colatinenses são cuidados para fugir das dívidas no final ...· cação financeira para evi-tar

Download Colatinenses são Cuidados para fugir das dívidas no final ...· cação financeira para evi-tar

Post on 28-Dec-2018

216 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

1Dirio do NoroesteColatina/ES - Tera-feira, 13 de dezembro de 2016

Dirio do Noroeste Dirio de NotciasJORNAIS ASSOCIADOS: (27) 99619-4996 | 4995CENTRAL DE ATENDIMENTO

cyan magenta amarelo preto

PGINA 07PGINA 02

Colatina-ES - Ano VII - Edio n 1.579 - 08 pginas - Tera-feira, 13 de dezembro de 2016 - e-mail: dn.colatina@yahoo.com.br

Cuidados para fugir dasdvidas no final do anoProfessora do curso de Cincias Contbeis da Faculdade Estcio orienta quecautela e disciplina so fundamentais para no comprometer o oramento

Colatinenses sodestaques noAutomodelismooff Road

Os colatinenses ViniciusDelbem e Roger Zamproniforam destaques no Cam-peonato Capixaba de Au-tomodelismo Off Road.

Vinicius Delbem apschegar em 2 lugar na

ultima etapa realizada nodia neste domingo (11)na UFES, se consagroucampeo capixaba na ca-tegor ia Truggy. RogerZamproni ficou em 3 nacategoria Open.

Final de ano uma poca em que os gastos das famlias aumentam significativamente,seja com a compra de presentes, de roupas novas para as festas, confraternizaes de amigose trabalho, ou com as viagens de frias. A chegada do 13 um estmulo a mais ao consumoe, ciente disso, as lojas parecem seduzir ainda mais os clientes com propagandas e vitrinesatrativas. Neste momento, necessrio ter cautela e muita disciplina para no comear o anoendividado. A coordenadora do curso de Cincias Contbeis da Faculdade Estcio, FabianaSalvador, d algumas dicas de educao financeira para evitar o sufoco. PGINA 03

OS COLATINENSES VINICIUS DELBEM E ROGERZAMPRONI QUE FORAM DESTACA NO CAMPEONATO

CAPIXABA DE AUTOMODELISMO OFF ROAD.

UnidadeEspecializada daPolcia Militarapreende materialirregular de pescaem Regncia

Sicoob ESadministraR$ 5 bilhesem ativos

Dirio do NoroesteColatina/ES - Tera-feira, 13 de dezembro de 2016

2 GeralGeralGeralGeralGeral

FO

NT

E: C

LIM

AT

EM

PO

Sol com muitas nuvensdurante o dia. Perodos de

nublado, com chuva aqualquer hora.

Dolar: R$ 3,34Euro: R$ 3,55Boi gordo: R$ 149,63Caf arbica tipo 7: R$ 461,00Caf Conilon tipo 7: R$ 463,00

Salrio Mnimo: R$ 880,00Global 40: 112,32%TR: 0,21%CDI: 13,64%IPCA: 0,74%

COTAO INDICADORES

Mx:26C Min:21C

Redao / Administrao / Oficinas

Rua Tuff Bouchabki, 2 Trreo Vista da Serra Bairro Moacyr Brotas Colatina/ES.

Cep. 29.708.070 Tels.: (27) 3721-5305 / 9619-4996 / 9619-4995

diariodonoroeste@hotmail.com.br / dn.colatina@yahoo.com.br

Publicao diria. Circulao emtodo o Estado do Esprito Santo

Os conceitos emitidos pelos colaboradores no expressam a opinio do jornal.

Diretor ResponsvelJose Vicente de Paula Mendes

Jornalista DRT/ES 204Fundado em 10/abril/2010

Unidade Especializada daPolcia Militar apreende materialirregular de pesca em Regncia

Neste domingo (11), o Bata-lho de Polcia Militar Ambiental(BPMA), atravs de uma equipede militares da 2 Cia, em Cola-tina, constataram a presena deduas redes de emalhar na Foz doRio Doce, em Regncia, as quaiscontinham 4,5 quilogramas depeixes e nove armadilhas paracapturar caranguejo guaiamum.

Tudo em desacordo com aInstruo Normativa n 195 doIBAMA, que versa sobre o per-odo de defeso (piracema) e aimpossibilidade de desenvolvera atividade de pesca embarca-da em lagoas marginais, tam-pouco a utilizao de determi-nados petrechos, e Decreto Es-tadual 1499R de 13/06/2005,

que versa sobre que o caran-guejo guaiamum uma das es-pcies da fauna silvestre amea-as de extino no Estado doEsprito Santo.

As redes encontradas nosrios fiscalizados encontram-sedentre os petrechos proibidospelo rgo Ambiental Compe-tente. Os militares realizarampoliciamento ostensivo embar-cado nas imediaes, no intui-to de localizar os possveis in-fratores, porm, no lograramxito. Prosseguiram ento como recolhimento das redes, quetotalizaram 80 metros, e das ar-madilhas, destinadas a sede da2 Cia. Os peixes apreendidosficaram sob responsabilidade do

projeto TAMAR.A Polcia Ambiental informa

que considerado pesca todoato tendente a retirar, extrair,coletar, apanhar, apreender oucapturar espcimes dos gruposdos peixes, crustceos, moluscose vegetais hidrbios, suscetveisou no de aproveitamento eco-nmico, ressalvadas as espciesameaadas de extino, cons-tantes nas listas oficiais da faunae da flora. E que podem ser pas-sveis de responsabilizao quemtransporta, comercializa, benefi-cia ou industrializa espcimes pro-venientes da coleta, apanha epesca proibidas, alm de quemefetivamente realiza a atividadede pesca em perodo de defeso.

Bicicletas humanizam as cidadesJoo Baptista Herkenhoff (*)

Devido ao grande aumento do nmero de carros, a bicicletaexige hoje, nas cidades mdias e grandes, a construo de ciclo-vias. Elas garantem a segurana do ciclista e evitam acidentes.

Alm dos benefcios que proporciona sade, a bicicleta um transporte baratssimo, pois no consome combustvel.

Facilitar e incentivar o uso da bicicleta, como transporte alter-nativo, providncia que deve ser valorizada, se pensamos empolticas pblicas centradas em referenciais de humanismo.

O ciclismo faz bem sade. A bicicleta reclama do ciclistapostura correta, participao das pernas na pedalagem e dosbraos no manejo do volante, alm de respirao correta e aten-o. O ciclismo oxigena o crebro, constitui passatempo para oesprito, desenvolve a inteligncia.

Andar de bicicleta lembra-me a infncia em Cachoeiro de Ita-pemirim. Ruas com calamento de paraleleppedos, poucos car-ros, nenhum motorista correndo. Trnsito realmente humano,quase diria trnsito fraterno. A convivncia entre carros e bici-cletas era absolutamente tranquila.

Em pases adiantados e cultos, como a Frana, o ciclismo um esporte que desfruta da adeso de altssimo percen-tual da populao. No Brasil, temos tambm cidades de ci-clistas, como Joinville, em Santa Catarina, Santos, em SoPaulo, e Aracaju, em Sergipe.

Se praticado em grupo, o ciclismo , no caso dos jovens, umvalioso instrumento de socializao e, no caso dos idosos, umremdio contra a solido.

Temos de resistir ao modelo social que elege as metas sim-plesmente econmicas como as essenciais, fazendo do ser hu-mano mero instrumento e produto da Economia. Foras pode-rosas tentam, de maneira subreptcia, introduzir esse paradigmano inconsciente coletivo. Seremos tragados se no estivermosatentos para nos defender da lavagem cerebral.

A essa viso equivocada, que se funda numa deformaotica inaceitvel, temos de opor a ideia de que o homem oarquiteto e o destinatrio da Histria.

(*) Magistrado aposentado (ES) e escritor. Acaba de publi-car: A F e os Direitos Humanos (Porto de Ideias Editora, SoPaulo). Tem ministrado Cursos de Hermenutica Jurdica e deDireitos Humanos, de curta durao, no Esprito Santo e fora

do Estado. - E-mail: jbpherkenhoff@gmail.com - Site:www.palestrantededireito.com.br

3Dirio do NoroesteColatina/ES - Tera-feira, 13 de dezembro de 2016

Geral

Cuidados para fugir dasdvidas no final do anoProfessora do curso de Cincias Contbeis da Faculdade Estcio orienta quecautela e disciplina so fundamentais para no comprometer o oramento

Alessandra Fornazier

Final de ano uma po-ca em que os gastos dasfamlias aumentam significa-tivamente, seja com acompra de presentes, deroupas novas para as fes-tas, confraternizaes deamigos e trabalho, ou comas viagens de frias. A che-gada do 13 um estmu-lo a mais ao consumo e,ciente disso, as lojas pare-cem seduzir ainda mais osclientes com propagandase vitrines atrativas. Nestemomento, necessrio tercautela e muita disciplinapara no comear o anoendividado. A coordenado-ra do curso de CinciasContbeis da FaculdadeEstcio, Fabiana Salvador,d algumas dicas de edu-cao financeira para evi-tar o sufoco.

Segundo Fabiana, normal que no final do anoas pessoas queiram presen-tear, mas importante pla-nejar as compras com an-tecedncia, pesquisar ospreos, fazer cotaes enegociar descontos. possvel obter de 5% a15% de desconto em com-pras realizadas vista. Ascompras pela internet tam-bm podem ser uma boaopo, pois normalmenteapresentam preos inferi-ores aos das lojas e o con-sumidor no precisa sequersair de casa, ressalta.

Antes de sair s com-pras, a professora alertaque o consumidor deveconhecer bem seus gan-hos e suas despesas, pre-ferencialmente elaborando

uma planilha. Ou seja, deveverificar os itens que real-mente precisa e no com-prar por impulso para, maistarde, se deparar com d-vidas que no conseguepagar.

Outra dica importante de como utilizar o 13salrio. Quem possui dvidasdeve aproveitar esse recu-so para quit-las e reservarparte dele para as despe-sas de incio de ano, comoIPTU, IPVA, matrcula ematerial escolar. No sedeve gastar tudo, poisnunca se sabe se um im-previsto surgir. Se elepuder ser reservado, melhor, pois assim poss-vel aproveitar os descon-tos que normalmente sooferecidos nos pagamen-tos de impostos comoIPTU, IPVA e seguro doveculo em cota nica (vista). O parcelamentodessas despesas deveocorrer somente se o con-sumidor no tiver recursosdisponveis.

Ao fazer compras, oideal dar preferncia parao pagamento vista, evi-tando o uso do carto decrdito e do cheque espe-cial. Se o uso do carto decrdito for necessrio, oconsumidor deve ter cui-dados com o parcelamen-to de compras, pois algu-mas so realizadas com ju-ros. Ao receber a fatura,