Collapse Underground Art #06

Download Collapse Underground Art #06

Post on 24-Jul-2016

233 views

Category:

Documents

8 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Agora no ar: Collapse Underground Art #06 Com Lothlryen, Contempty, Left Hand, Crom, Vivi Alves, Yekun, Camus, Outlanders, Nox Spiritus, Rebaellim, MX, Dkrauz, Nervosa, Skinlepsy, Tales For the Unspoken, Methedras Frantic Amber.

TRANSCRIPT

  • E chegamos a nossa sexta edi-o, munidos de muito traba-lho, muita pacincia e determina-o. Apesar do trabalho prazeroso de estar em contato com msicos excepcionalmente talentosos de todo o pas, e do exterior tambm, descobrir uma infinidade de for-matos, cores, sons, ideias, con-ceitos que fazem com que nossa cultura se mostre rica e prolfera em cada uma das suas realidades econmicas e geogrficas.

    Alm disso, temos o privil-gio de, em muitas vezes, conferir alguns trabalhos no lanados e ouvir em primeira mo a grandio-sidade de alguns deles, mas este o tempo mostrar a todos vocs.

    Em tempo, somos solidrios com os parceiros que editam suas publicaes, sejam elas sites, blogs, web rdios e web TVs, e que esto na mesma luta que ns, buscando mostrar a cultura musical de forma idnea, transparente e responsvel, e acima de tudo, manifestando seu amor a msica dando o melhor de s. Estamos juntos e misturados nessa empreitada.

    Bom, espero que voc leitor aprecie esta nossa edio de nmero seis, que traz como matria de capa o grandioso Lothlryen, alm de entrevistas imperdveis com Contempty, Left Hand, Crom, Vivi Alves, Yekun, Camus, Outlanders, Nox Spiritus, Rebaellim, MX, Dkrauz, Ner-vosa, Skinlepsy, alm de nossos irmos portugueses do Tales For the Unspoken, os italianos do Methedras e a fantstica banda suca Frantic Amber, alm de um especial sobre o Madame Delphine LaLaurie, mais conhecida como o Monstro Cruel da Louisiana e artigos sempre presen-tes em nossas edies de Panda Reis, Christophe Correia e de Marcos Garcia, alm das dicas da professora de canto Carol Bannwart.

    Boa leitura!JP Carvalho

    ExpedienteEditor responsvel: JP Carvalho - Jornalista Responsvel: Laryssa Martins MTb: 52.455 Colaboraram nesta edio: Carol Bannwart, Christophe Correia, Julie Sousa, Marcos Garcia, Panda Reis, Prika Amaral, Raphael Arizio, Toninha Carvalho, Ygor No-gueira e Vlademir Gonzales.Assessoria de Imprensa: Metal Media (www.metalmedia.com.br)A revista Collapse Underground Art uma publicao digital, de atualizao permanente. O contedo editorial produzido pela equipe de redao e as imagens cedidas por representantes ou assessorias de imprensa. Todo o contedo protegido pelas leis que regulamentam o Direito Autoral e a reproduo (de parte, ou completa) das matrias. As matrias assinadas so de inteira responsabilidade de seus autores e no necessariamente refletem a postura ideolgica da publicao. Envie sugestes, comentrios e crticas para a revista:E-mail: rrraicttuff@yahoo.com.br ou para Rua Nilo Luis Mazzei, 66 - Vila Guilherme - So Paulo - SP - CEP: 02081-070.

    Artigo...ao caos... - Pg. 4 ArtigoThe Ressinestesia - Pg. 5 ArtigoUndergrounds Voice - Pg. 6 EntrevistaContempty - Pgs. 8 e 9 EntrevistaLeft Hand - Pgs. 10, e 11 EntrevistaCrom - Pgs. 12, 14, 15 HM BreakdownVivi Alves - Pgs. 16, 17 e 18 EntrevistaYekun - Pgs. 20, 21, 22, 24 e 25 EntrevistaTales For the Unspoken - Pgs. 26 e 27 EntrevistaCamus - Pgs. 28 e 29 EntrevistaOutlanders - Pgs. 30 e 31 EspecialMadame Delphine La Laurie O MonstroCruel da Louisiana - Pgs. 32, 33, 34 e 35 EntrevistaNox Spiritus - Pgs. 36 e 37 Releases - Pgs. 38 e 39 EntrevistaRebaellim - Pgs. 40, 41, 42 e 43 EntrevistaMX - Pgs. 44 e 45 Sangue NovoFrantic Amber - Pgs. 46 e 47 EntrevistaDkrauz - Pgs. 48 e 49 EntrevistaMethedras - Pgs. 50, 52 e 53 EntrevistaNervosa - Pgs. 54, 55, 56 e 57 EntrevistaSkinlepsy - Pgs. 58, 60, 62 e 63 Matria de CapaLothlryen - Pgs. 64, 65, 66, 67, 68, 69 e 70 ArtigoAforismos do Pai Marco - Pg. 71

    Determinao e sangue fervendo

  • Por: Panda Reis

    ...AO CAOS...

    Vocs ainda se recordam daquelas cenas onde a Polcia agredia violentamente professores, onde professores de meia idade cados nos cho tentavam desesperadamente proteger seus corpos gastos pela idade, de mordidas raivo-sas de ces treinados para dila-cerar, treinados para perseguir morder e arrancar pedaos? Vocs ainda se lembram de professores correndo deses-perados por ruas de cidades grande, com rostos com furos abertos por balas de borracha, da onde escorria sangue, que se misturava a lgrimas de pessoas que ali estavam ape-nas para pedir uma condio salarial melhor, j que a infla-o come seus salrios... gente que passou a vida todo estu-dando, trabalhando durante o dia, estudando escondidos no banheiro, ou na hora do almo-o, correndo do trabalho para a faculdade, e estudando mesmo aps chegar em casa j no dia de amanh, gente que se dedi-caram a aprender, estudar, se especializar para poder conti-nuar a repassar o conhecimen-to, gente que perdeu os bailes da turma de administrao, porque tinha prova na sema-na seguinte, gente que deixou passar momentos e pessoas que no as entenderam pra qu tanta dedicao? Pra qu estu-dar para ensinar, se ele estu-dasse para acumular com cer-teza teria muito mais dinheiro? Essas pessoas conseguiram estudar e irem para as salas de aulas, aonde ensinaram, se de-dicaram para que todos (ou a maioria) aprendesse, instruiu , orientou, em alguns casos e lugares at se tornou amigo. Essas pessoas formaram os mdicos, os policiais, o go-vernador, ele os fez o que so hoje, porm todos, assim como aquele moleque que senta ao

    Nossa falaciosa educao tendenciosafundo da sala e no da m-nima para o professor ou para o que ele esta ensinando, todos eles os esqueceram... e agora so vistos de forma pejorativa, de forma ofensiva por pessoas que eles mesmo instruram e criaram, so alvos de ataques fsicos, psicolgicos e sociais to ferozes que s vezes pare-ce que esses ataques vem da-queles moleques que sentavam no fundo da sala e no davam a mnima para ele.

    No Japo, o professor (jun-to com o lutador de Sumo) so os nicos que no precisam se curvar perante o imperador, o mesmo Japo que aps a de-vastao das bombas atmicas que os USA jogaram em seu territrio, deu nfase edu-cao para as novas geraes, visando o futuro e no a tem-poralidade da desgraa ps fim guerra mundial, aqui a gente da paulada, cacetada, joga bomba de gs lacrimogneo, da tiro de borracha e agride-os, apenas porque exigem mais respeito, salas de aulas menos cheias, um salrio que possa combater a inflao.

    Estamos na ptria educa-dora, onde o corte do governo na rea de educao chegou a 9 bilhes, atingindo em cheio programas educacionais e na rea de pesquisas, deixando claro que a educao esta nos ltimos planos do governo, quando analisarmos o repasse do governo para salvar os bancos, cortando investimento tambm nas reas da sade e moradia. Se a reduo dos gas-tos fosse realmente pensando

    na populao, proteger os mais necessitados poderia ter toma-do outros caminhos, como por exemplo, no aumentando a taxa Selic, taxa essa que remu-nera os ttulos da dvida pbli-ca, assim beneficiando somen-te os banqueiros e rentistas nacionais e internacionais (as velhas elites).

    Outro ponto importante nessa questo do relaxo ou descaso, ou mesmo sabotagem intelectual que o Estado vem promovendo contra a educa-o brasileira, que junto ao corte, vem os repasses de verba pblica para instituies priva-das de ensino superior, usando o PROUNI e o FIES, escoa o dinheiro do trabalhador para monoplios de educao pri-vada, atravs de gigantes em-presas como a Kroton, que de to bem sucedidas, em plena crise educacional, possui a 17. Posio na Bovespa, receben-do cerca de 2 bilhes de reais os cofres pblicos (isso fora a iseno de 4 bilhes para es-sas instituies provadas em 2013). Com a somatria de todo esse dinheiro saindo do pblico, indo para o privado, poderia ser criados o dobro de vagas nas universidades fede-rais, podendo aumentar o n-mero de vagas nas federais e nmero de escolas, melhorias nas j existentes e investimen-tos nos professores, no so-mente na questo salarial, fato esse que vergonhoso, tendo em vista que a categoria j perdeu considervel, tendo em vista o no reajuste do msero salrio, e a inflao que coroe

    seus salrios, mas tambm na melhoria do currculo e inte-lectualidade desses professo-res. Mas no... ao invs disso recebem represso, agresses e a passionalidade da maioria da populao que acha que o culpado pela falcia que nos-sa educao, so eles, os que mais sofrem com salas lotadas, alunos desmotivados, pouco salrio, carga horria desuma-na, engessamento da liberdade intelectual entre outras coisas.

    Ento seguem adiante o plano de opresso intelectual para a populao mais pobre, fechando as escolas, remane-jando alunos e fazendo uma verdadeira baguna com a re-organizao das escolas, alm de quase uma centena de es-colas fechadas s no estado de So Paulo, prejudicando diretamente quem no pode pagar por uma escola particu-lar, afastando cada vez mais os pobres das vagas nas univer-sidades publicas, que sempre abrigou os filhos da burguesia, que sempre tiveram melhores escolas no ensino fundamental e mdio, que sempre tiveram cursinhos para os prepararem para tirarem as vagas daque-le que estudou nesse sistema educacional decadente, que se revezava em trabalhar o dia inteiro, correr para a escola na periferia, onde professores desmotivados se misturam com uma realidade social dis-tinta que vai mantendo a classe dominante no topo da cadeia social e deixando claro quem so os donos do jogo.pandadrums@hotmail.com

    4 - COLLAPSE UNDERGROUND ART

  • the redsinestesia

    Por: Carol Bannwart

    Um tema, sem dvida, es-sencial na vida de todo profissional que usa a voz como instrumento de trabalho, obviamente tambm abran-ge reas fora do ramo musi-cal, mas aqui falamos apenas desse. O conhecimento sobre sade vocal, tomando como o foco dessa matria, a higiene, pode te livrar de vrios pro-blemas que enfrentaria se no souber sobre o assunto. Isso frescura! Dizem uns bons revoltados que nadam de bra-ada na ignorncia. Existem excelentes vocalistas que fu-mam, bebem, cheiram coca-na e etc, se ele jovem, um bom entretenimento sdi-co assistir o declnio que est por

Recommended

View more >