coerência e coesão textual

Download Coerência e coesão textual

Post on 03-Jul-2015

1.169 views

Category:

Documents

7 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

Coerncia e coeso textual Coeso: Ligao, de natureza gramatical ou lexical, entre os elementos de uma frase ou de um texto. constituda por um conjunto de elementos que ligam ideias e retomam dados que j foram ou sero mencionados. Coerncia: Harmonia entre situaes, acontecimentos ou idias dentro de um texto. fator determinante para seu total entendimento

Texto 1 Marcelo deveria fazer o trabalho de portugus. O trabalho de portugus deveria ser entregue na segunda-feira. Marcelo viajou no final de semana. Marcelo no teve tempo para fazer o trabalho. O trabalho no pde ser entregue a tempo. Marcelo no obteve nota.

Texto 2 Marcelo deveria fazer o trabalho de portugus para entregar na segunda-feira. Porm, ele viajou no final de semana e (ele) no teve tempo para fazer (o trabalho) e entreg-lo a tempo. Portanto, (o rapaz) no obteve nota.

O texto 1 coerente porque notamos uma ordenao das idias em uma seqncia lgica, possibilitando seu entendimento. Porm h uma notada ausncia de elementos coesivos, fazendo com que o texto se torne pobre e maante. Geralmente este tipo de construo caracterstico de crianas ou pessoas que no dominam a lngua com eficincia. O texto 2 remonta o texto 1 usando elementos de coeso, dentre eles: pronomes relativos, conjunes, substituio por sinnimos e elipses. Veremos mais detalhes sobre elementos de coeso a seguir.

Coeso A coeso textual formada basicamente por conectivos, pr-formas, substituio por sinnimos e elipse. Vejamos a seguir: PR-FORMAS As pr-formas so os elementos que s possuem sentido no texto. Fora dele este elemento seria vazio de significado. Exemplo disso seria os pronomes pessoais, demonstrativos e relativos. Vejamos seu emprego no texto: Marcelo deveria fazer o trabalho de portugus para entregar na segunda-feira. Porm, ele viajou no final de semana e no teve tempo para fazer e entreg-lo a tempo. Portanto, o rapaz no obteve nota

Advrbios

SINNIMOS

A troca de elementos por sinnimos tambm uma boa estratgia de coeso. Entre vocbulos de uma lngua existe uma relao de significados chamada hiponmia, determinando o grau de especificidade entre eles. Ex.: mesa est numa relao de hiponmia com mvel. Quando o termo mais genrico chamamos de hipernimo. Ex.: para carro teramos os hipernimos: automvel, veculo, conduo, etc. Quando o termo mais especfico chamamos de hipnimo. Ex.: para automvel teramos os hipnimos: carro, van, caminho, nibus, etc.o Temos Marcelo foi retomado por seu hipernimo rapaz

ElpseA elipse consiste na omisso de um termo j citado ou desnecessrio. Tambm um elemento de coeso. No texto, note o emprego da elipse lendo sem mencionar o que est entre parnteses: Marcelo deveria fazer o trabalho de portugus para entregar na segunda-feira. Porm, ele viajou no final de semana e (ele) no teve tempo para fazer (o trabalho) e entreg-lo a tempo. Portanto, (o rapaz) no obteve nota. Note que no houve perda do significado e o texto ficou mais dinmico

ConectivosNos exemplos usamos os conectivos para ligar ideias dentro de uma frase. Mas eles tambm so usados para ligar frases em um texto. Voltando ao texto 2 teramos, alm dos outros conectivos, o caso de Porm e Portanto ligando frases. Marcelo deveria fazer o trabalho de portugus para entregar na segunda-feira. Porm, ele viajou no final de semana e no teve tempo para fazer e entreg-lo a tempo. Portanto, o rapaz no obteve nota.

Ordenadores

Reescreva o texto abaixo usando elementos de coeso. Substituindo as palavras repetidas por hipnimos ou hipernimos, usado pronomes ou elipses, etc.

Tiago comprou um carro. Tiago saiu da loja dirigindo o primeiro carro de sua vida e Tiago andou pela cidade para mostrar o carro aos seus amigos. Quando Tiago chegou em casa, sua famlia veio ver o carro que Tiago comprou e o pai de Tiago encheu Tiago de conselhos.

Um bom texto sustenta-se tambm no campo das relaes lgicas de ideias, aproximando, assim, a coeso da coerncia. Tanto no plano da articulao de estruturas e relaes gramaticais e semnticas ( plano mais material- coeso), quanto no plano da articulao de relaes lgicas de ideias ( plano mais abstrato- coerncia), o objetivo produzir um texto amarrado . Coerncia , ento, a amarrao entre as ideias que fazem parte de um texto.

CoernciaPela manh recebi uma carta repleta de conselhos. Era uma carta em branco e no liguei para os conselhos j que os conselhos no interessam para mim pois sei cuidar de minha vida. S a coeso no basta para tornar um texto compreensvel e efetivo no processo comunicativo : era uma carta em branco repleta de conselhos! (coerente num conto ligado a realismo fantstico)