classificaÇÃo das viaturas definiÇÕes e normas gerais

Download CLASSIFICAÇÃO DAS VIATURAS DEFINIÇÕES E NORMAS GERAIS

Post on 07-Jan-2017

213 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Anexo J 75

    1

    FEDERAO INTERNACIONAL DO AUTOMVEL

    ANEXO J AO CDIGO DESPORTIVO INTERNACIONAL (1975) * * Copyright FIA 1975

    CLASSIFICAO, DEFINIO E ESPECIFICAES DOS VIATURAS As especificaes em itlico significam interpretaes ou explicaes dadas pela Comisso Desportiva Internacional aps a introduo do presente anexo J em 1966. Aviso: O presente anexo J permanecer vlido apenas at 31 de Dezembro de 1975. O novo anexo J que entrar em vigor em 1.1.76 englobar modificaes fundamentais que sero publicadas a partir do ms de Dezembro de 1974, no boletim desportivo da FIA

    TITULO I

    CLASSIFICAO DAS VIATURAS Art. 251 Categorias e grupos: as viaturas utilizadas em competies so divididas nas seguintes categorias e grupos: Categoria A: viaturas de produo homologadas (o nmero entre parntesis indica o nmero mnimo de viaturas produzidas em 12 meses consecutivos).

    Grupo 1: viaturas de turismo de srie (5000) Grupo 2: viaturas de turismo especiais (1000) Grupo 3: viaturas de grande turismo de srie (1000) Grupo 4: viaturas de grande turismo especiais (500)

    Categoria B: viaturas de competio experimentais. Grupo 5: viaturas de desporto.

    Categoria C: viaturas de corrida. Grupo 7: viaturas de corrida de dois lugares Grupo 8: viaturas de corrida de frmula internacional Grupo 9: viaturas de corrida de frmula livre.

    TTULO II

    DEFINIES E NORMAS GERAIS Art. 252 Definies a) Viaturas de produo homologadas: viaturas de que foi constatada a produo em srie de um determinado nmero de exemplares idnticos (ver definio adiante) num dado perodo de tempo e destinados venda normal clientela (ver adiante esta expresso). Este perodo de tempo de 12 meses consecutivos. A constataro da srie mnima habilita o ACN a pedir a homologao FIA (ver definio de homologao). Nota A produo de 500 viaturas do Grupo 4 pode ser atingida em perodos de 24 meses. b) Viaturas de competio experimentais: viaturas que no tm ou que deixaram de ter qualquer relao com um modelo de srie, quer por terem sido fabricados num nico exemplar ou num nmero de exemplares inferiores ao requerido para o grupo em que o

  • Anexo J 75

    2

    nmero de unidades produzidas anualmente mais baixo, quer porque tendo embora origem num modelo de srie foram transformadas ou equipadas com novos acessrios em tais propores que perderam as suas caractersticas de modelos de srie. c) Viaturas de corrida: viaturas concebidas unicamente para corridas de velocidade em circuitos ou em percursos fechados. Estas viaturas so em geral definidas pelas frmulas de corrida internacionais, cujas normas so estabelecidas pela FIA para determinado perodo. As viaturas de corrida que no correspondam a nenhuma das frmulas internacionais da FIA so denominados viaturas de corrida livre. As normas que lhes respeitam devem ser estabelecidas pelos organizadores e mencionadas nos regulamentos particulares das provas. d) Idntico: por viaturas idnticas compreendem-se as viaturas pertencentes a uma mesma srie de fabrico e que tm a mesma carroaria (exterior e interior), as mesmas peas mecnicas e o mesmo quadro (chassis), entendendo-se que este quadro pode ser parte integrante da carroaria no caso do conjunto monocoque (monobloco). As peas mecnicas compreendem todas as que so necessrias propulso, suspenso, direco e travagem, assim como todos os acessrios mveis ou no que so necessrios ao seu funcionamento normal (como, por exemplo, os acessrios elctricos). Por quadro (chassis) compreende-se a estrutura de conjunto da viatura que rene as partes mecnicas e a carroaria, incluindo todas as peas solidrias da referida estrutura e que se encontram situadas abaixo do plano horizontal que passa pelo centro do cubo das rodas. e) Mnimo de fabrico: este mnimo de fabrico, varivel conforme o grupo de viaturas considerado, entende-se para viaturas todas idnticas cuja construo esteja inteiramente concluda no fim de 12 meses consecutivos (24 meses para o grupo 4) No pode ser considerado como srie mnima, seno um nmero de viaturas inteiramente acabadas, quer dizer, em ordem de marcha e prontas a serem entregues clientela normal. f) Venda normal: trata-se da distribuio pela clientela particular, assegurada pelo servio comercial do fabricante, normalmente montado para este efeito. g) Homologao: a constatao oficial efectuada pela FIA de que um modelo de determinada viatura fabricado em srie bastante para ser classificado num dos grupos 1, 2, 3 ou 4 do presente regulamento. O pedido de homologao deve ser apresentado FIA pelo ACN do pas onde a viatura produzida e dar lugar ao estabelecimento de uma ficha de homologao (ver a seguir). O pedido deve ser apresentado em conformidade com um regulamento especial, chamado regulamento de homologao, estabelecido pela FIA e todo o fabricante que deseje homologar o seu ou os seus modelo (s) de viaturas dever comprometer-se a respeitar as normas desse regulamento. A homologao no ser concedida seno aos modelos ainda em fabrico em 1 de Janeiro de 1973 ou cujo fabrico tenha comeado depois dessa data. Qualquer homologao dum modelo fabricado em srie caduca 4 anos depois do abandono definitivo do fabrico em srie desse modelo. A homologao de um modelo no pode ser vlida seno para um nico grupo. Resulta pois que a passagem para um segundo grupo, de um modelo j homologado noutro, anula o efeito da primeira homologao. Abandono definitivo da produo em srie: A produo em srie considera-se abandonada a partir do momento em que a produo anual descer a menos de 10% do mnimo de produo para o grupo considerado.

  • Anexo J 75

    3

    Definio da expresso modelo de viatura. Por modelo de viatura, compreende-se o conjunto de todas as viaturas de uma srie de produo, que se distinguem por uma determinada concepo e uma determinada linha geral exterior da carroaria, e por uma mesma concepo mecnica do motor e da transmisso s rodas. Um modelo de viatura pode existir em diversas variantes (por exemplo, potncia ou cilindrada - motor diferentes) que podem, eventualmente, ser objecto de homologaes distintas. No entanto, se por razes de ordem prtica, a FIA puder autorizar a homologao de certas variantes dum mesmo modelo em grupos de viaturas diferentes, formalmente interdito o princpio da homologao simultnea de variantes desse mesmo modelo nos grupos 1 e 2 (Turismo) por um lado e nos grupos 3 e 4 (Grande Turismo), por outro. h) Fichas de homologao qualquer modelo de viatura homologado pela FIA ser objecto de uma ficha descritiva, denominada ficha de homologao, na qual sero mencionadas todas as caractersticas que permitam identificar a viatura referida. Para este efeito, ser utilizado por todos os ACN, exclusivamente, o modelo estabelecido pela FIA de ficha de homologao, assim como da ficha adicional de evoluo normal do tipo e de variante. A apresentao das fichas no controlo de verificao e/ou antes da partida poder ser exigida pelos organizadores, que tero o direito de recusar a participao de qualquer concorrente no caso de no apresentao. No caso de a comparao entre o modelo de um viatura e a sua ficha de homologao suscitar qualquer dvida, devero os comissrios tcnicos recorrer ao manual de manuteno editado para uso dos concessionrios da marca ou ao catlogo geral que comporta a lista de peas de substituio. Se esta documentao no se revelar suficientemente precisa, podero ser, ainda, realizadas verificaes directas por comparao com uma pea idntica, fornecida pelo concessionrio da marca. Compete ao concorrente adquirir, junto do ACN do pas de fabrico do seu viatura, a ficha de homologao e/ou as fichas adicionais a ele relativas, quando as haja. No caso de uma evoluo normal do tipo, o modelo utilizado dever estar exactamente conforme com o modelo precedente ou com o modelo seguinte da evoluo. Quando a verificao tcnica duma viatura revele absoluta conformidade com a ficha de homologao apresentada, na medida exigida para o grupo em que est admitido, no haver que considerar-se o ano de fabrico dessa viatura. Consequentemente, os nmeros de quadro e de motor, eventualmente mencionados na ficha de homologao, no so de considerar. Tolerncias de fbrica Desde que as margens de tolerncia indicadas por um construtor no estejam em contradio com as permitidas pela FIA, dispensar-se- o seu registo individual na ficha de homologao. No caso de uma ou vrias, de entre elas, ultrapassem as tolerncias permitidas, os construtores devero fornec-las considerao da Subcomisso de Homologaes. Tabela de tolerncias: 1) Margem de tolerncia nas dimenses de todas as peas maquinadas, excepto o dimetro e o curso: 0,2% (Art. 156, 158, 159, 181, 196, 215, 216, 225, 262 e 263do Regulamento de Homologao da FIA). 2) Art. 146: 0,5%.

  • Anexo J 75

    4

    3) Peas de fundio no acabadas: + 4%, - 2%. 4) Elevao do excntrico: + 1% (Art. 182, 197 e 255). 5) Pesos (Art. 160 a 164): + 7%, - 3%. 6) Largura, nos eixos da frente e de trs: + 1%, - 0,3%. 7) Distncia entre eixos (Art. 1): 0,5%. i) Classes de cilindrada: as viaturas sero divididas consoante a sua cilindrada motor,

    nas 13 classes seguintes:

    CLASSE CILINDRADA

    1 inferior ou igual a 500 cc

    2 superior a 500 cc inferior ou igual a 600 cc

    3 superior a 600 cc inferior ou igual a 700 cc

    4 superior a 700 cc inferior ou igual a 850 cc

    5 superior a 850 cc inferior ou igual a 1000 cc

    6 superior a 1000 cc inferior ou igual a 1150 cc

    7 superior a 1150 cc inferior ou igual a 1300 cc

    8 superior a 1300 cc inferior ou igual a 1600 cc

    9 superior a 1600 cc inferior ou igual a 2000 cc

    10 superior a 2000 cc inferior ou igual a 2500 cc

    11 superior a 2500 cc inferior ou igual a 3000 cc

    12 superior a 3000 cc inferior ou igual a 5000 cc

    13 superior a 5000 cc

    Os regulamentos particulares das provas podero estabelecer uma ou mais subdivises da classe 13. Nenhuma outra classe, por