cncurso assist 2015 ufrn

Download Cncurso Assist 2015 Ufrn

Post on 15-Apr-2016

241 views

Category:

Documents

27 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Concurso

TRANSCRIPT

  • Concurso Pblico UFRN 2015

    Leia estas instrues:

    1

    Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa esto corretos e, em

    seguida, assine no espao reservado. Caso se identifique em qualquer outro local

    deste Caderno, voc ser eliminado do Concurso.

    2

    Este Caderno contm, respectivamente, trs questes discursivas de

    Conhecimentos Especficos e 50 questes de mltipla escolha, assim distribudas:

    01 a 10 Lngua Portuguesa; 11 a 20 Legislao; 21 a 50 Conhecimentos Especficos.

    3 Quando o Fiscal autorizar, verifique se o Caderno est completo e sem

    imperfeies grficas que impeam a leitura. Detectado algum problema,

    comunique-o, imediatamente, ao Fiscal.

    4 As questes discursivas sero avaliadas considerando-se apenas o que estiver

    escrito no Espao destinado Resposta.

    5 Escreva de modo legvel, pois dvida gerada por grafia ou rasura implicar

    reduo de pontos.

    6 Cada questo de mltipla escolha apresenta quatro opes de resposta, das

    quais apenas uma correta.

    7 Interpretar as questes faz parte da avaliao, portanto no adianta pedir

    esclarecimentos aos fiscais.

    8 Use exclusivamente caneta esferogrfica, confeccionada em material

    transparente, de tinta preta ou azul.

    9 Utilize qualquer espao em branco deste Caderno para rascunhos e no

    destaque nenhuma folha.

    10 Os rascunhos e as marcaes que voc fizer neste Caderno no sero

    considerados para efeito de avaliao.

    11 Voc dispe de, no mximo, quatro horas e trinta minutos para responder s

    questes discursivas, s de mltipla escolha e preencher a Folha de Respostas.

    12 O preenchimento da Folha de Respostas de sua inteira responsabilidade.

    13 Antes de se retirar definitivamente da sala, devolva ao Fiscal este Caderno e a

    Folha de Respostas .

    _________________________________________________________________________________

    Assinatura do Candidato: ______________________________________________________________

  • Concurso Pblico UFRN 2015 Assistente de Laboratrio 1

    PROVA DISCURSIVA

    Questo 1 Para a esterilizao de materiais, podem-se utilizar vrios tipos de equipamentos, dependendo

    da situao. Os mais comuns so as autoclaves, os fornos de Pasteur e os filtros esterilizantes.

    Com base nessas informaes, responda aos itens A e B.

    A) Descreva os critrios utilizados na escolha dos equipamentos de esterilizao citados acima.

    B) No caso de a esterilizao de material limpo ser realizada em autoclave, descreva como acondicionar e organizar o material dentro do equipamento.

    Espao destinado Resposta

    Fim do espao destinado Resposta

  • 2 Concurso Pblico UFRN 2015 Assistente de Laboratrio

    Questo 2

    A titulao uma tcnica experimental muito usada em laboratrios com o objetivo de determinar

    a concentrao desconhecida de uma soluo. Um exemplo de titulao est representado na

    Figura a seguir.

    .

    Disponvel em: Acesso em: 12 fev. 2015.[Adaptado]

    Com base nessas informaes, responda aos itens A e B.

    A) Identifique os agentes, titulado e titulante.

    B) Explique o processo que ocorre entre as etapas I e II, indicado pela seta circulada.

    Espao destinado Resposta

    Fim do espao destinado Resposta

    I II

  • Concurso Pblico UFRN 2015 Assistente de Laboratrio 3

    Questo 3

    No preparo de um esfregao, embora seja um mtodo simples e rpido, necessrio o

    conhecimento de algumas regras bsicas para que as amostras tenham boa qualidade,

    permitindo boa colorao, observao ou mesmo a obteno de imagens ou fotomicrografias.

    Alm disso, para observao microscpica de detalhes da estrutura de alguns microrganismos,

    necessrio o uso de lentes objetivas de imerso. Com base nessas informaes, responda aos

    itens A e B.

    A) Explique o preparo das lminas de vidro e o preparo do es fregao, destinados ao mtodo de colorao de Gram.

    B) Explique porque o uso do leo de imerso facilita a observao do esfregao.

    Espao destinado Resposta

    Fim do espao destinado Resposta

  • 4 Concurso Pblico UFRN 2015 Assistente de Laboratrio

    Lngua Portuguesa 01 a 10

    Antes que elas cresam

    Affonso Romano de Sant'Anna

    H um perodo em que os pais vo ficando rfos dos prprios filhos.

    que as crianas crescem. Independentes de ns, como rvores, tagarelas e pssaros estabanados, elas crescem sem pedir licena. Crescem como a inflao, independente do governo e da vontade popular. Entre os estupros dos preos, os disparos dos discursos e o assalto das estaes, elas crescem com uma estridncia alegre e, s vezes, com alardeada arrogncia.

    Mas no crescem todos os dias, de igual maneira; crescem, de repente.

    Um dia se assentam perto de voc no terrao e dizem uma frase de tal maturidade que voc sente que no pode mais trocar as fraldas daquela criatura.

    Onde e como andou crescendo aquela danadinha que voc no percebeu? Cad aquele cheirinho de leite sobre a pele? Cad a pazinha de brincar na areia, as festinhas de aniversrio com palhaos, amiguinhos e o primeiro uniforme do maternal?

    Ela est crescendo num ritual de obedincia orgnica e desobedincia civil. E voc est agora ali, na porta da discoteca, esperando que ela no apenas cresa, mas aparea. Ali esto muitos pais, ao volante, esperando que saiam esfuziantes sobre patins, cabelos soltos sobre as ancas. Essas so as nossas filhas, em pleno cio, lindas potrancas.

    Entre hambrgueres e refrigerantes nas esquinas, l esto elas, com o uniforme de sua gerao: incmodas mochilas da moda nos ombros ou, ento com o suter amarrado na cintura. Est quente, a gente diz que vo estragar o suter, mas no tem jeito, o emblema da gerao.

    Pois ali estamos, depois do primeiro e do segundo casamento, com essa barba de jovem executivo ou intelectual em ascenso, as mes, s vezes, j com a primeira plstica e o casamento recomposto. Essas so as filhas que conseguimos gerar e amar, apesar dos golpes dos ventos, das colheitas, das notcias e da ditadura das h oras. E elas crescem meio amestradas, vendo como redigimos nossas teses e nos doutoramos nos nossos erros.

    H um perodo em que os pais vo ficando rfos dos prprios filhos.

    Longe j vai o momento em que o primeiro mnstruo foi recebido como um impacto d e rosas vermelhas. No mais as colheremos nas portas das discotecas e festas, quando surgiam entre grias e canes. Passou o tempo do bal, da cultura francesa e inglesa. Saram do banco de trs e passaram para o volante de suas prprias vidas. S nos res ta dizer bonne route, bonne route

    1, como naquela cano francesa narrando a emoo do pai quando a filha oferece o

    primeiro jantar no apartamento dela.

    Deveramos ter ido mais vezes cama delas ao anoitecer para ouvir sua alma respirando conversas e confidncias entre os lenis da infncia, e os adolescentes cobertores daquele quarto cheio de colagens, psteres e agendas coloridas de pilot. No, no as levamos suficientemente ao maldito drive-in

    2, ao Tablado para ver Pluft

    3, no lhes demos suficientes

    hambrgueres e cocas, no lhes compramos todos os sorvetes e roupas merecidas.

    Elas cresceram sem que esgotssemos nelas todo o nosso afeto.

    No princpio subiam a serra ou iam casa de praia entre embrulhos, comidas, engarrafamentos, natais, pscoas, piscinas e amiguinhas. Sim, havia as brigas dentro do carro, a disputa pela janela, os pedidos de sorvetes e sanduches infantis. Depois chegou a idade em que subir para a casa de campo com os pais comeou a ser um esforo, um sofrimento, pois era imposs vel deixar a turma aqui na praia e os primeiros namorados. Esse exlio dos pais, esse divrcio dos filhos, vai durar sete anos bblicos. Agora hora de os pais na montanha terem a solido que queriam, mas, de repente, exalarem contagiosa saudade daquelas pestes.

    O jeito esperar. Qualquer hora podem nos dar netos. O neto a hora do carinho ocioso e estocado, no exercido nos prprios filhos e que no pode morrer conosco. Por isso, os avs so to desmesurados e distribuem to incontrolvel afeio. Os netos so a ltima oportunidade de reeditar o nosso afeto.

    Por isso, necessrio fazer alguma coisa a mais, antes que elas cresam.

    Disponvel em: . Acesso em: 07.02.2015. [Adaptado]

  • Concurso Pblico UFRN 2015 Assistente de Laboratrio 5

    Glossrio:

    1. Bonne route, bonne route: a expresso em francs faz meno a um pequeno trecho da msica francesa Ma fille e significa: bom caminho, bom caminho... 2. Drive in: Estabelecimento (cinema, restaurante, lanchonete) onde os seus clientes podem permanecer em seus automveis. 3. Pluft: pea teatral infantil, escrita por Maria Clara Machado.

    01. No texto, Affonso Romano de Santana faz uma reflexo sobre o crescimento dos filhos e a reao desnorteada dos pais diante do fato. Ao longo de todo o texto, o sentimento mais evidente o de:

    A) felicidade plena, que se inicia a partir do momento em que chegam os netos para receberem o carinho ocioso e a afeio desmesurada e incontrolada dos avs.

    B) dever cumprido, uma vez que o destino das crianas o de se tornarem adultas e essa transio menos complicada quando bem conduzida pelos pais.

    C) amor incondicional, haja vista que, independente do crescimento dos filhos, a re lao com seus pais permanece estvel, sem alteraes mais profundas.

    D) melancolia, que se relaciona ao sentimento de perda, uma vez que, crescidos, os filhos se tornam autnomos, independentes, no mais to ligados aos pais.

    02. O autor se apresenta como algum j experiente, que pretende dividir suas reflexes sobre a paternidade com outros leito