código de conduta

Download código de conduta

Post on 17-Feb-2015

12 views

Category:

Documents

4 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

<p>samarcoCDIGO DE CONDUTA</p> <p>REVISO 3 AGOSTO/2006</p> <p>APRESENTAO</p> <p>Cdigo de Conduta Samarco</p> <p>Como em anos anteriores, a Samarco apresenta a empregados, parceiros e demais partes interessadas seu Cdigo de Conduta, elaborado segundo os princpios da Cincia da tica. Este documento foi objeto de criteriosa reviso, na busca de adequ-lo, cada vez mais, s necessidades da Empresa e das pessoas e instituies a ela ligadas. Esta terceira reviso responde ao propsito, expresso na edio anterior, de ajust-lo dinmica da vida de uma empresa em constante mobilidade. O presente Cdigo de Conduta reafirma o compromisso da Empresa com uma conduta tica em seus relacionamentos internos e externos, como tambm um indicador para seus empregados do que se espera deles em busca de relaes cada vez mais harmnicas e, conseqentemente, mais eficientes.</p> <p>4</p> <p>Permanece a proposta da Samarco de promover constantemente o aperfeioamento de seus empregados e parceiros, ao mesmo tempo que espera destes a renovao de seu compromisso com o cumprimento das diretrizes aqui expressas. Atenciosamente, Ricardo Vescovi de AragoDiretor de Operaes</p> <p>Paulo Jos Barros RabeloDiretor de Desenvolvimento e Planejamento Estratgico</p> <p>Roberto Lcio Nunes de CarvalhoDiretor Comercial</p> <p>Jos Tadeu de MoraesDiretor-Presidente</p> <p>5</p> <p>NDICEPrincpios Gerais Relaes com Clientes Relaes com Fornecedores e Contratadas Relaes com Acionistas Relaes com Comunidades e Meios de Comunicao Relaes com Sindicatos Relaes com Empregados - Recrutamento, seleo, promoo - Desempenho, educao e treinamento - Relacionamento no trabalho - Atividades conflitantes - Remunerao - Proteo de informaes privativas do empregado - Uso e proteo de bens e equipamentos Finanas / Operaes Financeiras e Compromissos Financeiros Tecnologia da Informao Tecnologias e Propriedade Intelectual Meio Ambiente, Higiene, Sade, Segurana Diretrizes Gerais - Cumprimento das leis - Relacionamento com o governo, rgos governamentais e partidos polticos - Incitamento financeiro - Pagamento de intermediao - Prmios, presentes e brindes - Servios no exterior Consideraes Finais - Relativas ao Cdigo de Conduta Samarco - Definio de tica Empresarial - Gesto deste Cdigo de Conduta Samarco Contatos com a Samarco e seus Acionistas Termo de Compromisso 6 7 7 9 11 12 13 14 14 15 15 16 18 19 20 21 21 22 24 26 26 26 27 28 28 30 31 31 32 33 35 37</p> <p>1</p> <p>PRINCPIOS GERAIS</p> <p>1.1 Todas as pessoas so fundamentalmente livres e tm direito individualidade, privacidade e a tratamento digno e justo, sem discriminao de qualquer natureza. 1.2 A conduta da Samarco e de seus empregados deve orientar-se pelos valores advindos dos seguintes princpios: respeito, igualdade, honestidade, lealdade, confiana, cooperao, justia, transparncia, responsabilidade, qualidade, integridade, comprometimento e compromisso com a verdade. 1.3 A Samarco tem o compromisso de manter uma postura ntegra nos relacionamentos e de desenvolver uma liderana tica em toda a Empresa, estabelecendo o equilbrio entre interesses de todas as partes.</p> <p>2</p> <p>RELAES COM CLIENTES</p> <p>2.1 As relaes com clientes incluem atos, operaes, negcios ou transaes comerciais, bem como as aes posteriores concretizao das operaes, realizados diretamente pela Samarco ou por seus representantes. A conduta nas relaes com clientes deve orientar-se pelos seguintes princpios bsicos: 2.1.1 Respeito mtuo e honestidade nas negociaes.7</p> <p>2.1.2 Verdade e clareza nas informaes sobre caractersticas dos produtos e servios. 2.1.3 Adequao do produto ou servio demanda do cliente. 2.1.4 Observncia das leis locais e internacionais. 2.2 A Samarco poder encerrar qualquer relao de negcio sempre que seus interesses deixarem de ser atendidos ou quando essa relao representar risco para a sociedade ou para o meio ambiente. 2.3 Uso de servios de terceiros e de representantes. 2.3.1 As prticas comerciais de determinados pases podem requerer o servio de terceiros que representem os interesses da Samarco. Esses representantes devero ser cuidadosamente selecionados para evitar prejuzos reputao da Samarco, bem como sanes contra ela. 2.3.2 As seguintes precaues devero ser tomadas no processo de contratao de representantes: 2.3.2.1 Verificao da reputao e qualificaes, rejeitando-se representantes com histrico de prticas comerciais imprprias ou com ligaes que possam influenciar indevidamente a tomada de decises. 2.3.2.2 Aceitao e prtica do Cdigo de Conduta Samarco pelos representantes.8</p> <p>2.3.2.3 Atendimento das exigncias legais que regem o uso do servio de representantes no pas. 2.3.2.4 Monitoramento da conduta empresarial e do desempenho comercial do representante. 2.3.2.5 Procedimento que possibilite uma rpida resciso de contrato em caso de desempenho inadequado ou ineficiente. 2.3.3 O esclarecimento sobre quaisquer dvidas quanto ao alinhamento do contrato com os critrios acima deve ser solicitado ao Ouvidor da Samarco.</p> <p>3</p> <p>RELAES COM FORNECEDORES E CONTRATADAS</p> <p>3.1 As relaes com fornecedores, inclusive com aquelas empresas que prestam servio dentro das dependncias da Samarco, chamadas Contratadas, devem pautar-se pelo respeito mtuo e pela honestidade. Atos, operaes, negcios ou transaes devem subordinar-se aos princpios legtimos da livre concorrncia, em consonncia com as leis e com os princpios a seguir: 3.1.1 Qualquer fornecedor tem o direito de pleitear cadastramento, devendo ser avaliado de acordo com as orientaes da Gerncia Geral de Suprimentos da Samarco. 3.1.2 Os fornecedores qualificados devem receber tratamento igualitrio em todas as etapas do processo de licitao.9</p> <p>3.1.3 As negociaes com fornecedores de bens e servios devem orientar-se pelos seguintes parmetros: 3.1.3.1 Fornecedores em situaes equivalentes ou similares devem receber o mesmo tratamento e ter as mesmas oportunidades. Qualquer restrio deve ter embasamento tcnico-profissional slido. 3.1.3.2 Itens de controle contratuais devem ser definidos de modo a assegurar o atendimento s auditorias internas e aos seus respectivos planos de ao. 3.1.3.3 As obrigaes assumidas entre as partes devem ser cumpridas integralmente. 3.1.3.4 A compra de materiais ou servios no poder envolver empresas das quais participe parente, at segundo grau, de empregado da Samarco envolvido no processo de licitao. 3.2 A Samarco exige de seus fornecedores clareza na caracterizao dos produtos e servios, favorecendo a aquisio que melhor atenda s suas necessidades. 3.3 A Samarco seletiva na escolha de fornecedores e poder encerrar uma relao de negcio sempre que houver prejuzo de seus interesses ou desconsiderao das questes legais, tributrias, de meio ambiente e de segurana do trabalho.</p> <p>10</p> <p>3.4 A Samarco busca, sistematicamente, assegurar o pleno atendimento aos compromissos assumidos. 3.5 Disposies quanto confidencialidade devero estar inclusas em contratos celebrados com empresas de consultoria, empreiteiros e outras que forneam servios Empresa.</p> <p>4</p> <p>RELAES COM ACIONISTAS</p> <p>4.1 A Samarco considera justo e importante proporcionar retorno adequado ao investimento dos acionistas. 4.2 Observadas as prescries legais, todos os acionistas e investidores tm ampla e igual informao sobre o que possa afetar seu investimento. 4.3 Os empregados devem guardar sigilo sobre ato ou fato confidencial ao qual tenham acesso, salvaguardando interesses da Samarco e de seus acionistas, no podendo utilizar essas informaes para a obteno de vantagens para si ou para outros.</p> <p>5</p> <p>RELAES COM COMUNIDADES E MEIOS DE COMUNICAO</p> <p>5.1 O compromisso da Samarco com a cidadania transcende os limites das relaes profissionais. O respeito s pessoas e</p> <p>11</p> <p>s instituies cidads, governamentais e no-governamentais, orienta as relaes da Samarco com as comunidades onde est presente. 5.2 Doaes, patrocnios e outras formas de apoio ao desenvolvimento e melhoria das condies de vida das comunidades devem ser praticados conforme diretrizes de sustentabilidade, engajamento e voluntariado. 5.3 O relacionamento da Samarco com a imprensa e demais meios de comunicao baseia-se na confiana e no respeito mtuos. Ao divulgar informaes nos meios de comunicao, a Samarco busca dar visibilidade as suas prticas de desenvolvimento sustentvel e de responsabilidade social e fortalecer sua imagem nos campos institucional e mercadolgico. 5.4 A comunicao e a publicidade da Samarco regem-se pela observncia da legislao, dos cdigos profissionais e dos preceitos ticos, devendo, portanto, haver clareza na divulgao das caractersticas da Empresa, de seus produtos e servios. 5.5 A Samarco possui uma rea especfica e pessoas autorizadas para o relacionamento com os rgos de comunicao, s quais cabe a responsabilidade de divulgar informaes relativas s suas atividades. proibido, portanto, pessoas no autorizadas realizarem contato com a imprensa em nome da Samarco.12</p> <p>5.6 Empregados da Samarco, quando convidados a fazer discursos, palestras ou a publicar artigos que contenham tpicos relacionados Empresa devero ter seus textos previamente aprovados pela sua chefia. 5.7 A veiculao de informaes inverdicas, incorretas ou sigilosas sobre assuntos relevantes da Samarco constitui falta grave.</p> <p>6</p> <p>RELAES COM SINDICATOS</p> <p>6.1 A Samarco reconhece as entidades sindicais como representantes legais dos empregados e empenha-se em buscar, por meio de negociao realizada com respeito e responsabilidade, o melhor acordo entre os interesses destes e os da Empresa. 6.2 A sindicalizao livre na Empresa e no se permite discriminao aos empregados sindicalizados. Entretanto, a conciliao entre os interesses da Empresa e os dos empregados de responsabilidade das chefias. 6.3 A disposio da Samarco para o dilogo torna a greve o ltimo e extremo recurso, aps esgotadas todas as propostas de soluo possveis. Atos incompatveis com a liberdade dos indivduos e com os princpios de uma sociedade organizada sero apurados e punidos pela Samarco, em respeito segurana de seus empregados e de seu patrimnio.</p> <p>13</p> <p>7</p> <p>RELAES COM EMPREGADOS</p> <p>7.1 O relacionamento com os empregados consolida-se nas decises de trabalho, envolvendo as prticas e as aes de administrao e gesto de pessoas, tais como recrutamento, seleo, contratao, promoo, gesto de desempenho, educao e treinamento, remunerao, resciso contratual e qualquer outra, inerente atividade profissional. A Samarco procura adotar prticas de gesto eficazes no atendimento deste Cdigo. 7.2 Recrutamento, seleo, promoo. 7.2.1 Em quaisquer desses processos, o candidato deve ser cuidadosamente avaliado quanto aos requisitos exigidos para o cargo, sem discriminao de raa, crena, idade, sexo, nacionalidade, estado civil, orientao sexual ou por ser portador de necessidades especiais. 7.2.2 Parentes de empregados devem concorrer em igualdade de condies com os demais candidatos, no se admitindo, contudo, a subordinao direta entre cnjuges, avs, pais, filhos, irmos, sogros, genros, noras e cunhados. 7.2.3 No preenchimento de vagas, a Samarco considera o aproveitamento de pessoal interno uma forma de propiciar oportunidade de crescimento profissional e se compromete a divulgar internamente as vagas existentes, a menos que haja candidato interno j definido.14</p> <p>7.3 Desempenho, educao e treinamento. 7.3.1 A Empresa segue critrios de avaliao orientados por competncias, conhecimentos e habilidades definidos no Manual de Gesto de Pessoas por Competncias. O empregado tem o direito de saber como est o seu desempenho e de conhecer o resultado da sua avaliao. Cabe ao chefe avali-lo, orient-lo individualmente e fornecer-lhe informaes que favoream o seu crescimento profissional. Considera-se o elogio uma forma de orientao do desempenho e de reconhecimento do esforo e da capacidade do empregado. Eventuais erros devem ser tratados com compreenso e orientao construtiva; a repetio de erros resultantes de descuido, negligncia ou falta de interesse deve merecer rigorosa correo. uma boa prtica elogiar em pblico e advertir em particular. 7.3.2 O empregado deve conhecer suas responsabilidades, sendo considerada atribuio da Empresa e do empregado a aquisio de conhecimentos, habilidades e atitudes necessrios ao bom desempenho de sua funo. 7.4 Relacionamento no trabalho. 7.4.1 compromisso da Samarco orientar o relacionamento com os empregados pelo profissionalismo, tendo como referncia os seguintes princpios:</p> <p>15</p> <p>7.4.1.1 Os relacionamentos no trabalho devem orientar-se pela confiana, honestidade, integridade, imparcialidade e respeito mtuo. 7.4.1.2 No se admitem preconceitos e discriminaes de qualquer natureza (credo religioso, convico filosfica ou poltica, nacionalidade, sexo, idade, cor, estado civil, orientao sexual, deficincia). 7.4.1.3 A busca de conciliao entre interesses da Samarco e do empregado deve ocorrer, prioritariamente, por meio do dilogo, na relao direta das chefias com os subordinados. No se permitem prticas abusivas contra os empregados, como assdio sexual, arrogncia, presses, intimidaes ou ameaas. 7.4.1.5 A preservao da sade e da integridade fsica prioritria em relao aos interesses econmicos. 7.5 Atividades conflitantes. 7.5.1 Os empregados devem empenhar-se no atendimento aos interesses da Samarco, sendo de propriedade da Empresa os resultados de seu trabalho, inclusive os de natureza intelectual, tais como idias de melhorias tcnicas, inventos de dispositivos e similares. 7.5.2 Os empregados tm o dever de lealdade Empresa e de comprometimento com os objetivos, princpios e normas estabelecidos.16</p> <p>7.5.2.1 No permitido aos empregados o exerccio de atividades conflitantes com os interesses da Samarco. 7.5.2.2 Atividades que no concorram com o tempo a ser dedicado Samarco e no gerem conflito de interesses no sofrem objeo por parte da Empresa. 7.5.2.3 Atividades de trabalho voluntrio so autorizadas e apoiadas pela Empresa. 7.5.2.4 Os empregados no devero prestar consultoria ou ocupar cargo em organizaes que realizem negcios com a Samarco, mesmo fora do horrio de trabalho, se o cargo que ocupam na Empresa lhes confere poder de influenciar transaes ou lhes permite acesso a informaes que possam representar conflito de interesses. 7.5.2.5 Os empregados, tendo em vista o seu bem-estar e a preservao das condies ideais de segurana, no so incentivados a ter um segundo emprego ou seu prprio negcio. O empregado que estiver exercendo ou se propuser a assumir funo externa Samarco, remunerada ou no, dever informar tal situao, por escrito, sua chefia. 7.5.2.6 So proibidos vnculos societrios e comerciais, pessoalmente ou por intermdio de familiares, com parceiros de negcio e concorrentes da Empresa.</p> <p>17</p> <p>7.5.2.7 A simples posse de aes de outra empresa no gera conflito de interesses, a no ser no caso em que as aes sejam de empresa com a qual a Samarco mantenha relaes comerciais e o empregado tenha poder de influenciar decises. 7.5.2.8 O empregado no dever ocupar cargo cujo exerccio possa influenciar as condies de emprego (distribuio de tarefa, remunerao etc) ou a avaliao do desempenho de familiares. 7.5.2.9 Durante a jornada de trabalho, assuntos de inter...</p>