COMPARATIVO DE CUSTOS DIRETOS ENTRE OS SISTEMAS ... ?· Composições de Preços Unitários Planilhas…

Download COMPARATIVO DE CUSTOS DIRETOS ENTRE OS SISTEMAS ... ?· Composições de Preços Unitários Planilhas…

Post on 09-Nov-2018

214 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

<ul><li><p>Artigo submetido ao Curso de Engenharia Civil da UNESC - como requisito parcial para obteno do Ttulo de Engenheiro Civil </p><p>COMPARATIVO DE CUSTOS DIRETOS ENTRE OS SISTEMAS CONSTRUTIVOS LIGHT STEEL FRAMING E CONCRETO ARMADO </p><p>COM VEDAO EM BLOCOS CERMICOS E EM BLOCOS DE CONCRETO CELULAR AUTOCLAVADO </p><p> Guilherme Meneghel (1), Mnica Elizabeth Dare (2) </p><p> UNESC Universidade do Extremo Sul Catarinense (1) gmmeneghel@gmail.com, (2) dare@terra.com.br </p><p>RESUMO </p><p> A indstria da construo civil tem buscado sistemas construtivos mais eficientes e com melhor produtividade. O presente artigo tem como objetivo geral comparar os custos diretos de uma edificao residencial multifamiliar (geminada) padro normal entre os sistemas light steel framing (LSF) e estrutura convencional em concreto armado com vedao em blocos cermicos (BC) e em blocos de concreto celular autoclavado (BCCA). Para obteno dos custos diretos, elaborou-se planilhas oramentrias para cada sistema construtivo, considerando para o sistema convencional em concreto armado (BC + BCCA) a base de dados da plataforma SINAPI referente a JUL/2017, regio de Florianpolis - SC, sem desonerao, e para o sistema LSF os quantitativos e valores monetrios unitrios repassados pelos fornecedores e construtores. Os resultados obtidos foram apresentados por meio de tabelas e grficos, destacando-se os custos globais, por etapas e comparando-os quantitativamente e qualitativamente. Os resultados apontam que os custos diretos totais dos sistemas BC e BCCA so 7,9% e 12,3% inferiores, respectivamente, quando comparados ao sistema LSF. A etapa com maior participao e relevncia no custo direto total foi a dos planos verticais, representando 51,5% ao LSF, 44,9% ao BC e 42,1% ao BCCA. Os custos diretos unitrios obtidos correspondem a R$ 1.313,37/m ao LSF, R$ 1.209,61/m ao BC e R$ 1.151,23/m ao BCCA. </p><p>Palavras-chave: steel framing, bloco cermico, bloco de concreto celular, custos. </p><p>1 INTRODUO </p><p>Conforme publicao do Ministrio das Cidades no Plano Nacional de Habitao </p><p>PlanHab (2009, p. 5), o dficit habitacional acumulado ao longo de dcadas e a </p><p>demanda habitacional futura representam um desafio de cerca de 31 milhes de </p><p>novos atendimentos habitacionais at 2023. Ainda segundo o Ministrio das </p><p>Cidades (2009, p. 5), com [...] a elevao expressiva do volume de crdito e de </p><p>investimentos no setor habitacional, impulsionados pela poltica habitacional de </p></li><li><p>2 Artigo submetido ao Curso de Engenharia Civil da UNESC - </p><p>como requisito parcial para obteno do Ttulo de Engenheiro Civil </p><p>UNESC Universidade do Extremo Sul Catarinense 2017/02 </p><p>longo prazo, especialmente voltada para a baixa renda, fomentada por programas </p><p>federais de financiamento, em especial ao principal programa habitacional em curso </p><p>no pas, o Programa Minha Casa Minha Vida (PMCMV), nestes ltimos anos, </p><p>alavancou-se o nmero de empreendimentos habitacionais de interesse social. </p><p>Diante deste cenrio, para Santiago (2012, p. 10), [...] com o objetivo de aumentar a </p><p>produtividade, diminuir o desperdcio e atender a uma demanda crescente, a </p><p>indstria da construo civil tem buscado sistemas construtivos mais eficientes. </p><p>Dentro desta concepo, o sistema construtivo light steel framing apresenta-se </p><p>bastante apropriado, por ser um sistema racional, industrializado, de rpida </p><p>execuo e controle oramentrio. </p><p>Rodrigues (2006, p. 10) destaca uma srie de vantagens do sistema light steel </p><p>framing quando comparado construo convencional: </p><p> [...] reduo do prazo de execuo da obra; material estrutural mais leve em ao e com maior resistncia corroso; durabilidade; maior preciso na montagem de paredes e pisos; desperdcio e perda de material reduzidos; custo reduzido; material 100% reciclvel e incombustvel; qualidade do ao garantida pelas siderurgias nacionais. </p><p>Desta forma, este estudo tem como objetivo geral comparar os custos diretos de </p><p>uma edificao residencial multifamiliar (geminada) padro normal entre os sistemas </p><p>light steel framing e estrutura convencional em concreto armado com vedao em </p><p>blocos cermicos e em blocos de concreto celular autoclavado. </p><p>Para tanto, como objetivos especficos definiu-se: a) determinar os custos diretos, </p><p>globais e por etapas, para a tipologia da edificao em estudo nos diferentes </p><p>sistemas construtivos considerados; b) comparar os custos globais e por etapas </p><p>obtidos; c) analisar os resultados obtidos em diferentes unidades de valor (valor em </p><p>real e valor equivalente ao CUB mdio residencial). </p><p>2 MATERIAIS E MTODOS </p><p>A metodologia adotada seguiu basicamente o fluxograma apresentado na figura 01. </p></li><li><p>3 Artigo submetido ao Curso de Engenharia Civil da UNESC - </p><p>como requisito parcial para obteno do Ttulo de Engenheiro Civil </p><p>UNESC Universidade do Extremo Sul Catarinense 2017/02 </p><p>Figura 01 Fluxograma da metodologia da pesquisa </p><p>Concluses</p><p>Embasamento</p><p>Terico</p><p>Blocos</p><p>Cermicos</p><p>Levantamentos</p><p>Documentaes</p><p>Tcnicas</p><p>Light Steel</p><p>Framing</p><p>Blocos de Concreto</p><p>Celular Autoclavado</p><p>dos Resultados</p><p>Composies de </p><p>Preos Unitrios</p><p>Planilhas</p><p>Oramentrias</p><p>Apresentao e Anlise</p><p>Quantitativos</p><p>Fonte: Do autor, 2017. </p><p>2.1 EMBASAMENTO TERICO </p><p>Realizou-se a pesquisa no perodo de maro agosto de 2017. Inicialmente, </p><p>estudou-se os sistemas construtivos em questo: light steel framing (LSF) e </p><p>convencional em concreto armado com vedao em blocos cermicos (BC) e em </p><p>blocos de concreto celular autoclavado (BCCA), buscando-se a compreenso de </p><p>suas particularidades e especificaes tcnicas. Como referencial bibliogrfico </p><p>utilizou-se livros, informaes tcnicas de sites de fornecedores, manuais tcnicos e </p></li><li><p>4 Artigo submetido ao Curso de Engenharia Civil da UNESC - </p><p>como requisito parcial para obteno do Ttulo de Engenheiro Civil </p><p>UNESC Universidade do Extremo Sul Catarinense 2017/02 </p><p>vdeos. Para aprimoramento do conhecimento, o autor participou de palestras, </p><p>visitou fornecedores de materiais e acompanhou uma obra em andamento. </p><p>2.2 DOCUMENTAO TCNICA </p><p>A documentao tcnica necessria ao estudo consistiu-se em: projeto </p><p>arquitetnico, maquete eletrnica 3D, projeto hidrossanitrio, projeto estrutural da </p><p>fundao e laje em concreto armado, projeto estrutural do sistema construtivo light </p><p>steel framing, manual executivo de montagem, memorial descritivo, registros dos </p><p>materiais utilizados na obra com seus respectivos quantitativos e valores unitrios. </p><p>Associada a documentao tcnica utilizou-se observaes diretas e registros </p><p>fotogrficos da execuo da obra. </p><p>2.3 CARACTERIZAO DA OBRA E DAS EMPRESAS </p><p>A obra em estudo foi executada no Loteamento Residencial Montes Claros, distrito </p><p>de Estao Cocal, municpio de Morro da Fumaa - SC. A empresa fornecedora dos </p><p>perfis metlicos e outros materiais necessrios para a execuo do sistema </p><p>construtivo light steel framing possui sede em Brao do Norte SC, j a empresa </p><p>construtora possui sede no prprio distrito de Estao Cocal, Morro da Fumaa - SC. </p><p>Figura 02 Localizao da obra </p><p>Fonte: Google Maps, 2017. </p></li><li><p>5 Artigo submetido ao Curso de Engenharia Civil da UNESC - </p><p>como requisito parcial para obteno do Ttulo de Engenheiro Civil </p><p>UNESC Universidade do Extremo Sul Catarinense 2017/02 </p><p>Trata-se de uma edificao residencial multifamiliar (geminada), trrea, composta </p><p>por 2 unidades habitacionais padro normal, com rea privativa de 61,08 m cada, </p><p>totalizando 122,16 m em um nico pavimento. Cada unidade habitacional </p><p>composta por 2 dormitrios, banheiro, cozinha, sala, varanda/rea de servio. </p><p>A figura 03 apresenta uma perspectiva do projeto arquitetnico e a figura 04 a planta </p><p>baixa trrea humanizada de uma unidade habitacional. </p><p>Figura 03 Perspectiva projeto arquitetnico </p><p>Fonte: Do escritrio de arquitetura, 2017. </p><p>Figura 04 Planta baixa trrea humanizada de uma unidade habitacional </p><p>Fonte: Do escritrio de arquitetura, 2017. </p></li><li><p>6 Artigo submetido ao Curso de Engenharia Civil da UNESC - </p><p>como requisito parcial para obteno do Ttulo de Engenheiro Civil </p><p>UNESC Universidade do Extremo Sul Catarinense 2017/02 </p><p>As informaes apresentadas na figura 05 discriminam as etapas, materiais e </p><p>servios referentes a cada sistema construtivo em estudo e seguiu-se como diretriz </p><p>para a elaborao das planilhas oramentrias. </p><p>Figura 05 - Caracterizao da obra conforme sistemas construtivos </p><p>FUNDAO Concreto Armado Tipo Sapatas Concreto Armado Tipo Sapatas Concreto Armado Tipo Sapatas</p><p>PAVIMENTO PISO</p><p>Pavimento Piso em Laje Pr-</p><p>moldada composta por Vigotes </p><p>Treliados e Tavelas cermicas</p><p>Pavimento Piso em Laje Pr-</p><p>moldada composta por Vigotes </p><p>Treliados e Tavelas cermicas</p><p>Pavimento Piso em Laje Pr-</p><p>moldada composta por Vigotes </p><p>Treliados e Tavelas cermicas</p><p>Estrutura: perfis metlicos em </p><p>ao galvanizado;</p><p>Estrutura: Pilares e Vigas em </p><p>Concreto Armado</p><p>Estrutura: Pilares e Vigas em </p><p>Concreto Armado</p><p>Paredes Internas: OSB + </p><p>Gesso Acartonado</p><p>Paredes Externas: OSB + </p><p>Membrana Hidrfuga + Placa </p><p>Cimentcia</p><p>COBERTURAEstrutura Metlica + Telha de </p><p>Fibrocimento</p><p>Estrutura Metlica + Telha de </p><p>Fibrocimento</p><p>Estrutura Metlica + Telha de </p><p>Fibrocimento</p><p>FORRO Gesso Acartonado Gesso Acartonado Gesso Acartonado</p><p>Porta Social: Pivotante em </p><p>Madeira Macia com Pintura </p><p>Verniz</p><p>Porta Social: Pivotante em </p><p>Madeira Macia com Pintura </p><p>Verniz</p><p>Porta Social: Pivotante em </p><p>Madeira Macia com Pintura </p><p>Verniz</p><p>Portas Internas: Madeira Semi-</p><p>oca Tratada com Pintura </p><p>Acrlica Semi-brilho</p><p>Portas Internas: Madeira Semi-</p><p>oca Tratada com Pintura </p><p>Acrlica Semi-brilho</p><p>Portas Internas: Madeira Semi-</p><p>oca Tratada com Pintura </p><p>Acrlica Semi-brilho</p><p>Demais Aberturas: Alumnio </p><p>com Pintura Eletrstica</p><p>Demais Aberturas: Alumnio </p><p>com Pintura Eletrstica</p><p>Demais Aberturas: Alumnio </p><p>com Pintura Eletrstica</p><p>Internos: Tipo Grs Esmaltado - </p><p>Formato 45x45cm</p><p>Internos: Tipo Grs Esmaltado - </p><p>Formato 45x45cm</p><p>Internos: Tipo Grs Esmaltado - </p><p>Formato 45x45cm</p><p>Externos: Tipo Grs Esmaltado </p><p>Superfcie Antiderrapante - </p><p>Formato 45x45cm</p><p>Externos: Tipo Grs Esmaltado </p><p>Superfcie Antiderrapante - </p><p>Formato 45x45cm</p><p>Externos: Tipo Grs Esmaltado </p><p>Superfcie Antiderrapante - </p><p>Formato 45x45cm</p><p>PINTURA Tipo Acrlica Semi-brilho Tipo Acrlica Semi-brilho Tipo Acrlica Semi-brilho</p><p>ESQUADRIAS</p><p>REVESTIMENTOS</p><p>LIGHT STEEL FRAMING BLOCO CERMICO BLOCO CELULARETAPAS</p><p>Blocos Cermicos + Chapisco </p><p>+ Emboo + Reboco (Paredes </p><p>Internas e Externas)</p><p>Blocos de Concreto Celular </p><p>Autoclavado + Emboo + </p><p>Reboco (Paredes Internas e </p><p>Externas)</p><p>PLANOS VERTICAIS</p><p>Fonte: Do Autor, 2017. </p><p>A execuo da obra ocorreu no perodo de abril a setembro de 2017. </p><p>O projeto atende aos requisitos para financiamento de habitaes de interesse social </p><p>como, por exemplo, o programa federal destinado a famlias de baixa renda Minha </p><p>Casa Minha Vida. </p></li><li><p>7 Artigo submetido ao Curso de Engenharia Civil da UNESC - </p><p>como requisito parcial para obteno do Ttulo de Engenheiro Civil </p><p>UNESC Universidade do Extremo Sul Catarinense 2017/02 </p><p>2.4 PROCESSO ORAMENTRIO </p><p>Por meio da anlise dos projetos executivos e demais documentos tcnicos </p><p>complementares obra, definiu-se os critrios para quantificao com posterior </p><p>levantamento dos quantitativos necessrios para a elaborao das planilhas </p><p>oramentrias. Para o sistema convencional em concreto armado, tanto com </p><p>vedao em blocos cermicos (BC) quanto em blocos de concreto celular </p><p>autoclavado (BCCA), seguiu-se a base de dados da plataforma SINAPI referente a </p><p>JUL/2017, regio de Florianpolis - SC, sem desonerao, ou seja, com encargos </p><p>sociais de 114,71%. Para o sistema construtivo light steel framing (LSF), levou-se </p><p>em considerao os quantitativos e valores monetrios unitrios repassados pelas </p><p>empresas fornecedoras de materiais e executoras da obra, uma vez que, por se </p><p>tratar de uma tecnologia recente em nosso pas, a plataforma SINAPI ainda no </p><p>possui informaes a respeito em sua base de dados. Desta forma, elaborou-se as </p><p>planilhas oramentrias, uma para cada sistema construtivo, destacando os </p><p>percentuais (%) de participao das etapas e servios no custo direto total da obra </p><p>em estudo. </p><p>2.5 APRESENTAO E ANLISE DOS RESULTADOS </p><p>Com o levantamento e apurao dos custos diretos de cada sistema construtivo, os </p><p>valores obtidos foram apresentados por meio de tabelas e grficos, destacando-se </p><p>os custos globais e unitrios em questo. Apresentou-se os resultados em valor </p><p>Real (R$) e em valor equivalente ao CUB Mdio Residencial (referente a SET/2017 - </p><p>R$ 1.731,72), alm de valores percentuais (%) relativos as etapas do custo direto </p><p>total da obra. Realizou-se tambm anlises comparativas entre os sistemas </p><p>construtivos, sendo estas quantitativas e descritivas. </p><p>3 RESULTADOS E DISCUSSES </p><p>Com a anlise das documentaes tcnicas e a elaborao das planilhas </p><p>oramentrias, obteve-se os resultados dos custos diretos para cada sistema </p></li><li><p>8 Artigo submetido ao Curso de Engenharia Civil da UNESC - </p><p>como requisito parcial para obteno do Ttulo de Engenheiro Civil </p><p>UNESC Universidade do Extremo Sul Catarinense 2017/02 </p><p>construtivo em estudo, considerando: light steel framing (LSF); estrutura </p><p>convencional em concreto armado com vedao em blocos cermicos (BC); e </p><p>estrutura em concreto armado com vedao em blocos de concreto celular </p><p>autoclavado (BCCA). </p><p>3.1 CUSTOS DIRETOS GLOBAIS </p><p>Na figura 06 apresentam-se os custos diretos globais para os trs sistemas </p><p>construtivos estudados. </p><p>Figura 06 Custos diretos globais </p><p>R$ CUB R$/m CUB/m</p><p>LSF 122,16 R$ 160.441,64 92,649 R$ 1.313,37 0,758</p><p>BC 122,16 R$ 147.766,06 85,329 R$ 1.209,61 0,699</p><p>BCCA 122,16 R$ 140.634,09 81,211 R$ 1.151,23 0,665</p><p>SISTEMA </p><p>CONSTRUTIVOREA (m)</p><p>CUSTO DIRETO TOTAL CUSTO DIRETO UNITRIO</p><p>Fonte: Do Autor, 2017. </p><p>Para a converso dos custos diretos totais e unitrios, considerou-se o valor </p><p>equivalente ao CUB Mdio Residencial (referente a SET/2017 - R$ 1.731,72), </p><p>publicado pelo Sinduscon da regio de Florianpolis SC. </p><p>3.2 CUSTOS DIRETOS POR ETAPAS </p><p>Na figura 07 apresentam-se os custos diretos distribudos por etapas, com suas </p><p>respectivas participaes no custo direto global de cada sistema construtivo em </p><p>estudo e as diferenas nos custos diretos em percentuais entre o sistema construtivo </p><p>light steel framing (LSF) e os demais. </p></li><li><p>9 Artigo submetido ao Curso de Engenharia Civil da UNESC - </p><p>como requisito parcial para obteno do Ttulo de Engenheiro Civil </p><p>UNESC Universidade do Extremo Sul Catarinense 2017/02 </p><p>Figura 07 Custos diretos por etapas </p><p>% COMP. % COMP.</p><p>R$ % R$ % LSFxBC R$ % LSFxBCCA</p><p>1. FUNDAO R$ 2.656,84 1,7% R$ 3.805,79 2,6% 43,2% R$ 3.805,79 2,7% 43,2%</p><p>2. PAVIMENTO PISO R$ 15.401,50 9,6% R$ 17.932,72 12,1% 16,4% R$ 17.932,72 12,8% 16,4%</p><p>3. PLANOS VERTICAIS R$ 82.675,49 51,5% R$ 66.319,73 44,9% -19,8% R$ 59.187,77 42,1% -28,4%</p><p>4. COBERTURA R$ 16.261,31 10,1% R$ 16.261,31 11,0% 0,0% R$ 16.261,31 11,6% 0,0%</p><p>5. FORRO R$ 5.586,06 3,5% R$ 5.586,06 3,8% 0,0% R$ 5.586,06 4,0% 0,0%</p><p>6. ESQUADRIA R$ 20.047,04 12,5% R$ 20.047,04 13,6% 0,0% R$ 20.047,04 14,3% 0,0%</p><p>7. REVESTIMENTO R$ 8.137,48 5,1% R$ 8.137,48 5,5% 0,0% R$ 8.137,48 5,8% 0,0%</p><p>8. PINTURA R$ 9.675,92 6,0% R$ 9.675,92 6,5% 0,0% R$ 9.675,92 6,9% 0,0%</p><p>TOTAL R$ 160.441,64 R$ 147.766,06 -7,9% R$ 140.634,09 -12,3%</p><p>LSFETAPA</p><p>BCCABC</p><p>Fonte: Do Autor, 2017. </p><p>Considerando apenas os custos diretos da etapa planos verticais, a figura 08 </p><p>apresenta o custo direto por rea de parede construda aos trs sistemas </p><p>construtivos em estudo. </p><p>Figura 08 Custos diretos etapa planos verticais </p><p>LSF 340,25 91,20 R$ 82.675,49 R$ 242,98</p><p>BC 340,25 91,20 R$ 66.319,73 R$ 194,91</p><p>BCCA 340,25 91,20 R$ 59.187,77 R$ 173,95</p><p>SISTEMA </p><p>CONSTRUTIVOREA (m) PERMETRO (m) R$ R$/m</p><p>Fonte: Do Autor, 2017. </p><p>3.3 ANLISE COMPARATIVA DOS CUSTOS DIRETOS ENTRE OS SISTEMAS </p><p>Conforme apresentado na figura 06, observa-se que o custo direto global do sistema </p><p>construtivo light steel framing (LSF) o maior dos custos entre os trs sistemas em </p><p>estudo, sendo a estrutura convencional em concreto armado com vedao em </p><p>blocos cermicos (BC) 7,9% inferior e com vedao em blocos de concreto celular </p><p>autoclavado (BCCA) 12,3% inferior, quando comparados ao sistema light steel </p><p>framing (LSF). A figura 09 apresenta o comparativo percentual dos custos diretos </p><p>obtidos tendo como base 100% o sistema light steel framing (LSF). </p></li><li><p>10 Artigo submetido ao Curso de Engenharia Civil da UNESC - </p><p>como requisito parcial para obteno do Ttulo de Engenheiro Civil </p><p>UNESC Universidade do Extremo Sul Catarinense 2017/02 </p><p>Figura 09 Comparativo percentual dos custos diretos globais </p><p>100,0%</p><p>92,1%87,7%</p><p>0,0%</p><p>20,0%</p><p>40,0%</p><p>60,0%</p><p>80,0%</p><p>100,0%</p><p>120,0%</p><p>LSF BC BCCA </p><p>Fonte: Do Autor, 2017. </p><p>Os custos diretos distribudos por etapas para cada sistema construtivo estudado, </p><p>apresentados anteriormente na figura 07, encontram-se representados graficamente </p><p>na figura 10. </p><p>Figura 10 Comparativo dos custos diretos por etapas </p><p>2.6</p><p>56,8</p><p>4</p><p>15.4</p><p>01,5</p><p>0</p><p>82.6</p><p>75,4</p><p>9</p><p>16.2</p><p>61,3</p><p>1</p><p>5.5</p><p>86,0</p><p>6 20.0</p><p>47,0</p><p>4</p><p>8.1</p><p>37,4</p><p>8</p><p>9.6</p><p>75,9</p><p>2</p><p>3.8</p><p>05,7</p><p>9 17.9</p><p>32,7</p><p>2</p><p>66.3</p><p>19,7</p><p>3</p><p>16.2</p><p>61,3</p><p>1</p><p>5.5</p><p>86,0</p><p>6 20.0</p><p>47,0</p><p>4</p><p>8.1</p><p>37,4</p><p>8</p><p>9.6</p><p>75,9</p><p>2</p><p>3.8</p><p>05,7</p><p>9 17.9</p><p>32,7</p><p>2</p><p>59.1</p><p>87,7</p><p>7</p><p>16.2</p><p>61,3</p><p>1</p><p>5.5</p><p>86,0</p><p>6 20.0</p><p>47,0</p><p>4</p><p>8.1</p><p>37,4</p><p>8</p><p>9.6</p><p>75,9</p><p>2</p><p>0,00</p><p>20.000,00</p><p>40.000,00</p><p>60.000,00</p><p>80.000,00</p><p>100.000,00</p><p>LSF BC BCCA </p><p>Fonte: Do Autor, 2017. </p><p> A figura 10 destaca que as etapas cobertura, forro, esquadrias, revestimentos e </p><p>pinturas, permanecem iguais nos trs sistemas construtivos, visto que para os </p><p>sistemas da pesquisa estas etapas so compostas pelos mesmos servios, mesmas </p><p>quantidades e mesmos custos unitrios, no ocorrendo assim variaes em seus </p></li><li><p>11 Artigo submetido ao Curso de Engenharia Civil da UNESC - </p><p>como requisito parcial para obteno do Ttulo de Engenheiro Civil </p><p>UNESC Universidade do Extremo Sul Catarinense 2017/02 </p><p>custos diretos. Verifica-se, porm, variao nas etapas fundao e pavimento piso, </p><p>alm da etapa plano vertical. Conforme percentuais comparativos anteriormente </p><p>apresentados da figura

Recommended

View more >