COERÊNCIA TEXTUAL

Download COERÊNCIA TEXTUAL

Post on 22-Jan-2016

15 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

COERNCIA TEXTUAL. Profa. Dbora Ferreira. E TUDO MUDOU. E tudo mudou O rouge virou blush O p-de-arroz virou p-compacto O brilho virou gloss O rmel virou mscara incolor A Lycra virou stretch Anabela virou plataforma. - PowerPoint PPT Presentation

TRANSCRIPT

  • COERNCIA TEXTUAL

    Profa. Dbora Ferreira

  • E TUDO MUDOU...

    E tudo mudou O rouge virou blush O p-de-arroz virou p-compacto O brilho virou gloss O rmel virou mscara incolor A Lycra virou stretch Anabela virou plataforma

  • O corpete virou porta-seios Que virou suti Que virou lib Que virou silicone

  • A peruca virou aplique, interlace, megahair, alongamento A escova virou chapinha "Problemas de moa" viraram TPM Confeti virou MM A crise de nervos virou estresse A chita virou viscose.

  • Ping-Pong virou Babaloo O -la-carte virou self-service A tristeza, depresso O espaguete virou Miojo pronto A paquera virou pegao A gafieira virou dana de salo O que era praa virou shopping A areia virou ringue A caneta virou teclado

  • O long play virou CD A fita de vdeo DVD O CD j MP3 um filho onde ramos seis

  • O lbum de fotos agora mostrado por e-mail O namoro agora virtual A cantada virou torpedo E do "no" no se tem medo O break virou street O samba, pagode O carnaval de rua virou Sapuca O folclore brasileiro, halloween O piano agora teclado, tambm O forr de sanfona ficou eletrnico

  • A AIDS virou gripe A bala antes encontrada agora perdida A violncia est coisa maldita! A maconha calmante O professor agora o facilitador As lies j no importam mais A guerra superou a paz E a sociedade ficou incapaz De tudo. Inclusive de notar essas diferenas. Luis Fernando Verssimo

  • Mas o que coerncia? A coerncia (do latim cohaerentia, ligao, nexo, harmonia entre dois fatos ou idias) tem a ver, basicamente, com as condies para o estabelecimento de um sentido para dada estrutura textual em um determinado contexto, ou seja, aquilo que confere textualidade a construo textual.

  • TextualidadeA fim de que um dado texto seja considerado coerente, necessrio que fatores de coerncia (ou de textualidade) sejam mobilizados, vejamos alguns...

  • Conhecimento de mundo

    O nosso conhecimento de mundo desempenha um papel decisivo no estabelecimento da coerncia: se o texto falar de coisas que absolutamente no conhecemos, ser difcil configurar uma unidade de sentido para o mesmo

  • Balada do amor atravs das idadesEu te gosto, voc me gostadesde tempos imemoriais.Eu era grego, voc troiana,troiana mas no Helena.Sa do cavalo de paupara matar seu irmo.Matei, brigamos, morremos

  • Virei soldado romano, perseguidor de cristos.Na porta da catacumbaencontrei-te novamente.Mas quando vi voc nuacada na areia do circoe o leo vinha vindo, dei um pulo desesperadoe o leo comeu ns dois.

  • Depois (tempos mais amenos)fui corteso de Versaillesespirituoso e devasso,Voc cismou de ser freira...Pulei muro de conventomas complicaes polticasnos levaram guilhotina.

  • Hoje sou moo moderno,remo, pulo, dano, boxo,

    tenho dinheiro no banco.Voc uma loura notvel,boxa, dana, pula, rema.Seu pai que no faz gosto.Mas depois de mil peripcias,eu, heri da Paramount,te abrao, beijo e casamos.

    DRUMMOND DE ANDRADE, Carlos. Obra Completa. RJ:Jos Aguilar, 1972)

  • Inferncia

    a operao pela qual, utilizando seu conhecimento de mundo, o interlocutor (leitor/ouvinte) de um texto estabelece uma relao no explcita entre elementos do universo textual.

  • Fatores de contextualizao

    Os fatores de contextualizao so aqueles que determinam uma situao comunicativa para o texto. Ex.: data, local, assinatura, elementos grficos, timbre, carimbo, etc. Entre os fatores grficos, temos: disposio na pgina, ilustraes, fotos, localizao no jornal (caderno, pgina

  • Intertextualidade

    A intertextualidade diz respeito s relaes de semelhana e/ou diferena estabelecidas entre os textos, seja na forma, seja no contedo.

  • STIO Vendo. Barbada. tima localizao. gua vontade. rvores frutferas. Caa abundante. Um paraso. Antigos ocupantes despejados por questes morais. Ideal para casal de mais idade. Negcio de pai para filhos. Tratar com Deus.

  • CRUZEIRO- Procuram-se casais para um cruzeiro de 40 dias e 40 noites. tima oportunidade para fazer novas amizades, compartilhar alegre vida de bordo e preservar a espcie. Trazer guarda-chuva. Tratar com No.

  • Focalizao

    A focalizao tem a ver com a concentrao dos interlocutores em apenas uma parte do seu conhecimento e com a perspectiva da qual so vistos os componentes do mundo textual. No ensino de redao, quando dizemos ao aluno que deve delimitar o assunto e estabelecer um objetivo para o seu texto, estamos, na verdade, levando-o a focalizar o tema de um determinado modo.

  • ESTILO DE CADA UMVrias pessoas descrevendo um lago, segundo suas profisses:

    O ADVOGADO Aquelas guas meritssimas se espairavam delituosamente pelas margens. O inocente lago defendia-se assim, legitimamente, da floresta, que revelia, desembargava suas rvores pelos arredores sem nenhuma apelao. No alto, as montanhas, com suas togas de neve revestindo o cimo.

  • O MDICO Aquele lago me deixou um diagnstico. Sua beleza era selvagem como uma crise aguda e suas guas viviam permanentemente em estado de coma. O vento, como um bisturi, cortava a superfcie das guas escarlatinadas pelo mercrio que cobria todo o cu ao pr-do-sol.

  • O HIPPIE Entende... era um negcio legal. Aquele lago muito na sua, curtindo um vale cheio de ervas, sacou? O vento transava pela cuca das rvores no baratino mais legal.

Recommended

View more >