em trs sculos, a sociedade transformou-se radicalmente. Porm, a mudana social no um fenmeno especfico da sociedade moderna, embora seja nesta que o ritmo de mudana muito mais rpido.

Apesar de serem mltiplas as situaes de mudana nas sociedades atuais, nelas continuam a subsistir aspetos que se mantm estveis ou que pouco se tm alterado.

Ao social reproduo e mudana social

As aes dos indivduos no so apenas determinadas pela estrutura social na qual se inserem, pois eles criam a sua prpria individualidade, na medida em que os seres humanos vo sempre reconstruindo a estrutura social.

A ao social pode contribuir no s para reproduzir a estrutura social (estatutos sociais), como para a transformar. Com efeito, a ao social, para alm dos efeitos esperados, pode tambm ter consequncias inesperadas e perturbadoras, indutoras da mudana social.

Unidade letiva 6

6.1. GlobalizaoDefinio de Globalizao

Globalizao processo de aprofundamento da integrao econmica, social, cultural e poltica a nvel mundial resultante do grande desenvolvimento que se verificou nos transportes e nas comunicaes.

No um fenmeno abstrato, pois os seus efeitos sentem-se grandemente no dia-a-dia dos indivduos.

um fenmeno social que tem implicado transformaes a vrios nveis da sociedade dimenso econmica, financeira ou cultural.

Globalizao Econmica e Financeira

As Empresas Transnacionais (ETN) contribuem para acelerar a circulao de bens e de servios, bem como de capitais, pessoas, informao e tecnologia j que realizam investimentos diretos fora do seu territrio nacional, com vista a reduzirem os seus custos de produo e a alargarem o seu mercado a nvel mundial, obtendo, assim lucros elevados.

Algumas destas empresas tm uma grande importncia na investigao e desenvolvimento, contribuindo para o desenvolvimento da investigao cientfica e tecnolgica e para a difuso dessas descobertas, o que facilita o seu acesso a nvel mundial.

A globalizao financeira aumento da circulao de capitais a nvel global tem influenciado os mercados financeiros e facilitado estas transferncias.

Globalizao Cultural

A globalizao apresenta tambm uma dimenso cultural, dado que as migraes globais e o desenvolvimento dos meios de informao relacionado com a globalizao tm contribudo para o conhecimento de outras culturas e para a partilha de informaes em tempo real escala planetria.

NTIC

NTIC juno da informtica com os audiovisuais. Esta juno possibilitou um acesso rpido informao, em tempo real, a criao de redes universais e uma maior capacidade de processamento da informao.

Apesar das NTIC no se terem desenvolvido do mesmo modo em todo o mundo, atualmente, o nmero de pases que tm acesso s redes internacionais de comunicao relativamente grande.

Os sistemas de comunicao alteraram-se profundamente: da comunicao telefnica, analgica, enviada por fios e cabos, passou-se a uma comunicao onde sistemas integrados comprimem grandes quantidades de informao que transmitem digitalmente pelo mundo inteiro.

As NTIC tm acelerado o processo de globalizao dado que permitem que a informao seja difundida instantaneamente em grande escala e que, em todos os pontos do mundo, um nmero crescente de indivduos estabelea relaes entre si.

Multimdia X

A digitalizao, a fibra tica e os sistemas por satlite, interligando-se, permitiram o aparecimento de um nico meio o multimdia.

Estas inovaes conduziram convergncia e ao cruzamento das tecnologias dos media, permitindo a sua integrao e facilitando a sua interatividade, j que proporcionam a participao do utilizador no que v e ouve.

Meios de Comunicao Social e Difuso Cultural

Os media/meios de comunicao de massas constituem a base da cultura da sociedade atual sociedade da informao j que atingem um grande pblico, veiculando e modelando informaes com as quais interagimos no dia-a-dia cultura de massas.

Atuais Meios de Comunicao Mais Importantes

Antes da introduo das NTIC, os meios de comunicao mais importantes eram o rdio, o cinema, os livros e os jornais. Atualmente, estes meios de comunicao social tm vindo a perder importncia face:

televiso a importncia da televiso como meio de comunicao e de informao a nvel global incontestvel. A transmisso via satlite ou por cabo da tv veio permitir o surgimento de mltiplos canais televisivos, oriundos de vrios pases, o que diversificou e globalizou a informao transmitida, modificando muitos comportamentos e atitudes.

internet o nmero de utilizadores da Internet tem aumentado em todo o mundo, pois esta oferece, cada vez mais, possibilidade de interao entre indivduos. No entanto, a maior parte dos utilizadores deste servio encontra-se no mundo desenvolvido.

A internet pode implicar menos contatos com a famlia e amigos dado que possibilita que certas atividades sejam feitas atravs da internet (trabalhar em casa, pagar contras atras de depsitos bancrios, etc), levando a um isolamento social cada vez maior.

Em contrapartida, possibilita a criao de novas formas de relacionamento que podem completar as j existentes, por exemplo, atravs dos chats, criando comunidades online.

Ao telemvel os telemveis podem ser considerados um fenmeno global, dada a sua difuso crescente que se deve maioritariamente s mltiplas e crescentes funes a que do acesso (comunicao, obteno de informaes, divertimento, etc.). Com este meio de comunicao, dada a flexibilidade que oferece, as famlias podem estar em comunicao com mais facilidade.

Funes sociais dos meios de comunicao social:

Funo de informao recolha, anlise e difuso de dados;

Funo de educao transmisso da herana cultural dos povos s geraes seguintes;

Funo de socializao permite a participao dos e dos grupos na vida pblica;

Funo de entretenimento preenchimento do tempo de lazer e melhoria da qualidade de vida.

Media Global X

A indstria dos media msica, televiso, notcias e cinema tornou-se global, devido ao facto de a propriedade dos meios de comunicao social ser dominada por um pequeno nmero de empresas transnacionais. Isto deve-se, por sua vez, progressiva transferncia da propriedade dos meios de comunicao social da esfera pblica para a esfera privada, diversificao das suas atividades, s crescentes fuses verificadas entre empresas de comunicao social e transnacionalizao destas empresas.

Aldeia Global e Aculturao

O desenvolvimento dos meios de transporte e de informao e comunicao possibilitaram, no s o aumento das deslocaes (migraes globais, turismo e trocas comerciais), como tambm dos contatos e trocas de informaes a nvel mundial, fator que leva exploso de trocas sociais entre pessoas de culturas completamente diferentes, levando a um crescente processo de aculturao.

Isto liga as pessoas em tempo real s notcias, s imagens e s informaes, tornando os indivduos, os grupos e as naes cada vez mais interdependentes e transformando o mundo em que vivemos numa aldeia global.

Por um lado, pode-se pensar que a globalizao vai criar uma cultura global dominada pelos produtos e valores da cultura ocidental homogeneizao cultural e por outro pode-se pensar que as identidades e os modos de vida esto a transformar-se e a dar lugar a novas formas de cultura compostas por elementos de diferentes origens culturais pluralidade de formas culturais.

A rpida difuso da informao pode ter consequncias inquestionavelmente positivas j que gera campanhas de solidariedade internacional, por exemplo, quando ocorrem catstrofes naturais, levando que as pessoas tomem conscincia da sua responsabilidade social alm fronteiras, o que seria impossvel se a essas no tivesse chegado a informao devida.

Assim, a noo de cidadania alarga-se, passando os indivduos a ser cidados do mundo.

6.2. Consumo e Estilos de VidaConsumo X

O consumo de bens e servios tem por objetivo fundamental a satisfao de necessidades. Como j se aprendeu em Economia, possuem uma grande variabilidade: variam no espao e no tempo, de indivduo para indivduo e de grupo social para grupo social, sendo muitas necessidades criadas pela prpria produo de bens e servios.

Deste modo, dependem do nvel de vida, ou seja, da quantidade de bens e servios a que um indivduo pode ter acesso e tambm de fatores de ordem social, como o modo de vida, os grupos sociais, a moda e a publicidade um dos elementos formadores dos comportamentos da nossa poca, como auxiliar nas supostas escolhas feitas pelos grupos socioculturais.

Padres de Consumo e Hbitos de Consumo X

As sociedades e os grupos sociais partilham padres de consumo prprios conjunto de bens e servios que adquirem e usam na sua vida quotidiana interiorizados atravs do processo de socializao e que influenciam as maneiras como as pessoas tendem a agir no campo do consumo hbitos de consumo.

Aos consumos de um certo indivduo est associado um valor simblico, projetando uma imagem social do indivduo e levando formulao de um juzo sobre o seu sucesso pessoal e social. Assim, nas sociedades atuais, certos consumos (o modelo de automvel, por exemplo) correspondem a estatutos sociais determinados.

Homogeneizao dos Padres e Hbitos de Consumo

A globalizao est associada acelerao das trocas comerciais, verificando-se uma tendncia de homogeneizao dos hbitos de consumo, isto , uma uniformizao dos padres de consumo a nvel mundial.

Contudo, a uniformizao do consumo relativa, existindo desigualdades no consumo entre:

Pases desenvolvidos e pases menos desenvolvidos, nos quais grande parte da populao no tem possibilidades econmicas para ter os mesmos padres de consumo dos pases mais ricos;

Os diferentes grupos sociais dos pases desenvolvidos, face grande desigualdade entre grupos sociais, j que os grupos mais desfavorecidos no podem ter os mesmos hbitos de consumo dos grupos mais privilegiados.

Produtos Globais X

O impacto das campanhas publicitrias das grandes marcas internacionais tem levado a uma adeso global ao consumo de alguns produtos, o que os torna produtos globais.

Estilos de Vida

Estilos de vida prticas quotidianas e formas de consumo que envolvem escolhas particulares e identitrias to dspares com a habitao, a alimentao, os usos do corpo, o vesturio, etc.

Nas sociedades contemporneas coexistem estilos de vida diferentes, a que esto associadas diferentes prticas de consumos. Atualmente, a identidade pessoal dos indivduos muito estruturada a partir do seu estilo de vida como comer, como divertir-se, etc.

A diversidade de estilos de vida relaciona-se com as diferentes trajetrias sociais dos indivduos e a classe a que pertencem. No entanto, a escolha de novos estilos de vida possvel j que as diferenas sociais no so to demarcadas como no passado (quando a sociedade se dividia em clero, nobreza e povo, cada um s podia vestir segundo as normas estabelecidas para o seu estatuto social).

Novos Estilos de Vida

Os novos problemas que emergem na sociedade contempornea (poluio, defesa de direitos, qualidade de vida, etc.) tm feito surgir novos estilos de vida, associados a novas prticas e a novos valores como, por exemplo, a alterao dos hbitos de consumo, nomeadamente na alimentao, preconizada pelos movimentos consumeristas e ecologistas.

6.3. Ambiente Riscos e IncertezasAgresses ao Ambiente e natureza

Os modelos de desenvolvimento industrial sempre promoveram o consumo crescente de bens e servios, ignorando as consequncias que da poderiam resultar a nvel da natureza e estando na base de agresses natureza e ao ambiente, cujas consequncias, algumas delas irreparveis, so:

A destruio da camada de ozono, gs que protege a Terra das radiaes ultravioleta do Sol, as quais so muito prejudiciais para os humanos;

O aquecimento global, consequncia da rarefao da camada de ozono, tem levado, por exemplo, destruio de florestas tropicais;

A extino das espcies animais e vegetais, resultante da destruio de florestas, do avano da construo urbana, da caa sistemtica de espcies animais, etc.;

A contaminao da gua potvel, devido aos esgotos, aos efluentes industriais, ao depsito de resduos txicos e nucleares nos oceanos, utilizao de pesticidas na agricultura, etc.;

A produo de dixido de carbono, devido utilizao de hidrocarbonetos, por exemplo;

As chuvas cidas resultantes da utilizao de recursos energticos que libertam gases cidos.

S em 1973, com a primeira crise do petrleo, que se tomou conscincia das consequncias ambientais e dos riscos que a humanidade corria (e corre). Recentemente, os governos e os prprios organismos internacionais comearam a tomar algumas medidas para atenuar estas agresses como a fiscalizao das atividades poluidoras, a criao de regras de fabrico, utilizao de tecnologias no poluentes e a definio de polticas para ir ao encontro de solues que recuperem o equilbrio ambiental. No entanto, estas medidas no tm sido consideradas suficientes.

Riscos

Nas sociedades atuais, embora ainda haja riscos externos ameaas provenientes das contingncias do ambiente natural , o que as carateriza so os riscos ecolgicos/riscos manufaturados ameaas decorrentes do impacto da industrializao sobre o meio ambiente.

O desenvolvimento industrial est ligado ao aparecimento de outros riscos manufaturados, nomeadamente os que tm a ver com:

A sade, pois a emisso de gases consequente do desenvolvimento industrial tem provocado a rarefao da camada de ozono, o que torna mais prejudicial para a sade uma longa exposio ao Sol;

O consumo de produtos alimentares que podem no ser seguros, ou porque foram utilizados antibiticos na produo animal, pesticidas qumicos e herbicidas na agricultura ou porque so geneticamente modificados.

Estes riscos no esto limitados espacialmente nem socialmente, so globais, pois afetam todos os pases e todas as pessoas formao de uma sociedade de risco global.

Isto tem levado ao aparecimento de movimentos sociais globais ou que, mesmo sendo locais, reivindicam a soluo de problemas que tm implicaes globais. Nestes incluem-se os movimentos ecologistas que tentam alertar a opinio pblica mundial face aos problemas ambientais, divulgando de imediato qualquer desastre ecolgico que ocorra.

Recommended

View more >