Código de Conduta do Grupo REN ?· A REN pretende que o presente Código de Conduta constitua um elemento…

Download Código de Conduta do Grupo REN ?· A REN pretende que o presente Código de Conduta constitua um elemento…

Post on 12-Dec-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

TRANSCRIPT

Cdigo de Conduta do Grupo REN

Edio: 4 Pgina 2 de 16 Data: 03/05/2018

NDICE

CAPTULO I. OBJETO, E MBITO DE APLICAO 4

CAPTULO II. PRINCPIOS GERAIS 5

CAPTULO III. RELACIONAMENTO COM O EXTERIOR 10

CAPTULO IV. RELAES INTERNAS 14

CAPTULO V. APLICAO 15

CAPTULO VI. DIVULGAO 17

Edio: 4 Pgina 3 de 16 Data: 03/05/2018

Grupo REN

CDIGO DE CONDUTA

O presente Cdigo de Conduta estabelece o conjunto de princpios e valores e regras de tica e

de conduta profissional a observar por todos os colaboradores e membros dos rgos sociais da

REN Redes Energticas Nacionais, SGPS, S.A. (REN SGPS) e de empresas controladas, direta

ou indiretamente, por aquela (adiante abreviada e conjuntamente designadas por Grupo ou

REN), sem prejuzo de outras normas de conduta aplicveis aos mesmos, em virtude do

desempenho das suas funes. O presente Cdigo de Conduta , ainda, aplicvel aos

procuradores, mandatrios e prestadores de servio que estejam de alguma forma titulados

para agir em nome e/ou representao da REN. Os demais prestadores de servios e

fornecedores da REN so, igualmente, convidados a aderir aos princpios constantes deste

Cdigo. Os fornecedores, em particular, devem ainda subscrever o Cdigo de Conduta do

Fornecedor do Grupo REN.

A responsabilidade social da REN determina igualmente a aplicao do princpio da

sustentabilidade na sua tripla dimenso econmica, social e ambiental como valor

orientador de todas as atividades e numa tica de longo prazo.

A REN tem implementado continuamente uma poltica de valorizao e capacitao do seu ativo

mais significativo, os recursos humanos, nomeadamente atravs de processos contnuos e

acompanhados de qualificao tendentes aquisio de amplas competncias profissionais, do

permanente ajustamento da dimenso dos meios ao resultado econmico-financeiro

pretendido e de um esforo de reconhecimento das especificidades geogrficas e territoriais.

A poltica de recursos humanos da REN aposta na atualizao permanente de conhecimento, na

tica, no desenvolvimento do potencial e na motivao, incentivando a flexibilidade e a

adaptabilidade e promovendo o mrito, a competncia, a participao e o empenho. Neste

contexto, a REN tem implementado uma slida estrutura de carreiras e de benefcios sociais,

incluindo no domnio da formao, da sade, da previdncia e das penses de reforma.

O Cdigo de Conduta da REN pretende constituir uma referncia, no que respeita aos padres

de conduta, no relacionamento entre colaboradores e no relacionamento com terceiros,

contribuindo para que a REN seja reconhecida como um exemplo de excelncia, integridade,

responsabilidade e rigor.

Edio: 4 Pgina 4 de 16 Data: 03/05/2018

Grupo REN

CDIGO DE CONDUTA

Captulo I

Objeto e mbito de Aplicao

1.1. Objeto:

A REN pretende que o presente Cdigo de Conduta constitua um elemento enquadrador da

atuao relacional dos colaboradores e outros stakeholders da REN, que reflita a cultura

empresarial do Grupo e constitua uma referncia valorativa para a orientao do

comportamento dos seus colaboradores e de todos os que com ele se relacionam,

assegurando o cumprimento dos padres de tica pelos quais um Grupo como a REN deve

pautar, traduzida e consubstanciada igualmente em relaes de confiana e transparncia

com todos os stakeholders.

1.2. mbito de Aplicao:

A Colaboradores:

O Cdigo de Conduta aplica-se a todos os colaboradores da REN, entendendo-se como tal

todas as pessoas que prestem atividade na REN, nomeadamente membros dos rgos

sociais e trabalhadores.

B Procuradores, mandatrios, prestadores de servio e fornecedores:

a) O presente Cdigo de Conduta tambm divulgado e promovido junto dos

procuradores, mandatrios, prestadores de servio e fornecedores que estejam de

alguma forma titulados para agir em nome e/ou em representao da REN, os quais

devem aderir ao mesmo, ficando obrigados ao seu cumprimento.

Edio: 4 Pgina 5 de 16 Data: 03/05/2018

b) Os princpios estabelecidos neste Cdigo de Conduta devem, ainda, ser comunicados e

recomendados aos demais prestadores de servio e fornecedores da REN, no mbito

das relaes que com eles forem estabelecidas.

c) A aplicao do presente Cdigo de Conduta ou dos seus princpios s pessoas ou

entidades referidas nos nmeros anteriores no prejudica a aplicao simultnea de

outros cdigos de conduta em vigor na REN, como o Cdigo de Conduta do Fornecedor

e os Cdigos de Conduta dos Operadores das Redes Nacionais de Transporte de

Eletricidade e Gs Natural, nos termos e nos casos em que estes forem aplicveis.

d) No so aplicveis aos sujeitos referidos nas alneas anteriores os princpios ou

disposies do presente Cdigo de Conduta que, pela sua prpria natureza, obstem a

essa aplicao.

C Disposies Gerais:

A aplicao do presente Cdigo de Conduta e a sua observncia no impede, nem dispensa

a aplicao de outras regras de conduta ou deontolgicas, de fonte legal ou de qualquer

outra natureza, aplicveis a determinadas funes, atividades ou grupos profissionais.

Captulo II

Princpios Gerais

2.1. Princpios Gerais:

a) No exerccio das suas atividades, funes e competncias, os destinatrios do presente

Cdigo devem atuar tendo em vista a prossecuo dos interesses da REN e o respeito

pelos princpios da legalidade, boa-f, responsabilidade, concorrncia, transparncia,

boa administrao, lealdade, integridade, profissionalismo, salvaguarda de recursos,

conscincia ambiental e confidencialidade, tendo em considerao a misso e as

polticas de qualidade, de ambiente e de segurana em vigor na REN.

b) Os princpios referidos no nmero anterior devem ser especialmente observados no

relacionamento com entidades de regulao e superviso, acionistas, clientes,

proprietrios de terrenos sobrepassados por linhas da Rede Nacional de Transporte,

e/ou pelas condutas de Gs Natural, fornecedores, prestadores de servios, rgos de

Edio: 4 Pgina 6 de 16 Data: 03/05/2018

comunicao social, entidades pblicas e privadas, pblico em geral e nas relaes

internas entre os colaboradores da REN.

2.2. Princpio da Igualdade de tratamento, diversidade e no discriminao:

a) Os destinatrios deste Cdigo no devem adotar comportamentos discriminatrios,

nomeadamente, com base na raa, gnero, idade, incapacidade fsica, orientao

sexual, opinies polticas ou convices religiosas, privilegiando antes o princpio da

igualdade de oportunidades, da diversidade e o mrito individual

b) A REN e os destinatrios deste Cdigo devero pautar a sua atuao pelos mais elevados

padres de integridade e dignidade individual, por forma a ser evitada ou corrigida

qualquer prtica que contrarie os princpios referidos em 1 supra, atribuindo a REN a

todos os colaboradores iguais oportunidades para o desenvolvimento da sua carreira

profissional.

2.3. Diligncia, Eficincia e Responsabilidade:

Os destinatrios do presente Cdigo devem cumprir sempre com zelo, eficincia,

profissionalismo e responsabilidade os encargos e deveres que lhes sejam cometidos no

mbito da sua relao com a REN, devendo o desempenho dos colaboradores da REN ser

avaliado com base no mrito e nos resultados alcanados no exerccio das funes, tendo

em conta o cumprimento dos seus deveres.

2.4. Informao, Dados Pessoais e Confidencialidade:

a) Os destinatrios do presente Cdigo e em especial os colaboradores da REN devem

guardar absoluto sigilo e reserva em relao a amigos, familiares ou quaisquer terceiros

REN de toda a informao de que tenham conhecimento no exerccio das suas

funes, em particular sempre que, pela sua natureza, tal divulgao possa afetar a

imagem, o interesse ou os negcios da REN.

b) Incluem-se no nmero anterior, em particular, a proibio de utilizar informaes de

natureza sigilosa para obter benefcios pessoais (nomeadamente, dados informticos

pessoais ou outros considerados reservados, informao sobre oportunidades de

negcio ou negcios em curso, informao sobre competncias tcnicas, mtodos de

trabalho e de gesto de projetos desenvolvidos pela REN, bem como a informao

Edio: 4 Pgina 7 de 16 Data: 03/05/2018

relativa a qualquer projeto realizado ou em desenvolvimento, cujo conhecimento esteja

limitado aos colaboradores da REN no exerccio das suas funes ou em virtude das

mesmas).

c) Em caso de dvida sobre a natureza da informao de que tenham tomado

conhecimento no exerccio das respetivas funes, os colaboradores da REN devem

guardar sigilo sobre a mesma e procurar obter esclarecimentos junto da Comisso de

Auditoria da REN.

d) Este dever de confidencialidade continua a vincular os seus destinatrios mesmo depois

de estes cessarem as funes em que se tenha fundado a sua adeso a este Cdigo.

e) A REN preocupa-se com a privacidade das pessoas e compromete-se a cumprir

rigorosamente a legislao aplicvel proteo dos dados pessoais. A REN responsvel

pelo tratamento de dados pessoais de colaboradores, clientes, consumidores,

fornecedores e parceiros comerciais. Entende-se por "dados pessoais" todas as

informaes utilizveis para identificar direta ou indiretamente uma pessoa singular,

quando usados independentemente ou combinados com outras informaes.

f) Os destinatrios do presente Cdigo e em especial os colaboradores da REN obrigam-se

a tratar todos os dados pessoais de forma responsvel, cumprindo a legislao aplicvel

e as polticas e procedimentos da REN. Isto significa, nomeadamente, que os dados

pessoais devem ser mantidos em condies de estrita confidencialidade, utilizados

apenas quando necessrio e por quem tenha necessidade de os utilizar no exerccio das

suas funes.

g) Os destinatrios do presente Cdigo e em especial os colaboradores da REN assumem

um papel fundamental na preveno de violaes de dados pessoais e, nessa medida,

devem estar sempre vigilantes em relao a qualquer tratamento no autorizado de

dados pessoais.

h) Sem prejuzo dos direitos e deveres especiais previstos na lei relativamente aos

membros das estruturas representativas dos trabalhadores, os destinatrios do

presente Cdigo, salvo quando se encontrem mandatados para o efeito, devem

respeitar um princpio de discrio e abster-se de emitir declaraes pblicas, por sua

iniciativa ou mediante solicitao de terceiros, nomeadamente quando possam pr em

causa a imagem da REN, em especial fazendo uso dos meios de comunicao social, de

websites, apps, plataformas sociais ou quaisquer outros meios de divulgao.

Edio: 4 Pgina 8 de 16 Data: 03/05/2018

2.5. Relaes profissionais:

a) Sem prejuzo do disposto quanto ao desempenho de determinadas funes ou ao

exerccio de cargos sociais e salvo prvia autorizao do Conselho de Administrao,

nenhum colaborador da REN poder exercer atividade profissional em entidade externa

REN, sempre que o seu exerccio interfira com o cumprimento dos seus deveres na

qualidade de colaborador da REN ou de alguma forma afetar o desempenho ou a

disponibilidade para as funes desempenhadas pelo colaborador na REN.

b) Salvo prvia autorizao da Comisso Executiva, nenhum colaborador da REN poder

exercer atividade profissional em entidades cujo objeto social ou atividade possa colidir,

interferir ou prejudicar os interesses, objetivos e atividades da REN.

c) Os colaboradores da REN devem participar ao Conselho de Administrao da sociedade

do Grupo REN na qual exercem efetivamente funes, a inteno de exercerem

qualquer atividade suscetvel de consubstanciar o incumprimento do disposto nas

alneas a) e b) ou de se configurar com potencial situao de impedimento ou

incompatibilidade com o exerccios das funes que desempenhem na REN em cada

momento.

d) Os colaboradores da REN comprometem-se a no iniciar qualquer atividade que tenha

sido objeto de comunicao nos termos da alnea anterior antes que a REN se pronuncie

sobre a mesma ou que decorra o prazo de 30 dias sobre tal comunicao.

2.6. Lealdade e Imparcialidade:

a) Os colaboradores da REN devem assumir um compromisso de lealdade para com a

mesma, empenhando-se em salvaguardar a sua credibilidade, prestgio e imagem em

todas as situaes, agindo com verticalidade, iseno, empenho e objetividade na

anlise das decises tomadas em nome da REN.

b) No exerccio das suas funes e competncias, os colaboradores da REN devem ter

sempre presentes os interesses da mesma e dos respetivos stakeholders, atuando com

imparcialidade e tica profissional, abstendo-se de comportamentos tendentes ao

favorecimento de terceiros em virtude de interesses prprios ou dos referidos terceiros

e pautando as suas decises pelos mais elevados padres de seriedade e integridade.

c) Os colaboradores da REN devem atuar no estrito cumprimento dos limites das

responsabilidades inerentes s funes que exercem, utilizando os meios que tenham

Edio: 4 Pgina 9 de 16 Data: 03/05/2018

sido colocados sua disposio de modo sensato e racional, e exclusivamente no mbito

e para o efeito do exerccio das suas funes.

2.7. Concorrncia:

A REN observar as regras de mercado, promovendo uma concorrncia leal e evitando a

adoo de qualquer prtica restritiva da concorrncia, procurando igualmente manter

relaes cordiais com os seus concorrentes, privilegiando a honestidade e o respeito mtuo.

2.8. Princpio da transparncia:

a) Os relatrios financeiros, de governo e de sustentabilidade da REN devero ser

elaborados tempestivamente, tendo por base informao verdadeira e descrevendo de

modo transparente a situao, assim como os princpios e polticas seguidos pela REN.

b) Os colaboradores da REN comprometem-se a prestar todos os esclarecimentos

necessrios sobre as suas decises e comportamentos profissionais, comunicando aos

seus superiores hierrquicos quaisquer realidades que possam influenciar

decisivamente a situao financeira, econmica ou social da REN.

2.9. Respeito pela legislao vigente:

a) A REN deve respeitar e zelar pelo cumprimento escrupuloso das normas legais e

regulamentares aplicveis s suas atividades, proporcionando um ambiente saudvel e

seguro aos seus colaboradores e aos restantes stakeholders que com ela se relacionem.

b) Os colaboradores da REN no devem, em nome da empresa e no mbito da sua

atividade, violar qualquer norma legal, recomendao ou instruo de uma autoridade

competente.

c) A REN e os seus colaboradores encontram-se ainda sujeitos a todas as normas ou

diretrizes internacionais relevantes que sejam aplicveis, tais como a Declarao

Universal de Direitos do Homem, as Convenes da Organizao Internacional do

Trabalho e as Diretrizes OCDE para Empresas Multinacionais.

Edio: 4 Pgina 10 de 16 Data: 03/05/2018

2.10. Conflitos de interesses:

a) A preveno e identificao de situaes de conflitos de interesses na REN, bem como

a celebrao de negcios com partes relacionadas, devem obedecer aos trmites

previstos no Regulamento de Apreciao e Controlo de Transaes com Partes

Relacionadas e Preveno de Situaes de Conflito de Interesses da REN, s regras

sobre transaes de instrumentos financeiros emitidos pela REN e aos pargrafos

seguintes.

b) Os colaboradores da REN que, no exerccio das suas funes e competncias, sejam

chamados a intervir em processos ou decises, designadamente, em processos de

concurso, na avaliao e adjudicao de propostas, em que estejam ou possam estar

em causa interesses financeiros ou outros do prprio colaborador ou de pessoas ou

entidades relacionadas com aquele, devem de imediato, comunicar sociedade do

Grupo REN na qual efetivamente exercem a sua atividade profissional a existncia

dessas relaes e abster-se de participar na tomada de decises a esse respeito.

c) Os procuradores, mandatrios e prestadores de servio da REN esto tambm

obrigados a comunicar qualquer situao de conflito de interesses em termos idnticos

aos definidos para os colaboradores, devendo igualmente abster-se de qualquer

comportamento que possa influenciar a tomada de deciso nestes casos.

d) O no cumprimento das disposies dos pargrafos anteriores ser considerado como

uma violao muito grave do presente Cdigo, sem prejuzo de outras sanes

legalmente aplicveis.

2.11. Responsabilidade social empresarial:

a) A REN assume que deve colocar um foco no contributo para o desenvolvimento

sustentvel na sua tripla vertente, ou seja, no mbito do impacto econmico, ambiental

e social das atividades por si desenvolvidas, assumindo todos os colaboradores o

compromisso de agir de acordo com os princpios de responsabilidade social da REN,

visando igualmente ser um agente ativo e participativo na construo do progresso e

bem-estar tanto da prpria REN como das comunidades envolventes.

b) A REN assume o compromisso de repudiar o trabalho infantil ou forado sob a forma de

escravatura, promovendo o respeito pelos direitos humanos, pelo trabalho e liberdade

de associao e participando ativamente em iniciativas de cariz social e cultural,

promovendo uma cidadania mais ativa e responsvel.

Edio: 4 Pgina 11 de 16 Data: 03/05/2018

Captulo III

Relacionamento com o exterior

3.1. Disposies Gerais (relacionamento com terceiros e partes relacionadas):

a) Os colaboradores da REN no devem solicitar, aceitar, dar ou prometer pagamentos,

direta ou por interposta pessoa, nem atuar de modo a favorecer os seus interesses ou

os de terceiros junto de clientes ou fornecedores, sendo proibida toda a prtica de

corrupo, sob qualquer das suas formas. Em especial, os colaboradores da REN no

efetuaro em nome da empresa quaisquer contribuies, monetrias ou em espcie,

para partidos polticos.

b) Os colaboradores da REN devem recusar obter ou disponibilizar informaes atravs de

meios ilegais.

c) Os colaboradores da REN no devem solicitar, aceitar, dar ou prometer qualquer

vantagem patrimonial ou no patrimonial, diretamente ou por interposta pessoa, salvo

o que for expressamente conforme e permitido pelo procedimento estabelecido pela

REN para o efeito.

d) Em particular no que diz respeito a donativos, gratificaes, prendas, brindes ou

quaisquer outras ofertas de terceiros, estes devem ser recusados sempre que existam

suspeitas de que os mesmos pretendem atingir objetivos contrrios aos princpios e

disposies constantes do presente Cdigo de Conduta, nomeadamente quando

constituam tentativas de influenciar a REN ou, em particular, alguma deciso ou

conduta de um dos destinatrios do presente Cdigo.

e) Sem prejuzo do disposto no pargrafo anterior, os colaboradores da REN devem recusar

todas as ofertas de terceiros sempre que as mesmas tenham um valor econmico que

exceda os limites considerados razoveis pelos usos sociais, e, em qualquer caso,

superior a 100,00 (cem euros).

Edio: 4 Pgina 12 de 16 Data: 03/05/2018

3.2. Relaes com os acionistas:

a) Os colaboradores da REN devem pautar a sua atuao pela proteo e defesa dos

interesses dos acionistas, procurando a maximizao de valor para os acionistas assente

na criao sustentvel de valor para os restantes stakeholders da REN.

b) A REN cumprir o dever de informao e assegurar que os seus acionistas tenham um

tratamento justo e no discriminatrio, de acordo com as normas legais e

regulamentares aplicveis e em respeito pelos direitos dos acionistas minoritrios.

c) Deve ser garantido o rigor, a veracidade e a tempestividade da informao prestada aos

acionistas e ao mercado.

3.3. Relaes com entidades de regulao e superviso:

a) A REN, atravs dos colaboradores designados para o efeito, prestar s autoridades de

regulao e superviso toda a colaborao solicitada ou que se afigure til ou

necessria, respondendo tempestivamente aos pedidos que lhes forem dirigidos e

abstendo-se de adotar quaisquer comportamentos que possam impedir o exerccio das

competncias daquelas entidades.

b) A REN procurar manter relaes cordiais com as entidades de regulao e superviso,

pautando a sua conduta por padres de imparcialidade, clareza e respeito.

3.4. Relaes com fornecedores:

a) Os colaboradores da REN devem atuar de forma a permitir que sejam honrados os

compromissos com fornecedores de produtos ou servios e a exigir da parte destes o

integral cumprimento das suas obrigaes, bem como a observncia das boas prticas

e regras subjacentes atividade em causa, tendo em conta o normal funcionamento do

mercado.

b) Os colaboradores da REN devem promover que os contratos a celebrar pelas empresas

do Grupo sejam redigidos de forma precisa e sem ambiguidades, explicitando, de forma

clara, os direitos e obrigaes das partes e observem as normas aplicveis.

c) A contratao de um fornecedor deve, ainda, ser precedida da adeso do mesmo ao

Cdigo de Conduta do Fornecedor do Grupo REN, o qual prev igualmente o respeito

pelos princpios estabelecidos no presente Cdigo de Conduta.

Edio: 4 Pgina 13 de 16 Data: 03/05/2018

d) A escolha dos fornecedores deve ser efetuada com base em critrios imparciais e

transparentes, sem concesso de privilgios ou favoritismos e evitando, sempre que

possvel, situaes de exclusividade.

e) Os colaboradores da REN tero presente que, para a seleo de fornecedores e

prestadores de servios, no devero ser tidos em considerao apenas os indicadores

econmico-financeiros, condies comerciais e qualidade dos produtos ou servios,

mas, tambm, o comportamento tico do fornecedor e, nomeadamente, a adeso ao

presente Cdigo de Conduta.

f) Os colaboradores da REN devem sensibilizar os fornecedores e prestadores de servios

para o cumprimento de princpios ticos em linha com os constantes do presente Cdigo

de Conduta.

g) Os colaboradores da REN devem abster-se de responder a questes de fornecedores

que procurem obter, indevidamente, informao confidencial da REN.

3.5. Relaes com outros stakeholders:

a) A atividade da REN tem o seu foco na criao de uma relao de confiana assente na

prestao de servios de qualidade elevada e consistente.

b) A REN dever manter nveis elevados de competncia tcnica, prestando um servio de

qualidade e atuando com profissionalismo, eficincia, diligncia, transparncia e

neutralidade.

c) A REN dever assegurar a igualdade de tratamento e a no discriminao injustificada

dos seus stakeholders.

d) No relacionamento com os stakeholders, os colaboradores da REN devero manter

adequados padres de correo, urbanidade e afabilidade, respeitando sempre os

compromissos assumidos.

3.6. Relaes com a comunicao social:

a) As informaes prestadas aos meios de comunicao social ou contidas em publicidade

devem possuir carter informativo e verdadeiro, respeitando os parmetros culturais e

ticos da comunidade.

b) As informaes referidas no pargrafo anterior devem contribuir para uma imagem de

dignificao da REN e criao de valor para a empresa.

Edio: 4 Pgina 14 de 16 Data: 03/05/2018

c) Os colaboradores da REN s devero prestar as informaes referidas no primeiro

pargrafo do presente ponto nos termos do pargrafo 2.4..

d) Quaisquer informaes trocadas com a comunicao social devem obedecer s polticas

especificamente estabelecidas pela REN nesse mbito.

3.7. Relaes com a comunidade e o meio ambiente:

A REN dever assumir uma atitude socialmente responsvel na Comunidade e perante a

opinio pblica e o mercado, assumindo uma postura de dilogo prximo, e adotando uma

poltica de sustentabilidade ambiental consciente, em respeito pela utilizao responsvel

dos recursos disponveis.

Captulo IV

Relaes Internas

4.1. Relao entre colaboradores e aperfeioamento profissional:

a) Os colaboradores da REN devem pautar a sua atuao na empresa pela motivao do

aumento da produtividade, pelo envolvimento e participao, pela manuteno de um

clima sadio e de confiana, no respeito pela estrutura hierrquica, colaborando

proactivamente, partilhando conhecimento e informao e cultivando o esprito de

equipa.

b) Os colaboradores da REN que tenham entre si relaes familiares ou equivalentes no

devem exercer a sua atividade em relao hierrquica ou funcional direta.

c) Os colaboradores da REN observaro os melhores princpios de respeito pela

integridade e dignidade no relacionamento entre si, devendo a REN promover a

correo, a cordialidade e a urbanidade nas relaes entre os seus colaboradores.

d) Os colaboradores da REN devem abster-se, em particular, de quaisquer condutas ou

prticas de assdio no trabalho, considerando para o efeito o conceito de assdio no

trabalho previsto a cada momento no Cdigo do Trabalho.

Edio: 4 Pgina 15 de 16 Data: 03/05/2018

e) A REN divulgar, nomeadamente atravs da intranet, informaes e/ou documentos

que sejam considerados relevantes sobre assdio no trabalho de forma a prevenir a sua

prtica.

f) A REN incluir nas suas aes de formao, quando tal se justifique, contedos visando

a preveno e o combate ao assdio no trabalho.

g) Os colaboradores da REN podero recorrer Comisso de Auditoria da REN para obter

esclarecimento de dvidas ou colocar questes sobre assdio no trabalho.

h) Os colaboradores da REN devem procurar, de forma contnua, aperfeioar e atualizar os

seus conhecimentos, tendo em vista a manuteno ou melhoria das suas capacidades

profissionais, designadamente atravs da participao em aes de formao

promovidas pela REN ao abrigo do presente Cdigo de Conduta.

Captulo V

Aplicao do Cdigo

5.1. Comunicao de irregularidades

A comunicao de eventuais irregularidades ou infraes a este Cdigo de Conduta deve ser

dirigida por escrito, em suporte de papel ou digital (endereo eletrnico com acesso

reservado: comissao.auditoria@ren.pt), ao Presidente da Comisso de Auditoria por

qualquer colaborador da REN, acionista, cliente, fornecedor ou qualquer outra entidade

diretamente interessada.

5.2. Incumprimento:

a) Em caso de violao das disposies constantes do presente Cdigo de Conduta, ficam

os colaboradores sujeitos ao exerccio do poder disciplinar por parte da REN, nos termos

previstos no Cdigo do Trabalho, bem como no Acordo Coletivo de Trabalho em vigor a

cada momento.

b) As denncias fundamentadas sobre situaes de assdio no trabalho devero ser

dirigidas Comisso de Auditoria da REN, atravs do endereo de email referido em

5.1., que as remeter para o departamento responsvel pelos recursos humanos da

REN.

c) Caber ao departamento responsvel pelos recursos humanos da REN apreciar e

tramitar a denncia visando, consoante os casos, a resoluo informal da situao, a

Edio: 4 Pgina 16 de 16 Data: 03/05/2018

adoo das medidas corretivas ou - se estiverem preenchidos os pressupostos legais

para o efeito - a instaurao, consoante os factos conhecidos e comprovados, de

procedimento prvio de inqurito disciplinar ou de procedimento disciplinar.

d) Em caso de violao das disposies constantes do presente Cdigo de Conduta por

parte dos demais fornecedores, prestadores de servio, procuradores ou mandatrios

da REN ou outros terceiros que tenham aderido ao Cdigo ou aos seus princpios, estes

ficam sujeitos s sanes eventualmente previstas no mbito das relaes contratuais

estabelecidas com a REN, bem como reavaliao dos termos dessas relaes.

e) Caso uma violao do Cdigo de Conduta consubstancie igualmente uma

Irregularidade nos termos definidos na seco VI dos Procedimentos aplicveis ao

tratamento de comunicaes de irregularidades e averiguao de irregularidades,

sero aplicveis igualmente os referidos procedimentos, podendo, nomeadamente,

qualquer pessoa proceder comunicao de tal Irregularidade Comisso de Auditoria

(comisso.auditoria@ren.pt) nos termos a previstos.

Captulo VI

Divulgao

6.1. Divulgao e compromisso de cumprimento:

a) A Comisso Executiva da REN SGPS promover a divulgao do presente Cdigo de

Conduta, encontrando-se o mesmo disponvel para consulta de todos os destinatrios

nas plataformas informticas da REN (internet e intranet), bem como em suporte de

papel na sede e nas principais instalaes da REN, de forma a consolidar a aplicao dos

princpios e a adoo dos comportamentos previstos no mesmo.

b) Em relao aos atuais colaboradores da REN, presume-se a adeso dos mesmos ao

presente Cdigo de Conduta quando estes no se opuserem, por escrito e no prazo de

21 (vinte e um) dias, a contar da disponibilizao do Cdigo nas plataformas

informticas da REN.

mailto:comisso.auditoria@ren.pt

Recommended

View more >